CCSociedade Dana Martins

Rótulos definem, sim

28.6.16Dana Martins


Um assunto antigo que tá pra rolar no CC é sobre "rótulos", sabe, quando você fala sobre sexualidade e se a pessoa é hétero, assexual, etc. Quando a gente fez o nosso primeiro mês LGBT+ eu achava esse assunto tão relevante, que até rolou uma discussão profunda no nosso grupo privado. Agora, as coisas são mais simples. 

No momento, a minha conclusão é de que chamar as definições de sexualidade de "rótulos" é um fruto da homofobia. O medo de ser "rotulado" e a rejeição a rótulos é isso mesmo - a prova de que a gente vive em mundo que rejeita qualquer pessoa que não se encaixe no padrão hétero cis. E por "rejeita" eu quero dizer: persegue, ignora, trata como algo negativo, exclui, mata.

Então a gente começa a chamar as definições de sexualidade (bissexual, homossexual, etc) de "rótulo" quando ela tá misturada com a homofobia. 

E rejeitar os "rótulos" também vira mais uma forma de apagar a existência dessas outras sexualidades.

Pensa assim...

Eu sempre comparo com bebidas. Sim, bebidas. Existem diversos tipos de bebidas - sucos, refrigerantes, vinhos, cervejas, energéticos, vitaminas...



E o mais impressionante é que dentro desses grupos, você tem ainda mais divisões!

Vinho tinto, vinho branco, vinho sei lá o quê.

Além dessas divisões, você ainda tem o fato de que eles são vendidos em diversas marcas no mercado. Brahma, Antártica, Heineken.. você já foi na parte de bebida do mercado? QUANTA marca existe?


Ainda assim ninguém fica dizendo que tudo isso é desnecessário, falando "eu não gosto de rótulos", falando que é "muita coisa". Ou "ah, é tudo bebida!"

Porque não é. E você não vai dar pra criança cachaça em vez de toddynho porque é tudo bebida!!!

E sabe qual é o curioso? Você sabe o que é Toddynho, você sabe que é um tipo de bebida, que é leite achocolatado industrial, quando normalmente as pessoas bebem, etc. É difícil saber tudo isso?

Por que na hora de falar de sexualidade vira um problema?

Porque:

1: Homofobia internalizada (= você aprende a ver coisa LGBT+ como ruim e parece horrível dizer que é pansexual ou homossexual)

2: Você é hétero, e isso significa que o mundo inteiro é programado pra você, então você nunca passou pelo problema de não saber quem era, se sentir quebrado e não saber que é totalmente possível ser como você é. Você também nunca ouviu que a sua sexualidade é "loucura", "é sua imaginação" ou "é melhor conferir com o médico".

Aliás, você também nunca lidou com médico que riu da sua cara, não sabia como te tratar ou achava que você precisava de uma correção.

bandeira trans* no cabelo 


Quanto mais eu aprendo sobre sexualidade, mais claro fica. E a resposta é que: Sim, nós precisamos de rótulos. Porque nós precisamos entender as diversas formas que o corpo humano pode funcionar. 

Não é um "gosto de homi" ou "gosto de mulher".

É literalmente: você sabe o que é atração sexual? O que é atração romântica? O que é gênero - quando é que você viu que era do seu gênero, ou simplesmente te disseram que era tal e você aceitou? 

É entender o ser humano, as formas que ele existe, como o seu próprio corpo é, e ir além desses mitos sociais que causam medo e nos fazem rejeitar tanto os outros quanto a nós mesmos. 

bandeira pansexual


Desde que isso fez sentido, eu comecei a chamar pansexualidade, bissexualidade, assexualidade, homossexualidade, heterossexualidade - pelo que elas são: definições de sexualidade.

Rótulos é quando você junta isso com preconceito. 

É quando quem é LGBT+ tem tanto medo de aparecer que esses termos só aparecem na boca de quem tá falando merda. 



bônus:

"AI MEU DEUS TIRA ESSA PLACA, ISSO É SÓ UM CORREDOR!!!"


TAGS: , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

6 comentários

  1. Texto simples, direto e ótimo (?). Eu literalmente comecei o dia com ele, obrigada Dana.

    ResponderExcluir
  2. dana sua linda, amo essa arte que ce usou no post.

    eu entendo que grande parte das vezes a galere que ta sempre falando "mas sexualidade não te define" não ta falando nem com intenção de ofender, mas a paciencia acaba mesmo quando a intenção é boa. primeiro que quem decide o que me define ou não sou eu pfvr obrigada, e segundo porque a minha sexualidade me define sim. não é a unica coisa que me define, mas é algo muito importante e que me influencia vários outros aspectos da minha identidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. isso me lembrou o livro que eu to lendo (nada a ver sobre isso, mas), que fala sobre essas frases prontas que a gente usa, e que a gente continua usando e tal, mas elas perdem o sentido. "mas sexualidade não te define" - em que contexto?
      porque eu acho relevante dizer isso, porque tem gente lidando com os conflitos, que faz tipo pergunta "eu sou lésbica, mas fui numa festa e fiquei com um garoto e blablabla", e aí a pessoa se sente perdida, menos validada, etc, por não se encaixar no Exatamente Esperado de uma sexualidade. Aí vale "isso não te define", "você não precisa se limitar a isso", e reconhecer que sexualidade de cada pessoa é única e tem vários fatores além de atração, e fluidez e mais 2398329823 coisas. então não deixa isso te limitar ok

      agora quando é usado nesse lugar comum que é só rejeição, aí vem de preconceito mesmo. inclusive tava lendo hoje sobre autismo (dana no tumblr HUAHUAH) e como muita gente deixa de receber diagnóstico e ser tratado, porque quando aprende sobre isso e fala com a família, os pais falam "autista??/ impossível, não se limita a rótulos!!!" wtf

      Excluir
  3. Linda as imagens usadas pra ilustrar o texto!

    Eu vejo como rótulo características (comportamentos, ideias) que a pessoa pode apresentar ou não, como "tímido", "pessimista", "impulsivo" etc. e que as pessoas saem por aí levantando bandeira dessas características como se fosse imutável e a pessoa fosse assim o tempo todo. Eu sou tímida em determinadas situações, mas não me prendo a isso, não sou tímida o tempo todo e pra mim, dizer que sou tímida é um rótulo que eu prefiro não me colocar.

    Mas sexualidade é bem diferente. Acho que tem mais a ver com identidade e até estilo de vida. Se eu estou numa balada e chego num cara que diz que é gay, o sentido é completamente diferente de chegar num cara que diz que é desastrado. O primeiro diz respeito a quem essa pessoa é e o que ela faz ou sente, enquanto o segundo é mais um conceito subjetivo de uma característica que ele apresenta. Se você pergunta uma pessoa a religião dela e ela diz "católico", você não diz "ah, não se prenda a rótulos", o mesmo para veganos, vegetarianos, budistas e qualquer pessoa que use um "rótulo" para definir uma prática, identidade ou estilo de vida. Não entendo porque isso acontece com a sexualidade. Parece que as pessoas tem medo de aceitar que o outro é diferente, e preferem acreditar que aquilo não existe ou que a pessoa está "se limitando". É pra isso que a gente precisa de textos como o seu :)

    ResponderExcluir
  4. "Você é hétero, e isso significa que o mundo inteiro é programado pra você, então você nunca passou pelo problema de não saber quem era, se sentir quebrado e não saber que é totalmente possível ser como você é" OMG YAS. É muito isso.
    Vejo muita gente LGBT que não gosta de rótulos, que acha desnecessário, que só querem "viver livremente sem se definir", e ok. Se isso funciona para vc, tá ótimo.
    Mas essas definições, rótulos, realmente me ajudaram. Eu não sabia o que eu era, eu não sabia que tinha outras pessoas iguais a mim, eu não sabia que não tinha nada de errado comigo. Quando eu aprendi o que bissexualidade era, tudo fez sentido. Eu me identifiquei imediatamente e aprendi que tava tudo bem ser assim, um monte de gente é, não estou sozinha. Foi um dos melhores sentimentos ever. Quando eu me assumi para minha mãe, uma das coisas que ela me perguntou foi exatamente isso, por que eu tinha que me definir desse jeito, e tipo, PORQUE É ISSO QUE QUE SOU. Bissexual é apenas um dos milhares termos que me definem. Adoro rótulos porque eu sei o quanto eles podem ajudar uma pessoa a se aceitar. É aquela coisa, é uma comunidade, você não ta sozinho.
    Adoro os posts que vocês fazem sobre esse tipo de assunto, já até mostrei alguns que vcs fizeram sobre bissexualidade para minha mãe, para ela aprender e entender melhor as coisas.
    Ótimo trabalho que vcs fazem aqui, meu blog favorito de longe! Beijões.

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *