CCAnálise CCdiário

Por que o seu machismo me afeta?

25.8.17João Paulo Albuquerque


Perceba, essa é uma visão de um homem cis. E por ser homem, eu tenho noção dos meus privilégios e não estou tentando falar por outras pessoas que são mais afetadas no machismo do que eu, homem cis, que me beneficio, de certa forma, do machismo.


Hoje, no dia que estou escrevendo, aconteceram coisas que me surpreenderam por ser uma quinta-feira - afinal, para mim, quinta-feira é um dia muito monótono e lento, principalmente porque tenho duas aulas de matemática, mas voltando. Na escola teve um debate sobre padrões de beleza impostos pela mídia/sociedade, conversas incríveis na aula de Artes e fora desta com a professora de Artes (Melhor pessoa que você respeita) e no meu curso eu conversei com minha professora sobre a falta de monumentos em São Paulo, e na maioria dos países Europeus, de pessoas de outras culturas que acabaram contribuindo também para a cultura desse país (como africanas, japonesas, chinesas e indígenas), tudo isso cujo eu ainda pretendo fazer um texto à parte.

Mas voltando para o assunto do debate que teve influência para chegar nesse texto... Agora eu não me lembro bem de como a ideia surgiu para esse texto, mas eu sei que teve algo a ver com o amigo que vou citar mais pra frente, e uns pensamentos aleatórios no começo do dia.


No fim desse texto terá um link com acesso direto para o texto feito pelo 'Nó de Oito', com vinte e cinco privilégios que nós, homens cis, temos.

Agora sim, vamos começar.

Por que o seu machismo me afeta?


Eu pensei bastante nessa pergunta durante as aulas, tipo, muito. E várias coisas vieram na minha cabeça:

"Seu machismo me afeta quando eu não posso usar coisas tidas como 'femininas', apesar de que todos saibamos que roupas, maquiagens e calçados não tem gênero. Seu machismo me afeta quando não ser hétero é sinônimo de xingamento, porque você ser homem se tornou um sinônimo de ser hétero e ser macho (grosso, desrespeitoso, nada gentil...). Seu machismo me afeta quando eu, quando criança, não podia escolher uma panela para brincar, ou uma boneca para cuidar. Seu machismo me afeta quando você tenta me ofender usando pronomes femininos, como se ser mulher fosse ser inferior. Seu machismo me derruba quando dizem que eu não posso rebolar, afinal, homem não dança; quando dizem que eu não posso chorar, afinal, homem não chora e; não devo esquecer, quando vocês xingam as mulheres, as tratam como lixo, as tornam inferiores segundo sua visão, como se nada fossem."

Eu posso usar rosa, roxo, seja que cor for. COR NÃO TEM GÊNERO!!!
Eu tenho um amigo, o Leonardo Ferreira de Almeida, que enfrentou tanto machismo dos nossos colegas da nossa escola antiga, como do que estava enraizado dentro dele de tanto escutar os outros falando, e isso o fez demorar muito para assumir para ele mesmo que não tinha problema seguir o ramo que queria, isso não dizia nada sobre ele. Ele desenha muito bem e sempre gostou de Moda, então quando ele se tocou, depois de muitas conversas de nós dois com minha mãe (mamãe Leticia Fagundes Dináh oaisjkapdk), que era o que queria para o resto da vida, que era a faculdade que queria fazer, foi uma luta interna imensa. Vou divulgar alguns desenhos porque sim:







No final, o que importa é você reconhecer seu lugar e papel na sociedade e ajudar as pessoas a lutar contra o machismo, afinal, no fim, não é bom pra ninguém, pode beneficiar durante um tempo, mas o custo psicológico e bloqueio emocional não tem nada de bom para ninguém. E isso eu estou falando somente de quando se trata de homem cis, pois quando se trata de mulheres, não-bináries e trans, os danos e medos são desconhecidos por nós, mas não é por serem desconhecidos que não podemos entender, ajudar e exercer nossos privilégios em prol do próximo.

Segue o link sobre nossos privilégios:

TAGS: , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

2 comentários

  1. Vim correndo ler o texto quando vi a publicação no Facebook, mas fiquei com a impressão de que falta alguma coisa. Parece que falta um real desenvolvimento do assunto a ser abordado e a argumentação. Quanto terminei de ler, pensei: Ué, já acabou?
    /:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Matheus, boa noite. :)

      Espero que tenha gostado do texto, e como disse que faltou algo, gostaria de saber o que você acha que faltou, assim quem sabe eu faço um texto no futuro (talvez como conclusão?) em cima disso.

      Obrigado <3

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM