CCDicas CCFilmes

10 filmes dirigidos por mulheres para ver agora na Netflix

12.8.15Elilyan Andrade


Em uma conversa no Whatsapp a Dana disse que iria assistir Cinquenta Tons de Cinzaporque é um filme que tem o roteiro e a direção assinados por mulheres”. Essa frase ficou marcada na minha mente porque nunca escolhi um filme só porque o roteiro e a direção era feminina. Já aconteceu diversas vezes de escolher um filme por causa de um diretor ou roteirista específico, mas nunca me preocupei com o gênero da pessoa. 

Depois de refletir sobre o fato resolvi criar uma lista de filmes dirigidos por mulheres. E o melhor de tudo: você pode encontrar esses filmes na Netflix! \o

Sam Taylor-Johnson diretora de Cinquenta Tons de Cinza e O Garoto de Liverpool

1 - Psicopata Americano - roteiro Mary Harron e Guinevere Turner; direção Mary Harron

Psicopata Americano é um filme que amo porque o tempo passa e sua mensagem não envelhece. Nunca li o livro, mas o filme é magnânimo em sua simplicidade e ousadia de cutucar a sociedade egocêntrica e capitalista sem filtro nenhum. Com Christian Bale e Jared Leto no elenco, o filme conta a história de Patrick Bateman (Bale) jovem, branco, bonito, vazio, perigoso e violento psicopata. 

Nos Estados Unidos, na época do lançamento, o filme causou polêmica por causa das fortes cenas de violência. Uma coisa que muito aprecio nesse filme é que ele possuí cenas para agradar o olhar feminino (o que é Patrick malhando só de cueca branca? Psicopata ou não: QUE GATO!)


2 - Bicho de Sete Cabeças - direção Laís Bodanzky

Tem filme nacional nessa lista? TEM! Bicho de Sete Cabeças conta a história de Neto (Rodrigo Santoro *.*), um jovem de classe média que é internado em um hospital psiquiátrico por seu pai (o cara encontrou maconha nos bolsos do filho). Na instituição Neto passa por uma série de situações abusivas. A sinopse do filme sempre me lembra um pouco Garota Interrompida

3 - Minha Vida Sem Mim - roteiro e direção Isabel Coixet

Minha Vida Sem Mim é um filme espanhol e canadense que possui o roteiro adaptado pela diretora espanhola Isabel Coixet a partir de um conto de Nanci Kincaid. O filme conta a história de Ann, jovem casada e mãe de duas filhas, que descobre que tem câncer nos ovários e terá no máximo três meses de vida. Sem dizer nada a ninguém ela elabora uma lista de coisas que deseja fazer antes de morrer. 

Esqueça aquelas listas mirabolantes de coisas para fazer, Ann é pragmática. Nada de dar a volta ao mundo, os desejos dela são simples, práticos e extremamente emocionantes. Minha Vida Sem Mim é o filme mais triste que assisti na minha vida. Você irá chorar logo nos cinco minutos de filme e não vai parar até os créditos finais. 

"O sexo do diretor é extremamente importante porque a pesquisa mostra que o gênero do diretor está relacionada com a percentagem de personagens femininas que temos visto na tela. A escassez de mulheres que trabalham nos bastidores está relacionada com a sub-representação das mulheres na tela. " - Dra. Martha Lauzen, autora do estudo Celluloid Ceiling

4 - Meninos Não Choram - roteiro Kimberly Peirce e Andy Bienen; direção Kimberly Peirce

Baseado na história real de Teena Brandon, Meninos Não Choram conta a história de um transgênero em busca de amor e aceitação que acaba se envolvendo em um triângulo amoroso complicado e um crime que abalaria o interior dos Estados Unidos. O filme deu a Hilary Swank seu primeiro Oscar. Acredito que Meninos Não Choram é um daqueles filmes obrigatórios para assistir antes de morrer. 

5 - Do Que as Mulheres Gostam - direção Nancy Meyers

Suspeito que se eu não incluísse um filme da Nancy Meyers nessa lista a Ana me matava (ou no mínimo quebrava minhas pernas). A Nancy é diretora, produtora, roteirista e rainha das comédias românticas que eu e você cansamos de assistir. Essa mulher é simplesmente maravilhosa. Em destaque: Do Que as Mulheres Gostam, filme com Mel Gibson e Helen Hunt no elenco, que conta a história de um executivo machista que após sobreviver a um acidente passa a ouvir os pensamentos das mulheres. 

6 - A Informante - direção Larysa Kondracki

Confesso que quando fui assistir A Informante estava interessada em apenas uma coisa: Benedict Cumberbatch. Meu amado Sherlock faz um pequeno papel no filme e fui com tudo me envolver com a história da policial americana que vai para a Bósnia após a guerra civil, e descobre que tropas de paz da ONU estão acobertando tráfico humano e sexual. 

Se você é uma pessoa sensível a violência talvez deva passar longe de A Informante. Larysa Kondracki possui uma direção crua e delicada que irá mexer com o seu emocional. 

“Às vezes, mulheres expressam uma ideia e são ignoradas, apenas para um homem vir e expressar basicamente a mesma ideia e tê-la celebrada. Até que tenhamos um número suficiente de mulheres em altas posições executivas, isso continuará acontecendo.” - Brenda Chapman
 

7 - O Príncipe do Egito - direção Brenda Chapman

Dentro do meu top 10 de melhores animações de todos os tempos O Príncipe do Egito com certeza se encontra bem posicionado. O filme é lindo, maravilhoso e possui uma trilha sonora de responsa. Não é à toa que muita gente acha que o filme é da Disney. 

Confesso que antes de fazer essa lista não fazia ideia que uma mulher foi a responsável pela direção de O Príncipe do Egito; estava procurando o nome da diretora de Valente, quando descobri que a Brenda na verdade só teve a ideia do filme de princesa da Pixar, pois ela foi CHUTADA da direção. Por que Pixar? Por que?!! 


8 - Coco Antes de Chanel - direção Anne Fontaine

Coco Antes Chanel é um filme que conta a história da famosa estilista francesa Gabrielle "Coco" Chanel. Se você não sabe quem é Chanel joga no Google AGORA ou vai assistir ao filme porque você PRECISA conhecer essa mulher! Chanel é super importante para a história mundial. Foi ela que libertou as mulheres dos espartilhos, introduziu trajes casuais, calças de montaria para as mulheres, se inspirou no vestuário masculino e eternizou os tailleurs, criou bolsas com correntes para as mulheres poderem ter as mãos livres e outras inovações que a torna uma personagem de destaque na história da cultura do século XX. 

9 - Quero Ser Grande - direção Penny Marshall

Se você não assistiu Quero Ser Grande na Sessão da Tarde não sei o que fazer com você (se você for novinho, a tia aqui, dispensa). Esse clássico dos anos 80, conta a história de um menino que deseja muito ser grande e, no dia seguinte, acorda no corpo de um adulto e vive altas aventuras. O filme é maravilhoso, me faz desejar encontrar um piano gigante para ficar pulando e deu ao Tom Hanks a sua primeira indicação ao Oscar (e você achando que esse era só um filme tolinho para crianças ¬¬’) 


10 - What Happened, Miss Simone? - direção Liz Garbus

Se você ficou se perguntando porque não indiquei What Happened, Miss Simone? no post sobre documentários para assistir na Netflix, saiba que foi porque não tinha assistindo ao filme na época. Agora é a hora da redenção: com raro material de arquivo o documentário mostra a vida, a obra e a militância da cantora Nina Simone pelos direitos dos negros.

Leia uma entrevista completa da diretora falando sobre os desafios que enfrentou durante a produção do documentário. 

BÔNUS: Razão e Sensibilidade - roteiro Emma Thompson

Ok, esse filme não é dirigido por uma mulher, mas amo a Emma Thompson de todo o meu coração. Ela é brilhante. Também amo enlouquecidamente Jane Austen, ou seja, Razão e Sensibilidade é um filme MARAVILHOSO porque une meus dois amores ~ sqn. O filme que conta a história das irmãs que passam dificuldades financeiras após a morte do pai é tão bem escrito, dirigido e atuado que, com certeza, Austen está feliz da vida na sua tumba. Emma ganhou seu segundo Oscar por ter escrito o roteiro. 

Lembrando que o catálogo da Netflix é hoje, mas não é amanhã, ou seja, como o acervo da Netflix está sempre mudando, com alguns títulos sendo removidos e outros acrescentados semanalmente, é possível que você não encontre todos os filmes disponíveis.

TAGS: , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

11 comentários

  1. "nunca escolhi um filme só porque o roteiro e a direção era feminina." Mas acho que eu devia prestar mais atenção nisso, é importante. E fiquei impactada com esses palavras“Às vezes, mulheres expressam uma ideia e são ignoradas, apenas para um homem vir e expressar basicamente a mesma ideia e tê-la celebrada.", pq é o que vemos no dia a dia, em diversas profissão.
    Não imaginava que um dos meus filmes favoritos tivesse sido dirigido por uma mulher, Bicho de sete cabeça é um filme q vi poucas vezes pq me impacta tanto, me faz sofrer tanto, que vejo e tenho que me reestruturar psicologicamente. Não tive coragem de ler o livro ( o filme e o livro contam uma história real), mas fiquei bem feliz de ve-lo aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é um fato interessante para a gente observar se um filme é produzido, dirigido ou escrito por mulheres. Andei lendo alguns estudos e pesquisas e é desanimador como as mulheres são minorias na indústria de cinema. Tanto nos EUA e aqui, cargos executivos são dominados pelos homens e esse dado influencia diretamente representatividade.

      Bicho de Sete Cabeças é também um livro? Confesso que acho esse filme impactante demais e ainda não tive coragem de revê-lo.

      Excluir
    2. É um livro sim, mas tem outro nome, não lembro agora. O cara ainda tá vivo se não me engano, ele escreveu a história dele, as internações e tals.

      Excluir
  2. Do que as mulheres gostam é bem legal. Príncipe do Egito, se for o que estou pensando, achei chatinho. Já Quero ser grande eu acho que já assisti, mas não tenho certeza, lembro do nome,, mas não do filme em si.

    Aos outros 7 eu nunca assisti, mas vou procurar alguns que me interessaram. A Netflix já me indicou Coco antes de Chanel e Minha Vida sem Mim, vou colocar os dois na minha lista de quero assistir. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vanessa, cuidado que você pode está confundindo com José. O Príncipe do Egito é aquele que possui o dueto de Mariah Carey e Whitney Houston na trilha (é ele mesmo? se for estou chorando). rss Quando for assistir Minha Vida Sem Mim recomendo lencinhos e chocolate do lado porque esse filme o que tem de lindo, tem de triste. :)

      Excluir
  3. Minha vida sem mim eu assisti pelo Mark Ruffalo, na época, e gente que filme deprê. Eu lembro de chorar no final e chorar.
    Também nunca escolhi filme só por ter sido dirigido por mulher, mas taí uma coisa a se praticar.

    Só 50 tons de cinza que não rola, desculpa sociedade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andrea, recomendo que você esculte a trilha sonora de Cinquenta Tons de Cinza porque ela é a melhor coisa do filme. Uma das melhores que ouvi esse ano.

      Excluir
    2. EXATAMENTE. SE TEM UMA COISA QUE AQUELE FILME TEM DE BOM É A TRILHA SONORA.

      Excluir
    3. EXATAMENTE. SE TEM UMA COISA QUE AQUELE FILME TEM DE BOM É A TRILHA SONORA.

      Excluir
    4. Vou procurar ouvir, meninas! ;-)

      E gente, lembrei de vocês ontem: finalmente assisti Megamente (por que demorei tanto?) e a trilha sonora é linda!!! Talvez não tivesse reparado tanto se não fosse por vocês martelando o assunto. Obrigada!

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *