2015 Adriana Araujo

O que esperamos de 2015 - Parte 1

30.12.14Conversa Cult


2015 está logo aí, então eu (Elilyan) convidei a equipe para refletir um pouco e compartilhar com você o que eles esperam do próximo ano. De entrar na academia a desabrochar, as metas da galera são surpreendentemente lindas.  (veja aqui a parte 2)

Continue lendo para descobrir o que esperamos.

>>> Isabelle - @theseabells

O que eu espero é conseguir cumprir minhas três metas boladas repentinamente nesta bela tarde chuvosa do dia 5 de dezembro. Ou talvez não tão repentinamente assim. Enfim, as metas são:

1 - Criar o Pote da Felicidade e e preenchê-lo todos os dias, sem falta.

Vi uma pessoa aleatória fazendo isso e achei a ideia ótima, muito porque eu sou bem pessimista. Ela se trata de escrever uma coisa boa (ou mais!) que tenha acontecido no seu dia num pedaço de papel, dobrá-lo e guardá-lo dentro do pote. No fim do ano, você abre o pote e lê tudo de bom que aconteceu nele. Eu particularmente pretendo abri-lo quando eu estiver me sentindo mal, assim eu posso sair da fossa mais facilmente. Pode funcionar ou não, mas hei de tentar.

2 - Começar o meu próprio Nanowrimo

Há alguns anos eu soube do Nanowrimo e achei a proposta sensacional. Fiquei super animada, me inscrevi, me preparei pra participar e....nem comecei a escrever e desisti. Daí nos anos seguintes fiquei protelando, sempre com preguiça ou pensando "ah, no próximo eu participo com certeza". Os posts da Dana e do Diego sobre o nano desse ano me inspiraram e decidi:: vou começar meu próprio nano. Vou escrever as 1667 palavras todos os dias, ou menos que isso. Ou mais que isso. Só sei que em 2015 vou me dedicar a escrever.

3 - Fazer uma atividade física

Passei todo o ano de 2014 pensando "no próximo mês vou procurar a academia aqui perto de casa e procurar uma atividade interessante pra fazer", mas isso nunca aconteceu. Protelação, inércia, whatever: ano que vem isso não vai acontecer. Vou entrar na academia e fazer algo legal. E nem é pra emagrecer (nem posso, estou lutando para engordar RISOS), ou pra ficar com o corpo bonito ou ter saúde. É simplesmente para me sentir bem. Odeio ser sedentária e saber que meu corpo, que é capaz de fazer tanta coisa, atualmente é capaz de quase nada porque não o exercito. Então, vou começar a trabalhar pra mudar isso.

São poucas metas, mas são importantes. E isso é o que vale o/


>>> Adriana - @AdrianaAraujo31

2015 será, pra mim, um ano de continuidade. Estou na faculdade que queria, gosto do meu estágio, tô levando o inglês como posso... Como pretendo continuar fazendo tudo isso, minhas metas são bem poucas, por hora. O que não impede que elas cresçam ao longo do ano.


1- Me matricular na natação

Assim como a Bells enrolei e protelei, não só em 2014, mas durante toda a vida pra fazer uma atividade física. Sou sedentária e gorda e adoraria me movimentar e também emagrecer um pouquinho, mas queria fazer algo que eu goste, que me divirta. Por isso escolhi a natação, já que sou praticamente um peixe, tamanha ligação que tenho com a água. Assim, vou unir uma atividade que gosto, com algo que preciso.

2- Aprender coisas novas

A natação também foi minha escolha por um outro motivo: eu não sei nadar e quero muito aprender. E essa será uma grande oportunidade. É sempre bem chato ficar limitada a beirinha da praia quando minha vontade é de me jogar lá no fundo. Tenho muita vontade de fazer um mergulho daqueles sinistrões, mas não tenho coragem porque não me parece muito ~~prudente~~ me enfiar no fundo do mar sem saber me ~~locomover~~ lá dentro -q. Também planejo aprender a andar de bicicleta. (Eu sei que vocês tão me julgando por eu não saber, mas é a vida, nunca tive a oportunidade de aprender). Desse ano não passa. Nem que eu alugue uma bicicleta e fique caindo sozinha na rua até conseguir. -q

3- Viajar de novo 

Como contei antes, fiz minha primeira viagem e amei. Estou pronta pra fazer outra desde que voltei rs, mas a pobreza não me permite tanta graça. Ainda não sei qual destino explorarei em 2015, mas é fato que voltarei a pôr o pé na estrada.

4- Começar minha monografia

Essa é a principal meta desse ano, na realidade a que mais importa. Se eu não fizer nenhuma das outras, mas cumprir essa estarei feliz. Desde que comecei minha vida acadêmica sempre ouvi as pessoas me falando pra não deixar pra última hora. Me formo em 2016 e quero ter tempo de trabalhar no meu projeto com calma, não correndo (e sofrendo muito) como vejo as pessoas fazendo.


>>> João - @Coisas_do_Joao

Eu quero que 2015 seja um ano pra retomar um pouco do significado da minha vida. Parece filosofia barata, mas esse ano foi tãaaao... eu não sei nem definir. Eu só sinto que me perdi fazendo muitas coisas e parei de me dedicar a outras que, antes, eram parte muito importante de mim. Resumindo, eu ando me sentindo muito vazio com a vida, e minha meta pro ano que vem é mudar isso.

1 - Voltar a produzir arte

Não que meus rabiscos com o lápis, borrões de tinta a óleo e as notas loucas de "noite feliz" na flauta doce fossem arte de fato, né HAHAHA. Mas eu abandonei completamente tudo isso há uns anos, por motivos que nem me lembro direito, e estou sentindo que é hora de retomar. O desenho que eu fiz pra Dana esses dias ficou uma bosta, foi pro lixo e fez eu me sentir um lixo, mas serviu pra me lembrar o quanto isso era importante pra mim. Pintura em tela, desenho, música ou até alguma coisa nova (terminar o livro que comecei no NaNo, quem sabe...): preciso trazer um pouco desse espírito criativo de volta.

2 - Definir meu rumo acadêmico

Cursar Letras tem sido surpreendente em vários sentidos, mas a satisfação atual não parece grande o suficiente pra tirar a sensação de afastamento do futuro que quero pra mim. Dizem que a gente não tem muita noção do que é o curso até terminar o primeiro ano, e eu realmente espero que em 2015 isso se concretize e eu descubra se estou mesmo no caminho certo.


3- Começar a aprender uma nova língua

Sei lá, eu acho que demorei muito pra começar a me preocupar com isso (?) A vontade de dominar o inglês era tão grande que nem percebi quando meu nível se tornou razoável e a língua inglesa virou parte do meu cotidiano. Considerando que não tenho domínio NENHUM de qualquer outra língua, e que tem mil e uma opções de cursos de idiomas grátis internet afora... Vamos mudar isso. Será que francês é uma boa?

*extra: também espero que a gente consiga resolver as discussões sobre o layout do CC, porque tá difícil, amigos lksjdglkdsjg


>>> Ana - @luly_albacete

Desde 2011 eu não faço promessas, nem fico esperando nada do novo ano que entra, só que em 2015 eu vou fazer diferente. Não vou prometer nada, por enquanto, eu vou criar esperanças. É isso, criar esperanças para umas coisas e essas coisas são...

1- Melhorar ainda mais a minha saúde

Em 2014 eu comecei a melhorar a minha saúde. Eu sempre tive problemas nos joelhos e nos pés, então decidi correr atrás para parar de sentir dores. Em 2015 eu pretendo fazer algum exercício físico, de preferencia natação porque eu adoro água! :3

2- Definir o que eu quero fazer da vida

O que eu sei: quero viver da arte. O que eu não sei é: como. Eu faço cinema, porém é um meio muito difícil de entrar. Então, eu quero decidir logo se eu vou embora do país, se eu vou ficar, se eu vou voltar para o teatro (é uma idéia maravilhosa!)... O que eu vou fazer eu não sei, eu só sei que, além de querer mergulhar na água, eu quero cair de cabeça no cinema, no teatro, nos livros, nos filmes, nas músicas...


3- Viajar

Eu quero viajar para um lugar novo, qualquer lugar. Seja o Brasil ou não. Só quero conhecer um lugar novo e renovar energias.


>>> Diego - @Egotista

Eu gostaria de dizer que meus desejos do próximo ano são coisas objetivas e quantificaveis. Tornaria tudo mais fácil. Eu ainda quero perder 30 quilos, o que pelo menos envolve um número, mas o resto de minhas ambições tem mais a ver com mudar a forma com que eu lido com o mundo do que com as quantidades relacionadas a mim.

1. Descatracalizar

Já parou para pensar quantas catracas tem na nossa vida? Tem aquelas obvias entre você e o metrô, entre você a faculdade, mas também tem umas bem complexas. Tem catraca entre você e seu diploma, entre você e sua felicidade, entre você e aquela coisa que você quer muito fazer. Catracas mentais são como cocaína para mim. Eu me imponho um monte de exigências e eu nunca paro de me cobrar. Na verdade, quando eu tenho tempo realmente livre eu não consigo me sentir a vontade com ele. Então minha prioridade máxima no próximo ano é me descatracalizar. Sem metas de leitura, sem desafios mirabolantes, sem NaNoWrimo, sem pressões. Eu não preciso dessas coisas na minha vida agora, eu preciso descobrir quem é o homem correndo por todas essas catracas e se é lá que ele quer estar.

2. Equilibrar

Eu não sei manter o equilíbrio (pior que isso é literal. Eu estou parado, com os dois pés no chão e ainda assim eu dou um jeito de cair. True Story). Ou eu estou na auge, ou no fundo do poço. A frequência de posts no blog em 2014 exemplifica isso claramente. Ou eu produzi 9 em um mês ou simplesmente desapareci. Não há meio termos na minha vida. Eu faço demais, me cobro demais e quando se torna simplesmente impossível segurar tudo no lugar, eu quebro. E ainda por cima me culpo por não dar conta. Então essa meta é para eu tentar me controlar. Não vão existir cobranças quanto a nada, mas haverá a responsabilidade de não deixar nada para trás e tampouco vivenciar nada em excesso. Eu não quero parar de ler, escrever, produzir ou consumir, mas encontrar uma forma nova de fazer isso, uma menos destrutiva.

3. Desabrochar

Outra consequência da catracalização é deixar para depois. Criar regras. Quando eu completar essa idade eu faço uma tatuagem. Quando eu estiver magro eu visto isso. Quando eu tiver um namorado eu vou viajar para esse lugar. Catracas, catracas everywhere. Well, eu estou farto delas. Eu vou vestir a porra que eu quiser, fazer a porra que eu quiser, ir pra porra do lugar que eu quiser e falar a porra do palavrão que eu quiser! Cansei de deixar de lado quem eu sou por quem eu acho que deveria ser. O que isso significa? NÃO SEI, MAS SE EU DESCOBRIR EU TE CONTO!

Ou não. Não faço mais promessas. flw vlw


>>> Eduardo - @dudusfe

Eu faço planos o tempo todo. Mas, quase nunca faço planos a longo prazo. Sempre que um novo ano começa eu desejo que ele me surpreenda. Que me tire da zona de conforto e obrigue a fazer coisas que eu nunca imaginaria. Mas, é aquela coisa de "ir para onde a onda tá te levando". Traçar essas metas nesse post é simplesmente me mostrar que eu posso nadar contra essa correnteza.

1 - Esquecer que existe depois.

Eu tenho essa incrível capacidade de estar sempre fazendo planos e não conseguir completar nem 10% disso tudo. Acordar com um dia inteiro planejado na cabeça, mas continuar deixando tudo para depois e no final do dia acabar não fazendo nada. Parte disso porque eu tenho essa concepção errada de que trabalho melhor sob pressão. E outra parte por pura preguiça. Minha primeira meta para 2015 é não deixar para depois o que eu posso fazer agora; é fazer mais coisas por impulso. Confiar no meu instinto e apenas FAZER. Mesmo que isso signifique meter a cara em algumas paredes.

2 - Terminar tudo que começo.

Eu já fiz muita coisa por empolgação: Comecei um blog, fiz aulas de violão, fiz aulas de pintura, escrevi livros, comecei projetos por conta própria, planejei fazer um canal no youtube, criei uma web-série gravada no The Sims (melhor nem perguntar), procurei aprender como fazer origami, tentei aprender HTML, comecei a aprender Libras, tentei aprender a desenhar, e diversas outras coisas que eu não consigo lembrar às 2:08 da madrugada. Grande parte disso sozinho ou com a ajuda da internet.

Aprendi muita coisa nessas tentativas. Mas, se tem uma coisa que eu não aprendi é como terminar as coisas. Eu sempre começo um monte de coisa, mas terminar é a parte mais difícil. Sabe o blog que mencionei ali em cima? Então, enterrado menos de um ano antes. As aulas de violão? Não chego nem perto do nível iniciante mesmo tendo feito 9 meses de aula. As aulas de pintura? O mesmo. A "web série"? Nunca teve seu primeiro episódio publicado. O livro do último Nano? Cheguei nas 50 mil palavras mas quem disse que terminei a história? Os outros três livros escritos em Nanowrimos? Nunca editados e muito menos revisados. Em 2015 eu quero aprender a ir até o fim. E quem sabe terminar alguma dessas coisas...

3 - Viajar

Ir para um lugar desconhecido. Qualquer lugar. Descobrir novos mundos, respirar novos ares. Conhecer pessoas mesmo sabendo que provavelmente nunca mais vou vê-las. Descobrir se o sol se põe do mesmo jeito em todo canto do mundo.

Amanhã você confere as expectativas do restante da equipe. Enquanto o amanhã não chega, fique com nossa plantação de pôneis. ;) 

TAGS: , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

1 comentários

  1. Que post mais awesone, comentar aqui rápidão para ler a parte 2. Me identifiquei com muitas coisas, que não ão metas minhas, mas que deviam ser D: Gostei de outras que até me fizeram pensar, enfim... E força para vocês!

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *