católicos CCdiscussão

A sua religião não representa a minha fé

23.7.13Igraínne


Olá, crianças!! Hoje nós vamos falar de uma coisa que provavelmente interessa a muita gente (e é motivo de brigas em qualquer lugar): religião. E a primeira coisa que você precisa saber sobre isso é que religião é que nem bunda, amigo. Cada um tem a sua (e tem gente que nem tem). Portanto, não venham me tacar pedras no final desse post aqui, porque tudo não passa de uma opinião minha. Logo, não quero coagir você, caro leitor, não quero que você troque de religião, a proposta aqui é conversar, debater de maneira SAUDÁVEL. Se você não concorda, venha enriquecer o diálogo nos comentários. Se concorda, também pode comentar. Afinal de contas, comentário também é que nem bunda: cada um tem o seu, pois cada um sabe o que pode acrescentar.

Mas vamos ao que interessa (logo depois do pulo aqui embaixo)

Primeiramente, antes de começar de fato, deixa eu contar uma coisa para vocês: eu sempre quis escrever esse post. Por quê? Porque eu acho que igreja não pode controlar a sua vida, como diz a imagem de capa. E porque eu sou uma pessoa que não se considera ativista pagã, cristã ou sei lá o quê. Na verdade, eu não sou nem um pouco religiosa, às vezes até digo que não pertenço a nenhuma igreja em particular, embora minha avó goste de dizer que eu sou católica e até me presenteie com escapulários (que eu costumo usar de bom grado, sem problemas). Mas é exatamente por isso que eu queria escrever, porque já ouvi uns trocentos evangélicos reclamarem de preconceito, católicos também, espíritas, membros da umbanda.... mas eu também sofro esse preconceito. Porque ninguém entende que eu acredito em Deus, mas não acredito em instituição religiosa.

Veja bem, caro leitor, como minha situação é complicada. Eu nem sequer tenho primeira comunhão (que pecado). Mas eu não me importo com isso, eu não me importo (mesmo). Eu não acho que pra provar a minha fé eu preciso seguir todas essas regrinhas. Eu não acho que eu preciso frequentar igreja todo domingo para acreditar em Deus. Até porque eu não concordo com um BANDO de coisa que pregam por aí, a começar pela própria Jornada Mundial, mas já vamos chegar lá, muita calma nessa hora. O que quero dizer é que Deus pra mim é alguém que quer que eu seja feliz e só. Não alguém que precisa que eu reze um terço toda hora coisa e tal. Eu uso o escapulário da minha avó porque acredito em proteção, não faço para agradá-la ou porque quero que isso compense o fato de eu não ir à igreja (física) há uns trocentos anos (é sério, não tenho vergonha de dizer, galere: eu não lembro qual foi a última vez).

Enfim, minhas amigas ainda acham que eu posso ter salvação - porque afinal "todo mundo pode ter salvação, sempre é tempo de se arrepender...... não importa o que fizemos no passado e sim o que faremos no futuro..........". Eu respeito a visão de todo mundo, mesmo. Mas eu gostaria de verdade que as pessoas respeitassem a minha. E não vejo quase ninguém fazendo isso, o que eu vejo é gente me julgando porque eu penso de uma maneira diferente. Sendo um pouco mais radical, eu tenho um amigo ateu. Aliás, tenho dois. O Paulo (aqui do blog mesmo) e o Gui (um amigo purpurina). Eu não quero saber os motivos deles, eu entendo, compreendo, e respeito. O Guilherme tem até mais motivos, só o fato de ele ser homossexual já explica muita coisa, mas calma que também já vamos chegar a esse ponto em específico.

A questão é que eu não paro de ouvir "nossa, ser ateu requer muita coragem" ou "coitadinho". Assim, sem querer ser grossa mas já sendo, porque meus amigos são coitados? É porque vocês acham que eles vão para o inferno? Quer dizer então que vocês só estão na igreja, só assistem à missa, só fazem isso tudo para ir para o paraíso? Tásertinho. Não que todo mundo seja assim, evidentemente, mas existe uma coisa que me incomoda muito e ela se chama hipocrisia religiosa. Atire a primeira pedra quem não tem uma amiga que só vai pra igreja pra arrumar namorado. Porque se o menino for de lá, ele é de boa família, tem caráter, bla bla bla.



É aí que entra a Igreja Católica. Ok, coleguinha foi arrumar namorado na missa porque muito provavelmente são todos de boa índole por lá. Mas ninguém lembra que eram os padres os pedófilos de sempre. Não que seja exclusividade do catolicismo - não é, o que é uma vergonha - mas vocês entendem? E não que todos os padres fizessem isso (ou façam), evidentemente. Não quero julgar a instituição inteira pelos erros de milênios, aquilo tudo, vocês podem vir me tacar pedregulhos enormes sobre como hoje em dia "tá tudo diferente, mágico", e eu respeito isso. Mas eu também quero que vocês respeitem a minha opinião sincera de que eu, Igraínne, não gosto de ser representada por uma igreja com tal histórico. Aliás, não gosto dessa ideia e nem da ideia de que foi essa mesma instituição a responsável pela Inquisição. Disso ninguém lembra. Sem falar que assim, na minha sincera opinião, TODA igreja rouba. Você pode ser católico, evangélico, da universal, espírita, tanto faz. Sua igreja, em algum momento da história da humanidade, se aproveitou da sua ~~ boa fé ~~.

"Foram erros do passado" você vai me dizer.

Tudo bem então, amigo, vamos ignorar esses erros do passado, vamos lá. Até porque o falecido papa João Paulo II foi o primeiro papa a pedir perdão publicamente pela Inquisição (aliás, acho que esse foi o único papa de quem eu gostei, dentre esses três que conheci). Enfim, vamos esquecer os erros cometidos e seguir em frente porque afinal de contas estamos no século XXI, minha genteeee! Temos casamentos gays, mulheres no mercado de trabalho, donas do seu próprio dinheiro (e teoricamente donas do próprio corpo)...... Quédizê, o mundo é nosso, não é mesmo?

Não. Espera. Espera um minutinho. Não sei se vocês se lembram, mas quando Francisco foi nomeado no lugar de Bento XVI, vossa Santidade disse ser contra os gays adotarem uma criança e ser contra o aborto.................... "mas isso são coisas do conservadorismo, é que a igreja é muito conservadora, Igra. Algumas coisas não mudam, você não pode julgar por isso". Tá, não posso julgar por isso, ok. Mas dá licencinha, amigo, quer dizer então que 1 milhão de pessoas estão indo ao Rio de Janeiro para cultuar um cara que é contra um casal de gays adotar uma criança e contra o aborto? Porque assim, você me fala que é coisa da igreja, do conservadorismo, aquilo tudo, que você próprio não tem essas opiniões, mas VOCÊ está indo idolatrar um cara que repudia princípios básicos dos direitos humanos?????????????? Assim, desculpa, não entendi.


É a mesma coisa que você cultuar um político que tem essas opiniões só porque ele é...... político. Só porque ele tem poder, só porque ele foi escolhido para estar ali. Eu nem vou falar do Feliciano, porque sinceramente, esse cara me dá pena, mas se você quiser defendê-lo, a vida é sua, vai lá, eu respeito.

Outro dia estava eu no bandejão da minha faculdade, comendo sozinha, e me aparece uma menina para conversar. Nada contra isso, até curto, mas ela começou a falar de religião e me chamou pra uma reunião que acontece toda sexta-feira para debater os pilares de Deus. Gentilmente, expliquei que eu não era muito fã desse tipo de coisa, e ela começou a insistir. Disse meia dúzia de palavras sobre eu não poder julgar sem conhecer. Sem querer ser chata, eu até entendo esse argumento, mas ela estava fazendo exatamente a mesma coisa: estava julgando a minha opinião sem conhecê-la, sem conhecer o meu lado e, pior ainda, sem respeitar esse meu lado. Ela terminou a conversa dizendo que *todo mundo tem salvação*.

Olha só, gente, vocês me desculpem. Eu acho mesmo que a coragem real aqui é eu falar isso tudo e ainda assinar esse post. Porque a quantidade de gente que acaba sendo perseguida por ter opinião diferente da maioria... Por exemplo, vamos falar dos gays. Você ser hétero é um direito seu, amigo, por que então ser gay não seria um direito também? É um princípio básico (e nem é questão de princípio efeitvo, porque isso não se escolhe, mas enfim). O coleguinha que é gay não está te obrigando a ser gay também, então qual o problema? Sua igreja prega o amor, a compaixão e solidariedade, mas repudia o homossexualidade. Pra mim, homossexualidade é sinônimo de amor, sinceramente. Você vai ficar condenando amor por quê? Se você tiver uma boa explicação, eu juro que te escuto. Sobre casais gays adotarem crianças: ser homossexual não é estar doente, o fato de a criança viver com dois pais e duas mães não faz dela uma pessoa gay também, nem ajuda a uma "pré-disposição" (que aliás nem existe). A maior prova disso é que nem todo casal hétero tem filho hétero, logo....

Mas vamos falar do aborto, que pra mim é o pior assunto de todos, principalmente porque estamos num país LAICO e com uma presidente MULHER. Recentemente eu li na internet essa reportagem aqui. Nela, Francisco, nosso querido papa que você tanta ama, diz que o principal interessado na história é sempre o feto, e, por isso, devemos preservá-lo. Sabe o que eu acho sobre isso? Eu acho um monte de coisa que eu não vou publicar porque com certeza vai ter gente me julgando. Julgando a mim, percebam, uma mulher defendendo os próprios direitos, enquanto quem deveria ser julgado é a igreja que adora colocar a mulher como inferior. E nem venham me dizer que não é assim, porque não conheço uma única religião que aprove o aborto, que ache que a mulher tem tantos direitos quanto o próprio homem. Se você conhecer uma, amigo, por favor, me apresente. A única coisa que eu tô escutando nessa onda toda de fé é que mulher é incapaz de pensar por si mesma, e por isso precisa de uma lei (feita por homens) para orientá-la sobre o que fazer com o próprio corpo.


Pra piorar a situação, vamos falar do estupro, com essa coisa toda do estatuto do nascituro. Olha só, eu não aguento mais homem decidindo o que fazer com o MEU corpo, sério mesmo. Porque tudo bem uma mulher ser estuprada pelo padre, mas tudo péssimo se ela resolver fazer um aborto. O negócio já tá errado porque não existem cardeais mulheres. Mulher nunca reza missa, e não conheço, só pra constar, um cardeal negro que tenha sido cotado como favorito. E o mais absurdo é que vocês ainda vão pra essa jornada cultuar isso tudo. Sério, é surreal, vocês me desculpem.

Enfim, o último ponto que resolvi levantar aqui é a questão da virgindade. A única coisa que eu consigo pensar na raiz dessa ideia é: vamos preservar a virgindade porque a pedofilia é mais legal assim. Mais repulsivo impossível. Mas, só para você não dizer que eu tô generalizando, vamos explicar com mais argumentos. Eu não acho e não concordo com essa coisa de "eu escolhi esperar", porque basicamente quem apoia isso só pensa no pecado, porque não quer ir para o inferno e acha que se entregar antes do casamento é algo errado, feio e sujo. Gente, vamos combinar, tem tanta coisa errada nesse mundo pras pessoas ficarem se preocupando com virgindade... Sem falar que isso não faz você ser uma pessoa melhor ou pior. Eu não acho que a sua ou a minha fé aumenta ou diminui porque somos virgens ou não. Essas coisas são tão pequenas, entendem? E assim, sendo bem direta: o corpo é seu, não da igreja.

Para concluir, queria dizer que você é um vencedor se chegou até aqui sem me xingar, amigo. Eu realmente espero que isso tudo faça você refletir, porque o que mais precisamos hoje em dia é de pessoas que pensam enquanto rezam. Uma coisa não anula a outra, não precisamos ser cegos e aceitar tudo o que nos é dito dentro da igreja (seja ela qual for). O problema não é a existência do papa, eu estaria superfeliz com a JMJ se os ideais dele (papa) fossem condizentes com o que eu acredito ser o certo. Mas não são. Nem de longe, amiguinho, nem de longe.

Lembre-se disso tudo quando você for caminhar na direção do cara que adora defender princípios que vão (completamente) contra os seus. Ser religioso não é ser tolo e não ter opinião. É defender aquilo que você acredita e só, não é muito difícil. Se a pessoa é a favor dos homossexuais e tá indo nessa jornada, ela é, no mínimo, contraditória, para não dizer outra palavra (como hipócrita).

Eu questiono muito um monte de coisa, e não sei (mesmo) o que o cara lá de cima diria ao ouvir isso tudo aqui embaixo. Ouvir que homossexual não pode adotar ninguém. Se você também questiona (ou não), não se esqueça de comentar, sua opinião é sempre bem-vinda - e sempre será.

TAGS: , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

22 comentários

  1. Concordo com muito. Acredito em Deus, não acredito, infelizmente, na Igreja. Não consigo, não levem a mal. Os motivos estão aí, por todos os lugares.

    ResponderExcluir
  2. A gente acredita sempre nos que convém. Se você acha certo x, não achará y correto, é isso.

    ResponderExcluir
  3. Não vale a pena debater um assunto que, como você mesma disse, é igual cu: cada um tem o seu. Correto?
    Sobre o texto, concordo com boa parte do que você escreveu. A religião (não a católica, evangélica, todas) é cheia de pontos que devem ser questionadas antes de seguir a risca como verdade absoluta. Só não concordo com a forma como você se colocou. Foi agressivo, violento, irônico. Não acredito na solução de "soco" respondido com "soco".

    Bom texto, levantou questões que devem ser pensadas.

    ResponderExcluir
  4. O que mais ouvi essa semana, é que, ok, tudo bem que você não concorde com o papa, a igreja, e afins, mas você tem que ficar quieto e respeitar, eu super respeito opiniões contrárias a minha, mas isso não quer dizer que eu concorde, eu não preciso ofender, xingar, mas também não posso ficar calada achando tudo lindo, por que não é. Eu não acredito em uma instituição que me diga o que pensar e o que fazer, que, como você disse perfeitamente, vai contra direitos básicos do ser humano, e que princialmente vive me dizendo o que posso ou não fazer com meu corpo. Infelizmente, é muito difícil encontrar alguém que compreenda que eu tenho o direito de não acreditar, alguém que da mesma forma "exige" que eu compreenda seu direito a religião, que eu respeito, eu não tento converter ninguém ao ateísmo, mas não vou guardar minha opinião, só por que tem gente que não gosta dela. Mas enfim, tenho a sorte de ter uma família e amigos que me entende.

    Excelente texto.

    bjs

    ResponderExcluir
  5. Excelente texto Igraínne.

    Apesar de não concordar completamente com você.

    Sou cristã, no sentido bruto da palavra: todo o indivíduo que adere ao Cristianismo, uma religião monoteísta abraâmica centrada na vida e nos ensinamentos de Jesus de Nazaré, mas sem ser filiada a nenhuma igreja.

    Mesmo sem ser membro de nenhuma igreja acredito que quem foi a JMJ não foi para adorar um cara (ele nem é a Madonna), mas sim participar de um grande seminário que professa a fé cristã. No Brasil são realizados vários ao longo do ano (de diversas igrejas). Já tive a oportunidade de participar de alguns (tanto da católica e das evangélicas) e tive algumas experiências interessantes.

    E concordo com o Heverton: "A gente acredita sempre nos que convém. Se você acha certo x, não achará y correto, é isso."




    ResponderExcluir
  6. Oi, Igraínne, achei o texto interessante e vou tentar comentar, sendo imparcial (tentar), alguns tópicos.

    1) "Porque eu acho que igreja não pode controlar a sua vida". Acredito que aqui você quis dizer Religião. Porque igreja não pode mesmo controlar nada. Uma igreja pode representar mal a beça a religião da qual ela faz parte.

    2) "Eu não acho que pra provar a minha fé eu preciso seguir todas essas regrinhas". Nem faria sentido. Você nunca conseguiria provar sua fé, porque você não tem fé nas mesmas coisas que os católicos/ evangélicos/outros. Quando você diz que acredita num deus que "é alguém que quer que eu seja feliz e só", esse é um deus particular seu, você tem fé nele. Não necessariamente é o mesmo deus dos católicos, o mesmo deus dos evangélicos... Há religiões que acreditam em vários deuses. Então, acho que você não tem que provar nada.

    3) "porque meus amigos são coitados? É porque vocês acham que eles vão para o inferno?". É uma questão de realmente acreditar onde se diz depositar sua fé. Um religioso cristão (por exemplo) de fato acredita em céu e inferno e que algumas atitudes te conduzem ao inferno. Quando ele vê alguém tomando uma dessas atitudes, a constatação é imediata "Ela vai para o inferno". Ele não a está mandando para o inferno, está apenas constatando um fato que, na cabeça dele, é verdadeiro. Ele pode sentir pena da pessoa. "Poxa, Fulano vai para o inferno". Talvez daí venha o "coitado". O mesmo vale para um ateu que, de fato, não crê em Deus quando vê um religioso. "Está perdendo tempo, uma pena".

    4) "TODA igreja rouba". Mais uma vez a questão Igreja/Religião. Não acredito que uma Religião seja fundada com o intuito de enganar ninguém, creio que todas elas surgiram de boas intenções (posso estar equivocado). Agora, se as pessoas querem usar da religião pra roubar o povo... Se eu tenho um pastor safado, com certeza minha religião não o apoia. Se meu padre é mal caráter, o catolicismo não o apoia. Então, nessa questão de roubos e outras falcatruas, a culpa é toda das pessoas.

    5) "Pra mim, homossexualidade é sinônimo de amor, sinceramente. Você vai ficar condenando amor por quê?". Porque quem condena a prática não vê da mesma forma que você. Como eu disse, um religioso realmente tem fé na sua religião. Se o deus todo-poderoso dele (em quem ele ama e confia) condena a homossexualidade por n motivos, ele não vê razão em discordar. Obviamente, quem não segue tal deus não vê da mesma forma. A opinião do deus em questão não tem valor.

    6) Acho que eu só discordo totalmente do seu parágrafo sobre a virgindade. "vamos preservar a virgindade porque a pedofilia é mais legal assim". Não entendi se você realmente acredita que a coisa é desse jeito ou se tudo foi ironia. Não é que a virgindade te torna melhor ou pior. Essa coisa toda sobre a castidade é apenas um alerta. No caso dos cristãos, acredita-se na ideia de "homem e mulher se tornam uma só carne quando fazem sexo". O sexo é mais que um momento de prazer, é algo sagrado, que também interfere no "mundo espiritual". É algo de 1 pra 1. Depois que você é uma só carne com a outra pessoa, é condenável se relacionar com outras, equivale ao adultério. Resumindo: sexo é casamento. Daí as igrejas cristãs resolveram fixar esse marco de casar oficialmente para poder fazer sexo (O que na minha cabeça não faz sentido, como eu disse, sexo é casamento).

    7) Concordo com você. Não vejo sentido em alguém ser católico e não concordar com tudo do catolicismo. E isso vale para todas as religiões. Entendi que você explicou os motivos por não aderir ao catolicismo. Justo.

    Maior comentário que já fiz na minha vida O.O
    Espero não ter ofendido ninguém, não foi minha intenção (sei que o assunto é delicado).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Felipe!!!! Você não ofendeu, fique tranquilo! O post foi feito para isso, para criar um diálogo. Fico mto feliz que tenha comentado! Mas vamos lá:

      1) Igreja que eu eu digo não é a igreja física, é a instituição, a religião de uma maneira geral. Assim mesmo como você disse que eu quis dizer. Quando falamos igreja nem sempre nos referimos àquela de concreto.

      2) Concordo. Eu dei mais esse exemplo por ter mencionado que minha família é majoritariamente católica. No sentido de ter que provar a alguém que eu tenho fé quando se trata de você pertencer a algum grupo de pessoas... religiosas, que se insere numa religião. Eles esperam que você seja de algum jeito, e aja de alguma forma específica. Só que não dá pra ser sempre assim. Aquela coisa toda de hipocrisia religiosa.

      3)Concordo 100%. Como no tópico anterior, toquei nesse assunto para evidenciar a questão da hipocrisia, para mostrar que muitas pessoas (embora não a maioria, evidentemente), só taxa as pessoas como condenadas ao inferno - e só pratica a própria religião - para não ir para o inferno também.

      4)Nenhuma religião foi fundada para roubar, é claro que não. Eu sei disso. Pelo menos em tese, elas foram fundadas com o intuito de promover a fé, a bondade, aquela coisa toda. O erro foi das pessoas, mas não podemos negar que, com o passar do tempo, tais erros são vinculados às intuições, e não a pessoas. Como a própria Inquisição, como eu disse. Ninguém culpa o fulaninho, porque não foi só um indivíduo o responsável por ela, foram inúmeros, e a igreja entendeu a atitude como correta à época.

      5) É o problema que eu falei sobre a cegueira. É isso que levanta toda essa questão, é o que me fez escrever o post. Você ser adepto de uma determinada religião não faz de você um seguidor cego, você não precisa abaixar a cabeça para tudo o que ouve ali. Da mesma forma, questionar e ter opiniões diferentes sobre determinados assuntos não faz de você menos religioso que outras pessoas credoras da sua mesma fé.

      6)Sobre a virgindade e a pedofilia: essa frase foi uma ironia, tanto que logo depois eu digo que não é um motivo para generalizarmos. É claro que a preservação da virgindade não foi uma ideia criada com o intuito de tornar a pedofilia mais legal - embora, à época, isso seja questionável. Mas de qualquer forma, não acredito que tenha sido assim. De uma maneira geral, entendi o que você quis dizer sobre o sexo se tornar casamento, mas é justamente isso que eu questiono no parágrafo: há tantas outras coisas com as quais nos preocuparmos, coisas mais sérias e importantes, então por que se fixar num ponto tão... íntimo? Sobre o espiritual: entendi a sua visão, aquela questão de adultério. Nesse nível (espiritual), dá pra ter muitas outras visões, tanto que tem igreja que nem prega sexo como prazer, apenas como uma forma de procriar, como se o prazer fosse um pecado. É mais do fiel, cabe a ele entender o que a sua igreja prega e a partir daí decidir o que fazer com o próprio corpo, sem ser questionado por isso, sem ser chamado a atenção, sem precisar dar explicações. Entende? Antes de mais nada devemos ser fiéis a nós mesmos, sem medo de julgamentos, de sermos taxados de menos religiosos por isso.

      7) :))

      ADOREI seu comentário, mesmo! Desculpa se falei algo que o ofendeu também. Aproveito para dizer que adorei todos os comentários que fizeram, até quem me chamou de agressiva. Acho que devemos sempre estar abertos a um diálogo, a uma conversa, afinal é um assunto discutível. Se só eu falasse, não teria sentido.

      Um enorme beijo!

      Excluir
  7. Olá, Juliana!
    Discordo com algumas coisas em relação ao seu comentário. Vamos lá rs
    Ao dizer que tem que respeitar e blá blá blá a JMJ, que creio que era isso que você está se referindo no começo do comentário, pareceu um pouco impaciente. Você não é obrigada a nada, mas precisa haver um respeito que ao meu ver ficou muito superficial no que você disse. Ofensas, xingamento, como o comentado por você mesma, não nos levarão a nada. Mas o que a JMJ e esse evento católico atrapalha na sua vida espiritual? rs
    A religião Católica, vou usar logo este exemplo, tem uma base arcaica de pensamento em relação a certas coisas? Sim, tem. Mas não paramos para compreender às vezes o que ela realmente quer com isso. Eu sou católico e não concordo com um bando de coisa, entretanto eu ENTENDO. A Igreja evolui em pensamento mais lentamente que as pessoas. Ela tem que manter a sua base de pensamento e orientação filosóficos parecer sólido, por isso que é tão respeitada e grandiosa. Sim, você não é obrigada a se converter, e acho, que por parte do catolicismo, dificilmente você vai encontrar alguém forçando você ir à Igreja. E assim, se for para a algum tipo de instituição religiosa por ene motivos que não seja Ele, não valerá nunca a pena.

    ResponderExcluir
  8. Muito relevante esse texto. Gostei muuuuuuuuuito! Adoro o CC por conta disso, sempre tratando de assuntos como este.

    Sou batizado, comungado e, agora, crismado! Não é por conta disso que eu seja um pleno seguidor dos dogmas católico. Não vejo o catolicismo como uma igreja para os novos tempos, mas o futuro é incerto. Portanto, vejo cada dia mais uma igreja aberta para novas culturas, cultos e hábitos.


    Lindo o post, Igraínne!Parabéns.

    ;)

    ResponderExcluir
  9. enquanto ao homossexissualismo adotarem crianças,isso e contra deus.eles teriam que dar filhos a deus.deus disse se multipliquem sejam fecundos.como dois homens se reproduziram?,e duas mulheres?.se fosse pra homem se casar com homem deus faria assim.voce nasçeu de dois homens? nao condenamos nimguem,so alertamos do pecado.quem nao corrige seu irmao ou seu proximo,pagara pela alma perdida.jesus quer abraçalos nimguem tem precomçeito.nossa alegria e ver os filhos de deus bem com seu senhor,e so o que queremos!ja ao aborto,imagina voce se tua mae tivesse ti abortado,voce nasçeu,deixamos que os outros nasçam tanbem.uma vida indefesa.deus quer ver viver seus filhinhos.bom, sobre pedofilia e corrupiçao,nos fazemos nossa parte e eles os corrupitos responderao por seus atos.ex;eu nao pago inposto porque ha corupiçao,voce esta sendo corrupito tambem.eu dou meu dimheiro a igreija faço minha parte com deus e o que eles fazem com isto poblema deles.oramos por eles por que preçisaram.estrupo ti digo o seguinte; deus tem anjos acanpados ao redor dos que o temem.voce estara sempre protegido se tiver fe e acreditar.as pessoas se prostituem se drogam nao rezam nao estao com deus,deus os gardara se quiser .muito difiçel deus guardar quem nao esta com ele.porque?o espirito de deus e santo e nao permaneçe na sujeira.deus tambem nao deixara que esta com ele pra cuidar de quem nao esta com ele. porque?deus e´justo.meu voce preçisa ler a BIBLIA SAGRADA PARA ADQUIRIIR CONHEÇIMENTO SOBRE DEUS.NAO FALE SEM SABER DO ASSUNTO.POR FAVOR! ME PERDOA SE FUI GROSSO.

    ResponderExcluir
  10. VOCE NAO LE BIBLIA MINHA QUERIDA!,LEIA A BIBLIA TODA E ESCREVA NOVAMENTE.PRA GENTE VE SE VOCE EMTENDEU DEUS. FALE DO QUE VOCE LER DIRETAMENTE NA BIBLIA! A FONTE PERFEITA,MANUAL DA VIDA,ESCRITA POR DEUS! ESCRITA COM SAMGUE!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NOOOOOSSSA adoraria ver esse teu milagre ai. tua bíblia foi escrita por Deus? Você que esta precisando ler ela todinha e também ler sobre quem a escreveu. "Toda a Bíblia ou Escritura é inspiração de Deus, tem Deus como o autor e FOI ESCRITA POR PESSOAS que eram movidas por Deus, ou seja, por revelação." ou seja DEUS NÃO ESCREVEU NADINHA.

      Excluir
  11. Sou católico praticante. Tento ir todas as semanas na Santa Missa, participo de grupos de jovens e também participei da Jornada Mundial da Juventude. A principal questão que eu gostaria de abordar aqui é a imagem que você tem da religião e que não é a mesma imagem que eu.

    Em momento algum me senti com medo de Deus porque, dependendo das minhas ações, seria jogado ao inferno ou não. Até porque nenhum padre ou líder ou o que quer que seja de qualquer movimento tenha usado estas palavras comigo ou qualquer sentença parecida. O Deus que a minha igreja não é um Deus condenador, mas um Deus que perdoa.

    É um Deus que a gente enxerga nos pobres, através de várias ações sociais, ONGs, instituições de caridade, centros de reabilitação de dependentes químicos, asilos, albergues... Em minha cidade, todos estes espaços que deveriam ser administrados pelo Governo são responsabilidade da Igreja Católica, sustentada através de contribuições dos fiéis. Em minha comunidade nunca se divulgaram casos de roubo ou pedofilia, mas alguns casos de relacionamentos de padres com adultos, sim. Todos foram julgados pela Justiça Canônica, inclusive, e isto afirma que os dirigentes de hoje não são os mesmos que provocaram ou apoiaram a Inquisição ou qualquer ato violento de alguém que se ache superior. E, à propósito, termos hoje um Papa argentino foi grande surpresa porque o grande favorito e divulgado pela imprensa na época da seleção era negro.

    O Deus que conheci também não é um deus que recrimina os outros por suas escolhas (ou não-escolhas). Homossexuais, negros, pessoas de outras religiões... Há espaço para todos por ali e nunca presenciei nenhum ato de preconceito e nada que pudesse incitar outras pessoas a se movimentar contra minorias.

    Mas a gente acredita que a virgindade, por exemplo, é algo importante e que nosso corpo deve ser preservado. Para explicar melhor: você transou com uma pessoa e, depois, transou com outra. Inconscientemente, você compararia o prazer que um ou outro te proporcionou. Manter-se virgem seria um modo de procurar satisfação com uma única pessoa, entende? Não é procurar o prazer com várias pessoas diferentes para ver qual te agrada, mas duas pessoas se entendendo e proporcionando descobertas juntos.

    A questão do homossexualidade é um pouco mais complexa de explicar, tanto que nem eu me considero plenamente apto para isso. O que importa é o que discurso começa a mudar, apesar de boa parte ser mantida. Hoje, alguns padres católicos entendem isto como uma forma de amor e acreditam que não devem se envolver em questões "jurídicas", como o casamento. Padre Fábio de Melo, por exemplo, já afirmou ser contra o envolvimento da igreja nesta questão.

    Por outro lado, a questão do aborto e do estupro devem continuar as mesmas e eu concordo. A mulher deve sim fazer o que quer com o próprio corpo, mas cientificamente falando, o feto não é parte do corpo dela. Os direitos de uma mulher adulta são maiores que os direitos de uma criança? Que a mulher decida o que fazer com a criança após o parto: cuidar do bebê ou entregar a outras famílias. A Igreja Católica, inclusive, dá total apoio a estas mães (adolescentes, vítimas de estupro, com gravidez indesejada...).

    Sobre a Jornada, veja bem, não participei com a intenção de idolatrar o Papa, tampouco o vi, se não de telões. Viajei doze horas para encontrar várias pessoas com pensamentos parecidos, troca de experiências. Não há porque generalizar a situação e, podes perguntar para várias pessoas, a minoria deve dizer que foi ao evento por causa da presença do Papa. Fora que julgar um homem por causa de algumas poucas palavras que não te agradaram é a mesma coisa que você parece não querer que façam com você por causa de suas opiniões sobre Deus, Igreja, Religião, Fé.

    ResponderExcluir
  12. Tenho essa mesma filosofia! Acredito em um Deus que não quer me comandar, acredito que seja o criador e apenas.
    Acho que Deus é um só, cada pessoa ou cada religião que o torna um Deus diferente.
    Respeitar as diferenças é essencial, não acredito e não sigo nenhuma religião; particularmente tenho minhas críticas mais respeito cada um que tenha uma crença diferente. Cada um tem uma mente, um tipo de raciocínio; cada qual com suas razões.
    E enquanto a adoção por homossexuais, as pessoas hipócritas acham melhor uma criança ser carente de uma estrutura familiar,de amor e carinho, de saúde mental do que se adaptar com o novo modelo de família, dois homens ou duas mulheres qual a diferença? A criança vai ser educada, vai receber amor, consequentemente vai ser feliz só isso que deveria importar.

    ResponderExcluir
  13. Olha nao li todo o texto mas sobre acreditar em Deus e nao ter religiao eu me identifico quero deixar minha opiniao fui criado como catolico mas no fim da adolescencia comecei a me perguntar sobre e passei aler a biblia logo vi q o catoliscismo estava errado enfim procurei a verdade em diversas religioes cheguei ate a achar q as testemumhas de Jeova estavam certas mas tambem vi equivocos enfim hoje chego a seguinte conclusao Deus existe com certeza o nome dele e Jeova seu filho enviado pra nos salvar e Jesus e eu tenho a esperanca do fim da maldade e de uma terra justa e procuro fazer as coisas corretas como amor bomdade altruismo fe comprometimento com Deus tudo isso seguindo a Biblia e nao a nenhuma religiao espero ser salvo

    ResponderExcluir
  14. Olha nao li todo o texto mas sobre acreditar em Deus e nao ter religiao eu me identifico quero deixar minha opiniao fui criado como catolico mas no fim da adolescencia comecei a me perguntar sobre e passei aler a biblia logo vi q o catoliscismo estava errado enfim procurei a verdade em diversas religioes cheguei ate a achar q as testemumhas de Jeova estavam certas mas tambem vi equivocos enfim hoje chego a seguinte conclusao Deus existe com certeza o nome dele e Jeova seu filho enviado pra nos salvar e Jesus e eu tenho a esperanca do fim da maldade e de uma terra justa e procuro fazer as coisas corretas como amor bomdade altruismo fe comprometimento com Deus tudo isso seguindo a Biblia e nao a nenhuma religiao espero ser salvo

    ResponderExcluir
  15. Eu li o texto e me identifiquei, participei ativamente das igrejas católica, e evangélica, mas um belo dia resolvi fazer o que muitas pessoas não fazem ( talvez por medo) questionar tudo que estava seguindo e vi que na bíblia existem coisas concretas e outras muito interpretativas, e percebi que essas partes interpretativa as religiões sempre usam a interpretação que beneficia a própria religião mantendo as pessoas sob seu domínio. Desde então decidi continuar com minha fé em Deus, mas longe de religiões que além de tudo, se mostram sempre separatistas quando deveria ser o contrário, pois o que mais se vê são rivalidades entre grupos religiosos ( com exceções claro) pois cada qual sempre quer colocar a religião que segue como a verdadeira religião de Cristo, quando na verdade Cristo nunca pregou religião alguma, apenas amor e humildade, não esses dogmas absurdos e escravizadores que as religiões pregam.

    ResponderExcluir
  16. Concordo com vc Julio,Deus existe sim e em parte alguma da Biblia se fala em religiao;na minha opiniao as religioes sao so pra confundir quem realmente tem fe

    ResponderExcluir
  17. concordo completamente com voce! Acredito em Deus e acho que religião é uma coisa muito mais além de Igreja Católica\Evangélica etc . Gosto de pensar que a minha religião é fazer o bem e propagar amor, coisas que muitas pessoas que se dizem religiosas não fazem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe, mas a Bíblia fala sim de religião: A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo. (Tiago 1:27)

      Excluir
  18. Ame a Deus acima de todas as coisas...E ame a seu próximo como a ti mesmo - acredito que o que Jesus nós deixou de mais precioso... se a humanidade (incluindo eu pecadora) se lembrar desse mandamento todo dia... Deus iria se orgulhar muito.

    ResponderExcluir
  19. IGRAÍNNE, quero te parabenizar pelo seu texto e sim, eu li tudo. Sou evangélico, batizei tem 4 anos, fiz isso porq me senti bem, senti uma certa paz em está na igreja entoando louvores e assim me dedicando mais a Deus/igreja. Porém eu sei que por dentro sou diferente, desde criança eu sinto atrações por meninos e já fiz de tudo, orei a Deus, clamei por libertação, mas ainda sinto isso. Quando eu me batizei eu ainda tinha muita fé que eu iria mudar, que conseguiria uma namorada na igreja e seria muito feliz, mas tenho percebido nesses últimos anos que não, eu ainda sinto atrações por homens e fico entristecido com isso, pois não sei lidar muito bem, eu sei que se eu contasse isso para alguém eles iriam falar que isso não é certo que depois que eu entrei na faculdade estou me deixando levar, que é a internet e a influência do mundo e que vão orar comigo para eu me libertar disso. Eu acredito que se fosse realmente errado Deus não me deixaria passar por essa luta, não o critico porq creio que ele seja perfeito. Hoje eu me questiono muito acerca de tudo em minha volta, eu não concordo que a Terra tenha 6 mil anos, eu faço química, é um absurdo acreditar num Deus tão perfeito fazendo coisas tão simples como criar tudo em 6 dias. Mas meu líder espiritual disse que temos que acreditar em tudo ou nada do que está escrito na Bíblia, interpretar literalmente é algo surreal porque foi escrito há muitos anos e por homens com culturas e pensamentos diferentes, na Bíblia fala de que os servos devem obedecer seus senhores, mas Graças a Deus não vivemos mais nessa época de servos e senhores. Tenho uma vontade muito grande de ter meus próprios pensamentos sem ter medo de ir para o inferno, sem ter que acreditar que salvação é só pela graça e que se você for uma pessoa boa, mas que não faz tudo o que está na Bíblia, ou que não vai na igreja, você logo está destinado ao inferno. Acho que religião está dividindo muito as pessoas e isso me dói muito. Eu sei o que um homossexual senti por dentro, muitos da igreja e fora também os julgam, mas não sabem como é ruim se reprimir, viver por aparências com medo do que os outros vão falar do que eu penso ou deixo de pensar. Eu só gostaria de saber o porq as pessoas se preocupam tanto se você é gay, espírita, umbandista, ateu. Eu vi um blog católico onde fala que " a posição do ateu ou do agnóstico são inaceitáveis". Vivemos num Brasil laico, tem espaço pra todo mundo ser feliz e se sentir bem consigo mesmo. Eu não sei como será as minhas decisões nos próximos anos, fico com medo de abrir mão do que eu conquistei e depois me arrepender, mas odeio ter que me omitir, odeio ser representado por pessoas que falam mal de gays, e de todos que não são evangélicos, sei que na maioria das religiões encontrarei isso, por isso penso em um breve dia ser agnóstico, acreditar em Deus e não numa instituição religiosa. Não quero verdades prontas, não quero aceitar tudo só porq está na Bíblia, eu gostaria de saber o porque eu devo concordar com tudo que está na Bíblia, ou seja se o Apostolo Paulo escreveu algo que eu não concorde, só porque está na Bíblia eu devo acreditar fielmente e sair reproduzindo por aí como verdade absoluta. Sei que eu saindo da igreja deixaria a minha vó triste e a minha mãe também, mas eu só tenho absoluta certeza dessa vida. Não sei se você ou outro qualquer sabe o que eu estou passando, vivo divido em dois mundos e isso me tortura, mas enfim, caso estejam lendo, apenas orem por mim, ou mandem pensamentos positivos para eu ser feliz, pelo menos nessa Terra.

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *