adaptação análise

[Livro vs. Filme] Ok, aqui como o filme Insurgente não muda Convergente

16.4.15Dana Martins

Depois de assistir o filme e ver as mudanças -nnnnnnn
Eu ouvi algumas pessoas falando que mudaram tanta coisa no filme que não dava pra saber nem como iam encaixar o próximo, mas depois de assistir... Nem é tanto assim. É chato quando não é exatamente como no livro, ainda mais porque há personagens e momentos que eu gosto que não apareceram (Cara e invasão na Erudição?), mas em si... a história de Insurgente ainda continua a mesma. Fomos salvos de uma adaptação nível Percy Jackson.



Por exemplo, mudaram quem matou Jeanine no final. No livro é Tori e no filme é a mãe do Quatro. Isso muda um pouco a história da Tori, que eles nunca aprofundaram muito no filme, porque o propósito dela liderar a Audácia contra a Jeanine é se vingar da morte do irmão. No filme ela ainda aparece como líder e tem papel relevante na invasão - tirando os transmissores. Mas fora o fato de que ela é uma personagem legal, não tem muito o que acrescentar ao filme. Eles mostram o sofrimento da perseguição dos divergentes através da garotinha que parece um anjo e da mulher sequestrada na Amizade que mais tarde morre tentando completar a simulação. 


Uma coisa sobre os livros de Divergente: há muitos personagens e todos eles têm uma história. Uma coisa sobre os filmes: essas histórias não são desenvolvidas. A maioria dos personagens estão lá, você pode dizer quem eles são, mas pra quem assiste o filme eles são mais figurantes. E tenho a impressão de que como eles cortaram alguns no primeiro filme, no segundo eles têm ainda menos compromisso com os personagens (tipo o garoto que perde o olho. poxa, podia colocar um tapa olho no cara lá). 

Isso é ruim, porque é claro que queremos nossos personagens lá. Ao mesmo tempo... Insurgente já desenvolve a Tris, o Quatro, o Caleb e o Peter, além de trabalhar com a Jeanine e a mãe do Quatro. Essa porra tá virando Vingadores de tanta gente. (hUHUHUAHUHA brincadeira, Vingadores não tem tanta mulher...)

Então já estabelecemos que essa é uma das principais mudanças entre livro e filme: desenvolvimento de personagens secundários. 

Personagens assustados ao saber que seriam deixados de lado

Mas que isso não significa que a história mude. Pelo contrário.

No livro nessa parte final nós vemos os sem facção silenciosamente desarmarem os da Audácia, formando um cerco no último segundo e tirando o poder da Tori. Tem o desenvolvimento da ideia que, mesmo depois de tudo, os de facção querem continuar vivendo do mesmo jeito. Ninguém queria mudar a estrutura da sociedade, só tirar o poder corrupto de lá. Ainda existe uma segregação entre os com facção e o sem facção. Tem uma parte que explica isso no filme, onde a mãe do Quatro diz para a Tris algo tipo "Você faz parte de todas as facções, eu não faço parte de nenhuma". O Divergente faz parte do sistema, o sem facção não se encaixa no sistema. 

Tudo bem, os atores desse filme o figurino/cenário... é tudo tão lindo. deixa a história pra lá

Preciso divagar para fazer um paralelo sobre as pessoas que lutam por causas sociais através de violência. Elas querem mudar o posicionamento na sociedade de uma minoria, porém, elas não estão lutando pra mudar a sociedade em si. Tanto faz se tem outra minoria sendo sacrificada. Não é contra o sistema que eles lutam, é contra quem está no poder. Na trilogia Divergente, isso é relativo às pessoas que lutam pelos divergentes e queriam acabar com a Jeanine, enquanto os sem facção são aqueles que querem transformar toda a sociedade. (não necessariamente para uma melhor)

Enfim, no filme nós também vemos isso acontecer. A cena da mãe do Quatro matando a Jeanine faz essa tomada de poder rapidamente. O jeito é esperar que no próximo filme eles desenvolvam essa diferença entre facção e sem facção. Se eles vão fazer isso não dá pra saber, apenas que eles não colocaram um fim nessa história.

Eles mudaram como as coisas acontecem, mas dá no mesmo. Os sem facção estão no poder, a mensagem foi divulgada.



"Mas e aquela gente toda indo pra rua?"

Eu achei meio estranho também, ainda mais com os portões abrindo. O que é isso? Acabou? Vão embora?

Mas até onde eu sei ainda tem mais dois filmes. Acho que eles quiseram terminar em um tom positivo, assim como no primeiro, meio que olhando para o horizonte (chances são de que terminem o último filme mostrando o mundo inteiro). Parece uma possível ordem: Filme 1 - conflito dentro de facção. Filme 2 - Conflito entre facções. Filme 3 - Conflito entre facção e sem facção. Filme 4 - Conflito entre cobaias e os de fora. 

Meu palpite é que começaremos o próximo filme com os portões se fechando e vendo a mãe do Quatro tomar o poder. É isso que acontece em Convergente, ela cria um cerco e novamente vemos nossos heróis precisando se envolver em um grupo ilegal para dar um jeito de sair dali. Também deve ser desenvolvida a história do Quatro com os pais nesse. 

Tris, a última coca-cola do deserto

Acho que a mudança que mais me estressou é a Tris sendo essa tal de 100% divergente (não, ela não é o.ó) e todo esse lance de ser especial, mas eu falo sobre isso na minha resenha do filme e não vou repetir. Além disso, eles ainda podem depois desconstruir a ideia de que ela é especial quando mostram que divergentes são as pessoas normais em Convergente, o que vai ser um contraste muito legal. 

YAY, EU TAVA CERTA, SOU SUPER ESPECIAL. 
Não exagera. 

fica o pedido

Eu devo estar esquecendo de alguma coisa muito grande pra não perceber como o filme Insurgente muda os dois próximos filmes, porque a continuidade parece clara. É claro que eles podem ferrar tudo, eles parecem mesmo está pedindo para virar o próximo Percy Jackson, mas continua ok.

-dana martins



TAGS: , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *