Advance Style Artifact

O que assistir na Netflix quando você não sabe o que escolher

21.7.15Elilyan Andrade


Em 2014, o catálogo da Netflix no Brasil chegou a 3 mil títulos, sendo 82% formado por filmes. Comparando ao catálogo norte-americano é quase nada, mas mesmo assim quantas vezes você já se viu perdido sem saber o que assistir no serviço de streaming? Pensando em você que não paga a assinatura para ficar zapeando entre as opções, vou te dar uma dica do que assistir na Netflix quando não sabe o que escolher: veja documentários.

Se você é como a Dana e torce o nariz para documentários porque acha eles chatos, saiba que está redondamente enganado. Assim como em qualquer outro gênero de filmes e séries existem documentários enfadonhos, legais e aqueles que impactam sua vida de maneira primorosa. A Netflix tem várias opções MUITO BOAS, mas também tem algumas coisas tenebrosas que recomendo que você passe longe (por exemplo, o documentário sobre o museu do pênis é uma chatice só!). 

Confira uma lista com 10 documentários incríveis para assistir na Netflix:

1 - Dear Mr. Watterson

Se você é fã das tirinhas Calvin & Haroldo é quase obrigatório assistir ao documentário Dear Mr. Watterson. O filme conta a história do inacessível Bill Watterson, cartunista criador da tirinha, além de dar uma pincelada sobre a história dos quadrinhos. 

2 - Artifact



Fui assistir a esse documentário sem ter ideia sobre o quanto ele impactaria a minha vida. Depois de assistir Artifact me vi fã do Thirty Seconds To Mars e do Jared Leto, aprendi mais sobre a indústria da música, compreendi um pouco sobre a briga da Taylor Swift com o Spotify e qual é do Jay Z com o Tidal. Artifact irá lhe fazer refletir sua relação com a música e de quebra você verá o Jared gato na maior parte do filme.

3 - Chef’s Table

Já falei anteriormente sobre a série documental original da Netflix que conta com alguns dos mais incríveis nomes da gastronomia mundial, mas como ela é excelente não posso deixá-la de fora desse top. Chef’s Table é a garantia de um tempo de qualidade na sua TV. Dica: não assista com fome.

4 - Mansome


Mansome é um documentário que debocha da vaidade masculina. O diretor do filme é o cineasta americano Morgan Spurlock que ficou famoso por Super Size Me, em que se alimentou apenas de fast-food do McDonalds. Em Mansome, Spurlock convidou comediantes famosos e homens completamente aleatórios para falarem sobre seus hábitos de higiene e vaidade, o resultado é um documentário que expõem de forma divertida a preocupação masculina com a aparência. É hilário e tem alguns dos melhores quotes que já vi num filme. 

5 - Advanced Style: The Documentary



Documentário, que surgiu a partir do blog de moda Advance Style, foi desenvolvido através de uma campanha de financiamento coletivo na internet. O filme expõem o estilo de senhoras com idades entre 62 e 95 anos que colocam qualquer blogueira fashionista no chinelo. Esse documentário me fez refletir sobre a nossa sociedade onde quase todos são obcecados pela juventude.

6 - Destrua Essa Câmera

A história do conhecido (que eu não fazia ideia de quem era antes de assistir ao filme) e odiado paparazzo Ron Gallella é exposta no documentário Destrua Essa Câmera. Depois de assistir esse filme você irá se questionar sobre a liberdade de imprensa e o culto às celebridades. É sério. Obrigatório para os jornalistas de plantão. 

7 - Katy Perry: Party of Me



Katy Perry: Party of Me é o documentário que acompanha a turnê da cantora Katy Perry. Sendo honesta acho esse filme meio sem graça, mas se você é super fã da cantora provavelmente vai gostar bastante dele. Na Netflix só o que tem é documentário musical, alguns são puxa-sacos que não apresentam nada de novo para quem já é super fã como, por exemplo, Beyoncé: Life Is But a Dream e One Direction: This Is Us, outros são mais interessantes, como Keep On Keepin' OnWhen Björk Met Attenborough e Raul Seixas: 20 anos sem Raul.

8 - Art of Conflict

Documentário original da Netflix, Art of Conflict mostra o impacto, a função e o futuro dos murais nas paredes das casas na Irlanda do Norte. É interessante para refletir sobre como a arte de rua pode ser utilizada como propaganda de guerra e o perigo que existe nos discursos agressivos. 

9 - O Mundo Segundo os Brasileiros


De acordo com a Wikipédia, O Mundo Segundo os Brasileiros é um reality show, mas como ele é listado como documentário na Netflix estou encarando como série documental, ok? Se você é como a Adriana e ama viajar essa é a sua série! Em cada episódio é apresentado um lugar do mundo por um brasileiro que mora lá, isso é muito mais legal que aqueles programas de viagem onde o apresentador passa uma semana na cidade. Você também pode assistir a série no Youtube.

10 - Terms And Conditions May Apply 

Aviso logo que depois de assistir Terms and Conditions May Apply você vai desejar deletar seu perfil em todas as redes sociais e email. É sério. Questionei o que fiz depois de ter clicado no “sim, eu concordo” dos termos e condições dos serviços que utilizo na internet. O filme do diretor Cullen Hoback provoca uma reflexão sobre a privacidade, tecnologia, terrorismo e liberdade. Esse filme é mais assustador que Jogos Mortais e ainda vai fazer você entender metade do trambolho que a Nomi usa em Sense8

Na Netflix você encontra outros documentários incríveis. Agora, me dê licença, que vou assistir o documentário sobre a Nina Simone.  

TAGS: , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

16 comentários

  1. Não sou de assistir documentários, não conheço nada desse meio, posso contar nos dedos quantos vi, masssssssss adorei seu post e fiquei bastante curiosa com algumas indicações.

    ps: Super Size Me mudou minha forma de comportamento nos fast food, não deixei de ir, mas passei a moderar minhas escolhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Taiany, confesso que também não era lá muito fã de documentários, pois sempre quando ouvia a palavra me lembrava daqueles sobre animais da BBC, mas participando de festivais de cinema percebi que o gênero é bastante vasto e que possui algumas opções divertidas e que ensinam coisas legais (Super Size Me também me fez pensar de forma mais moderada sobre fast food)

      Excluir
  2. Festivais de cinema? Como? Onde ? Quando?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Festivais. Aqui o principal é o Cine Ceará, mas os documentários mais legais que assisti foi em festivais nos centros culturais que procuram serem temáticos. Nesse final de semana vou participar de um evento que falará sobre os Beatles e terá a exibição de um documentário sobre a banda.

      Excluir
  3. Gente, eu estou exatamente assim: ainda estou no mês de experiência do Netflix, mas não assisto nada porque tem muita coisa!!! Como diria Placebo, "there's too much choice, the possibilities are endless". Muitas opções normalmente me deixam imóveis. Tanta coisa que quero ver no Netflix e acabo não vendo porque: o que escolher? Tantas músicas e bandas e discos e: o que ouvir? Tantos livros pra ler: qual começo? Ou seja, não sei lidar com [muitas] escolhas. (Aliás, tem um Ted Talk que fala justamente sobre isso, O paradoxo da escolha, ou algo assim, e eu preciso ver ASAP.)

    Mas voltando ao Netflix, eu AMO documentários e de cara me interessei pelos de Ciências (senti falta de indicações desse tipo na lista). Tem um chamdo Cosmos (?) que super me chamou atenção. Eu adoro descobrir coisas novas, informações do tipo "você sabia que..." mesmo que elas, tecnicamente, não sirvam de muita coisa na vida, só parecer inteligente, hahaha.

    Os indicados 2, 5, 6 e 10 parecem realmente bons, principalmente o último. Será que consigo decidir qual deles começo a ver primeiro e REALMENTE assisto???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andrea, quanto mais opções temos é mais difícil escolher. :/


      Também adoro consumir milhares de informações que aparentemente não servem para nada, mas numa roda de conversa são ótimas para quebrar o gelo. ;)

      Sei que fiquei devendo indicações de ciência. Tenho várias, mas não quis colocar aqui nenhuma de ciências, natureza e animais porque a maioria das pessoas quando pensa em documentários pensam logo nesses gêneros. O Universo, Uma Verdade Inconveniente, Wonders of The Universo e o TED: Jornada no espaço, são alguns títulos que me veem de cabeça.

      Vou diminuir suas opções: 2 e 10 são ótimos para começar.

      Excluir
    2. Venci! Assisti o "Terms And Conditions May Apply". \o/

      Gente, fiquei CHOCADA com a parte em que é possível achar uma pessoa apenas pelas buscas feitas! :O Me chocou porque muita coisa eu já sabia/esperava que acontecesse: tipo os dados do Facebook, os e-mails, mas as buscas que não imaginava que pudessem ser todas arquivadas e depois usadas para se chegar em quem as buscou!!!

      Realmente, esse doc é mais assustador que Jogos Mortais.

      Excluir
  4. Eu adoro documentários, apesar de ter assistido menos do que gostaria.

    Dessa lista eu só assisti Advanced Style. É maravilhoso. Faz repensar a velhice, mostra pelo menos duas perspectivas diferentes sobre o envelhecimento e chama atenção do mundo (não só da moda) para o fato de que pessoas mais velhas não deixam de existir, elas continuam ativas e, nesse caso, resignifcando a própria vida através do vestuário. Vale lembrar também que o blog que deu origem ao doc, também se tornou um estilo de vida.

    Acrescentaria dois à lista:
    Mission Blue
    É sobre a luta de vida de Sylvia Earle para preservar os oceanos. Sylvia é uma oceanógrafa, mergulhadora, pioneira nos mergulhos com trajes autônomos, empreendedora, primeira Cientista Chefe da U.S. National Oceanic and Atmospheric Administration, e se nada disso bastar, foi nomeada heroína do planeta pela revista Time.
    O documentário é um alerta sobre a rápida degradação dos oceanos nos últimos 50 anos e mostra o que pode ser feito para preservar e até mesmo recuperar áreas que já estão comprometidas.

    What happened, Miss Simone?
    O documentário apresenta a vida de Eunice Kathleen Waymon, uma menina que tinha o sonho de virar a primeira pianista clássica negra, mas que acabou virando Nina Simone, um dos principais, senão o principal nome do Jazz. Nina foi contemporânea de Martin Luther King e Malcom X, e estava no centro dos acontecimentos da luta anti-racista nos EUA, militava também através da música. Esse doc dialoga diretamente com a mulher negra, tocando em pontos como a solidão e a dificuldade de pertencimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoro conhecer gente que gosta de documentários! :D

      Advance Style é fantástico mesmo. E o blog é incrível. Estou me inspirando muito nas senhoras para dar mais personalidade ao meu estilo. Se você gosta de documentários de moda recomendo The Director, que mostra a preparação das coleções e dos concorridos desfiles da grife Gucci na semana de moda de Milão, além da vida da antiga diretora de criação, Frida Giannini.

      Lorena, não vi ainda Mission Blue. Vou adicionar a minha lista. O What happened, Miss Simone? vi semana passada. É mesmo maravilhoso (quando estava desenvolvendo esse texto ele tinha acabado de ficar disponível na Netflix, por isso não entrou na lista)

      Excluir
    2. Gostei da indicação de Mission Blue. O problema desse tipo de documentário é que eles me deixam deprimidas. :(

      Excluir
    3. Elylian, eu acho interessante o mundo da moda, é um universo bem peculiar, por assim dizer (provavelmente o meu interesse surgiu quando assistia America's Next Top Model com a minha irmã hauhauaha). Não sigo absolutamente nada, pelo menos não conscientemente, mas vou colocar The Director na lista também. Ultimamente tenho observado mais o movimento afropunk, já descobri que tem um filme com esse nome, provavelmente um documentário, mas não sei se é mais sobre a cena musical ou se aborda o movimento cultural como um todo.

      Acho que ficou bem claro que gosto de assistir coisas sobre mulheres incríveis XD, tenho uma forte inclinação pra assistir docs sobre o universo musical, educação, movimentos sociais e/ou culturais. Gosto dos científicos também, mas nem tanto, acho que prefiro as palestras desse tema. Na minha lista, além das indicações que peguei no post, tem os de B.B. e Luther King.

      E por falar em palestra, fica a dica, podia ter um post sobre as do TED, por exemplo, vejo que de vez em quando colocam alguma por aqui.

      Andrea, eu acho que Mission Blue, apesar de tudo dá alguma esperança. Tipo, mostra que é possível. Tá certo que é complicado, que depende muito dos políticos, mas é possível. E mesmo que ainda fique deprimida com o que nós (humanos) temos feito do mundo, a gente ainda pode se inspirar na Sylvia <3 e tentar fazer algo pra melhorar.

      Excluir
    4. Assista o documentário Afropunk, é muito bom! (foi pesquisando sobre ele que cheguei a esse site, rs)
      Acabei de assisti-lo e achei muito interessante, foca mais na cena musical mesmo citando as dificuldades e particularidades de ser um negro numa sociedade majoritáriamente branca, porém, à partir do ponto de vista da cena Punk. Recomendo.

      Excluir
  5. (Um off: qual o meu problema com plural, ultimamente? Eu estou escrevendo absurdamente errado esses dias!!!
    /vergonha)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andrea todas os meus comentários vão com erros de português, eu morro de vergonha, mas só comento pelo celular e corretor só me ferra.

      Excluir
  6. Elilyan, eu amo cinema, mas nunca fui num festival e nem sei tanta coisa sobre o mundo da sétima arte. Fico no feijão com arroz que é ver filmes, filmes e mais filmes.
    Aqui no Rio deve ter alguma coisa de festival, vou procurar.

    ResponderExcluir
  7. Elilyan, eu amo cinema, mas nunca fui num festival e nem sei tanta coisa sobre o mundo da sétima arte. Fico no feijão com arroz que é ver filmes, filmes e mais filmes.
    Aqui no Rio deve ter alguma coisa de festival, vou procurar.

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *