CCEscrita clube de escrita

Clube de Escrita: Etapas do processo de escrita

10.12.14Conversa Cult



Hoje fui escrever um texto sobre Carmilla e... escrever é a parte fácil, mas é uma parte mínima. Existe todo um processo entre "criar o conteúdo do que você vai falar" até a versão final do texto. O problema é que eu costumo esquecer disso. Pior: eu costumo piorar essas partes e tentar fazer tudo de uma vez. Então decidi fazer esse post aqui pra refletir sobre o assunto e para quando isso me bloquear, eu ter uma forma de reencontrar o caminho. 


Antes de tudo, só quero dizer que esse não é um texto sobre "etapas DEFINITIVAS do processo de escrita", eu não acredito que exista uma fórmula secreta. É só um passo a passo de como eu costumo escrever os posts do CC. 




No print as 5 versões do texto. Mais as 3 versões desse Clube de Escrita até agora (eu fui escrever esse e acabei escrevendo outro, erm...)

Versão 1 - Escrever pensamentos

Então, a ideia era escrever um texto sobre o que eu achei de Carmilla, ou da finale, ou de tudo depois de assistir a temporada. Algo assim, eu não tinha muita ideia do que diria. Acabei escrevendo um texto completo com tudo o que eu conseguia pensar sobre "o que achei nesse momento". Agora que já terminei tudo e o texto tá pronto pra ser publicado, percebo que poderia ter pensado em algo mais para a temporada como um todo, comparando a minha visão com o meu primeiro post e a relevância da série, mas não foi o que eu fiz. Não foi o que tava passando pela minha cabeça no momento. Não quero pensar muito nisso se não acabo escrevendo.



Pra mim, essa etapa é a mais fácil porque eu sapateio no meu editor interno e escrevo tudo o que passa na minha cabeça até acabar a energia. Pode ser rápido ou levar dias, dependendo do assunto. Depois de escrever, eu deixo o texto descansar, só volto no dia seguinte ou seja lá quando eu for colocar o texto no blog. 

Versão 2 - Separar os assuntos

Quando eu escrevo sem um foco é muito comum eu falar de diversas coisas. Por exemplo, ali eu falei da temporada inteira, da finale, do que eu esperava para a próxima e uma análise de como a U by Kotex seria idiota de não continuar financiando Carmilla. Tudo ok no mesmo texto, faz parte do mesmo assunto, mas vamos ver uma coisa de cada vez. Separei toda a primeira parte sobre a temporada + finale nesse segundo bloco de notas.


Aí é que as coisas ficaram ruins. O que eu faço com isso? Quando eu não tenho foco desde o início os assuntos ficam muito fragmentados, em vez de ser algo tipo: Parágrafo 1 - esse assunto. Parágrafo 2 - outro assunto. É mais como se eu falasse de tudo o que eu acho em todos esses parágrafos e com altas divagações para fundamentar um argumento que é a base de outro argumento.

É como olhar para um bloco de pedra e começar a quebrar. Em outras palavras, é tentar entender o que eu quero dizer

OBS: Nessa parte eu começo a decidir o foco. No caso, decidi falar sobre como o final feliz de Carmilla foi um alívio e o motivo disso. 

Versão 3 - Separar os argumentos

Eu descubro o que eu quero dizer separando os argumentos. Aqui você já tá na merda, tem que tomar cuidado para não escorregar. É a parte que eu começo a tentar reescrever também, tentando resumir algumas ideias e fazer uma introdução boa. 

repara que fica mais fragmentado, pedaços de textos abandonados, argumentos repetidos...

Acho que essa é a pior parte, porque o texto fica sem vida. Eu pego blocos de textos que estavam encadeados de um jeito e separo, sem a continuidade, sem a animação inicial do primeiro texto. É quase como argumentos sem vida. Dá muito medo de não recuperar a animação e ficar igual um robô falando. Aliás, é por causa dessa etapa que eu to escrevendo esse texto aqui, porque dá um desânimo tão grande, então eu quero lembrar que se eu continuo me esforçando eu consigo reencontrar o caminho.

Versão 4 - Resumo em tópicos do que eu quero dizer

Uma pessoa que planeja melhor já começa resumindo em tópicos. Vou falar isso, isso e isso. Mas nem sempre eu sei o que eu vou falar, então preciso passar por todo esse processo de escrever o que eu penso, explorar e entender para chegar aqui.

tive que colocar um "(...)" ali porque eu falava demais e não cabia tudo no print

Uma frase só para cada tópico. Repare que nesses maiores não é que tudo isso seja o tópico, é porque são partes que eu não tinha desenvolvido direito na primeira versão e deu vontade de escrever. A base tá resumida em um tópico (Não é 100% perfeita / Cumpre o que promete), o desenvolvimento é que tá aí. 

OBS 1: Os tópicos são como a estrutura. 

OBS 2: É nessa parte que eu decido definitivamente o meu foco. É, eu vou falar que Carmilla mostrou que finais podem satisfazer e ao mesmo tempo te deixar querendo mais. 

Versão 5 - Montar o texto final a partir de tópicos

Agora é um processo de pegar o conteúdo e colocar na estrutura que eu criei. Reescrevendo/desenvolvendo o que é necessário, pegando trechos legais já escritos e montando. 

já selecionado porque foi o que eu colei no editor do blogger pra começar a arrumar o post

Versão 6 - Revisão

A revisão é só uma releitura de tudo pra ver se tá fluindo, se os trechos encaixados estão combinando uns com os outros e se a minha energia inicial tá ali. Também é pra ver se não tem nenhuma palavra perdida/erro de digitação/erro de português. Essa revisão eu vou fazendo várias vezes: assim que termino, quando passo pra o blog, depois de postado, 2 anos depois quando encontro o link do post. 



Enfim, esse processo de escrita é o de colocar as ideias no papel, entende-las, decidir uma estrutura e montar o conteúdo a partir disso. Ao mesmo tempo é criar, destruir e criar algo melhor. Com esse post sobre Carmilla eu tive o exemplo completo do processo de escrita porque eu tive que forçar um pouco pra ele acontecer, outra vezes fico pensando por dias e o que eu acho já está mais definido quando eu paro pra escrever, tornando tudo mais fácil. De uma forma ou de outra, acho que a principal coisa é entender o que eu quero dizer com o texto, depois disso vira só uma questão de colocar em uma estrutura e pronto. 






A autora desse texto é a Dana, especialista em falar coisas idiotas, traficante de cultura pop e o avatar. Deal with it. Me recuso a usar 3ª pessoa, então: Você pode ver todos os textos que eu escrevi aqui na tag Dana Martins e também estou no twitter @danagrint, vem conversar comigo. :)

Ajude o CC compartilhando os textos que você gosta.

TAGS: , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *