Ariel Carvalho balanço 2017

Coisas que amamos em Maio

6.6.17Conversa Cult





Maio, esse mês estranho que é cedo demais pra ser fim e tarde demais pra ser princípio de ano. Será que coisas boas ainda continuam surgindo? A julgar pelo tamanho do post, A RESPOSTA É SIM HAHAHA. Anota aí as indicações do mês:





COISAS QUE LEMOS


Ariel: Esse mês eu reli Filhos de Anansi (amém, Compé Anansi) e recomendo a leitura para quem tá na vibe American Gods. Continuei a minha missão de ler Uma Vida Pequena, um livro que de pequeno não tem nada, e cada capítulo me corta mais fundo, mas sigo lendo - e sofrendo. Também li Fera, da Brie Spangler, mas a resenha dele depois sai por aqui pelo CC.

Bells: Eu nem sei por onde começar HAHAHAHAHA. Primeiro teve A Traidora do Trono, que já surtei o suficiente na resenha mas preciso comentar que MISERICÓRDIA QUE LIVRO. Depois veio Uma Proposta Inconveniente, da Meg Cabot (sob o pseudônimo Patricia lol) e PUTA QUE PARIU!!!! UMA MOCINHA MEIO MOLECONA QUE SONHA EM TER E COMANDAR SEU PRÓPRIO NAVIO... NA INGLATERRA VITORIANA!!!!! 

Daí corri pra ler Antes que eu Vá antes da cabine de imprensa e fiquei positivamente impactada, apesar da vibe ligeiramente deprê e por isso em seguida peguei num romance muito louco chamado Amante da Fantasia, onde um guerreiro espartano é preso dentro de um livro e obrigado a ser escravo sexual da mulher que invocar ele de lá (!!!!). E POR FIM, MITOLOGIA NÓRDICA DO NEIL. Infelizmente só confirmei a sensação de que os deuses nórdicos são blé.

Ufa. Que mês HGUIDFHGIUFDHGIFDH

Eduardo: Eu li Neuromancer do Willian Gibson e apesar de esperar mais do livro percebi o quanto as histórias de ficção científica foram influenciados por ele. O cara é um gênio!

Tô lendo Caçador em Fuga e, apesar de passar uma semana parado na página vinte (por causa do personagem escroto e cuzão. E das provas...), não tô conseguindo largar. O universo é muito bem construído e o enredo completamente envolvente.

Nos 45 do segundo tempo, li o volume dois da HQ mensal dos X-men apesar de já ter os outros volumes. Quase não tive tempo de ler esse, quem dirá os outros.


No último CQA que eu participei (nem sei quando foi), eu falei que não tava entendendo um monte de coisa da história e fiquei bem perdido, mas esse volume explicou algumas coisas e posso dizer que tô gostando bastante!!!

Jota: Esse mês foi glorioso no quesito leitura para mim (amém), porque consegui ler mais de quatro livros, sendo que eu havia entrado – sem nem perceber – numa ressaca literária infernal. O livro que me arrancou dessa ressaca foi Lucas e Nicolas, um livro que conta a história de como Lucas, um adolescente de 14 anos e excluído, acabou conhecendo Nicolas. Nisso, a história desenrola-se de uma maneira muito maravilhosa. O começo parece ser meio parado e meio meh, porém com o tempo você percebe que a leitura não te desanima e só te inspira mais a ler (foi ótimo ter algo pra fazer na escola depois de acabar as lições).

O segundo foi DUFF (Designated Ugly Fat Friend) e MEU DEUS QUE HISTÓRIA MARAVILHOSA! Eu já tinha visto o filme, mas a leitura te dá uma noção muito maior de profundida dos dilemas e trás novas questões para críticas sociais e sobre como todo mundo se sente um DUFF dentro do seu próprio ‘clã’. Vamos citar minha fala favorita nesse livro, porque sim:
“- Bianca, vadia é só uma palavra sem sentido que as pessoas usam para magoar outras. – Disse ele com a voz mais suave. – Faz elas se sentirem melhor em relação a seus próprios erros. Usar palavras como essa é mais fácil do que tentar entender de verdade a situação. Garanto que você não é uma vadia.”
Prosseguindo, depois li One Man Guy, que é outra história LGBT, onde o garoto, descendente de armênios tem pais que são um pouco rédeas-curtas, não deixando ele fazer a maioria das coisas que quer, como ir para a Cidade (Nova York), só deixando-o ir para a casa da amiga, ou os arredores da escola. Ele conhece o Ethan, e partindo dai, muita coisa acontece e eles se veem se conhecendo mais aos poucos. Sem falar na discussão que ocorre quando Alek acha que Ethan tá usando a palavra ‘bicha’ como ofensa, mas dai o Ethan fala que é gay e então isso os aproxima mais. É MUITO FOFO SOCORRO!

Depois fui ler A Garota do Calendário (uma coleção de livros eróticos que é muito perfeição), no caso o livro Outubro e, acabando, comecei e terminei Novembro e comecei Dezembro. Não vou me aprofundar muito nesses, porque talvez eu faça resenha. Porém a história gira em torno de Mia Saunders, que se vê carregando uma dívida enorme após o pai, viciado em jogos e bebida devido traumas do passado pelo abandono da esposa, decidi se tornar uma acompanhante de luxo – e não, não é a mesma coisa que uma prostituta.

E por fim, comecei a coleção do Guia do Mochileiro das Galáxias.

Taiany: ESSE MÊS FOI MARAVILHOSO, EU LI MUIIIIIIITA COISA E AMEI TUDO, NÃO PARA QUERO MAIS. Fiquei até triste quando o mês acabou, porque tava tão bom no quesito leitura

Mas de tudo, trago dois que foram OWN BEBEQUEROCOLOCARNUMPOTINHO E CADEMINHASCERTEZASOQUEÉTRAIÇÃOOQUENÃOÉAHHHHHHHH. 

Discobiografia Legionária, da Chris Fuscaldo me deu a oportunidade de estar mais pertinho da minha banda. Tudo bem que teve horas que entendi grandes nada sobre o que estava lendo, porque o livro vai acompanhando os meninos na editora, e as partes técnicas sobre a produção de álbuns era grego para mim, e mesmo assim, foi mega interessante ler. No entanto, o que eu amava mesmo eram as partes sobre/com o Renato, desculpem, meu preferido mesmo.

O outro livro que entrou na categoria OWN foi o Talvez um dia, da Colleen Hoover. O livre é um romancezinho bem rápido de ler, mas que consegue nos fazer questionar o que é traição, se perdoaríamos uma ou não, nos faz repensar nossa postura em relação a esse assunto, é bem profundo nesse ponto. A autora não transforma um personagem em embuste para justificar o comportamento do outro, não, nós acompanhamos pessoas legais, boas, mas que estão numa situação no minimo complicada. Não dá pra ficar com raiva, mesmo quando queremos (acho que eu nem quis). O livro mexeu tanto comigo que eu tive que catar uma playlist bem dolorosa para consegui ler, e eu achei a Melancholia, que foi a a melhor trilha sonora possível para esse livro.


COISAS QUE ASSISTIMOS

Ariel: EU TÔ TREMENDO ATÉ AGORA COM A SEASON FINALE DE ARROW. Minha Lauren do céu, que final foi esse????? Estou impactada. Arrisco até a dizer que foi o melhor episódio da série até agora. Ainda em séries, saíram episódios novos de Twin Peaks e eu estou revendo a série toda, que jornada!

Uma grande surpresa foi Rock em Cabul, um filme que fui ver por causa do Bill Murray (meu ator favorito) e que me fez ficar arrepiada e dar aquela choradinha básica. Ele conta a história de um empresário de músicos meio falido que acaba indo pra Cabul e levando uma menina para o Afghan Star (um programa tipo American Idol). Foi levemente baseado em fatos reais, é feminista e divertidíssimo!

Além de ator e bonito, Chris Evans também dirigiu um filme de 2014, Before We Go. Eu quis ver porque fiquei curiosa com as habilidades de diretor do homem, e achei o filme uma graça. É uma comédia romântica um pouco agridoce, mas fofa e sem final óbvio e/ou clichê. Gostoso de ver.

Vi Ex Machina, vulgo FILMÃO DA PORRA™, que me deixou em crise existencial e querendo dar uns beijos no Oscar Isaac e no Domnhall Gleeson.

Também vi o aclamado Paterson, com o Atorzão da Porra™ Adam Driver. É simples, mas real e lindo, poético e delicioso. Tem um quê de Boyhood, porque mostra quão extraordinárias são as nossas vidas ordinárias. 

Carol: Se estou nessa Terra é pra enaltecer qualquer produção que venha das mãozinhas preciosas de Bryan Fuller (criador de séries como Pushing Daises e Hannibal). E se tem Bryan Fuller com Neil Gaiman, É DE CAIR O CU DA BUNDA. No dia 30 de abril estreou American Gods, baseado no livro Deuses Americanos, do Neil Gaiman. Nós fizemos um mês especial e tudo, fizemos resenha do primeiro episódio, QUE FOI INCRÍVEL. Fiquei rezando pra que os próximos episódios continuassem com o hype, e Jesus Cristo, fui atendida, PORQUE NOSSA, É TÃO INCRÍVEL E TÃO BONITO E TÃO DOIDO QUE AFF.

ICONIC

Quem não leu pode ficar meio perdido (até vi pessoas reclamando que não andava a história, que estava chato e tals), mas sério, dá uma chance, é lindo demais.

Assisti também o filme Corra! E HOLY MOTHER OF GOD, QUE FILMAÇO. QUE FILMAÇO. Ele começa com um cara negro indo conhecer a família da namorada branca (sim, as cores são importantes no contexto) e cara, é a famosa Crítica Social Foda, mas com um roteiro e umas atuações, que nossa. Eu assisti com uns amigos da república onde eu moro e no final a gente bateu palma de pé pro filme, literalmente. Eu espero muito que não seja esquecido no Oscar.

Bells: No domingo retrasado eu saí do quarto depois de horas de jogatina desenfreada (a família fazendeira no the sims tá se reproduzindo como nunca), fui tomar banho e tal, daí fui pra sala fazer meu lanche...E DESCOBRI QUE TAVA PASSANDO INTERESTELAR NO CINEMAX. É meio louco porque eu tenho o DVD desse filme e mesmo assim eu não vejo desde que eu iniciei a Carol e a Taiany com um download PÉSSIMO HAHAHAHA então parei pra assistir. Gente. Lembrei porque eu passei tantos meses ouvindo a trilha sonora sem parar HAHAHAHAHAH. Apesar de todas as loucuras que ele faz com a ciência, é um puta filme maravilhoso do caralho e todo mundo que ama plot twists, ficção científica e espaço PRECISA VER.

Eduardo: Esse mês eu descobri Anne with an E e posso garantir que é uma das melhores coisas que você pode encontrar na Netflix hoje. É baseado num livros chamado Anne de Green Gables (que por sinal eu nunca tinha ouvido falar) e se passa no Canadá no século XIX. Conta a história desse casal de irmãos que decidem "adotar" um garoto pra ajudar com os trabalhos da fazenda, mas acabam recebendo uma garota. Eu nem vou falar mais porque vocês precisam ver!

O livro já teve diversas adaptações pra filmes, séries, desenhos e até peças teatrais, mas o que me prende mesmo é Anne, a personagem mais apaixonante e maravilhosa que eu já conheci e o tom poético e mágico da série que me pegou na primeira cena. APENAS VEJAM! #renovanetflix


Um amigo me indicou esse filme chamado Kimi no na wa (Your name) e eu nem esperei o trailer acabar pra sair correndo ver. Não esperava ser surpreendido na metade do filme. Eu nem esperava nada na verdade e acabei gostando bastante do filme.

Jota: Chegou no fim do maio e eu me acabei em filmes, assisti Freehold – Amor por Direito – com a família, um filme que conta uma história baseada em fatos reais, sobre um casal de mulheres que, quando a vida de uma está arriscada por conta de um câncer totalmente maligno no pulmão, descobrem que não estão conseguindo manter suas coisas juntas para a que vai viver, pois o Estado não está permitindo, devido seus preconceitos. Eu me emocionei? Orras, muito. É um filme muito bonito, reflexivo e amoroso.

Depois vi Zootopia (que até agora eu to pirando de amor), que se você não sabe do que se trata, partiu achar na internet para assistir. É uma cidade onde todos os animais convivem e a história gira em torno de uma coelhinha que quer ser policial. E O MELHOR: TÁ CHEIO DE CRÍTICA À SOCIEDADE ATUAL AAAAAAAAAAAAAH

Vi também Bela e a Fera e, gente, não me decepcionou nem um pouco. MELHORES DUAS HORAS DA MINHA VIDA! :”3

E então, terminei minha maratona assistindo Fallen, aquele filme baseado na saga de livros e assim, cadê meu dinheiro que eu preciso comprar esses livros para ler?! É muito bom, muito amor, e o melhor, é uma visão da mitologia cristã de um modo totalmente fod@.

E no dia seguinte (no caso o último dia do mês), assisti Kung Fu Panda 3 (MELHOR TRILOGIA DE ANIMAÇÃO DA MINHA VIDAAAAAA), o documentário Laerte-se (produzido e “estapeante” na cara da sociedade por Netflix, amém), Doctor Strange (AINDA NÃO ME RECUPEREI DAQUELES EFEITOS E DAQUELA HISTÓRIA, E SE NÃO VIU, SÓ VAI) e Animais Fantásticos e Onde Habitam (Não vou nem falar nada, porque sei que vou surtar). E comecei a me planejar para ver Deadpool.

De série, eu vi as seasons finales de Supernatural (ainda to no chão), Arrow (só melhora cada vez mais), The Flash (POR QUEEEEEEEE?!), Supergirl e Riverdale. E comecei a terceira temporada de Penny Dreadful e Unbreakable Kimmy Schmidt, e revi o final de Avatar – A lenda de Aang.

ICONIC
Taiany: Esse momento tinha tudo para ser lindo, maravilhoso, mas será triste. O QUE FOI A SEGUNDA TEMPORADA DE SENSE8? Após terminá-la eu passei o restante do mês ansiosa para vir aqui e trazer a palavra dessa série que só foi ficando melhor e melhor, então no dia 1° de junho a noticia de que foi cancelada, só pouco eu não chorei no mercado (onde estava quando soube). Ainda tô tão chateada. NÃO ACEITO, NÃO ACEITO, NÃO ACEITO. Pior que eu queria falar pra todo mundo assistir assim mesmo, o problema que a saeson finale foi tão “QUE? NÃO PODE ACABAR ASSIM. VOLTA. AAAAAAAAAA” ~ meu ser se esvaindo~ que é até sacanagem pedir pra alguém acompanhar agora que isso não vai ser trabalhando. (Ainda tenho fé que vão voltar atrás. Eu escolhi acreditar)

Mas para não dizerem que eu não indiquei nada, PUTA QUE PARIU vejam o filme 10.000 km e me digam se não é abalador de estruturas. Eu fiquei tão loucona que dei uma de Artur Xexéu e fiz post comentando/analisando o filme, em algum momento desse mês ele vai estar aqui no blog, fiquem de olho.

COISAS QUE OUVIMOS

Ariel: Não sou muito fã de podcasts, mas acabei cruzando com uns interessantes e, em meio à insônia, ouvi alguns que recomendo. 

A Rookie (ou a Capitolina das gringas) tem uns podcasts gostosinhos, e eu ouvi os episódios com a Alia Shawkat (a Maeby de Arrested Development) e com a Winona Ryder (minha atriz favorita). Alia fala sobre a carreira e sobre correr atrás de projetos que valham a pena mesmo que não paguem tão bem, e Winona fala sobre meu autor favorito (J.D. Salinger) e sobre crescer e sobre expectativas. Eu não ficava tão inspirada há muito tempo.

Ouvi também o episódio do podcast de Nerdist com o Alan Tudyk (vulgo Wash de Firefly, vulgo Hei Hei de Moana), onde ele conta como foi difícil e suado conseguir fazer seu projeto Con Man dar certo, e prova que às vezes é bom a gente confiar na nossa intuição.

Carol: Revivi velhos hábitos da adolescência e ouvi, do início ao final, o CD American Idiot, do Green Day. Além de ter ótimas lembranças ligadas à ele (primeiro beijo, saídas com amigos da época), esse era meu álbum preferido em 2007 (10 anos atrás, quando eu tinha meros 14 aninhos, CHEIRANDO A LEITE DE TÃO BEBÊ) e eu descobri que esse também era o álbum preferido do meu namorado na época HAHAHAHAHHAHAHAHA

ATÉ NOSSA MÚSICA PREFERIDA DO ÁLBUM É A MESMA. Fomos os dois dentro do ônibus indo pra sessão de rpg cantando Saint Jimmy completamente enrolados (porque amamos a música mas não sabemos a letra).

Bells: Eu basicamente passei o mês inteiro ainda louca pela playlist Folk Pop do Spotify até que Galway Girl, do Ed Sheeran, cruzou meu caminho como um furacão de feelings e sigo ouvindo loucamente até então HAHAHAHAHAH.

Eduardo: Eu ouvi e vivi Rogério, o último álbum da Supercombo por causa do show deles aqui na minha cidade e posso dizer que por mais que ame muito Amianto, esse álbum tem umas músicas que são FANTÁSTICAS. (Spoiler de Junho: o show foi incrível!)

Jota: De música, se esse mês não foi o melhor, qual seria? Lançou tanta música maravilhosa que socorro: Seventeen (Alessia Cara), Respirar (Sandy), No Promises (Demi Lovato ft. Cheat Codes), Switch (Iggy Azalea ft. Anitta), Can’t Bring This Down (Bridgit Mendler ft. Pell), Kissing Strangers (DNCE ft. Nicki Minaj), Quit (Cashmere Cat ft. Ariana Grande), Crying in the Club (Camila Cabello), Hunter (Galantis), The Way I Are (Bebe Rexha ft. Lil Wayne), Swalla (Jason Derullo ft. Nicki Minaj & Ty Dolla $ign), The For You (Martin Garrix ft. Troye Silvan), Malibu (Miley Cyrus), First Time (Kygo ft. Ellie Golding), Bon Apéttit (Katy Perry ft. Migos), Swish Swish (Katy Perry ft. Nicki Minaj), Paradinha (Anitta)...

SÓ HINOS, MEUS IRMÃOS!

ICONIC

Sem falar que esse mês me chocou com uma nostalgia que nem é da minha época, com músicas como I Just Wanna Dance With Somebody e Sweet Dreams

Taiany: Esse mês foi uma intensidade tão grande de 3 coisas diferentes que tô boba por ter sido durante 30 dias, parece que vivi uma vinda nessas “playlists” pelo tanto que ouvi. O mês começou com minha bebê Sei lá tá tudo coisado que é a coisa que mais me define ultimamente, tá difícil algo superá-la. Então eu descobri a playlist Melancholia e, CÉUS ONDE EU TAVA QUE NUNCA TINHA OUVIDO? Ela ainda tem a música Flightless Bird, American Mouth, do Iron & Wine. Cês não tem ideia de como eu amo essa música, mas nunca achava porque é obvio que eu não ia nem lembrar e nem saber escrever um nome tão grande. 

Então eu comecei a ler o livro da Chris e tirei a poeira (modo de falar) dos meus CDs da Legião. EU OUVI TODOS, CADA UM, TUDO DE UMA VEZ. QUE DELÍCIA! FOI UM PORRE DE LEGIÃO PRA NINGUÉM BOTAR DEFEITO. Eu estou sempre ouvindo Legião, eles são figuras certas em qualquer lugar que eu possa vir a ouvir música, mas cada vez que escuto é como se fosse a primeira. COMO EU AMO ISSO!!!!!!!!!!

E eis que termino o mês como comecei, e voltei a ouvir a playlist que ninguém mais me aguenta ouvir falando. Estou até ouvindo enquanto escrevo isso aqui.

COISAS QUE FIZEMOS

Carol: Esse mês eu fui num show da Banda Uó (que é até bacana, mas não é muito minha praia) com uma amiga minha. Por questões de grana eu nunca conseguia sair com ela quando ela me chamava, aí pensei em fazer algo que ela gostasse bastante.

Nunca na vida que eu ia pagar pra ir no show de uma banda que eu não gosto muito, mas indo com ela foi muito divertido, e foi bem fofinho ela gritando AAAAAH EU ADORO ELES EU TÔ AMANDO ISSO AQUI (era open bar e a gente já tava meio bêbada, mas isso não influencia no amor dela pela banda HAHAHAHAHAHAH).

Moral da história: mesmo que o rolê não seja muito sua praia, se você tiver com amigos vai ser divertido. Não recuse.

Bells: Dez anos atrás eu era um bebê, primeiro ano do ensino médio e eis que me inscrevi pra fazer taekwondo na educação física. FOI AMOR FLAMEJANTE À PRIMEIRA VISTA!!! Infelizmente seis meses depois tive que trocar de modalidade e nunca mais tive a oportunidade de praticar....até que essa semana me manda umas mensagens misteriosas e um áudio que dizia... QUE TAVA ROLANDO AULA DE TAEKWONDO DE GRAÇA AQUI PERTO DE CASA!!!!

Corri pra me inscrever e apesar de mal ter duas semanas de treino, tô completamente apaixonada. O taekwondo, assim como as outras artes marciais, preza muito o equilíbrio entre o corpo e a mente, foco, disciplina e determinação. Meu mestre sempre faz umas preleções de positividade durante o treino e fico super inspirada HAHAHAHAHAH. Se tudo der certo daqui a alguns anos vou ser faixa preta e estarei quebrando concretos por aí.

Eduardo: Eu participei de um Concurso de Startups da minha universidade por curiosidade (mas principalmente por causa das horas complementares, e porque tinha lanche de graça) e aprendi tanta coisa que nunca imaginei que ia aprender. Deu vontade de largar tudo e montar minha própria Startup. Foi uma experiência bem enriquecedora e que me tirou muito da minha zona de conforto.

Foi lá também que eu descobri a existência desse teste de perfis e descobri que tenho perfil Águia e que a descrição bate muito comigo. Deu até medo.
Tem um teste do facebook aqui pra quem quiser fazer.

Jota: O que eu fiz esse mês...? Reclamar da escola (PAREI OAKSSIDKSADOSAK). Reclamações da escola a parte, eu fiz prova no curso de espanhol e nesse mesmo dia ficamos andando de um lado para o outro, conhecendo a escola e desejando ter dinheiro para comprar algo, já que era dia da Feira del Libro. Inclusive tenho fotos memoráveis desse dia:

Teve também o aniversário da minha mãe, e comemos no shopping para celebrar, e EU NÃO TIVE CRISE DE ANSIEDADE OBRIGADO SENHOR! ~em compensação eu teria na escola, durante duas aulas e teria que ir embora... (MAS EU DESCOBRI QUE TEM DUAS MÚSICAS QUE ME ACALMAM: To nem aí – Luka, e Don’t You Worry ‘Bout a Thing – Tori Kelly.)

Tive brigas pela internet, envolvendo Bolsonaro e nossa, depois disso me senti renovado, tipo: “Nossa, que pele linda, o que você passa?” = raiva. KSSIDKASKASASALSOSKAKSAOS
Mas fora isso, teve também o aniversário de uma amiga e fizemos chamada de vídeo e assim pude ‘participar’ da festa dela. 

E eu e outrx amigx estamos marcando de nos vermos, OBRIGADO DEUS! Sem falar nas conversas maravilhosas sobre gênero que tive com elx. 

Claro que teve mais coisas, como um dia do curso de espanhol que Jesus, foi muito amorzinho, ficamos lá fazendo quase que um book da gente. E uma viagem de trinta minutos – ida e volta – para uma loja de construção, E SOCORRO EU QUERO COMPRAR TUDO DE LÁ! ~e também desenhei muito e planejei umas histórias, amém.

E antes de ir, eu devo colocar que queimei um trabalho e nisso um balde derreteu... (Abafa) e me assumi pro meu pai - MELHOR MEMÓRIA DO MEU MÊS! Basicamente foi isso, que mês mais maravilhoso. :’)

Taiany: Eu comecei o mês cantando num karaokê, isso era o prenúncio de que coisas boas viriam, e veio. Não, eu não consegui um trabalho (GENTE ME AJUDA, TO ACEITANDO QUALQUER COISAS MESMO), mas depois de mais ou menos 12 anos eu finalmente tomei vergonha na cara e FIZ MINHA TATUAGEM (quando dizem que vicia, vicia mesmo. Todo dia eu sonho com as outras que quero fazer. Já são 4. Anos que vem por essa mesma época estarei fazendo a segunda). Engraçado que demorei tantos anos, me dando desculpas e justificativas idiotas para demorar 3 dias entre marcar uma visita, visitar o estúdio e fazer. Confesso que fiquei assustada com o quão impulsiva eu fui, e eu tava sóbria em todos os momentos, até queria álcool porque tava nervosa, mas eram 2 da tarde e não tinha um lugar vendendo algo que bebo (cerveja não ia adiantar).

Então minha dica é: parem de enrolar, de ficarem justificando demais as coisas, panejamento e precaução são importantes sim, mas temos que tomar cuidado para que isso não nos impeça de agir, de arriscamos de vez em quando.

TAGS: , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM