Amandla Stenberg CCFilmes

[Resenha] Mentes Sombrias, o filme

16.8.18Dana Martins


A Intrínseca convidou a gente para pré-estreia do filme Mentes Sombrias, inspirado no livro de mesmo nome, da auotra Alexandra Bracken. Eu não li o livro, mas eu sabia que o filme era protagonizado pela Amandla Stenberg e sobre... bem, um bando de jovens com superpoderes tendo que fugir. Eu preciso de algo além disso pra querer assistir?

Logo que o filme começou, veio uma paz e felicidade - eu adoro esse estilo de filme. Fazia tempo que eu não assistia algo meio YA meio distópico. E, dessa vez, eu não tinha lido o livro, então não ia nem ficar comparando e ver que podia ser melhor. Mais até do que isso, depois de já ter lido 9238239823 livros distópicos com jovens vivendo aventuras, eu ia poder me divertir com mais uma história sem ter que ler todo aquele drama outra vez!


Bem, não foi exatamente como eu imaginava.

Mentes Sombrias conta a história de Ruby, uma garota que é resgatada de um campo de concentração em mundo onde todos os jovens têm superpoderes e são levados para serem curados pelo governo. Ela precisa sobreviver, lidar com o próprios poderes e decidir em quem confiar em mundo que todo mundo quer tirar vantagem de quem ela é. Ainda mais que Ruby tem um segredo: ela é uma laranja. Um dos tipos mais raros e perigosos!

Se você gosta desse tipo de história, é uma boa opção pra assistir naquele dia na cama que você quer ver algo legal pra passar o tempo. Se você não assistiu filmes como Jogos Vorazes, Divergente, Correr ou Morrer e Eu sou o Número Quatro fica melhor ainda, porque vai soar como novidade. Agora de resto, eu não consigo defender muito o filme.


Eu fui pra assistir algo tranquilo e de boa, sem me preocupar. Fiquei animada com o início que mostra a atriz Mandy Moore (feliz de vê-la em um filme!) e a protagonista escapando de uma prisão, parecia legal. Mas o resto... o filme parece meio bagunçado, e dá a sensação de que eu tô folheando as páginas do livro pra saber a história rapidinho. O ínicio parece A Menina que Tinha Dons, um livro/filme que faz a parte sombria e assustadora dos jovens de fato mais sombria. Aí o meio parece Zumbilândia, quando Ruby e um trio de jovens fugitivos viajam pelas cidades abandonadas depois da crise econômica causada pela falta de jovens. No fim, parece uma versão de Correr ou Morrer como aquelas séries da tv do Disney Channel.

Pior que o filme é bonito, os atores são legais e o tema tinha muito potencial, principalmente o poder da protagonista, mas não ficou bom. O casalzinho principal super forçado, literalmente forçado do tipo VAMOS FAZER UM CAIR SOBRE O OUTRO. OOOPS. Gente, nem fanfic é assim. E metade das conversas entre eles o garoto tá sendo agressivo com ela. E os outros dois? Tem a garotinha que eu não lembro o nome, que não tem nem fala e é basicamente abandonada. O outro garoto - é a única coisa que dá pra suportar. Não sei se é porque o ator é melhor ou eles não estão preocupados em forçar um romance, mas as cenas ente ele e a protagonista são genuínas e eu gosto como o filme usa ele, em vez do interesse romântico, como motivação pra ela fazer as coisas.

E todo o discurso de oprimido da história? Desceu muito mal e muito falso. Parece gente privilegiada brincando de ser marginalizado. Se a protagonista não fosse negra, seria um horror.

No geral, a sensação é de que tem uma história boa por trás - algo que quase pode ser bom, talvez até muito bom, mas o filme não consegue ser. Eu imagino que o livro Mentes Sombrias seja essa história.



Nota:

Ia ser 3, mas a Amandla faz valer mais

Ficha técnica:

Ano: 2018

Direção: Jennifer Yuh Nelson

Roteiro: Alexandra Bracken, Chad Rodge

Duração: 115 minutos (1 hora e 55 minutos)

Classificação: 14

Estreia 16 de agosto, nos cinemas

TAGS: , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM