Alycia Debnam-Carey CCAnálise

Commander Lexa: sobre um tipo de mulher badass que eu não conhecia

28.12.15Dana Martins

Na capa: cena de Lexa sentada em um trono feito de galhos de madeira. Ela olha pra frente, uma faixa escura de maquiagem cobre seus olhos e três filetes de tinta descem de cada lado do rosto. Os cabelos castanhos estão presos pra trás e caem sobre os ombros. Ela segura uma faca na mão, apoiando a ponta da lâmina em um dedo.

Um dia tava eu lá no tumblr quando começa a aparecer muito uma personagem de The 100. Essa garota guerreira em uma posição de poder usando uma roupa que eu só sei descrever como: badass. Uma rainha pós-apocalíptica. Meus pensamentos são "O QUE DIABOS TÁ ACONTECENDO AQUI?"

Eu tinha lido o livro de The 100 e não tinha nada sobre guerreiras!!!

ok, era uma ilusão e a série destruiu tudo, mas fica aqui o testamento de que se escritores vissem mulheres e qualquer minoria com mais do que uma "ferramenta" de roteiro, nós teríamos histórias maravilhosas. Lexa poderia ser uma das maiores heroínas da nossa geração, mas o gênero/sexualidade dela impediram os autores de enxerga-la como algo mais. Eu não recomendo ver essa série. Mas pensar na personagem: eternamente. 

Foi isso, em grande parte, que me fez decidir assistir a série. Tipo, eu já queria há muito tempo, eu gostei do trailer, por isso até eu li o livro, que foi a maior decepção. Uma história muito boa mal aproveitada. Então eu tinha desanimado... mas aí veio o tumblr.

Tavam rolando aqueles gifs de ship da Lexa com a protagonista de The 100, a Clarke. E no tumblr você nunca sabe se é canon ou imaginação, eu só sei que isso não fazia sentido.

Imagina que você leu Jogos Vorazes e vê uma cena do filme onde a Katniss tá beijando a Cressida. QUE PORRA TÁ ACONTECENDO AQUI?

Na imagem: Cena de Jogos Vorazes com a Cressina agachada apontando para um mapa no chão enquanto olha para alguém em pé fora da imagem. Atrás dela está Katniss sentada sobre uma caixa com os braços apoiados na perna e olhando para Cressida
minha cara seria essa da Katniss de "que porra tá acontecendo aqui? sério?"

Diferente de Jogos Vorazes, que teria sido horrível, isso mudava muito a minha perspectiva de The 100. Um livro com um romance super clichê onde o maior conflito de uma garota QUE FOI MANDADA PRA TERRA PÓS-APOCALÍPTICA COM UM MONTE DE CRIMINOSO é com qual dos garotos ela vai ficar, e de repente ela tá beijando uma garota guerreira e nada disso faz sentido. (sério, eu nem lembro mais o quê, mas eu lembro que fiquei muito irritada com umas coisas machistas lendo o livro) (a história é o contrário do que você espera de representatividade) (E AÍ APARECE ISSO NO TUMBLR????) 

Precisou só de 1 episódio pra eu saber que a série era completamente diferente. E depois eu descobri que eles criaram a série antes do livro sair, então eles só têm em comum a premissa e nome de alguns personagens. Pra ter ideia, os grounders nem existem no livro)

Na imagem: Um cenário externo com gramado e plantas no fundo. Na frente, uma mulher de jaqueta presa com detalhes de metal como uma armadura, os cabelos cor de caramelo caem volumosos na frente do corpo, mas a franja foi presa para trás de modo que não fique em seu rosto. No fundo homens de roupas escuras grandalhonas como se alguém tivesse montado uma armadura pegando peças no lixo.
"grounders" é o nome genérico que eles dão pra as pessoas que eles encontram quando chegam na Terra

Enfim.... vamos falar da Lexa, que é sobre ela que eu quis falar. Basicamente, foi a aparição dela e desse "visual grounder" que me alertou que a série poderia ser diferente do que eu esperava. Obrigada, Lexa. Você me deu uma das melhores coisas do meu ano.

UMA NOVA MULHER

Cara, eu acho que nunca nem tinha visto uma personagem como a Lexa? Normalmente você tem a protagonista jovem badass encarando os paranuê (Clarke). Tem até aquela garota que luta muito e é a ninja que sempre faz a gente se sentir aliviado quando aparece (Octavia). Tem até a garota inteligente que trás seus conhecimentos para salvar o dia (Raven!). 

Na imagem: Montagem com as quatro protagonista de Sense8.
A protagonista jovem (Riley), a ninja (Sun), as inteligentes (Kala e Nomi)

Mas uma rainha pós-apocalíptica? 

Esse papel normalmente é destinado a homens velhos. 

Quando muito, a garotos babacas em livros em que só existem crianças. 

Uma garota? Acho que a única que eu consigo pensar agora é a Daenerys, mamãe dos dragões, de Game of Thrones (imagino que nos livros deve ser melhor ainda, porque ela deve parecer mais jovem). Ainda assim, de tudo o que eu vi a garota, a Daenerys tem uma jornada muito mais como a Clarke de ascensão ao poder, do que de uma rainha badass que já está lá. Só por comparação, o Khal Drogo não faz metade do esforço dela dentro da história pra já chegar numa posição de "guerreiro badass chefão". 

Eles até têm colocado mulheres em posição de Figura de Autoridade Maligna, mas esses personagens são 1) velhos 2) não são desenvolvidos da mesma maneira que os protagonistas. 

Na imagem: Montagem com quatro mulheres que tem posição de poder em filmes. A primeira é Jeanine de Divergente (loira, com o cabelo curto). A segunda é a Coin de Jogos Vorazes (cabelo de um branco platinado liso longo). Uma de O Doador de Memórias (também cabelo platinado liso longo, mas com franja cortada em cima dos olhos). E outra de Maze Runner (cabelo loiro grisalho liso preso para trás)
cuidado com mulheres loiras que estão ficando com cabelo branco

Eu não sei explicar isso exatamente, mas existe uma diferença entre ser um personagem "da galera" e ser um personagem de fundo, mesmo que no poder. Esse tipo de personagem é o básico de Representatividade 101 - "Queremos dizer que mulheres são importantes e poderosas, mas deixa eu contar aqui a história dos outros" (esse papel também costuma ser assumido pelo Homem Negro). E não me entenda mal, já é um avanço que coloquem as mulheres nesse papel, MAS não é a mesma coisa. 

É diferente de você ter um personagem legal desenvolvido que não é só A Pessoa No Poder. Em uma temporada sendo secundária Lexa é mais desenvolvida do que todas essas 4 mulheres juntas e mais multidimensional. Lexa é uma Figura no Poder, é uma guerreira, é uma garota comum, é... você vai ver abaixo. 

Eu não tinha visto uma personagem que parecia com a Lexa. E eu ainda nem tinha começado a assistir The 100.

EXPECTATIVA VS. REALIDADE
(aqui tem spoilers leves)

Acho interessante que a própria série cria uma expectativa em torno da figura da Lexa. Ela só aparece no episódio 6 da segunda temporada, mas desde a primeira "the Commander" é citado. Parece muito que vai aparecer um homem grandão que manda em tudo. E de certo modo, Lexa foi criada justamente por isso. Os escritores da série falaram que queriam algo que desafiasse a nossa expectativa de quem estaria no comando. 

Eu li em algum lugar um deles falando que planejavam colocar uma garota criança. Imagina que louco descobrir que o exército de "guerreiros ferozes" (como o sky people enxerga eles) é liderado por uma garotinha. Só que contratar uma criancinha ia dar muito problema em termos de filmagem, então eles aumentaram um pouco a idade dela. Aliás, acho que é por isso mesmo que eles escolheram a Alycia Debnam-Carey - ela parece uma garotinha.



No gif: A atriz Alycia Debnam Carey se jaqueta rosa, jeans curtinho, camisa quadriculada presa na cintura, sentada em uma bicicleta rosa.No gif: Alycia Debnam Carey usando um vestidinho azul curto e abrindo uma garrafa que vaza muita espuma e ela se assusta olhando a espuma cair na mesa



No gif: Alycia Debnam Carey com cara de bebê fazendo um gesto de comemoração com um punho no ar, os olhos fechados de felicidade e um sorriso no rosto


No tumblr tem até um post circulando de alguém comentando "quem olhou pra Alycia e viu 'é, guerreira sinistra comandante de exércitos'???". Acho que justamente por ela ter esse lado frágil cinnamon roll e ainda assim conseguir assumir uma expressão de "eu consigo te matar só com um olhar" é que ela foi chamada.

(ok, a partir daqui são spoilers GRANDES da segunda temporada de The 100)

E aí quando a Lexa finalmente aparece... foi um episódio tão bom que mesmo eu sabendo que ela era a Commander deu um mindfuck. É aquele ep que ela está vestindo sua roupa de "rapariga inocente" sentada no cantinho enquanto Kane e Jaha precisam decidir quem vai morrer pra provar que querem mesmo paz. Eu tive uns pensamentos feios naquele momento. 

Foi assim: Calma aí, ela não é a Commander? *desanima totalmente* ai, ela ainda não é a Commander. 

Meu cérebro então começa a formar teorias. Então como ela vai virar Commander? Kane e Jaha vão fazer alguma coisa e vão induzir a pobre garota a matar o Commander atual e assumir o lugar pra ajudar o Sky People contra os grounders.

Essas coisas são feias porque, assim como a série me levou a pensar, eu acreditei que a Lexa era uma garota frágil. Uma garota que diante de 2 homens barbudos seria influenciada a lutar contra o próprio povo. O meu desânimo foi porque eu pensei que ela não seria a guerreira badass como eu imaginava, só mais uma garotinha boba na mão dos homens. E aí eu me pergunto... quantas personagens mulheres já não sofrerem esse "enfraquecimento" e "manipulação" sob o poder dos homens, pra eu não pensar que mais uma vez isso aconteceria?

O fato de não existir uma personagem como a Lexa já diz muito.

Todo esse pensamento nos poucos minutos do episódio antes de revelar que ela é que estava nos enganando. Aí ela dá a volta no Jaha e sai toda poderosa de Commander e AI MEU DEUS JULIANA MEUS ÓCULOS

No gif: Alycia Debnam Carey vestida de Lexa usando uma roupa escura preta com detalhes de metal que parecem uma armadura, os cabelos caindo sobre os ombros, a faca em uma mão com a ponta apoiada na braçadeira do trono e a outra erguendo em um gesto de "pausa".

Aliás, a própria última cena da Lexa, a da traíção, é outro exemplo de como nós enxergamos com os nossos filtros mentais. O que a Lexa fez pode não ter sido legal, e ser visto como uma traíção porque ela quebrou o acordo com a Clarke, só que não deveria ser surpreendente. Lexa passa 10 episódios falando "Clarke, o mundo é assim, é o que eu faço" e aí ela faz outra vez e a gente ainda fica COMO ASSIM????????? 

Então eu adoro como a Lexa é essa personagem que tem esses dois lados. Ela é uma personagem que parece uma coisa, mas é outra. (tanto no sentido de que parece ser do mal e é boazinha, tanto no sentido de que parece ser boazinha e é do mal) Ela é uma personagem que mexe com os nossos preconceitos quanto a própria personagem. Então, pra mim, é fascinante observar a personagem e esperar pra ver o que ela vai fazer em seguida. 

(isso até o fim da S2, essa ~dualidade~ pode ser específica da história dela na segunda temporada)

A HISTÓRIA POR TRÁS DA LEXA

Queria dizer que eu adoro a Lexa, porque ela é essa rainha pós-apocalíptica badass, porque não tem nenhuma personagem como ela, mas também porque ela vive conflitos interessantes. Ela é a Commander máxima de 12 clãs treinados para batalhas cruéis. Ela sozinha conseguiu conquistar a paz entre esses clãs e terminar guerras que duravam desde sempre. Isso antes dos 20 anos. Ela teve que abrir mão de si mesma pra poder conseguir a paz. Ela aos 17 anos recebeu a cabeça da garota que amava, por causa da posição de poder dela, e ainda assim formou uma aliança com as pessoas que fizeram isso pra conseguir a paz. Ela é treinada como guerreira desde os 2 anos. Ela foi treinada por outra mulher (Anya). Ela é líder do próprio povo por causa de crenças religiosas - e acredita fielmente que tem o espírito da Commander e está destinada a liderar seu povo.

No gif: Um close da Lexa com sua maquiagem de guerra olhando para frente e engolindo em seco com um ar solene, enquanto diz "Eu pensei que nunca superaria a dor. Mas eu consegui"


Isso cria uma personagem com uma mitologia tão interessante por trás, porque The 100 (até agora) não é um mundo de fantasia real tipo Avatar onde a Korra realmente tem o espírito avatar. Lexa parece uma pessoa normal como qualquer um de nós que foi levada a crer que tem esse espírito. Ela é uma pessoa comum como nós que por causa de um sistema de crenças acha que não pode fazer nada da vida porque ela nasceu apenas para liderar. É um cargo que ela aceita, e faz muito bem, mas ela quer? Eu acho que a Lexa nem sabe que não querer é uma possibilidade. 

E, ainda assim, ela sofre com a consequências de toda essa responsabilidade. Ela viu Costia ser torturada. Ela abriu mão dos próprios sentimentos. Só que não de verdade. Ela só finge que eles não existem. Ela engole o choro e faz o que tem que ser feito, porque a vida é assim. 

E é por isso que é maravilhoso quando ela encontra a Clarke, porque a Clarke faz todos os sentimentos dela começarem a transbordar. Ela não consegue ser a Commander Love Is Weakness perto da Clarke. E mais do que isso, porque eu não tô falando só de "tô apaixonada", eu tô falando porque da perspectiva da Lexa a Clarke é uma pessoa fascinante.

No gif: Lexa com sua maquiagem escura nos olhos olhando para Clarke falar "Nós não merecemos algo melhor do que isso?"


Clarke é uma pessoa que Lexa não sabia que poderia existir. É uma pessoa que desafia suas crenças. É uma pessoa que literalmente caiu do céu e tá colocando fogo no mundo. Lexa entre os grounders é chamada de "heda" (Comandante), no início da terceira temporada vemos Clarke se tornar uma lenda, a "wanheda" (Comandante de Morte). Onde é que a Clarke entra nas crenças dos grounders?

Teria ela também algum espírito poderoso que a escolheu para liderar o próprio povo?

Seria ela considerada uma deusa da morte?

Eu acho que mais do que tudo isso, quando Clarke aparece, o que Lexa pensa é: eu não estou sozinha.

Clarke vs. Lexa

Em um mundo em que você é uma das pessoas mais poderosas, é difícil encontrar alguém que seja tão foda quanto você é, e Clarke está no nível da Lexa. Acima até. O maior inimigo de Lexa era Mount Weather, e Clarke acabou com eles. Literalmente a única pessoa do mundo que parece mais poderosa que a Heda é... a Wanheda. 

(é claro que essa perspectiva pode ter uns buracos, ainda mais que não conhecemos tanto mitologia sobre os grounders e, até onde eu sei, na 3ª temporada a gente pode descobrir que já existia uma profecia sobre a chegada da Clarke e a Lexa fica "ai meu deus, é ela!!!" quando se encontram) (e nós também sabemos que aquela inteligência artificial deve ser quem é mais poderosa)

Acho que a presença da Clarke pra Lexa pode ser resumida com a frase "a vida deveria ser mais do que sobreviver".

No gif: Mesma cena anterior, só que dessa vez o close é na Clarke com os cabelos loiros caídos sobre os ombros olhando sério para Lexa e falando "a vida deveria ser mais que sobreviver"


Tem noção de que pra Lexa a vida é realmente só sobrevivência? Ela nasceu no mundo em que a Clarke só chegou agora. Eu imagino que deve ter grounders que façam mais do que sobreviver, mas é porque tem guerreiros que os protegem e pessoas como a Lexa, que sacrificam a própria vida para manter a paz. 

Então aí vem essa pessoa que Lexa vê como uma igual, só que faz tudo diferente e de certo modo dá certo.

Acho que a Clarke pra Lexa é uma dúvida. E se eu puder realmente ter uma vida? E se guardar meus sentimentos não for a única forma? E se houver outros modos de fazer as coisas? 

E se a realidade dura que eu vivo não for tão necessária quanto eu penso?

Lexa faz coisas cruéis pensando que são necessárias, mas e se não for?

(de quebra, Clarke parece alguém que sabe se defender sozinha muito bem) (ótimas chances de não ser uma pretendente que vai ficar sem cabeça)

No gif: Clarke encurralando Lexa em uma mesa enquanto elas se encaram
E acho que até pela Clarke ser uma das poucas pessoas no mundo que pode fazer isso sem morrer,
dá a chance da Clarke ser uma boa influência pra Lexa


E eu realmente gosto da destruição da Lexa.

Eu gosto de ver o mundinho de crenças dela cair. 

Eu gosto de ver ela se virar pra lidar com o conflito entre cabeça e coração.

Uma das coisas que eu mais adoraria é poder ver a Lexa fazendo as coisas porque quer, pensando em si mesma, sem o sistema de crenças perfeitinho ao seu redor. 

Eu queria poder ver a Lexa como os outros jovens (Raven, Octavia, Monty...).

Eu gosto também que ela não é 100% boazinha e "vítima da situação". Se você olhar bem, ela é um pouco Filha do Capeta™. Às vezes ela parece aquelas crianças demoníacas de filme de terror. 

Eu adoro que ela pode parecer uma lufa-lufa que pra sobreviver precisa agir como uma corvinal. Mas às vezes ela parece bem Sonserina, tipo pelo fato de que, talvez, a razão dela abraçar tanto o papel de Commander é porque ela sabe que a única maneira de acabar com o ciclo de "eu te mato, você me mata" é fazendo paz com todo mundo (em outras palavras, ela não quer mais perder outras pessoas no futuro e sabe que não é através de vingança que ela faz isso, mas conquistando a paz). E também como às vezes ela é Grifinória, porque não tem coisa mais Grifinória do que aceitar enfrentar um Gorila de frente usando uma faquinha só porque a Clarke disse "tu não vai morrer, vamos lutar". (essa cena é muito grifinória e sonserina. em que Clarke é a sonserina)

No gif: Lexa com o rosto pálido usando outra roupa preta escura que parece uma armadura erguendo uma faquinha na mão e olhando para algo como quem se prepara pra lutar
até eu que sou grifinória não ia encarar um gorila de frente


Então, pra mim, ela é uma personagem interessante por causa dos conflitos internos com a posição de poder em que está, criada no meio de uma mitologia de Commander legal, ótima em representatividade feminina e LGBT+, é badass por natureza e, o mais atraente, é uma personagem que termina a segunda temporada com um arco incompleto.

Basicamente, Lexa é alguém que se fecha pra o mundo e, com a Clarke, tem a possibilidade de aprender que vida é mais do que sobreviver, mas não chega a se tornar alguém mais aberto e fazer mais do que sobreviver. 

Considerando que eu normalmente sou uma pessoa muito #loveisweakness, ver tudo isso fica ainda mais interessante. 

TAGS: , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

9 comentários

  1. Texto fantástico. Concordo com você em gênero, número e grau. Amo como essa série tem o poder de construir bons personagens. A Lexa é uma personagem tão complexa que qualquer rótulo minimiza seu poder.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto. Mas acho que faltou um equilíbrio entre elas na 2ª temporada, já que a Clarke fazia tudo o que a Lexa mandava, isso foi bom para ela mesma, que tomou decisões difíceis e viu que não é fácil estar no poder. Acho que pelo começo da 3ª temporada, temos essa ideia de que a Clarke não cederá facilmente, o que acarretara numa Lexa mais suave com a menina, e encarando as consequências daquela traição, podemos ver um lado mais firme da Clarke, e mais aberto com a menina da Lexa. Só que podiam ficar juntas logo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que falta um pouco de equilíbrio, porque a Clarke está flertando com a ideia de que love is weakness, e isso faz ela agir mais como a Lexa. Vira uma relação melhor quando a Clarke percebe que ~amor é poder~ e pode ensinar isso a Lexa também, criando uma relação mais forte, onde elas podem tomar decisões difíceis, mas também tentar evitar coisas como TONDC.

      Mas sobre a Clarke fazer tudo o que a Lexa mandar, é bem o contrário. Aqui:

      1- Foge com o Finn pra tentar dar a volta na ordem da Lexa
      2- Passa a perna na Lexa e mata o Finn na frente de todo mundo
      3- Ignora o que a Lexa diz (pra ela correr e se salvar) no episódio do gorila e salva a Lexa
      4- Clarke convence Lexa a aceitar seu plano improvável
      5- Poderia ter saído e avisado pra todo mundo em TonDC. E quando Clarke volta pra falar com a Abby, a Lexa não impede, mesmo que não queira
      6- Quando Clarke quer matar o sniper de Mount Weather, mesmo que fique claro que a Lexa saiba que não é a solução, Lexa deixa Clarke fazer o que quer (e acho que esse é um momento-chave pra mostrar que o lado destrutivo e decisões "ruins" vinham da própria Clarke, não porque a Lexa tá mandando) (e nesse momento Lexa deixa ela viver as próprias experiências e aprender sozinha, mas ainda fica ali de apoio pra não deixar ela se machucar)
      6- Quando Lexa tenta matar Octavia, Clarke não quer e a Lexa escolhe respeitar (mesmo que isso, como 90% dos exemplos anteriores, possa significar na própria morte da Lexa e a queda dela como Commander, o que leva a guerra entre todos os clãs)
      7- Quando Clarke muda de ideia sobre love is weakness, Lexa não tenta forçar outra vez.

      Clarke não cedendo na S3 é só ela continuando a fazer o que sempre fez :P acho que a diferença é que ela aprendeu que algumas coisas são erradas e ela não quer fazer mais

      Excluir
    2. perfeito, tudo perfeito, você tirou as palavras da minha boca, nunca vi uma personagem como Lexa, comecei assistir as cegas, sem pesquisa de nada kk então, imagina a surpresa a ver aquela menininha na prisão com Kane e Jaha se mostrando a Heda de todos :O a partir dai meu interesse na serie se multiplicou por mil, cada vez mais me apego a essa personagem mais fodastica da história *---*

      Excluir
  3. Queria dizer que esse texto resume o meu sentimento pela Lexa!E que parei todo o meu serviço pra ler kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HUHAUHAUHAUAHUAH espero não ter atrapalhado o seu serviço :P

      Excluir
  4. A D O R E I o texto, é exatamente o que eu penso da Lexa. Eu estava assistindo a esse série sem pretensão algo, achei até bem mediada, mas a Lexa foi uma surpresa maravilhosa, nunca ia adivinhar que a top 3 de personsagens favorita estaria em the 100. Conseguiram criar uma personagem incrível, e a Alycia a interpretou majestosamente. Parabéns pelo texto

    ResponderExcluir
  5. Excelente texto! E sim, Lexa é uma das melhores personagens que já vi!

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *