a culpa é das estrelas bauman

Manifesto sobre a manifestação dos manifestantes

15.6.13Dana Martins


"Pouco se vê gente reclamando pra fazer alguma coisa, só pra dar palpite de como os outros deveriam fazer algo."

Boa noite. Interrompemos nossa programação para falar sobre a manifestação. Porque alguém tem que fazer isso. Mas já está todo mundo falando disso! Sim, estão. O que elas não estão falando é sobre a manifestação e a nossa posição diante disso. Eu não vou ficar aqui definindo heróis e bandidos, ou fazer um discurso de rebelde cansado. Porque, sendo bem sincera, minha opinião sobre isso tudo é uma: eu não acredito nos manifestantes. 

Veja bem, esse é o meu posicionamento (Dana), diante disso. E como eu prefiro agir em vez de só falar.

Eu decidi falar disso aqui no CC porque é pura hipocrisia não falar. Nós fazemos um blog de cultura jovem e é injusto com vocês, leitores, não dar uma opinião. Até porque nós analisamos a mídia, falamos de distopias, estudamos zumbis e recentemente trouxemos discussões sobre o Xbox One. Não vê o que essas coisas têm a ver com com a manifestação pelo preço do ônibus e o abuso de poder da polícia? Mais um exemplo de por que o problema é bem maior.


O problema inicial não é nem a manifestação. Todo mundo fala que é a mídia que tem essa visão imparcial (e ela tem mesmo!), só que no mundo real não é bem assim. Na versão justa, o quadro seria mais ou menos desse jeito:


Cada um gruda no próprio ponto de vista e não sai mais, só vê o que quer. Então para a mídia, os bandidos são um e os mocinhos outros. Para o universitário, outra coisa. Para a sua mãe, outra. Ninguém tem uma visão geral.

Aliás, acho que pra entender mais o fato acima deveríamos ir mais longe: tirar esse zoom da imagem e ver tudo o que está acontecendo lá atrás. Enquanto as pessoas se prenderem ao momento, no momento suas ações ficarão.

Mas o que me desanima mesmo... é essa desorganização. Na última noite eu passei lendo todos os textos para fazer uma prova hoje (viu? eu sou igual a todo mundo) e com um deles eu discordei feio. Then, everything changed when the Fire Nation attacked... e eu me vi concordando com ele.

O autor é Bauman, que no texto estuda o consumo moderno e suas consequências na vida das pessoas, e ele é bem descrente com o ativismo político online. E depois de quase xingá-lo na prova em uma questão sobre isso, bastou uma hora no ônibus vendo os mil manifestantes revoltados... no facebook, para começar a mudar de ideia.

adoro paramore também
O problema não é a revolta, é a falta de revolta. Um discurso que parecia legítimo de cara logo vira piada sobre vinagre (todas lindas, continuem!), histórias de fé e orgulho ao vivo da cadeira do computador, discussão de qual vai ser a plaquinha mais cool ou a máscara mais legal. Será que V de Vingança já é muito mainstream? Alguém ao menos leu V de Vingança?

"Como assim leu? Não era um filme?"

E a falta de revolta não é agora que está na moda. A falta de revolta é ontem e amanhã. Diga o quanto você estava interessado na questão do índio morto em uma das últimas semanas. Ou você ao menos leu a polêmica do Xbox One? "Mas videogame não é a coisa de criança sem o que fazer?" Só de não enxergar a influência dessas coisas na sua vida é um problema enorme.
"Mas, no UAI, a Anna resolve que ser uma pessoa com câncer que abre uma instituição de caridade para ajudar nas pesquisas da própria doença é um tanto narcisista, então monta uma instituição chamada Fundação Anna para Pessoas com Câncer que Querem Curar o Cólera." - A Culpa é das Estrelas, 50-51. 
O que você vai fazer amanhã para mudar o mundo? E daqui a 5 meses? Tivemos o SOPA, o Anonymous e a indignação com tirarem do ar o... qual é o nome daquele site de downloads mesmo? Tivemos o ENEM com pessoas na rua, nariz de palhaço e grupos de jovens que iam revolucionar a educação brasileira! (até serem aprovados no vestibular) Há pouco tempo também teve uma ocupação no Rio de Janeiro - você lembra do que? 

Ah, e ainda teve a greve das universidades ou a dos bombeiros onde já teve forte manipulação da mídia. Aqui em quase já estavam achando quase que eu estava inventando a greve...


Precisa mais jornalista bonitinha levar bala na cara pra publicarem mais no facebook sobre as evidentes injustiças?

E precisa. Se você não estava mais interessado na aventura ou no romance ou em não dar atenção só porque todo mundo gosta, depois de ler Jogos Vorazes com certeza sabe disso.

Aliás, eu pensei em dar outras referências, mas acho que não existe nada melhor do que Jogos Vorazes para definir a nossa situação. Manipulação da mídia, manipulação do povo, desorganização entre o povo e a falta de poder enquanto você assiste seus direitos serem arrastados para ralo com bombas.
"Katniss, When you're in the arena... Just remember who the enemy is... That's all."
Achei essa foto tão boa que tive que colocar aqui. O que você está vendo? O gesto de amor de participantes? O gesto do amor de meia dúzia de participantes em um monte específico? A polícia parada? A quantidade de fotógrafos? (não sei pra onde essas fotos estão indo)  Eu estou procurando o governo, alguma sugestão?
O objetivo de ter escrito tudo isso não foi para ir contra ou a favor. Foi para fazer você lembrar de um detalhe crucial: o poder está na sua mão.

Estamos de tal formas alienados que não nos damos contas de coisas simples. Apesar de todas as semelhanças, isso aqui ainda não é uma ditadura, ainda há soluções. Reclamar da injustiça do governo é fácil. É muito mais cômodo sentar no banco da vítima, fazer a cama e dormir esperando um juiz que não existe resolver o problema. Ou reclamar quando está todo mundo reclamando. Mas olha só, você fez até a cama! Por que seria você o culpado?

Ainda é você que paga um preço absurdo para comprar o iphone (e colocar no instagram a foto da "revolução"!). 

E eu vou te falar uma coisa: eu não ando de ônibus comum, então a mudança de preço não me afeta. Mas eu ando, sim, de ônibus. Com conforto, ar condicionado e segurança. Por que eu sou rica?

Pera, deixa eu fazer as contas: pago 30 reais por mês. Vamos fingir que isso é uma utopia e o preço do ônibus ainda é 2,70. Para ir e voltar para faculdade durante um mês é 108 reais. Isso considerando que eu não saia de casa pra mais nada. 

Com esses 10 ou 20 mil manifestantes por aí dava para fazer algo muito bom estilo "cooperativa de transporte."

Só por comparação, em um dia do Rock in Rio esse ano teremos pelo menos 85 mil pessoas (na última edição foi 100 mil por dia e só não tem mais porque eles limitaram). Eu não sei mais se essa manifestação é tão grande assim...


Eu espero que eu, Bauman e até a Suzanne Collins estejamos errados. Espero de verdade. Espero que vocês lembrem daqui a um mês disso tudo. Espero que durante a Copa vocês lembrem disso (aliás, já leram esse texto que mostra os efeitos de um evento como as Olimpíadas em um país?). Espero que quando comprarem o próprio carro vocês lembrem disso. Espero que quando tenham os próprios filhos vocês lembrem disso. Espero que vocês lembrem que fomos nós quem inventamos essa tal ideia de governo. Espero, também, que vocês lembrem disso para agir, em vez de publicar desabafos. Espero que continuem na rua e mostrem para eles quem nós somos. 

Só não espero sentada ou levando porrada, porque o mundo é muito grande para ficar batendo com a cabeça na parede.

-dana martins

TAGS: , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

1 comentários

  1. Criação de um partido virtual seria algo muito bom \o/.

    Não gosto muito de especular o que tá errado, gosto de agir, mas não achei a forma que funciona pra mim ainda.

    Tem que fazer igual em jogos vorazes, usar o sistema contra o sistema

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM