1984 CCLivros

Como saber se você deve ler 1984?

29.5.13Conversa Cult


"1984" é o pai distopia: o senhor por trás de livros como Jogos Vorazes e essa onda de gente sem liberdade que tem rolado na literatura jovem. Mas ele decididamente não é pra qualquer um - enquanto acho que qualquer um deveria ler. Pausa para passar o mindfuck. Eu gostei tanto do livro. E ao mesmo tempo foi chato ler. Tudo bem, isso já está parecendo duplipensamento. A moral da história é que eu decidi fazer um post pra lavar a roupa suja e dizer pra quem eu indicaria.

~Você pode ver o resumo da história e a minha resenha linda nesse link.~

Como assim esse livro é ruim e é bom? 

É que "1984" é um tipo de livro que se você não tiver no momento certo talvez você não goste - talvez nem consiga terminar. Enquanto se pegar a hora certa o livro vai virar até um dos seus preferidos. Quando eu li, fiquei na metade do caminho, mas gostei tanto da história e tudo o que ela diz que eu penso: sério, vale a pena ler.

Mas eu não indicaria pra o meu irmão mais novo (ele até quer ler, eu não acho uma boa agora) e quando eu faço esse post penso no João, no Joshua e no Paulo aqui do blog. Aliás, até a Igra, daqui a pouco faz 6 meses que ela tá "lendo" o livro. Sendo sincera, o motivo é simples: o livro pode ser bem chato.

O livro é cheio de páginas falando sobre o mundo e parece discussão de política, que me faz quase morrer afogada no tédio. E nem é por ser antigo. A linguagem dele é até surpreendentemente atual (acho que é um padrão dessas distopias). O problema é mesmo o ritmo e...

a nossa eterna mania de confundir algo bom com algo legal. 

Pensa só, o cara tá falando de um mundo totalmente sem liberdade, pessoas vivendo sem amor, uma rotina sem graça, sem alegria. Como é que você quer tirar animação disso?

E completa com o protagonista que não é O cara: Imagina aquele funcionário público com cara de acabado, magrelo e sozinho, cheio de problemas, que vive uma vida merda. Esse é o Winston.

Decididamente não é um mundo legal com pessoas para se inspirar, o que vai na contramão de uma boa parte de livros atuais.

Mas eu acho que se fosse uma leitura agradável aí sim o livro seria ruim, porque estaria perdendo o sentido. É como ler Jogos Vorazes e reclamar da Katniss depressiva depois de perder TUDO o que ela tinha na vida, inclusive a si, e ainda ser explorada. Só não venderam o corpo da menina ali. E aí querem uma história emocionante estilo Disney? De jeito nenhum.


Por que ler 1984?

Bem, eu separei alguns motivos que me levaram a ler o livro, outros para você ler o livro e outros para você não ler o livro. Vê onde você se encaixa e espero que no futuro você possa aproveitar 1984 tanto quanto eu. :D
(e espero que no futuro eu possa aproveitar 1984 mais ainda HUAHUAH)

Se você acabou de sair de "Jogos Vorazes", "Divergente" e até "A Seleção" (que chamam de distopia por aí) e quer mais um do estilo, "1984" decididamente não é para você. Ele não é um livro de entretenimento, ele ainda é um livro de outra época, então se você quer só diversão é melhor passar.

Mas há mais uns mil motivos para você ler o livro. Primeiro (e o que me levou a ler), é que ele é o pai da distopia. Se você quer entender essa história de governo opressor, ataque aos direitos humanos, destruição da humanidade e tudo o que o tema distópico traz, esse é o lugar. "1984" reúne tudo isso de uma maneira direta, mas não menos complexa.

Uma curiosidade: Na trilha sonora do filme "O Lado Bom da Vida" tem uma música chamada "Hey Big Brother", inspirada em "1984"!

Outro ponto é que além de ser o pai da distopia, esse livro influenciou vários outros. O meu exemplo preferido é Jogos Vorazes, que está salpicado de inspiração que a Suzanne Collins declaradamente pegou de "1984." Eu adoro ficar comparando as perspectivas de "descontrução da humanidade" expressa nos dois livros. E tenho certeza que "a sorte esteja sempre a seu favor" foi inspirado no duplipensamento (e em Star Wars, mas isso é outra conversa).

Talvez você já tenha ouvido falar de um reality show chamado "Big Brother", que o nome é diretamente uma referência a "1986." O Grande Irmão, o Big Brother.

E existe outros mil motivos, cada um vai encontrar o próprio. Na minha faculdade eles gostam de falar do sistema de controle: você está sendo vigiado o tempo inteiro. (se você pesquisar, vai encontrar pôsters fanart com "O Grande Irmão está de olho em você") Eu também tive uma outra aula nada a ver, Semiótica, mas que me ajudou a ter uma ideia da importância da Novafala na história. O livro mistura política com observações sobre o ser humano - e páginas e páginas disso, então tem muito o que cavar.

CC Wiki (algo nada a ver que eu acabei de inventar):
Novafala: em 1984 eles estão trocando a língua por uma outra, essa é uma versão do inglês tentando resumir e cortar o máximo de palavras, diminuir o vocabulário. Exemplo: Ministério da Verdade = Miniver

Duplipensamento: Duplo pensamento, duplicidade de pensamentos, saber que está errado e se convencer que está certo.

-dana martins

TAGS: , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

7 comentários

  1. minha experiência com o livro foi boa... como fã de distopias, não poderia deixar de ler, e já havia lido Animal Farm do autor... li tbm Admirável Mundo Novo e percebi algumas semelhanças nas histórias, e o contexto totalitário por trás de tudo...
    Apresentei um trabalho na faculdade sobre o totalitarismo e essa obra foi incluída no processo... eu recomendaria para pessoas que gostem de política, se interessem pelo assunto do totalitarismo ou leitores de distopia... ainda não li jogos vorazes, mas sabendo do que se trata, bateu a vontade agora...
    adorei seu post...

    http://torporniilista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gente, lendo o post parece que eu li um livro completamente diferente! hauhua
    Li o livro com uns 15 anos, quando tava começando a conhecer livros mais antigos. E eu achei o livro bem movimentado, cheio de coisas interessantes, cada página me fazia ficar mais curiosa com o resto. Virou um dos meus favoritos logo de cara.
    E eu fiquei apaixonada por distopias, ainda que há quase 5 anos atrás ainda não estivesse na moda.
    Aí eu fico pensando, será que a galera mais nova não vai gostar por ter começado com livros como Destino, Jogos Vorazes e tal?
    Eu sempre pensei que seria o contrário. Que esses livros os levaria a ler, e talvez compreender melhor, as distopias clássicas. Inclusive, sempre incentivo. Que doideira... huahua

    Até!
    Sobre Café e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HUAHAHUHAUHA às vezes isso acontece. eu acho que é um pouquinho difícil fazer a mudança entre as distopias tipo Jogos Vorazes e 1984, justamente por ritmo e até a semelhança com a nossa realidade. Mas também achei a leitura de Destino super arrastada... Então pode ser mais uma questão de livro do que de ~idade do livro~. De qualquer forma, uma hora ou outra a pessoa faz a transição.

      e eu concordo totalmente com o "esses livros os levaria a ler, e talvez compreender melhor, as distopias clássicas."

      Excluir
  3. Eu li esse livro na luta, na garra e no suor PKGPDFKGPDFOGKPFKGPDFKGDFKGDKP
    Ele realmente é chato. E parado. E o Winston é desprovido de atrativos. Só ficou emocionante lá pro meio, graças ÀQUELE ACONTECIMENTO que imagino que você saiba qual é (ou não. Dica: A MOÇA).

    Mas o livro é BOM. E te dá muito o que pensar. Só que quando eu terminei, me senti horrivelmente deprimida, desesperançosa com o mundo e cheia de medo de isso acontecer na nossa realidade. Pois é xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UHAUHAUHAUHAUHAUHUAHUAHAUAH é bem isso. eu não fiquei tão desesperançosa, não sei por que. pensando agora, eu só consigo achar isso super interessante ;x (spoiler) a ideia de que a distopia total é quebrar a sua capacidade de amar o outro. ou algo assim.

      eu não consigo imaginar viver nessa realidade(?)

      Excluir
  4. Eu sou fã de distopias, mas super me identifiquei com o texto. Como você disse, se a pessoa não estiver no ~momento certo~ de ler, não vai rolar.

    A primeira vez que sentei pra ler o livro foi por uma indicação de leitura da faculdade, na qual faço serviço social, um curso bem político e que hoje enxergo motivos por trás da indicação que antes eu não fui capaz de ver. Bom, não era o meu momento. Pulei várias páginas, fiz leitura dinâmica, apresentei trabalho torcendo pra ninguém perguntar nada e vida que segue.

    Já a segunda vez foi por vontade própria, então perceba o momento ~certo~ batendo na minha janela literária. E aí foi lindo. Consegui tirar proveito de coisas que antes nem sequer tinha notado e que, ainda que notasse, não teria saído xongas da leitura.

    Enfim, essa bíblia inteira foi pra te dar um abraço por ter dito o que sempre quis explicar sobre 1984, mas não sabia como, rs.

    Beijos

    http://ataldavivian.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso já aconteceu comigo também, apesar de que agora nem lembro de com que livro. e eu faço comunicação, e também falam bastante do livro, provavelmente pelas mesmas razões. 1984 é um livro qu eeu sinto que tem muuuita coisa que eu poderia aproveitar, só que: nenhuma paciência pra ir atrás. quem sabe um dia o momento bate!

      muito obrigada por essa bíblia e pelo abraço <3

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *