Amazon apple

A evolução dos sistemas fechados: A internet permite a nossa liberdade ou o contrário?

31.5.13Conversa Cult


Faz uns mil anos que quero falar disso aqui, e com o lançamento do Xbox One eu consegui o motivo (obrigada, Microsoft!). E o que é a conversa de hoje? 

Você provavelmente já ouviu toda aquela conversa de pirataria na internet, fim de baixar conteúdo "de graça", aquela porcaria de SOPA e a queda do Megaupload. Mas a situação sempre é resolvida: essa é a internet, esse é o futuro, aqui temos liberdade, podemos construir impérios milionários dentro de casa, estamos conectados. A internet trouxe a era da verdadeira liberdade. Não precisamos de governo ou empresas nem para trazer bandas para o país ou criar projetos maravilhosos.

Isso tudo é verdade. Agora o outro lado...

Retornamos à polêmica de agora você ter que pagar para emprestar um jogo a um amigo com o Xbox One. E isso nem é uma grande novidade, cada vez mais modelos "fechados" ganham força. Você sabe, aquilo de ter que pagar pela internet no Xbox 360, ou no Kindle só funcionar arquivo da Amazon, ou programas só da Apple. Vamos ver como isso tem crescido:

A Apple com iPod você tem que usar o iTunes, quem tem um Mac usa todos aqueles programas deles ou precisa se virar, quem tem um iPhone ou Ipad tem lá todas as suas limitações de sistema. É claro que eles não são tão ruins assim. Nunca precisei comprar música no iTunes para colocar música no iPod. E como eles que empurram o mercado de tablet, é mais fácil você encontrar algo para iPad do que um android.

Aí agora também temos em uma nova onda onda de "sistemas fechados" com a Amazon e o Kindle. Primeiro: o ebook tem o formato deles (enquanto todos os outros usam .epub). Então surge outro problema por causa desse bando de mancomunado do mundo dos leitores digitais: eles são uma merda pra ler pdf. Tudo bem, mas o meu Kindle é um Kindle Fire, o tablet da Amazon. Baixar pelo Google Play ou pela loja da Apple? Não. Tem que baixar pela loja da Amazon. Que você só pode baixar se for dos EUA. É claro que a internet é linda e maravilhosa e eu resolvi tudo isso, mas ainda estou presa a Amazon. 


E então teremos o seja lá nome que a Microsoft vai dar para isso no Xbox One. Você pode assistir filmes. Na loja deles. Você pode comprar jogos. Na loja deles. Você pode emprestar o seu jogo. Tem que pagar pra eles. Uma expressão brasileira define bem isso: rabo preso. Depois de pagar uns mil reais, você vai ficar com o rabo preso. 

Qual o problema disso? Nenhum. Até que...

Digamos que a Sony decide fazer isso no Playstation novo também.

Praticamente acabaram suas possibilidades de jogar direito sem gastar muito mais nessas coisas que eles cobram. E quando a gente não tem pra onde correr, a gente se ferra.

Vou deixar o Deadpool explicar pra vocês:


Imagina só se você tivesse rabo preso com a Steam, vai pagar 80 reais a mais só por isso. Aliás, algo parecido já acontece no mercado literário digital: as editoras* simplesmente decidiram não colocar preço da cópia digital mais barata que a física. Então você paga um preço muito maior por algo que poderia ser mais barato. Na maior parte das vezes, não tem nem pra onde correr.

A partir disso nós entramos em discussão de licença a usar em vez de ser dono, apocalípse, diminuição dos sites com crack online, dificuldade das novas pessoas em baixarem arquivos... aos poucos engolindo nossas chances de liberdade. E, é claro, naquela discussão "mas a pessoa não merece receber pelo que faz?" 

Bem, minha resposta a essa última pergunta é: não gasto diretamente 1 centavo para colocar esse blog no ar, você usa o facebook de graça, pesquisa no google de graça. Não vejo nenhuma notícia de que eles estejam falindo por isso. 

-dana martins

*Nem todas as editoras fazem isso, não é regra e nós ainda temos a Amazon com suas grandes promoções (não é de se admirar que todo mundo olhe com rancor pra ela), mas ainda assim elas insistem no preço alto. Pesquise ebooks da Rocco e compare com os da Intrínseca.

TAGS: , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM