Ana Luíza Albacete Ariel Carvalho

INTENSIVÃO DO OSCAR: Melhor Filme (parte 2)

4.3.18Conversa Cult


AAAAAAH, ACABOU! Hoje é o ápice da "award season" (pros aficcionados em cinema), a entrega do Oscar. No Brasil, o canal E! vai transmitir o tapete vermelho a partir das 19h e o TNT vai transmitir a premiação a partir das 22h (horário de Brasília, os dois). E vamos estar no twitter também, a partir das 19h, acompanhando tudo e todos, vendo os memes e comemorando (ou chorando) os resultados. Caso você ainda não saiba, o nosso user lá na melhor rede social é @conversacult.

Antes de ficarmos órfãos e termos que esperar até dezembro pra começar a fazer bolão, torcer pra sua atriz preferida, falamos aqui sobre a segunda leva dos indicados a Melhor Filme. Vem!


Lady Bird: A Hora de Voar



Ana: Lady Bird é o melhor filme da época. Sim! Conta a clássica história de uma adolescente americana com todos seus White People Problems, mas é tão fácil você se identificar com Lady Bird. Sério, as vezes que eu chorei por entender todos os dilemas de Lady Bird não estão no gibi. De longe, um dos meus filmes favoritos da vida. Claro que o fato da Greta Gerwig ser roteirista e diretora facilitou bastante na história, porque ela sabia exatamente o que a personagem que ela criou queria e fica claro isso a cada cena que você assiste.

Eu gostaria de ter alguma coisa de ruim para falar sobre esse filme, mas não tenho. Mentira, tenho sim... Sabendo como a Academia funciona, eu sei que Lady Bird não vai levar melhor filme, melhor direção nem nada (o que sinceramente, é compreensível), mas fico muito satisfeita se “Lady Bird” levar o Oscar de melhor roteiro original.


Ariel: Filmes coming of age são exatamente meu tipo de filme!!! A história é muito boa, as personagens são bem construídas e incríveis, e é fácil se identificar com a Christine se você foi uma adolescente meio fora dos padrões.



Bells: Ai, gente. Passei meses vendo a galera surtar por esse filme e lutando pra não me deixar levar pela famigerada EXPECTATIVA. E também pra não criar uma impressão ruim do filme antes de ver porque é o que acontece quando a galera fala muito e fico de saco cheio HAHAHAHAH. Mas aí comecei a assistir, e tal...ok, é bonitinho. Só.

Eu realmente não tô entendendo porque foi indicado ao oscar. Entendo o furor porque é fácil de você se identificar ali na Passarinha, ela é uma típica adolescente ultra genérica, mas não entendo PORQUE A ACADEMIA CONSIDEROU FANTÁSTICO O SUFICIENTE PRA SER INDICADO. Não tô conseguindo engolir isso. Se filme de sessão da tarde pode ser indicado, era melhor ter sido MOANA. Tá, é animação. Sei lá, tô revoltada. Se ganhar alguma coisa eu desisto do oscar.

Carol: Filme "coming of age"? Sim. Protagonista feminina? Sim. Direção e roteiro por mulheres? Sim. (A mesma, a propósito). Identificação total com sua adolescência mesmo que a personagem seja de Sacramento e você do Rio de Janeiro? SIM. SIM. SIM. SIM.

Não tem nada a ver ter sido escrito e dirigido pela minha musa Greta Gerwig. Mesmo que você não tenha sido uma garota adolescente sem dinheiro, que se sentia incompreendida no lugar onde você vivia e que tinha uma relação ruim com a mãe, você com certeza vai ver algum momento da sua adolescência nesse filme. A fotografia é linda, a trilha sonora também, e as atuações, nossa. Saoirse  Ronan (se pronuncia Sursha, caso você tenha dúvidas) realmente parece uma adolescente, e Lauren Metcalf tá perfeira como a mãe que não consegue se entender com a filha. Queria muito que as duas ganhassem, mas tá difícil. Torcendo bastante também pra Greta Gerwig em Direção e Roteiro Original (embora tenham outros filmes que eu também ficaria feliz se ganhassem).


Eduardo: Esse filme foi um tiro! O primeiro dos indicados ao Oscar que eu vi e aquele que eu tenho certeza que vai sair com pelo menos um prêmio dessa edição. É sutil, é simples e é um amor. Mas também é um soco no estômago. Conseguiu me tocar e me fazer identificar de uma forma que um filme não conseguia há muito tempo.

Taiany: Eu fiquei tão, mas tão feliz com a indicação desse filme. As vezes (quase sempre) fico com a sensação que os filmes indicados ao Oscar são ou coisas que ninguém (pessoas comuns que não fazem parte do meio do cinema) quer ver ou coisas que ninguém entende, ou ainda coisas meio inacessíveis. Eis que Lady Passarinha vem com sua suposta simplicidade, porque na real de simples não tem nada, e nos entrega uma história em que qualquer um pode se reconhecer. Não é aquela coisa de pagar de cult, esse é um filme comum, que diz muito mais que muitos filmes por aí. E EU QUERO AQUELE VESTIDO PELO AMOR DE DEUS, QUE COISA LINDA. 

Me Chame Pelo Seu Nome


Ariel: Eu achei esse filme de uma sensibilidade absurda. Já tinha lido o livro e, mesmo assim, não estragou a mágica pra mim. É um filme bonito visualmente, que me fez querer ir pra Itália (mesmo com meu saldo bancário de 10 reais) e bonito emocionalmente. São protagonistas LGBT e é um filme que não tem um final com morte ou algo assim, o que é excelente!

Sobre a cena no final

Bells: Olha, eu nem sei direito que dizer. Comecei o filme bem "ok, vamos lá". aí quando acabou eu já tava tipo AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA QUE DELÍCIAAAA. Elio e Oliver são um casal muito fofo, os pais do Elio são uns AMORES, as meninas super bem vestidas e os homens DEUS ME LIVRE (esses shorts de jogadores de futebol/cuecão de sair me mataram - no mal sentido), a trilha sonora PUTA QUE PARIU TO OUVINDO AQUI AGORA e a fotografia....dá pra sentir o calor do sol enquanto você assiste. Acho que vai ganhar, hein galera.

Era tudo em que eu conseguia pensar até a bendita cena chegar HAHAHAHAH

Carol: É uma sensaçãozinha boa demais ver um filme com protagonistas LGBT que não tem uma tragédia, não tem uma doença, é só um romance, com seus altos e baixos, mas isso, só um romance. Os protagonistas, interpretados por Timotheé Chamalet  (Elio) e Armie Hammer (Oliver) tem uma química incrível, a trilha sonora é sensacional (toda composta pelo Sufjan Steven, com "Mystery Of Love" indicada a Melhor Canção), e o filme faz você se sentir de fato passando o verão no interior da Itália nos anos 80. Tem grandes chances de levar o Oscar de Roteiro Adaptado. Timotheé tá sensacional mas não acho que deve levar Melhor Ator (nem é minha maior torcida, aliás).


Eduardo: É delicado e tem uma química que a gente percebe pelos olhares dos atores. E a cena do pai no final do filme!!!!

LINDÍSSIMA, FALOU TUDO.

Jota: Eu queria ver esse filme desde que foi anunciado lá fora e eu comecei a procurar gifs no Tumblr após o lançamento. Demorei para ver, mas quando vi, só sei que foi amor a primeira vista. A fotografia é muito linda, linda pra caralho, e tão bem posta que passa a emoção que tem que ser passada na cena, por exemplo: teve uma cena entre o Elio e o Oliver na mata, as cores e o lugar foram tão bem escolhidos que passaram a calma e sutileza entre os dois. Parecia que tu tava na cena, sabe? E ESSES PERSONAGENS?! SINCERAMENTE ESSES MENINOS, EDGAR (ignora que na novela Malhação foi usado em tom negativo, eu to usando esse bordão de modo positivo), eu quero eles juntos pra sempre, quero eles pra mim pra sempre. É tudo tão real, porém sutil como tinha que ser devido a época. Sendo honesto? Um dos melhores filmes, senão o melhor, LGBTQ que já vi.

Taiany: É MEU PREFERIDO, NÃO TEM JEITO. Além das atuações maravilhosas, do enrendo fofíssimo, a fotografia do filme é uma coisa tão, mas tão linda. Eu tava babando. E o que dizer do figurino e da trilha sonora? Não consigo pensar em nada que eu não tenha gostado no filme, cada pequeno detalhe, cada troca de olhar, cada fala me atingiu em cheio. Assistir esse filme limpou meus olhos porque eu chorei até não poder mais HAHAHAHAHAHAHA

The Post - A Guerra Secreta


Eduardo: Nem a atuação maravilhosa da Meryl Streep conseguiu me fazer gostar desse filme. É só um filme normal e qualquer. Sem muito o que achar de espetacular ou digno de indicação. Dormi na metade e tive que voltar para ver e isso é tudo que você precisa saber. O problema nem é o ritmo lento. O problema é a história que não tem muita graça e não dá vontade de continuar assistindo.

Três Anúncios Para Um Crime


Ana: Eu só queria dizer sobre esse filme é: talvez seja um dos melhores trabalhos de Frances McDormand e o Oscar de melhor atriz vai ser hiper merecido. Não só pela carreira inteira dessa mulher, mas esse trabalho é incrível! É a única coisa que eu consigo falar sobre “Três Anuncios Para um Crime” de verdade. O filme inteiro é maravilhoso, mas nada me impactou tanto quanto a atuação de Frances McDormand.

Ariel: Esse foi meu filme favorito dos indicados. O filme é MARAVILHOSO, eu fiquei nervosa e tava rindo, mas fiquei mal depois fiquei feliz. É muito desesperador ver esse filme sendo uma mulher, se sentir vulnerável da maneira que o filme mostra (e muito bem). As atuações são excelentes, e é um socão no estômago, amei.

Carol:
É bom? É. Te deixa meio tensa, cê quer saber mais da história e tudo o mais. Mas sinceramente, eu não teria indicado a Melhor Filme. Tiveram outros filmes na temporada que fizeram um conjunto melhor. Frances McDormand está ARRASANDO nesse filme e mereceu certamente a indicação a Melhor Atriz, mas apesar de ter tido uma boa atuação, minha torcida pra ator coadjuvante não vai pro Sam Rockwell. Aliás, nos prêmios principais da temporada, Frances levou todos em melhor atriz e Sam, em ator coadjuvante. MUITO provavelmente ganharão o Oscar, visto que os votantes da Academia são distribuídos por esses outros prêmios.



Trama Fantasma



Ariel:

É uma bosta. Visualmente, é um dos filmes mais lindos que já vi na minha vida, mas a história é horrível e o roteiro é ruim demais, meu irmãozinho. Não me convenceu, e eu terminei o filme PUTA DA VIDA porque o final é horroroso.

Carol:
Comecei a ver o filme sem saber nada, só que era dirigido pelo Paul Thomas Anderson e que era o último filme que o Daniel Day-Lewis ia atuar. Posso abrir meu coração pra vocês?

Terminei o filme ainda sem entender sobre o que era o filme. Tudo muito bonito, mas sei lá?? A curiosidade de saber sobre o que era é que me levou a terminar o filme. Ok que lá pelo meio acontece umas coisas interessantes, mas tudo o que eu falava era MAS POR QUE ISSO TÁ ACONTECENDO???? Enfim, acho que gostei do filme, a cada dia diminui a indignação por não ter entendido nada e aparece algum apreço pelo filme. Se merecia ser indicado? SEI LÁ IRMÃO, NEM SEI PORQUE AQUILO ACONTECEU.

Se eu conseguisse resumir o filme em uma frase, seria essa.
Taiany: MORRENDO PELA IMAGEM QUE CAROL COLOCOU. É isso mesmo o filme, nem tenho o que acrescentar. A atuação do  Daniel Day-Lewis tá maravilhosa, o figurino é bonito e só. No início fiquei com a sensação que tava vendo um Complexo de Édipo mais louco, depois fiquei "QUE CARA BOSTINHA!" Ai gente, não sei, até teve uma ou outra coisa interessante, mas não me pegou e o começo era tão chatinho e quase desisti.

***
E aí, pra quem você tá torcendo hoje? Não esqueça de acompanhar a gente no twitter mais tarde! Que seus filmes preferidos ganhem muitos prêmios!

TAGS: , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM