CCdiscussão CCSexta

Questionando: É só com quem você faz sexo?

3.5.14Dana Martins


Jesus! Eu não sei nada sobre sexualidade. Eu pensava que sabia alguma coisa, mas esse mês eu virei a mamãe das nossas sextas temáticas, o que significa colocar essa gente linda para escrever sobre o tema da vez (hm... sexualidade? lgbt? questionar?). E eu descobri que não sei de nada.

A gente cresce com a ideia de que já é heterossexual, quem não está satisfeito é que se vira. Não existe nem um momento para questionar a nossa sexualidade ou aprender sobre ela. Nós achamos que sabemos tudo sobre nós e, pior ainda, sobre os outros. Quando alguém não se encaixa ao padrão heterossexual, ainda passa por um período de aprendizado enquanto tenta se descobrir. E quem pensa que já sabe o que é?

esse post é para você também. talvez até mais para você
(e isso não é nenhuma piada interna para fãs de faking it)

*respira fundo*

Vamos lá. Antes de tudo: eu acho que nós precisamos ser sinceros aqui. Eu me dei conta de que a sexualidade (ou homossexualidade, ou sei lá mais como chamar) virou um tabu. Você não fala sobre isso, você pede desculpa quando pergunta sobre isso e se fala alguma coisa errada provavelmente vira o próprio Clube da Luta. Mas como diabos a gente vai aprender se a gente não pode errar quando conversa sobre isso?

Sim, crianças, chegou a hora daquela conversa.


Até para escrever esse post eu falei umas mil coisas com medo de ofender alguém. O meu preferido é "LGBTQ(alfabeto)+", mas pode soar como deboche. A minha conclusão é de que você não pode ter medo de ofender, ainda mais se você se importa com esse alguém. 

Bem... espero conseguir aprender mais ainda durante esse mês aqui no CC. Esse post é uma introdução para tudo o que você vai ver aqui e abaixo reunirei os links para vocês acompanharem o assunto. Não tenham medo de questionar, principalmente se você se considera heterossexual. 

Abram a porta do armário! Estamos indo para Nárnia.




Eu vou acender a luz do armário por um segundo para gente poder conversar, tudo bem?

Encerro questionando algo que eu quase fiz várias vezes enquanto escrevia esse texto: dizia qual era o meu comportamento sexual. Como se precisasse explicar alguma coisa, mas, na verdade, o que eu queria era reafirmar a minha sexualidade (essa é a palavra certa?) diante do leitor.

Engraçado é que essa semana mesmo conversando com o Paulo eu critiquei isso em Capitão América 2. O filme é uma história sobre um cara recuperando o melhor amigo e sem interesse romântico, que se não fosse a Viúva Negra ali criando uma tensão e sugestionando o assunto, deixaria a heterossexualidade do Capitão em jogo. Não tem problema nisso... é só pra garantir que não pensem o contrário. 

E por que nós precisamos garantir isso? Por que eu precisaria garantir que sou heterossexual, só porque eu estou falando sobre homossexualidade? Por que um heterossexual não conversaria sobre ser gay?

-dana martins


TAGS: , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

14 comentários

  1. "LGBTQ(alfabeto)+" definitivamente soa como deboche. a intenção de botar todas as letras na sigla é a tentativa de não ignorar ninguem que ta dentro da comundade (ou seja, todo mundo que não é cis e hetero). é por isso que não se usa mais GLS. é por isso que rola a tentativa de botar todo mundo na sigla, porque representação é importante. eu particularmente sempre vou usar LGBTQIAP+ fora dos espaços exclusivos (dentro deles uso queer, mas evito fora pra gente hetero nao achar que é ok usar queer), mas acho ok LGBT+. LGBT é a sigla oficial e reconhecida por lei aqui no brasil, mas acho o + muito importante e ele não deve ser excluido nunca.

    sexualidade é a palavra certa sim.

    e sobre capitão america: capitao america hetero nao aceito. nao rola. nao trabalho. nao funciona. bi!Steve para sempre canon no meu coração. Se Capitao America Bissexual Não É Verdade Quero Viver Na Mentira.

    ResponderExcluir
  2. e sobre o titulo do post: não, definitivamente não é só isso!!! voce nem precisa fazer sexo!!!!! assexualidade!!!!!!!

    se voce ainda nao assistiu, recomendo muito esse video aqui https://www.youtube.com/watch?v=xXAoG8vAyzI, que fala um pouquinho sobre a diferença entre atração sexual, atração romantica e comportamento. e ainda fala de genero!!!!! (inclusive eu traduzi esse video uma vez, se voces quiserem)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. unico problema do video é que o hank usa uma definição errada e bifobica de bissexualidade (a definição aceita pela comunidade bi é 'pessoas que se sentem atraidas por pessoas do mesmo genero e por pessoas de generos diferentes')

      (nossa deve ser frustrante pegar e ver 'wow que bacana 3 comentarios no post', ai chega aqui e sao todos meus. desculpa. é que eu me empolgo)

      Excluir
    2. HUAHAUHAUHA que lindo <3 Eu acho que fico mais feliz com 3 comentários de uma pessoa empolgada, do que 3 comentários de pessoas não empolgadas. Eu gosto da ideia de LGBT(alfabeto)+, porque de certo modo é a mais inclusiva e coloca em evidência o uso de siglas, o que é parte da nossa ideia aqui (Questionar). Por que hétero não pode usar queer?

      E não precisou disso para ~suspeitarem~ dele em Os Vingadores. Mas é realmente triste que eles sintam a necessidade de reafirmar a sexualidade dele, só porque ele é alguém que tem traços considerados femininos e se importa com pessoas de outro sexo. ): (e eu acho super legal a ironia da representação do espírito americano ser meio gay)

      Não vi esse vídeo, traduziu onde? Eu quero sim. O próximo post é justamente sobre essas ~definições~ Como é a definição bifóbica de bissexualidade?

      Excluir
    3. então, queer é uma giria inglesa que era usada basicamente como o 'bicha' é usado aqui, ou seja, é uma giria ofensiva e usada como forma de opressão. o que aconteceu com queer é que nós ~recuperamos o insulto (mais ou menos como a marcha das vadias fez com o termo 'vadia'), e queer passou a funcionar como um termo guarda chuva pra toda comunidade (ou seja, pra todo mundo que não é cis ou hetero). acontece que queer tem todo um historico de opressão com as pessoas lgbt+ e quem pratica essa opressão são as pessoas cis heterossexuais, então mesmo com o novo significado que queer ganhou, por causa desse historico de opressão gente cis e hetero não deve usar, é ofensivo e violento, a não ser que seja alguma expressão tipo 'queer baiting', ai ta ok pra todo mundo (mentira, só acho ok se for pra falar mal Q).

      as pessoas falam muito disso no rap, reclamando que muitos rappers negros usam girias racistas e ninguem fala nada e quando alguem branco diz a mesma coisa todo mundo reclama. mas né. existem coisas que eu não posso falar porque eu sou branca e nao sofro racismo. ponto. mas pessoas negras podem, porque é uma opressão que recai sobre elas. mandei um texto bacana sobre linguagem opressiva pro paulo outro dia.

      o problema é que nao ficam reafirmando a sexualidade das personagens.ficam reafirmando APENAS a heterossexualidade delas. efeito dumbledore da porra. adoro, só que não.

      muita muita MUITA mUiTa (muita) gente tem a ideia de que bissexualidade é atração por dois generos, homem e mulher. acontece que nope. não. não é isso. ta errado isso. essa definição é binarista e bifobica. a definição de bissexualidade aceita pela comunidade bissexual diz que bissexualidade é atração pelo mesmo genero e por generos diferentes. é isso que o 'bi' quer fizer. 1. mesmo genero, 2. generos diferentes. (porque existem mais de dois generos!!!!! e muitas pessoas bissexuais se sentem atraidas por mais de dois generos!!!!!)

      outra definição bifobica de bissexualidade é a ideia de meio hetero/meio gay. a pessoa bissexual não é meio nada. a pessoa bissexual é bissexual. galere bissexual sofre com apagamento dentro e fora da comunidade lgbt+ e tem demandas específicas, que não vao ser as mesmas demandas das pessoas homossexuais. bifobia não é homofobia, então quando falam que uma pessoa bi é meio gay, tao simplesmente apagando a identidade dessa pessoa e tirando dela a chance de falar sobre as suas demandas especificas como pessoa bissexual.

      ai é claro que pessoas diferentes vão ter vivencias diferentes em relação a sexualidade, então pessoas bissexuais podem definir/explicar bissexualidade de modos diversos e todos eles são válidos, o que eu tou dando aqui é a definição aceita e usada >pela comunidade<, que é a deifinição que todo mundo que não é bissexual devia usar.

      traduzi uma noite ai pra mandar pra um amigo no facebook porque ele nao fala ingles, nem postei em lugar nenhum hahahah, vou te mandar no twitter

      Excluir
    4. Eu ia perguntar no twitter, mas poderia ficar muito grande:
      - Se essa é a definição de bissexualidade, qual é a diferença entre bissexualidade e pansexualidade?
      - Quais os outros gêneros não homem/mulher?
      - Posso colocar essa sua definição de bissexualidade no tumblr do CC pra usar de referência no próximo post?

      Eu descobri sobre essa do histórico, mas realmente não tinha pensado nessa questão de não ser queer. Tinha até pensado que já era um termo que tinha passado por essa mudança de sentido e tava okay. Eu não sei se concordo totalmente em criar essa divisão, até no caso do racismo. Mas eu ainda não parei pra pensar todos os efeitos de uso/não uso pra escolher o que eu vou fazer. Um motivo pra não fazer essa divisão, por exemplo, é que isso não restringe demais? Quer dizer, as pessoas de "dentro" (LGBT+) aprendem o novo significado, mas os de fora ou 1) não fazem ideia do que queer significa ou 2) não aprendem a ver como algo não-ofensivo? Isso dificulta a comunicação. De qualquer forma, é legal saber disso.

      E muito importante o seu comentário sobre o apagamento da identidade. Isso é interessante não só pela questão da bissexualidade (que é apagada mesmo), como para o uso do rotulamento no geral. Acho que isso ajuda a gente a reconhecer essas diferentes identidades entre as pessoas e as pessoas a perceberem que podem se reconhecer com outras coisas.

      Excluir
    5. nao sei se voce chegou a ver o link que mandei no twitter, la explica bonitinho a diferença, mas basicamente: hmmm..... depende?? vou me usar como exemplo porque acho que assim fica um pouquinho mais facil. eu sou pansexual. eu sinto atração por pessoas de todos os generos, homens, mulheres e pessoas não-binárias. eu me identifico como pansexual e não como bissexual porque sim. (sério, essa é a unica explicação que eu posso dar. eu super podia falar sobre os anos que eu passei não definindo a minha sexualidade por não encontrar em lugar nenhum aquele sentimento de 'eu pertenço' etc etc, mas ia acabar no mesmo lugar. eu sou pansexual porque sim. ponto.)

      uma caracteristica que é associada com a pansexualidade e não com a bissexualidade é a ideia de gender-blind, atração independente de genero. ou seja, eu posso ter vários criterios/motivos pra me sentir ou não atraida por alguem, mas gênero não é um deles.

      acontece que nem toda pessoa pan é gender-blind e o que vai levar uma pessoa a se identificar com um e não com outro é o o relacionamento pessoal dessa pessoa com esses rótulos e comunidades. eu conheço muita gente que se identifica como bi e pan ao mesmo tempo. super valido.

      as bandeiras são diferentes, mas as demandas das cominidades bi e pan (e poly) tem muito em comum. o apagamento dentro e fora da comunidade, o monossexismo, a ideia de passibilidade, a invisibilidade, a falta de representação, etc etc.

      então. outros generos. são os generos fora da binária homem/mulher. pessoas ageneras, pessoas com genero fluído, pessoas bigeneras.... qualquer pessoa que não seja homem ou mulher. existe uma comunidade de pessoas n-b aqui no brasil e eles tem um blog. vale muito a pena dar uma olhada, ninguem melhor pra falar sobre as pessoas não-binárias do que... as pessoas não binárias. aqui: http://naobinario.wordpress.com/

      eu pessoalmente levo essa regra pra vida: se UMA pessoa de um grupo oprimido do qual eu não faço parte me disse que tal comportamento/expressão/etc é ofensivo, eu vou pedir desculpas e parar. porque meio que não custa nada. e aplicando isso pra queer, levando em consideração o historico de opressão que a palavra carrega, com certeza são muitas pessoas que se sentem mal vendo gente cishetero usando. e muitos também podem não se incomodar, mas, novamente, se uma pessoa se sente mal e não custa nada, por que usar? eu não curto. eu gosto muito do resgate que foi feito e eu gosto muito do senso de comunidade que a palavra queer deu para as pessoas sexodiversas (principalmente nos países que tem o ingles como lingua oficial), mas ela é nossa. ela foi usada contra nós durante anos. ela foi usada contra nós > por pessoas cishetero < durante anos. é meio dificil explicar isso aqui porque queer nunca chegou no brasil (nem o insulto nem o resgate), mas é violento.

      Excluir
    6. e sim sim sim!!!! os rotulos são absurdamente importantes porque é com eles que eu vou poder me organizar politicamente com as pessoas que sem vivências semelhantes a minha pra acabar com a opressão que nós sofremos. com os rotulos que eu vou poder criar uma comunidade, e deixa eu te falar, comunidades são uma coisa absurdamente importante. de verdade. eu sempre gosto de usar o exemplo do Harry Potter. o harry foi criado por trouxas e coisas diferentes aconteciam com ele. coisas que não aconteciam com mais ninguém. coisas estranhas. e ele era tratado diferente por causa disso. ele não entendia porque ele era diferente e porque isso fazia com que os tios o tratassem mal. ai um dia chega um cara grande de barbudo e fala "Você é um bruxo, Harry". O harry passa a entender por que ele é diferente da norma. esse cara leva o harry pra esse lugar onde ele finalmente encontra pessoas que passaram por experiências semelhantes, pessoas com quem ele pode se identificar e que vão apoia-lo. ele encontra uma comunidade. Todo mundo que leu a pedra filosofal consegue perceber a diferença entre a criança do início e a criança do final. o harry ficou mais feliz e o harry ficou mais forte. ele ficou mais forte porque ele encontrou pessoas como ele, e unidos eles são mais fortes. ele encontrou apoio mútuo. essa é a importância de uma comunidade. essa é a importância dos rotulos.

      e pode usar sim, pode usar tudo que eu falo e os links que eu mando (mas esses provavelmente as pessoas que produziram os conteúdos vão gostar de créditos)

      Excluir
  3. "E por que nós precisamos garantir isso?". Fiquei meio encucado com isso meses atrás. Essa coisa de ter que garantir é tão desnecessária. Quer dizer, seria mais fácil se abolissem os rótulos e as pessoas fossem só "sexuais" (sei que existem os assexuados, mas não conheço sobre o assunto). Os rótulos só atrapalham. Tem um caso que acho particularmente interessante, da atriz Cláudia Jimenez, que terminou o relacionamento de DEZ anos com uma mulher e passou a namorar homens. Aposto que ela foi super criticada quando se assumiu gay, só que ela também foi criticada quando decidiu namorar homens, ela afirmou ser hetero, disse que estava meio perdida na época, aí os ativistas pró-gays disseram que o relato dela foi um desserviço para a causa. E eu tenho pra mim que essa confusão toda foi só por causa dos rótulos. Essa coisa de vc ter que se encaixar numa categoria e passar a agir estritamente de acordo. Aí o povo se choca quando vc faz algo que não bate com o esperado e as consequências são imprevisíveis.

    ResponderExcluir
  4. CC, eu simplesmente AMO os textos de vocês. Esse aí com os gifs de Faking It ficou mais lindo ainda.
    Esse tema é uma coisa que tem que ser discutida mesmo, mas infelizmente as pessoas não o fazem, o que acaba realmente fazendo com que essa coisa toda vire um tabu e ai de quem abrir a boca pra falar. Até te olham estranho.
    Adorei a iniciativa de vocês de abrir essa discussão. Cês são uns amores <3

    ResponderExcluir
  5. O exemplo do Harry foi muito bom, inclusive abalou meu argumento de que rótulos são desnecessários, embora no mundo real eles atrapalhem um pouco, já que as pessoas te prendem a um aspecto e esperam que você siga aquilo.
    "Ele é gay, não faz sentido gostar de uma mulher"
    "Ela não é bi, só está confusa, daqui a pouco descobre o que quer"
    Creio que sexualidade seja mais que uma questão de múltipla escolha em que você segue um caminho reto a vida inteira. Nossa vida não é reta, porque a sexualidade seria? Segue um textinho legal :D http://entretodasascoisas.com.br/2014/05/01/18-o-mundo-seria-mais-bonito-se-fosse-bissexual/

    ResponderExcluir
  6. então você vai gostar dos próximos posts, nós entramos mais fundo justamente nessas questões de rótulos e os significados deles. (:
    Eu não conhecia o texto não, muito obrigada! Adorei ver isso, até me deu umas ideias
    Pessoalmente, o que eu acho é que falta mais a ideia de se descobrir. Não só as pessoas prendem os outros em um aspecto, como elas se prendem - e isso é até mais perigoso.

    Vou deixar aqui esse vídeo (a partir desse minuto mesmo), que eu achei bem legal a forma como ela fala sobre a sexualidade:
    http://youtu.be/3vXyq5Nsnnw?t=7m55s

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, bem legal mesmo. Ela é ainda mais bonita fora dos sets haha.
      A ideia é essa, os jovens se preocupam cada vez mais com a questão sexual e acham que tem a obrigação de se rotularem e rotularem os outros cada vez mais cedo. Gente, não tem.

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *