CCdiscussão CCSociedade

Ross é um personagem (extremamente) problemático

4.4.18João Paulo Albuquerque


Em Janeiro eu comecei a ver Friends na íntegra, finalmente depois de tantos anos com o box completo acumulando poeira no meu quarto, e já tinha um tempo que eu tinha lido uns textos (1, 2, 3) sobre o Ross ser problemático e sinceramente? Eu já fiquei com o pé atrás em relação à ele. O que só se confirmou ser o melhor feito meu em relação à série. E eu te peço do fundo do meu coração: se você gosta dele e vai proteger ele sem antes ler esse texto de mente aberta e notar que apesar do seu amor por ele, ele tá cheio de falhas e coisas que poderia ter feito melhor, então vai pra outro lugar, fazer outra coisa, quem sabe pular de paraquedas, comer sorvete, ver filmes... Só não ataca antes de tentar entender. Dado o pedido, VAMO NESSA!

Minha jornada começa na primeira temporada, onde eu tenho os pontos marcantes pra mim que serão os citados (mas óbvio que teve mais).

- Acho que um dos pontos que mais me incomodaram foi o modo como ele trata a Susan (não que mude depois da primeira, mas vamos focar nessa, né?), no caso a esposa da ex-esposa dele. Comentários lesbofóbicos (isso durante não só a primeira, mas outras temporadas) sendo eles intencionais e com o objetivo de ferir, patadas em forma de "piada", grosseria e insensibilidade. E assim, não importa como ele se sentia da esposa ter decidido seguir em frente e se aceitar, nada no mundo dava o direito dele tratar a Susan como a tratava. Além de uma vez ter dito pra Carol "deixar de lado" o fato de ser lésbica pra voltar pra ele... achei que quando você amasse alguém, mesmo que seja doloroso deixar ir, você fica feliz pela pessoa estar feliz, deseja que ela fique feliz...

- Modo como ele ficava quando alguém chamava a Rachel pra sair. Isso me fez revirar os olhos demais na primeira temporada. No início ele pergunta se poderia um dia chamar ela pra sair, ela diz que sim e ele não chama (tudo bem que teve um bando de loucura que impediu, mas e o tempo que nada impedia?), daí quando alguém chamava ele ficava se queixando, ficando de ciúmes e às vezes fazia algo babaca, seja um comentário desnecessário ou piada. E ainda banca de melhor amigo dela nos momentos de "baixa resistência" pra se aproximar mais dela e reclama quando fica na "friendzone", cujo já falei aqui em um post que não existe.

- Modo como ele tratou a Rachel lá pelos seis episódios finais (não lembro precisamente qual) em que o Marcel, o macaco, foge. Ele estava chateado? Beleza, mas não deveria tratar ela como tratou. Briga com ela porque afinal, ELE ficou com um macaco ILEGAL e ainda diz "que ela não tem cuidado com as emoções dos outros" como se ela tivesse que ter cuidado com algo que sequer sabe.

Oficializado verbalmente na quarta temporada.

Segunda temporada

- A insistência dele com a Phoebe, do fato dela supor que talvez a evolução não fosse real e ele simplesmente ficar todo paranóico tentando provar pra ela o que ele crer e que era assim que era. Tanto que amei como ela desarmou ele, mostrando que na ciência nada é uma certeza então ele não tinha que vir com tudo aquilo pra ela.

- O modo como ele tratou a Rachel no episódio 6, Aquele em que Ross Descobre, quase gritando com ela sobre como ela "não tinha direito de contar pra ele sobre como se sentia", AH POR FAVOR, NÉ! E ainda traiu a Julie beijando a Rachel, pra no episódio seguinte fazer uma lista de contras sobre se relacionar com a Rachel. Ele tem: avoada, mimada, se preocupa demais com a aparência (cof cof a qual ele constantemente admira cof cof) e "é só uma garçonete". E depois da cagada feita, ela ve e fica brava com ele, mas ao invés de dar o espaço dela, fica insistindo, mesmo ela tendo deixado explicitamente que não queria falar com ele, olhar pra ele. E ele ainda tem a audácia de tentar jogar a culpa nela falando que "não importa o que ela colocasse, se fosse ao contrário, nada faria ele não ficar com ela" e ela dá a melhor resposta que alguém poderia dar: "essa é a diferença entre eu e você, eu não faria uma lista". E ele ficou bravo com ela quando ela decidiu seguir em frente e ver outros caras (alô Sentido, cadê você, querido?).

- Quando ele anota o número do Casey, no episódio do Vídeo de Formatura e esconde o número porque né, é um cara que quer sair com a Rachel. E pra melhorar a situação ele, no Central Perk, ele monta toda uma ceninha pra mandar o cara pra longe da Rachel e ainda diz que estava salvando ela e insiste deles ficarem juntos, mesmo a Rachel falando MILHÕES de vezes que não.

Eu amo uma rainha e o nome dela é Phoebe

Terceira temporada

- Quem não lembra do trabalho que a Rachel consegue com a ajuda do Mark? Alguém que não ficou contente foi o Ross. Na verdade, a primeira observação dele já foi pisando na merda: o cara só podia estar ajudando ela por querer dormir com ela. E ela responde que mesmo que fosse, nada mudava o fato dela ser namorada dele. Mas isso impediu dele querer marcar território e agir como se ela fosse um objeto? Não. Ele ficou enviando um bando de coisas para o trabalho dela e você pode achar que ela tenha sido ingrata por não gostar e achar aquilo humilhante, mas é difícil construir uma carreira e ter seu namorado enviando um bando de coisa claramente por ciúmes e tentando provar algo não é legal, bem como não é saudável. E mesmo quando eles finalmente conversam sobre aquilo, o Ross assume que "(pelos amigos, Mark, trabalho sem querer misturar com ele) ele sente como se ela tivesse escapando" dele...??

- Em outro episódio, o que por sinal me incomodou horrores, é de quando é a comemoração de aniversário deles e ela liga avisando que NÃO era para ele aparecer, pois não dava para ela dar atenção a ele, ela estava com prazo apertado e tinha que resolver as coisas. Ele fala que "okay", mas aparece lá (oi respeito, queria saber se você ainda existe?) e ainda acaba botando fogo numa flor, fazendo Rachel ficar brava. Com razão? Sim, muita. E na briga ele solta que ele não entende porque ela está tão nervosa porque "é só um trabalho" o que resulta numa decepção e ela manda ele sair dali que eles resolveriam aquilo na casa dela e Mônica. Nisso tudo onde chegamos? Exato. A treta do break vs. break up.

Antes da gente prosseguir eu vou analisar algo aqui: em inglês, se separar de alguém, terminar o relacionamento, é break up. Break (sem o up) é dar um tempo, um tempo, um espaço pra pensar, mas sem liberdade (caso a relação seja monogâmica) de se relacionar com outras pessoas.

Esclarecendo: Ross fica com a Chloe. Ele trai Rachel. E no dia seguinte ele ouve a mensagem que ela quer reconciliar e esconde a menina porque não deu tempo dela ir antes da Rachel chegar. E claro, ele tenta impedir de alguém contar pra Rachel dele ter se relacionado com outra garota durante o tempo deles. Ou seja: ele sabe que o que ele fez foi cagada. E pior, nos próximos episódios, repetidamente (até quando rola uma situação com o Chandler - na quarta temporada - da namorada trair ele) fica falando que estavam "on a break" como se isso justificasse, pois não justifica. Arcasse com as consequências dos atos dele.

E pra finalizar, ele joga a culpa na Rachel após uma longa discussão sobre a traição, falando que afinal, foi ela quem pediu o tempo. E assim: ELA NÃO É CULPADA DELE TER TRAÍDO ELA, QUEM TRAIU FOI ELE!

- E pra terminar com a terceira: teve o lance de "reunir com os amigos só poder ser através de quem pedir primeiro" e após a Rachel conseguir um fim de semana com o pessoal, já que o Ross marcou outro dia, ele fica super irritado e descontando em todo mundo e achando super injusto dos amigos toparem ficar o fim de semana com a Rach. Não é injusto o fato de ela ter convidado primeiro e o pessoal topar, qualé, ele não estava mais no Fundamental.

Chandler descrevendo minha situação vendo Ross falando essa frase a cada cinquenta segundos

Quarta temporada

- Quando Ross e Rachel finalmente vão se ajeitar, ela entrega uma carta para ele ler e se ele concordar com aquilo, eles podem voltar. Ele termina de ler? Não. Ele é honesto quando ela pergunta sobre o que ele achou? Não, ao contrário disso ele mente dizendo que leu duas vezes e quando ela pergunta se ele concorda, ele concorda. E quando finalmente lê, ele fica todo revoltadinho e super puto, achando que ela está errada de jogar a culpa do relacionamento deles ter chegado ao fim nele... o que ela não tá errada, já que foi pelo ciúmes dele, obsessão, possessividade, traição e falta de espaço que os separou.

- A babaquice com a Phoebe ataca de novo, quando ela crê que um gato é a encarnação da mãe dela. E ele fica todo bravo e tentando fazer ela parar de crer naquilo. No fim ela dá um check-mate nele, tirando toda a razão dele (que já não tinha, já que né, não vai ajudar, fica quieto). O problema é que ele sempre acha que está certo e eu tenho vários argumentos, mas é só olhar pra tudo que eu to apontando aqui e a Phoebe é alguém que sofre vários ataques tipo Guerra Fria dele.

- No episódio 5, ele acaba entendendo tudo errado com aquela mãe solo que ele conheceu e acaba ficando de babá. O que ele faz? Lida bem com isso e segue a vida? Não, faz ligação interubana como vingança.

- Ele ficando bravo (sem a menor razão) por Rach trocar o presente que ele deu para ela. Acontece que quando você dá o presente para aquela pessoa, ela tem o direito de fazer o que bem entender, seja trocar por algo que goste, seja dar para outra pessoa, seja vender...

- Acho que a cereja para a quarta temporada foi ele, na cerimônia do casamento, dizer Rachel ao invés de Emily.


Quinta temporada

- Ele fica descrente e até bravo de Emily não aparecer no avião, como se ela não tivesse razão de ficar brava com ele (que falou o nome de outra no altar). E ele oferece uma das passagens de Lua de Mel para a Rachel e claro que dá tudo errado e Emily, que ia tentar perdoar ele, chega e vê. E algum episódio depois confunde o nome de Emily por Rachel novamente, falando com Monica e Chandler.

- Foi o Ross quem inventou o apelido (escroto) para o amigo, senhor Toquinho, apelido esse que pegou na escola deles.

- Na época ele sequer defendeu a irmã da fala imbecil do Chandler (e antes que alguém fale algo: falar "Chandler..." e mais nada não é dar sermão). E ele não se opunha a ser o favorito dos pais, isso só começou na idade adulta e na verdade, nem tanto, já que ele não enfrenta os pais sobre essa questão e continua sendo o favorito dos mesmos, ele só tenta às vezes focar a luz que os pais colocam nele na Monica (o que obviamente não funciona). Seria importante dele conversar com os pais sobre isso. O bom é que ele finalmente conversa com o pai na sétima temporada, episódio 13, mas estraga de novo (explico na parte da sétima temporada).

- Ele vive zombando da Monica sobre o peso dela de adolescente.

- Quando ele foi morar com Joey e Chandler ele esqueceu o bom-senso e educação na casa antiga. Porque veja bem: ele estava morando temporariamente com os amigos, sem pagar o aluguel, então ele estava ali de favor, o que devia dar pra ele o senso de que por ser o apartamento do Joey e Chandler, ele teria que se adequar ao barulho do local, às coisas dos amigos, não eles à dele. Ele tinha que trabalhar? Podia pedir para os amigos se podia ir para um dos quartos para não atrapalhar ou comprar um headfone, não ficar impedindo e chamando a atenção dos amigos por jogar um pouco, por bater na coxa fazendo um música... Claro que isso é uma opinião pessoal demais, já que é minha visão de bom-senso e educação.

- Ele contou as vezes que ele e Rachel transaram, especificamente 298 vezes. É bem estranho isso.

- E apesar de eu entender o negócio de "acabei de me mudar, sequer conheço o cara", ele nem parou para pensar que o senhor que ia se aposentar tinha 25 anos de trabalho ali, o que aquele homem não devia ter feito pelo apartamento que ele tinha acabado de se mudar? Certeza que deve ter feito muita coisa.

Não é dessa temporada, mas serve muito para o que queria dizer: "No episódio TOW Rachel Quits eu achei realmente horrível o Ross empurrar os cookies para a Monica. Ela obviamente havia passado por muito para perder o peso e ainda é um ponto sensível para ela. E ainda sim ele usa isso contra ela mesmo ela estando claramente desconfortável."

Sexta temporada

- Ele pede um "favor" para a Rachel: continuar casado com ela, porque ele não pode ser o cara com três divórcios. Egoísta? Orras... E ainda mente para ela no fim do primeiro episódio, falando que vai pedir a anulação, mas adivinha? Não faz isso e fica enrolando pelos próximos episódios.

- Ele usa a irmã e o melhor amigo como meio de conseguir que a Rachel se mude pra casa dele e quando percebe que é uma ideia ruim, tenta fazer com que a irmã e o melhor amigo não mudem pra mesma casa.

- Por culpa dele que o Chandler ganhou o ódio dos pais dele. Era só ele ter contado para os pais que era ele quem estava fumando maconha e que havia queimado os álbuns do pai, mas não, ele jogou a culpa no amigo... Que exemplo de amizade.

- Ele não conta pra Rachel que ela fez a receita de Thanksgiving errada após ela ter falado dele estar sozinho naquela data e achar não ser uma boa ideia eles voltarem a namorar (ela acaba interpretando errado o começo do diálogo dele).

- Ele saiu com a irmã da ex. A Monica já disse tudo dizendo que é estranho. (existe um limite que não deve se ultrapassar principalmente quando sua ex é também uma das suas atuais melhores amigas e vocês tem todo um histórico, principalmente de ex-casados)

- Quando estão falando de "imagine se eu não tivesse..." logo no início do episódio O Que Poderia ter Sido e Monica diz que se ela tivesse ainda gorda ela tinha certeza que o Chandler não namoraria ela e ele diz "Claro que namoraria. Vocês acham que eu sou tão superficial assim?" e o Ross responde: "Não, eu to pensando que a Monica era muito gorda". O que comprova o que eu disse lá em cima sobre ele usar o peso dela como piada.

- Ele passa um episódio inteiro tentando provar que Rachel e Phoebe estão erradas, se esgueirando tentando assustar elas, atacar elas de surpresa.

- Ele muda as notas que dá porque um outro professor diz que ele "foi muito generoso nesse semestre". Sério... não faz sentido.

- Ele fala que Elizabeth "não pode ir" na semana do saco-cheio - sendo que na verdade não era nem para ele estar se relacionando com a garota por ser contra o regulamento - e como Phoebe chama a atenção dele falando que ele não pode fazer isso, ele decide que o melhor a ser feito é (per)seguir a garota até a Flórida, antes disso ele esconde um biquini que ele não aprova por ser pequeno.


Sétima temporada

- Ele é tão cheio de si (e se acha tão dono da Razão) que antes mesmo de completar 6 minutos no jogo dos Estados ele já "tinha terminado" e ficou cantando vitória e esnobando os amigos. "Não consigo entender como que um grupo de adultos bem educados e Joey não sabem os estados", palavras dele.

- Depois de tentar fazer o pai dar um jeito de se redimir com a Monica por estragar tudo, o pai decide dar o porshe pra ela e o Ross fica bravo e esbraveja numa das típicas cenas de acesso de gritos raivosos dele (alguns exemplos em vídeo abaixo).


Oitava temporada

- O modo como ele grita com a primeira criança que pede para dançar com ele e como trata a terceira que era gorda após o casamento da Monica e Chandler.

- Ele informa a Rachel que eles vão se casar, sequer pergunta se é o que ela gostaria. E ela, com razão, questiona e não gosta de ideia. Então ele fala que é o certo a ser feito e que ela não conseguiria fazer isso sozinha (criar a criança). Não vou falar em quantos níveis isso está errado, podem adivinhar.

- No tempo de colegial ele co-fundou o grupo "Eu Odeio Rachel Green" e espalhou o rumor de que ela era intersexo. Ele tenta se justificar para a Rachel falando que aquilo (o grupo) tinha acontecido porque ele gostava dela, como se isso fosse uma justificativa válida (como se alguém não te corresponder te dá o direito de falar mal dessa pessoa e criar um grupo de ódio).

- Ele enrolou para contar para a Mona sobre a gravidez da Rachel (assim como dela ter mudado para o apê dele) e todos sabemos como isso terminou. Claro que esse é outro ponto bem pessoal, mas acho que se algo tão importante como essas coisas aconteceu, o mínimo que você tem que fazer é ser honesto e direto com essa pessoa, sem enrolação, sem joguinho.

- O modo como ele reagiu sabendo que o Joey gostava da Rachel. Se tem anos que você e sua ex não tem nada no quesito de sentimento romântico (como Ross tanto fez questão de justificar durante várias vezes na série) e apesar dos eventos (como Rachel estar grávida dele), ela não queria estar com ele, então ele não tinha que reagir daquela maneira. Isso tudo porque ele nem sequer havia terminado de escutar tudo que o Joey ia dizer, o cara nem ia insistir nisso já que ele estava focando no fato de Ross e Rachel terem um passado. (claro que tudo muda depois por causa da Monica, caso contrário Ross ficaria bravo e sem olhar na cara do Joey por algo que ele não podia controlar)

- Ele invadiu a casa da Mona.


Nona temporada

- Ele fica bravo e agindo como um babaca com o Joey por ele ter, acidentalmente, pedido Rachel em casamento e ela ter aceitado.

- Ele grita com uma criança no pediatra (um desses acessos de raiva mencionados e exemplificados acima).

- Ele deixou Phoebe bem chateada e chorando antes de um encontro por tocar em um assunto de forma tão indelicada e ainda espalhou para outros 4 Mikes que ela nunca tinha se relacionado sério. E falou para o Mike dela também, então percebeu a idiotice (ele mesmo se chamou de idiota) e corrigiu inventando um relacionamento.

- Após ele dizer que a mãe dele é ótima com crianças a Rachel responde "Ela é? E a Monica?" e ele: "Você só ouvir o lado dela! Aquela gorda terrível!" ~entonação de raiva e voz elevando.

- Zombou do Rachel por estar preocupada com a filha deles após serem trancados para fora do apartamento por uma cagada dele no episódio de jantar de aniversário da Phoebe.

- "Então você é tipo... um cara que é babá? Que tipo de trabalho é esse para homem- babá? É como se uma mulher quisesse ser..." (além de que ele acha que o cara se é babá ao menos não pode ser hétero e que ele é muito sensível por fazer 'biscoitos franceses delicados' e tocar flauta e chorar)

- Ele não entrega para a Rachel a mensagem do Bill do bar.

- Ele fica bravo cuidando do próprio bebê porque viu Rachel beijando Gavin.

- Ele esnoba os amigos e fica falando que eles não vão conseguir ganhar na loteria, mas topa participar porque Monica se oferece para pagar.


Décima temporada

- O negativismo (hilário, por sinal) porque ele carregou milhares de xampus e condicionadores na mochila da viagem e eles estouraram.

- Ao invés de deixar para outro momento e ir tomar banho com a namorada, o Ross colocou B de nota para vários alunos sem nem olhar só para correr para o banheiro com Charlie.

- Ele apoia o pé na maca do pai da Rachel (cujo acabou de sofrer um ataque cardíaco)

- Ele tem mais ataques de ciúmes por causa do Mark (e claro que fica falando que o cara só quer levar a Rachel pra cama...)

- Ele pede para ela não ir para Paris. "Por que isso seria um problema?", vocês devem estar se perguntando. A resposta é até simples, na verdade: Ele sabia o quão feliz ela estava com aquilo, essa nova oportunidade e realização de algo que ela vinha batalhando e construindo desde que fugira do casamento lá no início de tudo. Não que eu seja contra ele falar de como se sente, na verdade, eu acho que se fosse um "Eu só quero te dizer que eu te amo e que quando você chegar em Paris a gente conversa, eu te encontro lá" ou coisa do tipo beleza, porque de qualquer modo eles iriam continuar se encontrando pela Emma, não precisava fazer as coisas como um check-mate, de escolha entre o emprego dela e ficar em NY por ele.

Tudo isso porque os xampus estouraram dentro da mochila... ODKSODKSODK ~mas não é novidade, já que esses exageros do Ross acontecem de cinco em cinco segundos

Conclusão:

Eu sei o que você deve ter pensado nisso tudo (principalmente se ele é seu favorito): "O que esse cara tá fazendo desenterrando e falando de um personagem de quase duas décadas atrás?". Na real? Não to aqui para te fazer odiar ele como eu odeio, nem que você não goste dele, pra mim isso não importa, mas o que importa é reconhecer que ele é problemático. Porque é o que ele é. Ele é homofóbico, machista, transfóbico, gordofóbico, tóxico e negativo. E reconhecer isso é de extrema importância, seja de quase duas décadas atrás ou agora.

Porque "quase duas décadas atrás" não é tanto tempo assim. A série iniciou em 1994 e terminou dez anos depois, em 2004 e FRIENDS é uma série problemática (mas que também tratou sobre muitos temas importantes), com seus personagens não tão desconstruídos assim (o que não foge da realidade daquele período), então não dá pra falar que eles não são o que as minorias costumam falar que eles são, porque são sim. O problema é que Ross se destaca pelo ciúmes obssessivo dele, pela possessividade e comportamento tóxico: o cara é muito negativo, arrogante, mentiroso, vitimista e não existe pessoa que mais julgue alguém que ele. E isso é o combo máximo de "parabéns, você conseguiu um relacionamento tóxico!". Essas coisas se juntam nisso de "friendzone" e "coitado de mim, eu sou um cara tão bom, por que ela não fica comigo?". Então não é porque as pessoas acham que "tem muito tempo" que não seja problemático ou que não descreva o que ainda ocorre nos nossos dias.

Você gostar dele ou não, não te torna melhor nem pior que ninguém, até porque infelizmente a gente não controla por quem gosta ou deixa de gostar, mas é importante reconhecer os problemas e ver como poderia melhorar, isso não vale só pra vida (com seus famosos favoritos e pessoas diárias) como séries, livros, etc.

Só assim as coisas vão pra frente.



TAGS: , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

1 comentários

  1. eu sempre achei o Ross irritante, sempre tendo aqueles ataques de raiva. fiquei ate cansada de assistir friends por conta desse personagem. Se ele fosse um personagem que evoluísse junto com a série, que crescesse como pessoa durante a série não teriamos o que reclmar, mas ele continua o mesmo durante as 10 TEMPORADAS!!Enquanto os outros personagens mudam com o tempo, ele continua o mesmo

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM