CCdiário Dana Martins

Como faz pra ter força pra seguir em frente???

21.12.15Dana Martins


Uma conversa estranha sobre ter força pra seguir em frente, fandom e inevitavelmente Jogos Vorazes, Korra e The 100. Porque sim. 

Eu queria fazer algo simbólico porque dia 19 de dezembro fez 1 ano desde o ultimo episódio de Korra, aí eu lembrei que no fim do ano passado uma das minhas expectativas pra 2015 era manter o meu ~espirito avatar~ vivo. Então, por que não falar sobre isso?

A verdade é que eu consegui e de uma maneira que eu nem sabia que era possível. 2015 foi um ano muito louco pra mim, mas se aconteceu algo, talvez seja que o meu espírito avatar esteja mais forte do que nunca.

Primeiro, wtf é espírito avatar?

Na série Avatar (The Legend of Korra) o protagonista recebe esse espírito avatar que é uma força de harmonia, a Raava, e sempre reencarna em uma nova pessoa (o novo avatar). O objetivo da pessoa com o Espírito Avatar é manter o equilíbrio entre os 4 povos que existem nesse universo.



Na Vida da Dana, “É tipo essa energia interna que é só sua e brilha com as coisas que são importantes pra você.”, é a energia que te faz ser você e te motiva a fazer as coisas.

O combustível do meu espírito avatar é arte, mas não qualquer arte. Tem que ser algo do tipo QUE ME DÁ VONTADE DE VIVER. Tem artes que fazem eu me sentir bem, me inspiram… E tipo me deixam num clima que a vida inteira é melhor e ganha significado. É como se eu despertasse. Eu até consigo pensar melhor.

The Legend of Korra faz isso comigo. Jesus! Eu posso fazer infinitos paralelos sobre a minha vida e The Legend of Korra. Essa semana mesmo eu tava pensando no período que a Korra sofre TEPT e se afasta de todo mundo. Ela literalmente passa anos sem responder carta dos amigos! E tem sido bem assim pra mim, é só um sentimento de… I can’t, não vou falar com pessoas não quero ver pessoas. E lembrar disso da Korra é legal, porque… Eu não to sozinha???? Hahaha e isso ainda um ano depois da finale. 


E olha que eu nem reassisti os episódios finais porque eu não consigo fazer isso sem sentir algo desmoronando dentro de mim.

Então imagina como eu fiquei quando me dei conta de que Korra ia acabar. Como eu vou viver sem uma nova temporada de Korra pra recarregar minhas energias???

(grita alto com medo do desconhecido)

E em 2015 ainda acaba (acabou) Jogos Vorazes, que foi meu vício sinistro pré-Korra. Tem até a tag Centro de Treinamento com 83727 textos meus e teve uma época no CC onde era Jogos Vorazes que eu citava em tudo. (Foi até pelo clima de distopia que eu fui atraída pra Korra!!!)

Então 2015 prometia uma cratera pra minha vida, eu tava lá: Por favor não me deixa perder o espírito avatar.

Aí veio 2015.



Eu comecei a assistir The 100.

The 100 é tipo Jogos Vorazes + The Legend of Korra na minha vida. É uma série com as reflexões intensas do primeiro, e a empolgação/felicidade do segundo. (Felicidade minha, porque na série em si… Hahhaha)

Sinceramente, parece que eu tava sendo preparada pra chegar a The 100. E tem até umas coincidências legais. Diversas cenas de The 100 eu assisti secretamente fingindo que era Jogos Vorazes, porque poderia ser. É como se fosse o melhor de todas as distopias adolescentes resultando em uma série foda. De muitos modos é a adaptação que Jogos Vorazes não pôde ter por causa da censura no cinema.

Katniss ajudando o Peeta a se camuflar -n HUAHUAHUAH 

A história continua expandindo a discussão sobre violência.

Mas também tem todo o lado de The Legenda of Korra. Parece que The 100 é a temporada 5 de Korra, só que sem comédia.

(Parte de mim acha que a s3 de The 100 tem abertura pra continuar Korra de muitos sentidos, ainda mais que as duas protagonistas passam por experiências parecidas)

The 100, assim como Korra, aborda o encontro de diferentes culturas e perspectivas, inova na representatividade como não se vê por aí (eu tenho suspeitas de que a finale de Korra deu o empurrão final pra eles irem mais longe em The 100).

Cara, The 100 usa até a mesma mitologia de reencarnação (só que em vez do espírito avatar, é o espírito de commander dos grounders).

E parece que a s3 deve esbarrar no conflito entre tecnologia vs. Religião, que é uma das bases de The Legend of Korra (Korra - o mundo espiritual. Asami - tecnologia. Já escrevi sobre isso)

E termina aí? Não.

Porque The 100 tem particularidades. Ele não é um remix dos meus antigos vícios, ele é a continuação. E acho que talvez o que eu mais gosto é como na série não há vilões e heróis.


Se você olhar a história e fizer as contas, eles te dão elementos pra você provar que ninguém presta.

E, ao mesmo tempo, eles brincam com a nossa percepção o tempo inteiro, fazendo a gente gostar ou não gostar de personagens independente de ter provas "racionais" pra apontar que fulano é o vilão.

The 100 é uma aula sobre double standard (vou falar disso num post em breve). Mostra como a gente é parcial e FDP, sempre querendo apontar o dedo pra algum culpado.

E… Ainda é legal de assistir, porque é uma montanha-russa de emoções.

Isso porque eu to falando da série, não o impacto que ela teve na minha vida.

Hoje mesmo meu pai veio me mostrar meu avô sujo de terra pra me dizer que ele parecia um grounder.

Se algo, The 100 virou uma forma da minha família se conectar.



The 100 também me ensinou a escrever. 80% da minha melhora esse ano se deve a The 100. Tipo, tem noção de que faz anos que eu to tentando ganhar o hábito de escrever histórias e talvez com The 100 eu tenha conseguido?

Mais do que manter meu espírito avatar, acordou meu espirito avatar na escrita.

Eu tenho um grupo no whatsapp chamado “fic kru” (kru é clã em trigedasleng, uma língua de The 100) (ou seja, the 100 nos uniu) e isso me salvou esse ano. Tipo… Ter amigos?? Do tipo que quando você fala no fim do dia passa até a se sentir melhor?? E pode trocar receitas de bife ou discutir imposições de gênero na cultura???? Ou onde eu posso ser fangirl ao extremo sem ninguém encher meu saco???

Cara, eu quase não li livros esse ano, mas li toneladas de fanfics, que não só foram muito boas como me ensinaram muito sobre escrita.

The 100 também tá me fazendo superar a vergonha e escrever inglês errado mesmo porque eu preciso me meter em discussões de The 100 e compartilhar teorias.

Então, tipo, The 100 ganhou espaço em todos os campos da minha vida.

Esses dias tem sido difíceis e eu tava tão esgotada que não consegui escrever (eu só escrevi um post esse mês, reflita), aí saiu o trailer de The 100 e BOOOM meu cérebro estava de volta.



E repara que a finale da s2 foi em março, então basicamente eu to aqui sendo fã constantemente sem nada pra atiçar por meses. E ainda assim cada vez eu amo mais essa série.

Enfim, acho que quis encerrar o ano compartilhando o meu amor. Agradecendo a essa história que me atingiu feito uma tsunami e roubou a minha vida. Eu espero que em 2016 o meu espírito avatar continue vivo e que a terceira temporada da série seja muito boa. ;-;

E The Legend of Korra? O espírito avatar reencarnou em The 100. Hahahhahhaa mas, sério, o meu amor por Korra não diminuiu e estou admirada como mesmo um ano depois a série continua presente na minha vida.

Obrigada, The Legend of Korra.

Obrigada, bryke.

Vou encerrar com uma conversa em um mundo utópico.

UMA CONVERSA IMAGINARIA NA MINHA UTOPIA
(pf, mesmo que você não conheça The 100, seja uma pessoa imaginária nos segundinhos a seguir, nunca te pedi nada)

Ontem surgiu uma nova teoria pra S3 de The 100 (nada de spoiler, não tem nem como dar spoiler do que eu não vi) (e nem é sobre a trama). Mas a teoria é de que o Pike, o novo cara arranjando confusão dentro da Arca, é o pai do Miller.

cara chato do trailer


Agora é a hora que no mundo perfeito você me diz, "mas, Dana, o pai do Miller não é aquele guarda que faz de tudo pra salvar o filho na S2?"



E aí eu respondo: SIIIM

E aí você fica: ????

E eu: (sorriso)

E você: ?????

Eu: O Pike é o OUTRO pai do Miller

Aí é aquele momento que a lente hétero vai por água abaixo e você faz "oh...".

Eu não sei se isso é verdade, isso é uma possibilidade e um detalhe quase irrelevante pra história, mas só o fato de que eu posso fazer uma teoria que ignora a heteronormatividade e tem CHANCES. REAIS. dela acontecer... acho que isso diz muito sobre o que The 100 tem feito em termos de representatividade. (e eu vou apenas dizer que toda essa questão envolve três homens negros) (e tudo bem que 2 deles não são protagonistas, a não ser que a minha teoria esteja certa) (mas ela estando ou não já confirmaram que vamos ter mais miller) (EU QUERO MAIS MILLER)

Novamente, isso é uma possibilidade. A única coisa que impede isso de ser real ou não é a vontade dos escritores, o que basicamente é 90% das questões de representatividade. De qualquer modo, esse é o tipo de coisa que faz o meu espírito avatar brilhar.


TAGS: , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

3 comentários

  1. Imaginou minhas reações certinha ajdfgagfaha (algo que quero falar: ainda não vi o trailer da S3)

    O Bell no gif <3 (falando nele me deu um branco no nome dele, eu só lembrava o nome do ator e não do personagem, ai fui no google e encontrei a seguinte imagem: http://images.buddytv.com/btv_2_505511876_0_350_10000_-1_/bob-20morley-20the-2.jpg QUE QUE É ISSO? AHAHAHAHAHAH precisava compartilhar)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POR QUE NÃO VIU?

      É Bob Morley HUAHAUHA eu gosto mais dele com cabelinho encaracolado, mas ele é maravilhoso de qualquer jeito

      obrigada por comentar <3

      Excluir
  2. MDS. KORRA, THE 100. JOGOS VORAZES *o*
    Casa comigo, moça u.u
    Post incrível. Adorei você expressar as suas emoções assim suahsaush
    Bjs :3
    PS.: Também ainda não vi o trailer e.e

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *