2015 Adriana Araujo

Balanço de Leituras - Julho

10.8.15Elilyan Andrade


Julho normalmente é um mês visto como sinônimo de férias, mas aqui no ConversaCult a história é outra; é hora de arregaçar as mangas e colocar a leitura em dia.

Confira quem aproveitou julho para cair de cabeça na leitura. 

>>> ADRIANA 

Número de leituras: 2 completas, 1 incompleta

Como foi o mês? Bom! Finalizei o projeto releitura de Harry Potter e eu já tava há um tempinho sem ler, então foi ótimo retomar as leituras.

Leitura que mais gostou: Harry Potter e o Enigma do Príncipe, de J.K. Rowling. É o meu livro favorito de toda a saga. Simplesmente devorei, principalmente por eu não curtir tanto o anterior. 

Leitura que menos gostou: Orgulho e Preconceito, de Jane Austen. To com pena de colocar ele aqui, coitado, porque nem terminei ainda. Eu to gostando dele, mas perto de Harry Potter, infelizmente, ele fica atrás.

Demais leituras: Harry Potter e as Relíquias da Morte, de J.K. Rowling. O desfecho da história foi muito bom, e a tristeza ao chegar é final é inevitável. 

>>> ISABELLE

Número de leituras: 10 LIVROS COMPLETOS!!! E 1 incompleto que está durando meses

Como foi o mês? Uma verdadeira overdose de romances HUHGHDFIGHID não li nenhum gênero diferente. Achei o mês muito produtivo e com muitos feelings de fangirl q

Leitura que mais gostou: Pode ser todos da série dos Bedwyn? Não? Tanto faz, escolho dois deles: Ligeiramente Sedutor e Ligeiramente Perigoso. Gente, esses dois livros são absolutamente incríveis. Com o Sedutor eu me impressionei com uma das melhores mocinhas dos romances, cenário de guerra e com altas tretas, com o Perigoso vi o maravilhoso duque finalmente tendo seu final feliz. NÃO DÁ PRA ESCOLHER. 

Leitura que menos gostou: Real, de Katy Evans. Poderia trocar o "menos gostou" por "HORROR COMPLETO". Ainda não consegui entender como esse livro conseguiu rolar ladeira abaixo daquele jeito, podendo ser tão bom. 

Demais leituras: Ligeiramente Casados, de Mary Balogh. Aidan, meu Bedwyn favorito juntamente com o Duque de Bewcastle. E a Eve

Ligeiramente Maliciosos, de Mary Balogh. A história de Judith me deu muita dor no coração. Me compadeço por personagens que não se enxergam como verdadeiramente são por motivos perfeitamente plausíveis.

Ligeiramente Escandalosos, de Mary Balogh. EU SIMPLESMENTE PASSEI O LIVRO INTEIRO GARGALHANDO e gritando com os feels. Apaixonada pela Freyja e o Joshua.

Ligeiramente Imoral, de Mary Balogh. Alleyne poderia facilmente ser o meu favorito também com esse senso de humor e fofura. E a Rachel, me identifiquei um pouco com a história dela.

Isla e o Final Feliz, de Stephanie Perkins. O último livro da trilogia que não é trilogia é muito adorável, profundo e super shipável, é claro. Anna, Étienne, Lola e Cricket aparecendo, nem gritei HGUDHGIHD.

O Diário Secreto de Lizzie Bennet, de Bernie Su & Kate Rodrick. Nada como um presente pra te fazer ler algo que jamais leria. Eu em geral passo longe de adaptações de Orgulho e Preconceito e acabei mordendo a minha língua com esse livro ADORÁVEL.

O Duque e Eu, de Julia Quinn. O primeiro livro da série dos Bridgerton começa com um casal fofo, tretas angustiantes e claro, muito romance. Pretendo ler os outros.

>>> DANA

Número de leituras: 3 livros completos e 1 incompleto YAY

Como foi o mês? O primeiro mês em anos que eu termino um livro. Ok, talvez seja exagero. 

Leitura que mais gostou: A Arte de Pedir, da Amanda Palmer. Eu já tenho até uma história particular com esse livro. Que começou no post sobre a palestra do TED. E você já pode conhecer. :)

Leitura que menos gostou: Não tenho esse luxo. 

Demais leituras: Alif, o Invisível, da G. Willow Wilson. Uma surpresa legal, não esperava que ia gostar tanto. Já fiz resenha.

Cartas a um jovem poeta, de Rainer Maria Rilke. A internet disse que esse é o livro preferido da Lady Gaga. E eu nem pretendia ler. Mas caiu na minha mão, é curtinho e - oh! - palavras de um escritor sobre criação. Indico pra todo mundo que gosta de criar ou está em crise existencial. 

>>> ELILYAN

Número de leituras: 11 livros completos, 4 livros incompletos, 2 mangás e 1 HQ

Como foi o mês? Um mês de múltiplos amores

Leitura que mais gostou: O Beijo de Chocolate, de Laura Florand, Arlequina: Dia dos Namorados (os novos 52) e Aoharaido #3 de longe são minhas leituras preferidas do mês. Desculpa, mas não consegui escolher apenas uma. O Beijo de Chocolate faz parte da série Amor e Chocolate, uma série que mistura duas coisas que amo: comida e romance. Já a HQ da Arlequina surgiu meio sem querer na minha vida e me mostrou uma nova faceta da vilã da DC. No terceiro volume do mangá Aoharaido os coadjuvantes ganham mais destaque e a história mais corpo, ou seja, fica cada vez mais linda. Em breve, terá resenha dos três! 

Leitura que menos gostou: Bound By Hatred, de Cora Reilly. Me apaixonei por Matteo e Gianna lá no primeiro volume da série Born in Blood Mafia Chronicles, mas infelizmente a história dos dois não fez jus a expectativa. Apesar de ter sido o livro mais engraçado da série, até o presente momento, de longe também é o que tem a heroína menos interessante (Pô Gianna! Você prometia tanto!) 

Demais leituras: Ai meu Deus, ai meu Jesus - Crônicas de amor e sexo, de Carpinejar. É um bom livro, mas esperava mais dele. 

O Andar do Bêbado, de Leonard Mlodinow. Muito mais que um livro sobre estatística e probabilidade, O Andar do Bêbado é um livro esclarecedor sobre a nossa sociedade. É um livro que recomendo para quem é curioso e paciente (você precisará de paciência para aguentar a escrita rebuscada de Mlodinow) 

Sedução Total, de Dani Collins. Uma agradável e surpreendente surpresa que encontrei na banca. Em breve resenha.

Bound by Duty, de Cora Reilly. De longe o melhor livro da série Born in Blood Mafia Chronicles. Reilly tá de parabéns por ter criado o Dante (ele não fala 'eu te amo', fato que gerou altas discussões no clube de leitura que faço parte), mas principalmente pela Valentina. Que personagem incrível! Mulher forte, guerreira, inteligente e amorosa! Se a Gianna fosse 1% da Valentina teria ficado feliz com Bound By Hatred. 

Lento, de Leslie Kelly. Lento começa bem, mas o final é um desastre. 

Prick, de Sabrina Paige. New adult que é bom para aquelas horas que você quer dar uma pausa nas leituras pesadas. Engraçado, erótico e com personagens carismáticos Prick só fica devendo mais drama para deixar tudo perfeito. 

Melhor que Chocolate, de Laura Florand. Primeiro volume da série Amor e Chocolate, Melhor que Chocolate é um excelente pontapé. Laura Florand tem a incrível capacidade de descrever tão detalhadamente chocolates, tortas e outros tipos de doces que fiquei com água na boca durante a leitura. 

>>> DIEGO

Número de leituras: 22! 13 livros, 8 histórias em quadrinho, 1 mangá

Como foi o mês? basicamente eu nunca li tanto na minha vida. Agradecimento à Maratona Literária de Inverno que me ajudou a me animar para isso.

Leitura que mais gostou: Just Listen, de Sarah Dessen: um dos melhores do ano! sensivel, inteligente e muito bem amarrado. Estou apaixonado por Sarah Dessen e quero ler tudo o que essa mulher já escreveu na vida!

Leitura que menos gostou: Meu Passado me Condena, de Tati Bernardi: machista, sexista, preconceituoso, perpetuador de esteriótipos negativos. Acho que não preciso falar mais nada.

Red Rising, de Pierce Brown: Esse livro foi uma decepção tão grande que eu tive de colocar ele dividindo esse pódio. Os problemas são praticamente os mesmos, alias (mas esse também é racista)

Demais leituras: Cidades de Papel, de John Green: um livro com ideias incríveis e personagens horríveis que felizmente o filme conseguiu concertar. Ainda acho a leitura válida.

Em Busca de um Final Feliz, de Katherine Boo: uma analise emocionante sobre a realidade de uma favela em Mumbai e sobre como a vida e as pessoas são complexas.

Minha Breve História, de Stephen Hawking: esse livro é meio doido. Uma hora está falando da infância dele, na outra sobre buracos negros e equações complexas.

Rainha Vermelha, de Victoria Aveyard: a cadencia do texto é deliciosa, mas no final do dia eu senti que estava lendo mais do mesmo. Estou interessado na continuação, thou.

Entremundos, de Neial Gaiman e Michael Reaves: O MELHOR INFANTO-JUVENIL QUE EU LEIO EM ANOS! O conceito que fundamenta esse livro é divertido demais, deem pra todos os seus sobrinhos!

No Encontro de Uma Constante, de Bruno Luis Mattos: Eu ainda estou digerindo este aqui. Muita sensibilidade e inteligencia, muito pensamento complexo que pouca gente expressa em voz alta.

Já Matei por Menos, de Juliana Cunha: o humor sarcástico de Juliana combina muito com a veia mal-humorada que corre em mum. As vezes ela excede o tom, mas em geral é ótimo.

Arnadeus, de Walter Tierno: esse livro é perturbador e te desestabiliza. Tem muitas descrições explicitas de sexo, morte e violência. Ainda não sei o que pensar, francamente.

Quem, Eu?, de Fernando Aguzzoli: Uma história emocionante e verdadeira sobre Alzheimer que mexe com os feels. Muito lindo e sensível!

Só por hoje e para sempre, de Renato Russo: relato real de Renato em seu tempo em reabilitação por conta das drogas. Uma viagem intensa pela humanidade poética desse ídolo de tantos. Muitos feels. MUITOS.

Limit #01, de Keiko Suenobu: estou tentando ler mais shoujos esse ano, mas esse é pesado e pessimista e violento e eu não estou afim disso agora.

Penadinho - Vida, de Cristina Eiko e Paulo Crumbim: tão delicado e bonito como todas as Graphic MSP. Amei demais e o traço é tão pop e lindo!

Astronauta - Singularidades, de Danilo Beyruth: a história não foi tão envolvente, mas a forma com que o autor trabalhou os temas foi muito inteligente e me deixou com um sorriso besta no rosto no final.

Sex Criminals, de Matt Fraction e Chip Zdarsky: absolutamente genial. Sexo sendo discutido de forma franca, criativa e muito emocionante.

Deus - por trás das câmeras, de Carlos Ruas: compilação dos primeiros anos da tirinha. Interessante revisitar o material depois de tanto tempo. Muitas percepções novas.

Como eu Realmente - vol. 2, de Fernanda Nia: absolutamente hilário! Mais afiado e divertido que o primeiro, com comentários geniais como sempre!

Bear - vol. 2, de Bianca Pinheiro: Esse mexeu com os feels. Como sempre, parece descompromissado mas acaba propondo umas discussões bem válidas aqui e acolá.

Navio Dragão, de Rebeca Prado: a Lif é aquele lado rabugento e insuportável que todo mundo tem dentro de si, então foi só amor ler essas tirinhas.

Quadrinhos Ácidos, de Pedro Leite: foi tão bom poder ver todos aqueles posts que eu via pelo facebook em um lugar só, e eles foram um conjunto de críticas tão boas!

UFA! Como a equipe tava empolgada. 
E você, o que andou lendo?

TAGS: , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

16 comentários

  1. Isso é um pouco frustante porque não sei como vcs conseguem ler tanto em tão pouco tempo.(O Diego leu 22 livros, é isso mesmo????)
    Eu tenho tempo de sobra e só li 1 livro e meio em Julho, e um deles era uma releitura.(Mas acabo de lembrar que em Julho estava estudando e minhas férias começaram esse mês, então talvez eu tenha uma justificativa, rsrsrrs). Enfim...
    Obs: Continuem fazendo esses balanços porque sou uma pessoas muito influenciável e sempre pego algumas sugestões de livros aqui.
    Ah, e adorei a foto da Dana, demais mesmo!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu também tenho muito problema pra ler livro HUAHUAHUAHUAH eu poderia estar lendo agora, mas: estou aqui comentando. acho que se eu consegui terminar um esse mês vai ser já SUPER CONQUISTA. e obrigada por falar da foto <3 <3 <3 eu mandei ela tipo "ai meu jesus o que eu to fazendo"

      Excluir
  2. GENTE!!! VINTE E DOIS LIVROS!!!

    Esse mês foi praticamente um plot twist no balanço, vocês nunca leram tanto.

    Fiquei muito traumatizado com esse O Duque e Eu da Julia Quinn. Achei o livro completamente WTF?! O romance mais feio que já li (não é exagero, sério).

    A foto da Dana imitando o livro <3 <3 <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. FELIPE COMO ASSIM? EU AMOOOOO ESSE LIVRO

      Excluir
    2. FELIPE COMO ASSIM? EU AMOOOOO ESSE LIVRO

      Excluir
    3. Felipe, OBRIGADA. Foi só depois do seu post que eu pude respirar aliviada por não ser a única a ver os problema desse livro. <3

      Excluir
    4. Hahahahah Talvez, eu tenha começado a ler com a ideia errada na cabeça, porque eu estava esperando um *romance de época fofinho*, estilo Jane Austen e tal, mas aconteceram umas coisas que eu achei muito problemáticas, fiquei meio em choque mesmo (Escrevi sobre aqui http://www.fecheicomele.com.br/2014/12/a-historia-de-amor-mais-feia-que-ja-li.html). Eu até pretendo ler outros da série (mas não todos, pularei alguns), mas esse em específico me deixou meio GENTE.

      Excluir
    5. Vou ler seu texto. Eu particularmente adoro essa história, o mocinho e a série toda. Na verdade, acho q o primeiro é o meu preferido. Hahahahahahahahha

      Excluir
    6. Felipe eu li seu texto, mas sabe qual é a questão? Esse livro é um romance de bancas e a maioria dos romances de banca de época é assim, moitas, jarfins e terraços servem pra isso. Acho que não fiquei empacotada por já estou acostumada, já sabia o qie esperar, mas entendo seu ponto de vista. Agora uma coisa é certa, pegue romances de banca que foram repaginados e estão sendo vendidos em livrarias e vc ainda vai perceber que são romances de bancas.

      Excluir
    7. Uma coisa: como assim Jane Austen fofinha? Por trás do romance a mulher mete o pau em deus e o mundo HUHDGIDFHGIHDFUIGFDIGHFUIDHGFIDHGDHF

      Excluir
    8. O lance é que as editoras não avisam né. Eles vendem como romance de época, mas não falam que antes de mais nada eram romances de banca e esse estilo adoooooora uma pegada hard nos contatos físicos HGIDHGIDFHGIUFDGIDFHGDH.

      Excluir
    9. Eu usei o fofinha num sentido de ser, como eu posso dizer, sem pegação. É um longo caminho até pegarem na mão do outro. Quando cruzam o olhar, já é uma grande coisa. Parece aqueles namoros de adolescentes mais novos. Adoro isso <3 Mas, com certeza, Jane Austen é fantástica nas críticas implícitas (e explícitas tbm, em Abadia de Northanger ela praticamente esquece a voz da protagonista e escreve uns parágrafos ótimos metendo o pau nos romances contemporâneos dela) e nas ironias.

      Sim, o problema foi como o livro foi vendido, agora vejo. No próprio livro vem, no verso, "Julia Quinn é nossa Jane Austen contemporânea". O que eu pensei: UMA SÉRIE GIGANTE TIPO JANE AUSTEN <3 E não é, né? De igual só tem a época e alguns papeis dos personagens (como a mãe que quer casar todos os filhos).

      Mas, ainda assim, mesmo com a pegada hard, mesmo que eu soubesse que é um romance de banca, eu estranharia algumas coisas que aconteceram... Tipo... Gente... Meio que tem um estupro? Um relacionamento involuntariamente abusivo? Um romance BONITO eu não conseguiria achar mesmo :S

      Excluir
    10. Pois éééééé....tem essa merdas HUDGHDUIGIFDHGIFDHIGHD

      Tem umas cenas que são bizooooonhaaasssss, mas graças a deus o final salva HUHSIUGHUIFHGIUDFHGIHDF

      Excluir
  3. De verdade, eu to assustada. 15-20 livros em um mês? MINHA GENTE!!!!!1
    Anotando todas as indicações desde já.

    ResponderExcluir
  4. Mas gente, dá pra viver e ler 22 livros ao mesmo tempo? QUEM É VOCÊ DIEGO???
    *inveja master*

    Eu trabalhei julho (pois é pois é pois é) e, de acordo com o Skoob, li APENAS UM livro, An Evil Mind, mas devo ter abandonado uns 3 pelo caminho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu li 22 livros. Nunca falei nada de ter vivido. Eu passei o mês na minha cama, basicamente.

      Mas é, é possível. A maioria são livros curtos, de 100, no máximo 200 páginas. E daí tem muita história em quadrinho, que também é mais rápido de ler.

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *