CCAnálise CCSociedade

Shailene Woodley: mais uma vítima do problema dos rótulos

13.5.14Dana Martins


No CC estamos no meio do mês LGBT+ que levantou no nosso grupo secreto uma discussão: qual é a validade de rotular? Dizer que é gay, ou queer, ou grifinória, ou feminista. Pra ser bem sincera, eu nunca gostei de me definir com rótulos. Seja para dizer que eu sou uma "fã de mcfly" ou um tributo (eu definitivamente me recuso a fazer parte do jogo, eu não sou um tributo) ou feminista. Esse último então... até dói um pouquinho a cada vez que eu digo. 

E é por isso que eu simpatizo com a afirmação da Shailene Woodley sobre feminismo.

Com essa discussão de LGBT+ eu estava querendo fazer um post para discutir rótulos em si, mas até a Shailene aparecer com mais uma de suas afirmações sensacionais (hahaha) eu não tinha encontrado o caminho certo. Então... qual é o problema dos rótulos?


Mas, moça, essa é a definição de feminismo! Como é que você não é feminista?


Traduzindo o que ela disse, foi "eu não sou X, porque eu concordo com X", o que é idiota. A não ser pelo fato de que não é tão simples assim.

No outro post (Desculpa falar, mas... WTF é LGBTQIAP+?) eu aprendi um pouco que existe uma separação entre a descrição básica de um rótulo (lésbica = garotas que se sentem atraídas por garotas) e o uso desse rótulo socialmente. Me surpreendi ao encontrar várias pessoas falando coisas como "eu fico com garotos e garotas, mas me identifico como hétero" OI?

Mas no mundo real, as coisas são assim.

Então ser feminista (acreditar na igualdade entre homens e mulheres, Shailene*) nem sempre é como as feministas são vistas. Pelo contrário, existe um baita estereótipo. Falou em feminista e já imagino uma mulher fortona que vai sair quebrando tudo, brigando sempre por opiniões extremistas. Desculpa falar, mas eu imagino isso.

*na verdade, feminismo é igualdade entre os gêneros, não só homens e mulheres. 

Foi por isso que eu tomei um susto quando me chamaram para escrever um conto para um livro de ficção científica feminista. Eu fiquei tipo "Mas... é... é justo eu fazer isso? Como eu vou fazer isso?" Sendo que basicamente tudo o que eu escrevo é feminista, porque eu acredito na igualdade entre homens e mulheres e tento passar essa visão na história. 

Depois que eu parei pra aprender o que era feminismo, eu consegui me identificar mais com a causa e até ficar mais confortável em ser chamada de feminista. Porque eu sou. (nesse momento: algo dentro de mim se encolhendo) 

Agora prestem atenção, porque esse é o ponto disso tudo: Rótulos não só definem, eles se transformam em identidade. Só que essa identidade pode virar um estereótipo, ainda mais que a identidade muda mais rápido que o estereótipo.

A Shailene apenas tropeçou em um problema sério do feminismo, o estereótipo. 


O que não deixa de ser completamente idiota. Alguém, por favor, mande para ela a definição de feminismo. E caso ela queira se aprofundar, também tem um livro feminista que eu indico muito. O nome é Divergente. 

-dana martins


Agora se vamos falar do que alguém tem falado por aí, por favor, vamos conversar sobre Emma Stone.






TAGS: , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

16 comentários

  1. Eu não sabia NADA de feminismo até dois ou três anos trás. Daí eu comecei a ter contato com a causa na internet, li sobre debates, concordei com ideias que já eram as minhas, vi a influência do machismo onde não via etc. Daí, pela ideia básica, eu me considerei feminista. Aí tudo bem. Só que fui conversar com umas amigas sobre esse caso da Shailene, e elas me disseram: Não somos feministas também. E eu: Gente???

    Na minha cabeça, feminismo e machismo não são opostos, mas, se a pessoa diz que não é feminista, então ela praticamente está afirmando que é machista, uma vez que a sociedade é machista. Mas elas me mostraram que não.

    Existe a ideia básica do feminismo, que é essa da igualdade. Ok. Existe o estereótipo, que foi comentado no post. Ok. Mas existe também a prática, o feminismo como movimento de protesto, digamos assim. Tipo teoria e prática. É possível concordar com a primeira sem concordar com a segunda (mas não o contrário). Então, há uma possibilidade da Shailene ter dito isso discordando da "parte prática", mas implicitamente concordando com a "parte teórica". Que é o mesmo caso das minhas amigas.

    Tive que concordar com elas. Talvez eu não seja feminista. Eu nem preciso me rotular, na verdade (Talvez eu precisaria se fosse mulher, por ser o lado prejudicado). Mas essa é a minha visão de homem, que não deve dar pitaco no feminismo, só ouvir, que não deve ser o protagonista etc (Que é mais um contraste entre teoria e prática, mais um motivo da minha incerteza quanto ao feminismo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felipe, suas amigas realmente trouxeram uma ideia interessante. O feminismo na prática vs. ideia. Como todos esses assuntos, é algo bem relativista.

      No caso da Shailene, ela realmente não sabe o que é feminismo. Ela literalmente fala "eu não sou isso, porque..." e usa um discurso feminista para explicar. Ela não precisa assumir a identidade feminista, ir para protestos, apoiar organizações, ações e eventos. Mas mesmo que ela não tenha uma identidade feminista, a Shailene tem ações bem feministas (o que é positivo).

      E ninguém precisa ser essa feminista militante. Só tem que tomar muito cuidado para não ficar no "é, concordo com a teoria, não me considero feminista" e não faz absolutamente nada. Ou seja: continua agindo como machista.

      Ninguém, ainda mais mulher, quer dizer "ah, eu sou machista!", falar assim parece um tiro na cabeça. Que tipo de mulher vai dizer "oh, eu sou a favor dos homens"? Mas a maioria das mulheres da minha família são machistas. Do tipo: reclama na rua que o motorista que dirige mal deve ser mulher, não tenta valorizar o que é feminino (tipo, ser emocional. "ah, para de chorar! que bobeira" <- é uma visão machista, que trata a emoção - algo considerado feminino - como algo negativo).

      É um trabalho complicado de começar a se reeducar. É como se a gente tivesse umas regras básicas que nós usamos para avaliar/entender/julgar o mundo e essas regras estivessem alteradas a favor do que é considerado masculino. Eu não conheci uma pessoa ainda que fosse livre do machismo.

      Eu (Dana) não preciso me definir como feminista, mas eu escolhi me definir assim porque é uma forma de apoiar e tornar concreta essa ideia entre as pessoas. É como dar um rosto a essas ideias. Mas ninguém precisa disso para agir como feminista.

      Não é uma questão só de concordar ou não concordar com uma identidade, é de como você age. As suas ações são feministas ou machistas?

      Felipe, agora a coisa mais importante disso tudo e que eu deixei para o final: o feminismo também é para os homens. Não tem essa de não poder dar pitaco. É mais complicado, é claro, pra você saber como é ser mulher, porque você não foi criado ouvindo para cruzar as pernas, com pessoas grudando enfeites nos seus cabelos e se você sair com o cabelo despenteado, não vão tratar como se você tivesse traindo algo muito sério. Mas se você começar a cuidar muito do seu cabelo, vão rir de você. Se você quiser enfeitar o cabelo, vão te tratar como afeminado, que tem um teor negativo. Se você ficar muito quieto e até quiser cruzar as pernas, vão olhar para você com suspeita. Talvez você esteja com algum problema. E mais ainda: você não pode chorar depois de matar alguém sem parecer a criatura mais fraca do planeta (a mulher?). Se eu não conseguir abrir uma tampinha da garrafa, tudo bem. Se você não abrir, talvez seja porque você não é bom o bastante.

      E o machismo ou feminismo aparecem em detalhezinhos idiotas do cotiadiano tipo abrir a tampa da garrafa. Não é uma coisa só de vestir camiseta e levantar placas.

      Excluir
    2. Algumas coisas extras para saber:

      - Existe homem feminista?
      http://www.conversacult.com.br/2014/03/existe-homem-feminista.html

      - Indico a leitura de "O Histórico Feminista de Frankie Landau-banks", um livro que mostra como um garoto e uma garota fazendo exatamente a mesma coisa são percebidos diferente
      http://www.conversacult.com.br/2014/04/analise-o-historico-feminista-de.html

      - Aqui nesse post fica claro como nossa visão pode ser machista
      http://www.conversacult.com.br/2013/09/princesas-da-disney-largam-os-vestidos.html

      Excluir
    3. oi olá boa noite estou entrando nessa conversa pra falar que: mulheres não são machistas. mulheres nem podem ser machistas. mulher machista não existe.

      machismo não é uma crença ou uma ideia, é uma estrutura que oprime. uma estrutura que oprime as mulheres, então ao dizer que uma mulher é machista, a gente culpa a mulher pela violência que ela mesma sofre.

      como toda forma de opressão, o machismo beneficia aqueles que praticam. ele beneficia os homens. ao ter uma atitude considerada machista, uma mulher não vai se beneficiar disso, logo mulheres não podem ser machista.

      o que acontece é que mulheres REPRODUZEM o machismo. porque né, a gente vive em uma sociedade extremamente misogina e é socializado pra naturalizar o machismo. e quem faz essa socialização em uma sociedade patriarcal?? (bala de iogurte pra quem responder)

      mesmo que eu, mulher, defenda o machismo eu não vou estar me beneficiando dele. eu vou continuar sendo oprimida por ele. se você diz que eu sou machista, ce ta dizendo que eu sou culpada pela opressão que eu sofro. acontece que não né. então é. não existe mulher machista.


      minha opinião (que ninguem pediu mas quem liga) sobre homens no feminismo? homem feminista: não. homem aliado: não tem que dar pitaco mesmo. todos os exemplos que a dana deu de como o patriarcado ~~limita a liberdade dos homens~~ (spoiler: o patriarcado vai limitar a liberdade de expressão/performace de gênero de todo mundo) são frutos da misoginia. o homem que cuida do cabelo, chora, etc vai ser atingido com estilhaços de misoginia porque essas são características consideradas tradicionalmente femininas e, portanto, inferiores. (sem falar que né, tadinho dom homem cis que sofrem com o machismo. mas pera, quem pratica machismo contra eles? eles mesmos! precisam do feminismo? nah. precisam deixar de ser um bando de otarios? sim.)

      a presença de homens cis no feminismo 90% das vezes é inclusive nociva. ta preocupado com a opressão patriarcal? repudie a transmisoginia e a lesbofobia nos espaços que você frequenta. problematize questões de gênero nesses lugares. faça coro à voz de mulheres e de pessoas trans nesses lugares. use o seu privilégio para levar a voz das vítimas de misofinia e transmisoginia em locais de acesso negado a essas pessoas. ouça as mina <3.

      Excluir
    4. eu não sei se concordo dessa vez, mas acho que é mais uma questão da gente considerar certos termos de forma diferente. qual é a sua definição de machismo?

      Excluir
    5. machismo é uma estrutura baseada na ideia de que mulheres são inferiores aos homens. (que é diferente de misoginia, que é o ódio a mulheres e tudo que é considerado feminino).

      Excluir
    6. Acho que eu não sei definir a minha opinião com palavras, embora eu sinta uma diferença entre a ideia básica do feminismo (igualdade para todos os gêneros) e o feminismo na prática. Eu não estava falando de ser militante ou não.

      Li, reli e comprovei com comentários alheios que homem não deve dar pitaco no feminismo, que é um movimento das mulheres, é a vez delas, a voz que precisa ser ouvida etc etc, mas PRECISO dar essa opinião para tentar me justificar por, talvez, não poder dizer que sou feminista. Nada contra quem é, até tenho amigos que são (rs), não quero que pare, nada disso.

      Eu acredito na ideia de igualdade para todos os gêneros. Ok. Mas eu acho que essa é a fonte. Bebendo dessa água, você pode desencadear vários movimentos, focando em cada gênero e/ou situações específicas de desigualdade. Vejo o feminismo como um deles. Eu só acho que o feminismo não é a cura da desigualdade. Não acho que vá resolver. Acho que, no final, alguma coisa vai dar errado. O feminismo pode transformar a sociedade, mas não sei se essa sociedade transformada vai ser melhor do que a que a gente tem agora.

      Porque o feminismo é sobre a mulher, é para as mulheres, o tempo todo joga com essa (falsa) dicotomia homem x mulher, tem todo um sentimento reprimido (não injustamente). E rola essa coisa de "é a vez da mulher, vocês, homens, já falam demais", daí as mulheres se unem e tal, sendo que poderiam fazer mais coisas se englobassem todo mundo. Eu acho que daria mais certo uma luta, de fato, pela igualdade ao invés de uma luta pelo empoderamento da mulher.

      Como você também disse, Dana, eu sei que o machismo afeta todos os gêneros (Como a Priscilla bem colocou), é nocivo, é patético, beneficia/prejudica mais uns do que outros. E digo isso no âmbito individual. Não é como se eu, Felipe, tivesse inventado o machismo ou torça pra que ele dure eternamente.

      Quando a Priscilla diz "sem falar que né, tadinho do homem cis que sofrem com o machismo. mas pera, quem pratica machismo contra eles? eles mesmos! precisam do feminismo? nah" fica claro que o feminismo não é mesmo pra todo mundo.

      ISSO TUDO só pra justificar minha hesitação quanto ao feminismo. Quero a igualdade SIM, mas, talvez, por outras vias.

      Excluir
    7. Felipe, eu não concordo com essa visão da Priscilla sobre o feminismo. Se está excluindo o homem de algum modo, eu não concordo. Na verdade, eu não concordo com qualquer tipo de ódio ou exclusão. Infelizmente, nem todas as feministas pensam assim, mas muitas pensam.

      O importante mesmo é pensar, que é o que você tá fazendo. Os rótulos são importantes, mas não podemos deixar eles nos limitarem. O que você quer em essência? Eu quero a igualdade. Eu quero poder ver um homem chorar no cinema sem gritarem gay, eu quero que as garotas saibam que elas podem, sim, dominar uma empresa. Eu quero que uma pessoa, quando tomar uma decisão, seja porque ela quis isso, não porque ela é homem ou é mulher. E por enquanto, a maioria das ideias intituladas feministas estão me levando nesse caminho. Foi isso que fez você buscar sobre o caso. Outro dia eu vi pessoas discutindo sobre a liberdade do próprio corpo e isso é totalmente um discurso feminista que há pouco tempo não existia. É isso que motivou a existência desse post. É isso que está fazendo várias pessoas aprenderem sobre igualdade. O nome feminismo me deu algo concreto, algo que eu posso pesquisar no google quando eu quiser aprender sobre igualdade, algo com o que eu posso trabalhar, um caminho para a liberdade. Mas o feminismo é a liberdade em si?

      Minha única preocupação é de você ver um texto no futuro relacionado a feminismo e já abandonar, achando que é algo contra homens ou sei lá. Talvez seja, mas é bem mais provável que seja algo pró-igualdade.

      E uma coisa mais importante: não seja escravo do feminismo. O feminismo não é algo ao qual você deve se submeter. O feminismo é o que você fizer dele. A sua palavra é tão importante quanto a de qualquer outra pessoa, então se você assumir o feminismo e falar que ele é a igualdade, ele vai ser. Eu acho até que você está sendo um pouco femista nesse caso - valorizando a opinião das mulheres sobre o assunto mais do que a sua. Seja um pouco mais feminista e acredite na sua opinião a favor da igualdade, independente de ser homem ou mulher (ou se intitular feminista).

      Excluir
    8. (e eu escrevi muito mais, então provavelmente vai rolar um post no futuro)

      Excluir
  2. "vamos conversar sobre Emma Stone." SUGESTÃO PRO CC: essa frase devia estar em todo post. (essa frase devia estar em toda esquina da vida, também. ces fazem isso ou?)

    "E aqui ela ainda lembra que os chineses não falam japonês" gente?

    ok vou falar de feminismo. as pessoas costumam tratar feminismo como se fosse um movimento homogêneo, e isso não é verdade. existe a primeira onda, a segunda e a terceira. existe o feminismo radical, o feminismo liberal, o transfeminismo, o feminismo negro, o anarcofeminismo, o feminismo lésbico, o feminismo intersecional... feminismo não é uma coisa só. mas todos esses movimentos fazem parte do movimento feminista porque feminismo é o conjunto de movimentos que tem como comum acabar com a desigualdade de gênero.

    "Então ser feminista (acreditar na igualdade entre homens e mulheres, Shailene)" gêneros não binários existem. toda vez que se fala entre igualdade entre homens e mulheres as pessoas n-b sofrem com o apagamento. e isso é errado por vários motivos, mas principalmente feminismo também é para elas. feminismo é para as vitimas de misoginia e transmisoginia. a ideia de igualdade-entre-homens-e-mulheres é binarista.

    "Desculpa falar, mas eu imagino isso." e não é por acaso! recomendo MUITO esse video, que fala sobre isso e tem legendas em portugues https://www.youtube.com/watch?v=tnJxqRLg9x0. (sério, esse video é muito importante).

    também recomendo esse video aqui https://www.youtube.com/watch?v=mxZtsTsLxes que não tem legenda, então se alguém quiser eu posso traduzir porque é muito bacana. ele fala sobre vários equívocos que são muito comuns quando o assunto é feminismo. (e a Shailene podia assistir o numero 7) (inclusive a ideia de que feministas odeiam homens é citada no número dois e a única coisa que eu tenho para adicionar ao que foi dito no video é: algumas feministas odeiam homens sim. e geralmente essas feministas foram vítimas de estupro. então toda vez que reclamam sobre as feministas odiadoras de homens, estão deslegitimando a reação de vítimas de abuso. parem, ta feio já. tudo bem odiar o grupo que te oprime. ta permitido).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou te sequestrar, colocar em cativeiro e te obrigar a escrever posts para o CC.

      Esse negócio dos gêneros não binários eu ia até comentar no meu outro comentário (acima). Acho que essa minha definição falha saiu porque eu tava respondendo a Shailene que achava que feminismo era mulheres tirando o poder dos homens? Mas acrescentei um * no post e vou evitar de usar isso no futuro.

      Excluir
  3. Gente eu ainda to jogado com a "visão sobre feminismo de feministas" "visão sobre feminismo de pessoas de fora"

    ResponderExcluir
  4. Me pergunto onde estavam as feministas qdo o Titanic afundou pra gritar "Parem com essa de mulheres e crianças na frente! Direitos (e deveres) iguais!" Ir pra guerra tb, ng quer. Lutar pelo fim da pensão alimentícia e guarda partilhada menos. Feminismo: Igualdade ou conveniência?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ué? Esses questionamentos sobre Titanic e guerra já estão muito ultrapassados, não acha?
      Tudo isso é fruto do machismo.
      Você está um pouco desinformada, para a Constituição Brasileira não há diferença entre homens e mulheres quando o assunto é pensão.

      Excluir
    2. E mais: talvez elas estivessem lá, talvez elas tivessem questionando. Talvez o filme é que seja machista e apenas perpetua essa visão. Aliás, essa visão de que "mulheres e crianças" na frente é ruim mesmo, porque trata principalmente as mulheres como pessoas incapazes e "itens preciosos" que precisam ser guardados. Deveria ser algo tipo "fila preferencial" primeiro. E sobre ir pra guerra: pelo contrário, existe um monte de luta para as mulheres serem aceitas nos exércitos. Inclusive, elas não só vão pra guerra, como foram. E o feminismo também busca criar forma de lembrar a participação apagada delas.

      Mas o Caike respondeu bem e eu nem precisava ter argumentado. Acho que esse tipo de dúvida vem quando a gente ainda não entende direito o que é feminismo, por isso mesmo a gente precisa de mais feminismo

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM