Adriana Araujo Ana Luíza Albacete

O que aconteceu com as nossas expectativas para 2015?

31.12.15Dana Martins

Na capa: Fundo branco como folha de fichário e texto na frente "Expectativa vs. Realidade"

HEEEEEEEEEY, LEITORES! (oi, Helena!!!) No fim do ano passado nós fizemos 2 posts com as expectativas da equipe pra 2015 (veja a Parte 1 / Parte 2) e agora que o ano está acabando fica a pergunta: elas se realizaram? O que aconteceu entre o fim de 2014 e agora? A Helena pediu, e alguns de nós viemos aqui dizer. Veja abaixo. :)


DANA

Então, eu fiquei feliz ao ver as 3 coisas que eu quis em 2015, porque todas elas aconteceram!!! Ok, mais ou menos. Vamos falar.


1- Ser gorda
Que era sobre escrever mais textos sobre ser gorda no CC. E... eu não escrevi ainda. Eu tenho até alguns posts escritos, que não foram publicados, e eu definitivamente falei um pouquinho melhor sobre isso ao longo do ano falando de mim/das coisas. Também teve a chegada da Taiany com um texto que definitivamente deu o pontapé inicial sobre isso aqui. Mas texto meu? De verdade? Não. Felizmente, 2015 ainda não acabou, e até o fim do ano vai rolar texto meu sobre isso. o.ó

2- Continuar com o meu espírito Avatar
FUCK YEAH DEU MUITO CERTO, VOU INCLUIR ATÉ ISSO NA DE 2016 PORQUE TÁ MUITO BOM. Eu já escrevi um post sobre isso, então vou deixar isso passar.

3 - Entender o que diabos eu quero fazer com essa porcaria de ConversaCult
(Uma meta mais prática: terminar a base do novo layout o.o)

WOOOW NÓS CONSEGUIMOS MUDAR O LAYOUT. ISSO NÃO PODE PASSAR EM BRANCO. Agora já parece que foi em outro século, mas esse era um problema sério que tava se arrastando há anos e nós conseguimos. Rolou uma coisa interna no CC esse ano. E eu acho que entendi o que eu quero fazer com o CC. Tô só juntando a energia pra começar a colocar em prática.

Enfim, das minhas 3 expectativas eu alcancei todas. E é muito louco, porque não é o tipo de coisa que parece possível quando a gente escreve as expectativas, parece algo distante... e aí... aconteceu!

No gif: Cena de The Legend of Korra com a Korra dando um soco de comemoração no ar toda animada e na frente o texto #sucesso


ADRIANA


Bem, fui ler minhas metas e fiquei um tanto chateada porque acabei não fazendo quase nada do que prometi, mas também nem tudo está perdido:

1- Me matricular na natação
É, isso não aconteceu. Foi um ano financeiramente complicado e fazer natação exigia uma grana que eu não tinha assim tão disponível. Mas como o objetivo não era só aprender a nadar, mas também deixar de ser tão sedentária e perder peso, não fracassei de todo. Comecei a fazer caminhadas e consegui perder um pouco de peso. Yep!

2- Aprender coisas novas 
Tinha prometido aprender a andar de bicicleta e nadar e, como dito anteriormente, falhei lindamente. Não aprendi nem uma coisa nem outra. E não me lembro de ter aprendido nada memorável nesse ano.

3- Viajar 
Na foto: Adriana vestindo uma jaqueta marrom, camisa cinza, calça preta justa e um cachecol laranja, pousando em frente ao Palácio de Vidro de Petrópolis. Atrás dela nós vemos uma divisão de arbustos cercando um chafariz. Uma ponte passa do outro lado por cima desse chafariz e leva a entrada do Palácio, uma estrutura grande de vidro com divisórias brancas
Taí uma coisa que acho que nunca mais deixarei de fazer ao menos uma vez ao ano. Esse ano fui conhecer Curitiba. Foi uma viagem bem diferente da primeira (que continua sendo a minha queridinha). O Sul é realmente muito frio (como carioca praieira, confesso que foi meio complicado lidar) mas foi uma boa experiência, principalmente porque foi fora da caixinha e do óbvio que seria caçar mais praia haha. 

4- Começar a monografia
Então... eu arrumei um orientador (aleluia) que aceitou o meu tema sem fazer grandes mudanças (aleluia again). Mas parei aí. Esses dias comecei a pesquisar referências e tal, mas aí vieram as festas e parei. O negócio e dar um gás no primeiro semestre do ano que vem.  

TAIANY

Quando a Dana perguntou quem queria participar desse post eu fui toda animada gritar EUUUUUUUU, mas depois que parei pra pensar percebi que seria difícil, porque comecei o ano cheia de expectativas e ele foi meio merda pra mim. Masssssssssssss, ultimamente fiquei um tanto obsessiva em pensar no que de bom poderia ter acontecido, e UPIIIIII tenho coisas pra falar.
Ps: Eu não estava no CC quando o post sobre as expectativas para 2015 foi escrito pela equipe, então vou escrever sobre as 3 coisas que consegui realizar nesse ano que foi uma montanha russa de emoções.

1 - Me aceitando
Durante 23 anos da minha vida eu vivi num ciclo de estar indiferente quanto a minha aparência e peso, sofrer preconceito por causa do meu peso, me sentir o cocô do cavalo do bandido ao me comparar a outras mulheres, voltar a ficar indiferente e odiar comprar roupas. Só que esse ano, eu comecei a rever essas coisas, a falar sobre isso, eu descobri pessoas que passaram e passam pelo mesmo que eu, e talvez o mais importante, eu aceitei que eu sou linda por ser quem sou e eu não preciso de ninguém pra confirmar ou negar isso. Minha aparência, peso, cor de pele, altura, sexualidade...é só um pouco do que eu sou, mas, não é tudo. E, mesmo assim, essas partes são ok também, não tem nada errado comigo e nem com ninguém sabe?! Somos diferentes como uma caixa de lápis de cor da Faber Castell de 48 cores, e cara, isso é um sonho, é maravilhoso.

Ahhhh, além das questões de peso, amar meu cabelo e redescobrir minha descendência afro tá sendo tão bom esse ano. Eu sempre tive cabelo crespo/cacheado, e apesar das infinitas brigas com ele (cabelo), nunca, jamé, de maneira alguma, pensei em alisar. Só que por muito tempo (minha vida toda), eu me sentia sozinha e até inferior, já que por vezes, e põe vezes nisso, eu era a única parda de cabelo crespo nos lugares que frequentava (escola, curso, até igreja), e juntando isso a todo padrão de beleza imposto, dá pra imaginar minha oscilação de alto estima. Então eis que chega 2015 e BUMMMM, não existe só uma modinha para cabelos cacheados (mesmo que cabelos cacheados estejam em alta), mas sim, toda uma conscientização,  toda uma mudança de paradigmas, toda uma indagação e questionamentos, e eu percebendo que cara, HÁ ESPERANÇAS NAS COISAS QUE ACREDITAMOS.

2 - Eu me formei.
É estranho eu colocar isso aqui, porque de dois anos pra cá eu não faço ideia do que fazer da minha vida profissional, eu estagnei, eu me enchi de dúvidas, e a única coisa que me fazia consegui ficar calma era saber que eu tinha tempo, eu tava estudando ainda, entretanto, o tempo continuou passando e eu me formei esse ano. Ai meus amigos, bateu a bad e o desespero completo, e eu ainda to completamente perdida. Pior, culpada por estar assim, só que, ao começar a escrever isso aqui, parei pra pensar “Puxa, eu amo estudar sobre isso (meu curso), e apesar de estar insegura sobre minha profissão, EU ME FORMEIIIIIIIIIIIIIII, EU PASSEI 5 ANOS ESTUDANDO, ACORDANDO AS 5 DA MANHÃ, ISSO NÃO É POUCA COISA, EU POSSO COMEMORAR SIMMMM”. 

3- Isso nem era expectativa, mas aconteceu.
EU FUI PARA O SHOW DOS LOS HERMANOS, E FOI TÃO INCRÍVEL, FOI O PRIMEIRO SHOW DE VERDADE QUE FUI NA VIDA (tirando cantores de bares, e coisas gratuitas), EU CONHECI GENTE QUE QUERO GUARDAR NO MEU CORAÇÃO, EU EU EU. FOI LOUCO.

Ano passado eu tinha plena convicção que esse ano seria maravilhoso, e não foi, eu dei de cara na parede, e isso me deixou muito mal, só que eu tava sendo muito negativa sobre tudo, porque coisas boas aconteceram sim, é tudo uma questão de qual perspectiva eu quero enxergar. E pessoalmente, prefiro acreditar que o copo está meio cheio.

E para 2016 minha única expectativa é não ter expectativa, eu me conheço e sei que provavelmente não vai rolar o ano todo isso, só que pelo menos por agora eu estou conseguindo me manter firma. Sem resoluções de fim de ano mentalmente, sem superstições fisicamente, apenas mais um livro pronto para ser escrito.
 
No gif: A imagem é o Wood de Toy Stoy falando que vai ficar tudo bem. A frase literal é "Você vai ficar bem, parceiro"
Espero que seja isso que a vida esteja falando pra mim.

JOÃO


Minhas três metas foram um fracasso e não foram. Sabe, eu acho que o que mais me ajudou depois de estabelecer essas coisas foi manter tudo na cabeça durante o ano todo, ter essas ideias recorrentes de como eu poderia estar melhorando minha vida aos poucos, com cada projeto novo que surgia. Se olhar assim, mesmo sem atingir o ápice de cada meta, foi muito proveitoso.

No gif: Professor Snape jogando o cabelo pro lado enquanto uma mecha fica dramaticamente presa me sua testa. A legenda diz "L'oréal: porque você vale muito" em inglês, uma referência às propagandas de xampu
O negócio é valorizar o que deu certo e seguir em frente

1- Voltar a produzir arte
Eu pretendia sair pintando quadros loucamente por aí, mas minha mãe deu minhas coisas de pintura embora e FAIL. Mas acho que eu passei a perceber coisas diferentes no meu cotidiano que também são produzir arte. Arrumar a estante de um jeito diferente, colar um poster na parede, até arrumar a mesinha com as coisas numa disposição especial. Isso também conta como algo. Eu escrevi menos do que esperava e, desenhos, só no meio das aulas chatas. Mas JÁ É ALGUMA COISA.

2- Definir meu rumo acadêmico
Vou considerar esse quase um sucesso, porque entrei em projeto de extensão (que tá em decadência, mas detalhes), em clube do livro, fiz o primeiro trabalho sobre algo que realmente gosto e tenho um plano de alguns anos do que fazer dentro da faculdade. Foi um ano que abriu mentes, de fato. E fez eu ter mais certeza que não quero seguir nessa vida pra sempre.

3- Começar a aprender uma nova língua
Uma coisa que descobri esse ano é que meu inglês é """pior""" do que eu achava ser (as aspas são porque eu consigo entender bem um texto, mas explicar o funcionamento da língua ou coisas mais práticas, coisas exigidas pela minha área, ainda são um campo novo pra mim). Então acabei me distraindo com tentativas e melhorar o inglês, desde curso online até começar a dar aulas pra crianças, e não estudei outra língua de fato. Não foi o que eu esperava, mas algo relacionado a línguas igualmente fora da caixa. 


ISABELLE


Fui dar uma olhada nas minhas metas e: desastre. Só fiz uma coisa e parei bem rápido, e do resto me esqueci completamente. 2015 foi um ano meio estranho que só fez se arrastar e me deixar preocupada com a vida e o futuro, ao mesmo tempo em que tive mil ideias e momentos ótimos. Depois desse resultado, resolvi que não vou fazer meta nenhuma pro próximo ano. Seja o que os deuses quiserem q.

Uma mesa com um notebook, um abajur, alguns blocos de notas e no meio da foto há uma pequena pilha de bilhetinhos abertos e um pote retangular com o desenho de uma cabine telefônica londrina
1 - Criar o Pote da Felicidade e e preenchê-lo todos os dias, sem falta.
Eu estava particularmente animada pra essa meta, porque era algo muito fácil e que não exigia dilmas. Até comprei um pote muito legal pra guardar os papeis e tal, fiz até fevereiro e fuennn. Nunca mais. Eu basicamente fiquei de saco cheio de ter que parar pra pensar em alguma coisa legal do dia e ainda ter que escrever e taquei o foda-se, como sempre faço (infelizmente). Daí fui abrir o pouco que eu fiz e vi que a maior parte tinha comida, the sims e idas ao Centro do Rio com as meninas HFUISHFIDSHFIDSHFISH deus do céu.

2 - Começar meu próprio Nanowrimo
Esse me deixou realmente triste. Me senti uma bosta. Era mais uma coisa que não exigiria custo algum e eu simplesmente caguei. Quando eu tô usando o notebook eu não consigo me obrigar a ir escrever, ou pelo menos planejar a história. Só quero jogar ou ouvir música. Pior que eu sei como resolver isso na teoria, mas não consigo aplicar na prática. Zero de motivação.

3 - Fazer uma atividade física
Tudo o que eu fiz esse ano foi entrar em uma ou outra academia pra ver o que tinha e os preços, nada mais. Contribuiu pra isso o fato de que recebo pouco por mês e acabo gastando tudo com saídas, sorvete e a conta do celular HGUDHFGIUDFHGIFHDGIHFDIGHD, além de eu ter uma péssima gestão financeira. Decidi que só vou colocar essa meta em prática quando eu enfim tiver um emprego.


DIEGO


Minhas metas eram bem.... subjetivas. Quando sugeriram essa ideia de post, eu sabia que ia ser algo difícil de avaliar. Mas eu acho importante colocar o ano em perspectiva, comparar aos planos feitos e tirar um saldo. Eu fiz o melhor que eu pude nesse texto, assim como fiz esse ano. O resultado é imperfeito e bem particular, mas eu posso dizer que estou feliz com ele.


1- Descatralizar
Esse ano eu definitivamente parei de me impor tantas metas e exigências. Isso aconteceu em parte porque eu tive uma crise existencial violenta esse ano, que me fez sentir estagnado e frustrado durante a maior parte dele. Mas daqui da onde eu estou, saindo de toda essa situação estressante, eu sinto que eu coloquei um monte de coisas em perspectiva e pude desencanar nas coisas certas. Eu ainda não estou completamente feliz com o processo de descatracalização, sabe? Eu acho que ainda dá para descatracalizar mais, mas por outro lado, ficar me exigindo que eu desencane completamente é um tipo de exigência. Eu tenho de ser eu mesmo e esperar as vontades virem naturalmente. E isso tem acontecido.


2- Equilibrar
Nesse aqui eu dei um passo importante. Eu lutei por boa parte do ano contra isso, ainda que não intencionalmente, mas acabei encontrando um pouco de equilíbrio na minha vida. Procurar ajuda e aceitar tomar antidepressivo foi uma forma de encontrar equilíbrio (entre o faz-tudo que eu gostaria de ser e o ser deprimido que eu estava me tornando). Decidir sair do meu emprego tóxico foi uma forma de encontrar equilíbrio (entre o salário que eu quero receber e as horas de lazer que eu quero ter), parar de me cobrar tanto e aceitar recursos externos foi uma forma de encontrar equilíbrio, tirar ferias do conversacult foi uma forma de encontrar equilíbrio. Eu ainda não sou um mestre da consistência. Meu sumiço completo é prova disso, mas eu tive de passar pelos dois extremos para chegar até onde eu estou hoje, e acho que isso é um progresso.

No gif: Uma mulher sobre um cavalo branco pulando três obstáculos de treinamento


3 - Desabrochar
Eu fiz TANTA coisa esse ano. Eu fui para Nova York e para Orlando, fui no show do Imagine Dragons, do Muse e da Katy Perry. Viajei para o Rio e conheci o pessoal do ConversaCult e revi o do NUPE, fui na Bienal do Livro, na FestComix, na CCXP. Eu joguei vídeo-game constantemente durante o ano, zerando vários jogos (Dragon Age, eu estou olhando para você), eu escrevi textos que foram realmente importantes para mim, criei o Escrita em Foco, que eu vou retomar ano que vem com toda a certeza. Isso é uma lista bem geral, que está pegando as grandes coisas, mas eu estou pensando em todas elas, pequenas também: eu fui na academia, eu levei meus alunos ao Memorial da America Latina, eu li várias Histórias em Quadrinho, eu passei a assinar revistas e criei o habito de ler elas, eu me afastei um pouco da internet e do computador, eu saí e me expressei como queria, abracei minha melhor amiga muitas vezes. Eu fiz muita coisa boa esse ano, eu fiz muita coisa sem sentir medo do que os outros iam pensar. E eu estou indo para Paris agora, o que é totalmente insano, mas eu tô super tranquilo.

Eu não sei se minha descrição consegue explicar a magnitude disso, mas eu sinto que esse ano eu vivi muito. E isso é bom. Isso quer dizer que eu não estou mais esperando para deixar minha vida acontecer.


EDUARDO


Esse ano de 2015 foi tão intenso e louco que eu só lembrei que tinha feito essas metas quando a Dana veio falar sobre esse post. Eu não me lembro de ter parado para pensar em nenhuma dessas três metas durante o ano, mas eu acabei conseguindo realizar algumas delas.

No gif: garota corre desesperada quanto um monstro gigantesco a persegue destruindo tudo pelo seu caminho. Na garota está escrito: eu. No monstro está escrito: vida adulta.



1 - Esquecer que existe depois.
Meti a cara em várias paredes, cresci um trilhão de cabelos brancos e fiz muita coisa errada que me ensinou mais do que eu esperava, mas eu FIZ as coisas e parei de deixar tudo para depois. Eu também fiz muitas to-do lists  e não tinha satisfação melhor do que ver tudo feito.

2 - Terminar tudo que começo.
E eu terminei. Engraçado que 2015 foi o ano que eu não terminei nenhuma das minhas histórias. (a primeira escrita no Camp de abril e a segunda no nano de novembro). Mas, que eu me senti satisfeito que a maioria das coisas que eu comecei esse ano eu realmente fiz até o fim. Não simplesmente deixei as coisas de lado quando parecia que ia ficar complicado ou que eu comecei a perder o interesse.

3 - Viajar
Não deu certo e eu acho que nem viajei. Viagem de casamentos e para cidades vizinhas, mas não o tipo de viagem que eu queria.


ELILYAN


2015 foi um ano estranho: nada deu certo, mas estou de boa. O que isso significa? Não sei. O mais interessante é que não me importo. Sei lá, em algum momento aprendi a não grilar com nada. Seja bom ou ruim, as coisas irão acontecer, elevar o acontecimento a um patamar altíssimo normalmente não serve para nada. Aprendi a viver o momento intensamente e me desprender dele rapidamente.

No gif: imagem de um anime com uma garota andando e jogando o cabelo pra trás despreocupada
Deu certo? Ok. Saiu errado? Ok. Sem preocupações. Só felicidade

1 - Me realizar

Não. Não encontrei o emprego dos sonhos, mas encontrei um que é financeiramente ok e emocionalmente estável. Nada incrível e nem horripilante. Só ok. E estou feliz com isso! A meta de 2016 é enfiar a cara nos livros e estudar para concurso.

2 - Me apaixonar

FRACASSO TOTAL!!! Até que troquei uns beijinhos esse ano, mas se não tivesse trocado não faria diferença. Em 2015, até que conheci mais gente nova, mas nenhuma que tenha me feito sonhar acordada a noite. Então a meta para 2016 é: comprar um vibrador, porque me apaixonar é muito complicado.

3 - Uma página de cada vez

Eu tentei. Juro que tentei! Mas não deu. Sério, como é que as pessoas gostam de livros como "Uma página de cada vez"?! Talvez seja minha ausência de talento para desenhar ou impaciência mesmo, só sei que em junho joguei o livro na parede e disse adeus à ele. Em 2016, vou me voluntariar em alguma ONG que trabalhe com crianças ou idosos. Acredito que dessa forma meu tempo será melhor investido que desenhando bananas.


ANA


Eu fui ver as metas que eu tinha para 2015 e: caí na risada. Continuo não prometendo nada, por enquanto, e mais do que nunca, minhas esperanças estão lá em cima para que seja um ano melhor (já que 2015 foi um ano muito ruim, principalmente no segundo semestre). Então, 2016, por favor, vamos ser melhores! Então eu manterei duas das minhas metas e vou mudar uma...


1 - Manter a calma

No segundo semestre de 2015 eu descobri que tenho um nível leve de depressão, minhas crises de ansiedade aumentaram e acabei desenvolvendo pânico. Depois de muita terapia, tratamentos e afins, minhas crises estão melhorando. Não estou 100%, porém, em 2016 eu quero manter a calma. Respirar mais fundo e manter a calma sempre.

2 - Definir o que eu quero fazer da vida

O que eu sei: quero viver da arte. O que eu não sei é: como. Em 2015 eu me formei em cinema e decidi que quero fazer documentários. Então, voltei para fazer um ano do curso de jornalismo porque achei que seria um curso complementar para exercer minha profissão melhor. 

Eu ainda quero viver de arte. Em 2015 eu voltei ao teatro por alguns meses e me senti esquisita, mas não descarto a possibilidade de voltar com tudo. Além disso, fiz seis filmes esse ano e 2016 começa com um longa-metragem(!!!!). Então, uma coisa eu posso garantir: VAMO FAZER ARTE! 

E vamos seguindo com meus projetinhos paralelos que em breve eu poderei jogar pro mundo! 




3 -Viajar

Eu viajei em 2015. Viajei com os amigos, para casamentos, para aniversários, com a família... Mas fui para lugares que já conhecia. Então, em 2016 eu quero viajar para onde eu não conheço (Chapada dos Veadeiros pfvo quero muito pra ontem!).

TAGS: , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

8 comentários

  1. Oi, Dana! Oi, gente! :)

    Primeiro obrigada, de coração, por terem achado um tempinho pra virem aqui falar sobre as expectativas e o que rolou no ano de vocês! E espero que isso não tenha deixado ninguém meio bolado por não ter cumprido ou tocado o foda-se, fiquei meio sem saber como me sentir D:

    Dana, parabéns!! Feliz por você :) Até porque suas metas nem eram tão fáceis assim. Manter o espirito avatar? Isso é difícil pra caramba eu tentei manter o equilíbrio que falava tanto em TLOK e não deu direito jagdkgahda Espero que tenha mais the 100, korra, jogos vorazes ef anfics pra ajudar a continuar com ele em 2016!

    Adriana, eu também quero aprender a nadar e a andar de bicicleta e não deu nem pra pensar em fazer isso em 2015, socorr haajkdgaga Curitiba <3 Espero que sua monografia vá firme agora no primeiro semestre!

    Taiany, primeiro que seus post sobre ser gorda foram ótimos e tão emponderadores. Contente por você ter se aceitado nesse ano, sei que montanhas russas nesse aspecto de aceitação e auto estima quando se tem um corpo que não é o padrão são frequentes.
    Eu também comecei a cuidar do meu cabelo cacheado esse ano e foi: !!<3

    " HÁ ESPERANÇAS NAS COISAS QUE ACREDITAMOS." SIIIM <3

    No que você se formou? Parabéns! Acordar cinco horas da manhã todo dia por cinco anos é merecedor de reconhecimento, sim! Eu acordei por dois um pouco antes das seis e não aguentava mais jadgaya


    João, parabéns por ter concluído conto pro supernovo!!! (sei que você não falou disso no post, mas vamos comemorar de novo, afinal é produzir arte :) E boa sorte!

    Espero que você descubra mais seu rumo acadêmico pra continuar me ajudando a descobrir o meu SOCORR AJGDAGDAGAD

    E continue a nadar ahhaha ~~

    Isabelle e Diego, fique com a impressão que vocês ficaram meio tristinhos por olharem pras metas do ano passado e desculpa :((

    E Diego, ao mesmo tempo parece que você tá indo tão bem em encontrar seu equilíbrio, descatralizar e ser você mesmo. Fico feliz por isso e por você não estar mais esperando a vida acontecer :) Você já tá viajando, né? Aproveite, Paris e todo lugar que você for!

    Eduardo, você foi bem sucedido também, né?! ahahaha Suas metas são dificies, ou pelo menos euacho, porque são coisas que eu não consigo fazer, SOCORR Espero que termine suas histórias em breve e que tenha muitos checks nas to do list1s

    Elilyan, adorei o que vocÊ disse! obrigada por isso :)
    E eu tava pensando em comprar uma página de cada vez, e agora eu realmente cai a ficha de que vou perder dinheiro porque não tenho saco pra isso também, não ajdkgaddaa

    Ana, minhas esperanças também tão elevadas, verdade!
    Que você faça muita arte esse ano também e consiga respirar fundo e manter a calma!

    <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Helena, fiquei meio bolada mesmo, mas faz parte.

      Foi até bom dar de cara com isso HFUSDHFSUIDHFIDSHS, choque de realidade faz bem às vezes. Mas o que realmente me deixou mal foi o lance da escrita. Fico me prometendo que vou escrever, que vou isso, que aquilo e nada. Não faço. Deprimente.

      Mas quem sabe esse ano não mude né HUGHDGIUDFHGIHFD

      Excluir
    2. ): espero que seja um mal que venha pra bem então...

      Isso é tão eu. Em 2015 eu comecei super bem na escrita, e depois fiquei 9 meses praticamente no zero, me achando incapaz, com falta de criatividade etc

      Espero que mude e que começamos a fazer as coisas que falamos que vamos fazer! hahahaha

      Excluir
    3. Helena, lendo esse comentário só consigo pensar: "You Is Smart, You Is Kind, You Is Important"
      Você é incrível e, até onde eu ouvi, você chegou a escrever boa parte do conto do Supernovo e tava animada e escrevendo demais. Isso não parece falta de criatividade. Não parece estar no zero. Não terminou? É, mas foda-se. Você foi em frente. Mesmo em um período que você sente que tava no zero. Isso é grandioso.

      Sei lá, eu só acho você uma pessoa muito legal e sempre gosto quando te vejo por perto, e queria que você soubesse que... bem, foda-se ficar 9 meses no zero. foda-se se parece que vocÊ não tá rendendo. você é uma pessoa, não uma máquina de produzir resultados.

      https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/236x/fe/25/2b/fe252b2efc9326c7f819c4cd83a304a3.jpg
      http://cdn.tinybuddha.com/wp-content/uploads/2013/08/Buddha_Doodles_Downtime_MollyHahn.jpg

      esse buddha doodles é muito bom, sigam no instagram para um 2016 mais fofinho HAUHAUHA

      Excluir
    4. Obrigada, Dana, de verdade! Eu acho que é como eu não considerasse aquela parte de conto que escrevi? Porque não acho bom, na verdade só uma parte que achei boa, eu não sei...

      Você sempre diz coisas tão ótimas ahahah "acho você uma pessoa muito legal e sempre gosto quando te vejo por perto" eu me sinto assim com você também :)) sempre que alguém diz que sente algo em relação a mim e sinto a mesma coisa de volta fico achando que falar "eu tbm" é muito meh, mas sim,a reciproca é verdadeira!

      Já segui e obrigada pela indicação! e ahco que isso pode me ajudar com algo que venho pensando há uns meses :)

      Excluir
  2. Helena eu fiquei tão feliz com o seu comentário. E você respondeu todo mundo, isso foi lindo.

    Sobre auto aceitação, é realmente muito difícil uma vez que você passa a vida toda ouvindo que não é o que se espera, você realmente começa a acreditar que há algo errado em mim. Mas difícil não quer dizer impossível, e na verdade, tá sendo bem libertador pra mim.

    Toda vez que as pessoas perguntam em que eu me formei fico imaginando que eles ou vão correr de mim ou vão correr atrás de mim hahahahahahahah Mas então, eu me formei em psicologia.

    Acordar as 5 era uma tortura, mas vou te falar uma coisa, to sentindo muita falta da faculdade.

    E você? Como foram suas realizações de 2015?

    Bjos.
    E vamos viver 2016 agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. <3

      AHAHAHAHHA Não vou correr de você, nem nada até porque hoje deitada no sofá eu pensei que eu devia fazer terapia (?) mal sei o que é terapia na prática, mas detalhe né kjAHDGADGA

      Eu não fiz metas em 2015, na verdade só esse ano que fiz metas pro ano e até postei no meu blog elas. Mas 2015 foi meio montanha russa. Fiz bastante coisa legal, mas deixei de fazer muitas outras, tipo escrever.

      Sim, viver 2016 é o que há :)

      Excluir
  3. Adorei essa retrospectiva! Uma coisa que me chamou atenção é esse tópico de "definir o que fazer da vida", carreira e afins. Olha, no fim de 2016 faço 30 anos e vou dizer que meus planos e trabalhos mudaram um par de vezes! Toda mudança e etapa foi superimportante e não me arrependo de nada - ou de quase nada, pelo menos. Agora no fim de 2015 comecei em um novo emprego, em uma área meio diferente do que já fiz até agora, e estou com ótimas expectativas para esse novo ano.
    Essa parte da arte é algo que me toca muito, porque sempre fui muito ligada às atividades artísticas e já passei por várias crises pessoais/profissionais por querer fazer arte e viver disso. O importante é fazer o que nos faz bem, quer seja uma atividade exclusiva, quer seja algo em paralelo a outra coisa.

    Beijão e um excelente ano para todos nós!
    Livro Lab

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *