CCIndicação CCLivros

Pax, de Sara Pennypacker: o livro que me fez pensar sobre guerra

4.10.17João Paulo Albuquerque


Eu comprei Pax junto de alguns livros no começo desse ano, se não me engano logo após meu aniversário. Eu levei um tempo até chegar em Junho e decidir ler, afinal, eu já estava lendo pelo menos cinco livros e não queria me atrasar em mais um. A decisão de pegar o livro e começar foi de supetão e totalmente impensada.
Atitude impensada essa que agradeço.


A história, basicamente falando, se trata de uma raposa e seu dono (um garoto que está entrando na puberdade), sendo assim narrada pela visão dos dois desde o momento antes do abandono da raposa, até quando tudo se resolve.

Sem passar muitos spoilers, enquanto o garoto toma uma atitude e parte em busca de sua raposa, vemos um amadurecimento do personagem. Isso ao mesmo tempo em que a raposa está em um ambiente que supostamente ela deveria conhecer, mas por ter sido criada como doméstica, tudo é muito novo e lhe causa um sentimento de não-pertencimento.

Essa é a imagem de um dos desenhos perto do início.

Os personagens que são apresentados no decorrer, ajudando no desenvolvimento de ambos os personagens, faz com que nós tenhamos criado um laço com eles... sem perceber. Igualmente para como com os principais.

Pax - a raposa - conhece outras e nisso, lhe é introduzido a guerra pela visão dos animais, e assim vemos como eles chamam quem está na guerra (e humanos em geral): doentes de guerra. E pela visão deles, nós somos horríveis e perigosos... o que não foge da realidade.

Pela visão do menino, inclusive, uma dessas personagens enfrentou uma guerra alguns anos atrás e desde então mora numa casa afastada no campo (note que o pai dele deixou ele com o avô para ir para a guerra). Inicialmente, o garoto acha que ela é louca, e isso é passado para nós, tanto que sem notar, você está julgando a personagem antes mesmo de conhecer. Uma das partes que mais me deixou tocado foi quando o menino relembrou (após ajudar ela e ir embora) é essa:

- Menino, de que lado seu pai luta?
- Do lado certo!
- Garoto, me diga, alguma vez alguém disse lutar pelo lado errado? 

E assim, nos levando para o fim da história, vemos que as pessoas precisam saber as consequências de guerra. Sim, referência do livro. E isso é que me deixou no chão, estatelado, com tiros atrás de tiros, afinal, esse livro me fez pensar no assunto que eu mais evito pensar comigo mesmo: guerra.

E por mais leve que o livro seja, os assuntos tratados são tratados com a seriedade exigida. As coisas são reais, mas leves, feitas para pensar. Os personagens, abordados com carinho e desenvolvidos lenta, mas não tediosamente. A trama, é surpreendente e só nos dá vontade de continuar a ler.

E claro, o final é inesperado.

Nota:


Não vou mentir, eu amei muito! <3


Ficha Técnica


- Onde comprar: Saraiva, Submarino, Americanas.

- Faixa de preço: 28,00 - 41,00 R$.

- Editora: Intrínseca.

- Autora: Sara Pennypacker.






TAGS: , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM