7 anos Adriana Araujo

O que você aprendeu/descobriu com o ConversaCult?

31.8.18Taiany Araújo

Hoje o nosso lindo site faz o total de SETE ANOS, como a Dana falou mais cedo, e é claro que vamos falar mais ainda disso HAHAHAHAH. Dessa vez temos os depoimentos tanto dos outros membros da equipe como também ex-membros e leitores, falando sobre o quanto aprendemos em todos esses anos <3



Adriana

Se teve uma coisa que o CC fez nesses sete anos foi me ensinar, principalmente profissionalmente. Pois não apenas consumo conteúdo do blog, como tive a oportunidade de aprimorar meu texto colaborando por um tempo, algo que me dá muito orgulho. Como jornalista, essa chance foi primordial! Além disso, descobri séries, livros e filmes e li sobre assuntos importantes como os que envolvem sexualidade, diversidade e aceitação. Vida longa ao CC!


Ariel

O CC, desde o começo, esteve de portas abertas pra mim. E toda vez que rola uma ideia louca, eu sei que ela vai ter uma casa no Conversa Cult hahahaha Por conta do site, eu tive experiências incríveis, de entrevistar bandas nacionais que eu admiro muito a fazer minha primeira entrevista internacional, mas o que mais fica comigo é quando alguém vem falar de um texto que postei (acontece muito com o da demissexualidade), e eu vejo que o que fazemos aqui reverbera muito. É um prazer fazer parte desse grupo maravilhoso.


Carol

Eu comecei a escrever pro CC em 2015 (meu primeiro post foi falando sobre séries, bem eu mesmo). Já lia pelo menos desde 2013 porque eu conhecia a maior parte da equipe e acompanhava e pá. Sendo membro do CC eu aprendi a desenvolver minha escrita, melhorar minha relação com HTML, aprender os paranauê pra se comunicar com as pessoas.

Como leitora, eu aprendi a me aceitar quanto a minha sexualidade. Aprendi que eu existo e que eu não era só uma garota hétero que fazia e pensava ""coisas erradas"". Aprendi sobre escrita, descobri o termo "trope" e seu significado. Descobri livros e histórias que eu nem imaginava que iriam me contemplar tanto. Aprendi que escutar o outro importa e que local de fala é importante. Aprendi a procurar mais e prestar atenção sobre movimentos sociais. E mais importante ainda: você não é menos válido se escolher se afastar, às vezes não estamos no nosso melhor e tentar lutar enquanto estamos mal só piora a gente.


Helena

Eu conheci o Conversa Cult em 2013, passei um fim de semana todo lendo os textos, e por uns bons anos depois o blog continuo comigo. Eu fiz amigos aqui e em algum grau fiz outros amigos por causa daqui; conheci pessoas muito diferentes que me inspiraram demais e me ensinaram muito. Eu tinha uns 14 para 15 anos quando comecei a ler o CC e sempre aprendi muito aqui sobre escrita, livros, representatividade, identidade, identificação e tantas outras coisas que continuam comigo. Foi tudo muito importante pra mim e para quem eu me tornei ter conhecido o CC em 2013. Tenho muito carinho por tudo e todos que fizeram e fazem acontecer ♥


Isabelle

Cara, eu sei nem por onde começar. Não me lembro exatamente como ou quando eu comecei a acompanhar o CC, mas lembro bem do dia em que eu decidi tomar coragem e enviar um email pedindo pra fazer parte da equipe. Lembro que a Dana me respondeu daquele jeito fofo dela, me pedindo uma resenha só pra ver como era meu estilo e tals...saiu um troço medonho HAHAHAHAHAH. Mas ainda assim eu passei a escrever regularmente pro site.

Como colocar em palavras tudo o que eu aprendi aqui? Eu não aprendi só a escrever melhor, a ser eu mesma e a me soltar; aprendi também a trabalhar em equipe, expressões regionais diferentes (HAHAHA), e sei lá. Acho que nesses sete anos o CC foi fundamental na construção da pessoa que eu sou hoje, pessoa essa que eu gosto muitíssimo. E também nesses sete anos ele me trouxe amizades maravilhosas, além de reforçar as existentes. Nossa, foi aqui que comecei a minha jornada de descoberta sobre a assexualidade!! Isso foi um verdadeiro MARCO na minha vida.

Vou parar por aqui antes que eu comece a chorar HAHAHAHAHA


Jamille

Então, o CC tem um post da Bells que me fez lembrar que não tem nada de errado eu gostar ainda de livros da minha adolescência, eles fizeram parte da minha vida e sempre serão uma parte de mim. Ela falou sobre a saga Crepúsculo e, por incrível que pareça, ele foi o primeiro livro que realmente me despertou o meu interesse por ler. A partir dele eu conheci o PJ e lá eu conheci a minha "Ohana" e tem gente daqui que é a minha Ohana e sempre será tipo a Tai lindíssima e a Carol Líder Suprema. Aí você me pergunta: Jamille, o CC mudou a sua vida? Eu te respondo, pequeno gafanhoto, em partes (como diria algum carinha de filme de terror que por um acaso eu não assisto): o pessoal do CC me mostrou que mesmo eu já "burra velha" e "casada" não tem problema eu surtar com livros, filmes e séries de adolescentes/criança PQ É PARTE DE QUEM EU SOU, eles em praticamente em todo post reafirmam que TODAS AS PESSOAS SÃO IMPORTANTES E PODEROSAS! Você tem noção de como isso é importante na vida das pessoas? Pois é, pequeno gafanhoto, o CC é sensacional!


Jota

O Conversa Cult esteve na minha vida desde que eu me lembre de começar a me questionar e, justamente por isso, o site foi extremamente importante para me aprofundar não só na minha vida, mas em tudo referente à diversidade da mesma. Infelizmente não me recordo exatamente o ano, mas com o CC, eu pude entender as diferentes atrações que nós sentimos, pude começar o processo de normalização, o que de fato é o feminismo, como funciona o racismo, aprendi muito mais sobre como posso ir melhorando minha escrita, consegui descobrir livros que provavelmente não teria descoberto por conta própria, pude abraçar minhas falhas e reconhecer que sou cheio de preconceitos (e que isso não me faz um ser humano horrível, só necessitando de conhecimento), entre tantas outras coisas.

Mas disso tudo, meu maior orgulho, a coisa que me emociona toda vez que paro para analisar (eu to emocionado só de escrever sobre DOKSODK), foi minha entrada nessa equipe.  Já faz um ano e alguns meses, e eu sinto que, em todas as situações, em todas as loucuras, em toda as coisas boas e ruins, eu conheci, descobri e aprendi lições de vida valiosíssimas com essas pessoas que me rodeiam, e reconheço, eu sou muito sortudo porque conhecer pessoas como eles é uma chance única na vida. E ter o Conversa Cult na minha vida, fazer parte desse blog, é algo pelo qual sempre serei grato do fundo do meu coração.


Taiany

Eu aprendi que posso escrever. Que eu não preciso ser UMA ESCRITORA, uma jornalista ou qualquer outra coisa para colocar minhas ideias/sentimentos/palavras em um bloco de notas. Sempre fui muito insegura com minha escrita (e outras coisas) e apesar de não estar tão melhor assim, o ConversaCult me ensinou e me ensina a cada dia o quanto é importante dar o primeiro passo, que aqui é um lugar de todos mesmo e que estamos sempre abertos para aprender, rever, mudar. Ao longo desses anos de leitora e colaboradora, fui descobrindo sobre representatividade, sexualidade, gênero. Fui revendo minha história. Aqui eu me torno uma pessoa cada vez mais desconstruída, colocando em perspectiva meus preconceitos, meus padrões. Sou extremamente grata ao CC por tudo que cresci acompanhando esse blog, pelas coisas que concordei e discordei, por ser realmente um lugar de conversa na minha vida.

***

E você, jovem padawan que está lendo aí? O que você tem aprendido com o CC? Conta pra gente!!!!



TAGS: , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

6 comentários

  1. Tenho a agradecer o CC a ter me ajudado no descobrimento da minha sexualidade. Começo de 2017 finalmente me identifiquei com assexual, e foi um alívio tão grande saber que tinha uma palavra para o que eu sentia, para o que eu sou. Desde então, acompanho o blog, pois gosto muitas das discussões que são colocadas. Até hoje espero um post sobre o filme da Netflix "Alex Strangelove", pois fiquei decepcionada com o filme por uma questão e queria saber se alguém daqui também pensa como eu kkkkk
    Parabéns ao blog e que venham mais anos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antes de mais nada, fico feliz que o blog tenha te ajudado e continue a fazer, e saiba que vou fazer um texto sobre o filme, mas antes: você poderia falar o que te incomodou no filme? Fiquei realmente curioso agora xD

      Excluir
    2. O que me incomodou foi o trailer ter me vendido um filme que parecia tratar da bissexualidade, e o mais legal que achei é que o personagem principal é um garoto. Caso vc tenha assistido, vai entender, acho que agora, o que me incomodou. Quando dizem que não é para criar expectativas nas coisas, realmente é verdade (das duas uma: ou eu que não compreendi direito a mensagem ou realmente falharam no objetivo do filme) kkkkkkkk

      Excluir
    3. Porque alem de eu ser assexual, sou birromantica. Pois é, eis a minha decepção ou má interpretação do filme. :/

      Excluir
    4. Oiiii que feliz pelo seu comentário. Muitos mais anos para a gente sim.
      Sobre o filme, eu não vi trailer nem nada, mas realmente o filme se encaminhou para acreditarmos que o Alex se identificaria como bi, e ai, bom, quem viu sabe. Também fiquei decepcionada.

      Excluir
    5. Fico feliz de alguém ter concordado comigo kkkkk pois é, mas vamos torcer pra os próximos filmes q virão, q acredito q terá, retrate melhor essa representatividade.

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM