A Crônica do Matador do Rei arte

[Resenha] O Temor do Sábio, de Patrick Rothfuss

10.10.12Dana Martins

por Dana Martins

- Livro: O Temor do Sábio
- A Crônica do Matador do Rei - Livro 2
- Autor: Patrick Rothfuss
- Editora: Arqueiro
- Comprar: Americanas, Saraiva, Fnac.
- No skoob
- Livro anterior: O Nome do Vento
- Continua em: "The Doors of Stone", ainda não lançado lá fora.






Mini-crítica: 
"É uma história medieval com um toque da fantasia, igualmente longe de um relato antigo do nosso mundo e de uma história de fantasia. E igualmente perto dos dois." Se você gostou do primeiro livro, vá com tudo nesse. É realmente melhor ainda. Kvothe já está na Universidade e conhecemos mais ainda o lugar e seus personagens.  E dessa vez ele ainda entra em umas encrencas que o fazem viajar e conhecer outras partes do mundo. Ele vai continuar sua busca pelo Chandriano, cantar para reis, caçar bandidos e virar mercenário. Se isso não é o bastante, saiba que ainda tem muito mais. Uma boa aventura para continuar conhecendo Kvothe, o Matador do Rei. A aventura certa para se perder nesse mundo de vez. "O Temor do Sábio" entrou para os meus favoritos. 

Quer saber mais? Clique abaixo para conferir a resenha completa.

O ruim de falar de um primeiro livro antes de ter conhecido a série é que você não tem ideia do que ela pode ser. Muitas vezes o primeiro livro é só uma introdução, ou simplesmente não mostra o potencial de toda a história. Eu me sinto meio que assim com A Crônica do Matador do Rei. O primeiro livro, "O Nome do Vento", encaixa como uma luva nesse, "O Temor do Sábio". Mas ainda assim, pode desiludir a pessoa a ir até o segundo, o que é uma pena.

Quando eu terminei o primeiro, meio feliz e meio cansada, vi gente falando que o segundo era "ainda melhor!". Fiquei um pouco desconfiada, porque normalmente pessoas entusiasmadas dizem isso. Mas agora concordo com elas: O Temor do Sábio é ainda melhor.

No primeiro, tivemos longos momentos até a chegada à Universidade, que é quando tudo começa a dar certo. Enquanto no segundo, nós já estamos dentro da história. Kvothe está na Universidade, nós conhecemos mais ainda o lugar e seus personagens (as conversas entre amigos são tão naturais que lembram aos diálogos do John Green). Depois ele ainda vai parar em uma aventura atrás da outra, cada uma peculiar e com um resultado.

em um relacionamento sério com a arte do livro
Com essas aventuras que eu lembrei de livros como Eragon, Percy Jackson, A Bússola de Ouro... Mas há algumas diferenças importantes. Na maioria desses livros, nós temos uma missão clara: ele precisava salvar o mundo. Enquanto nesse o objetivo é a construção do personagem. Outra coisa é que durante essas aventuras os personagens sempre encontram povos diferentes, tipo elfos ou anões. "O Temor do Sábio" me fez ver isso com outros olhos, de uma maneira menos estereotipada*. A história é toda bem elaborada, cada lugar tem uma tradição própria e um modo de pensar, cada personagem é mais particular ainda.
*Esterotipada tipo Elfo, função: ser elfo.

Eu tenho que falar um pouco mais sobre essa forma que as culturas são apresentadas, porque no livro isso é LINDO. O mundo que o Patrick Rothfuss criou fica ainda mais rico nesse segundo volume. A forma como ele coloca um povo, sua cultura e usa de choques de pensamento é muita boa. Valeria o livro só por causa do lugar onde Kvothe faz o treinamento (quando ler, você vai saber do que eu estou falando). E não é de uma forma enrolada ""adulta"", sabe? É até em um estilo young adult que serve para qualquer jovem.

Agora que você já está no clima, é muito mais fácil embarcar na história de Kvothe e conseguir ver como tudo é bem feito. O livro não é só uma história muito boa contada realmente muito bem, ele também é aula de filosofia, antropologia, história, química, física... Não é nem um pouco como ir para a escola, mas pode ser muito bem aproveitado se você quiser.

Além disso tudo, de quebra, Patrick Rothfuss continua transformando música e amor em palavras como só ele sabe.

Assassin's Creed

Errata: estou em um relacionamento sério com a arte do livro e a arte de Assassin's Creed
Eu tive uma experiência curiosa. Enquanto eu lia esse livro, comecei a jogar Assassin's Creed II. O jogo é da época do Renascimento na Itália, tem até o Leonardo DaVinci. E nesse jogo a construção do cenário e do figurino é muito boa. Já jogou GTA? Em vez de ser um negão mafioso andando por uma cidade atual, você é um assassino galanteador andando por cidades antigas da Itália (reproduzidas com bastante detalhe, há até lugares reais que eles colocam informação pra gente saber a história). Bem, o que vem ao caso é que é um cenário antigo, bem detalhado e até com roupa pensada na época. Tem até uns bardos irritantes que atrapalham o caminho. Não me assustaria se o Kvothe passasse andando por ali. Foi muito legal ver de "verdade" o mundo que eu estava conhecendo no livro.

O livro se passa no renascimento? Não é tão fixo assim, é tipo essas histórias medievais de fantasia que você não consegue dizer quando nem onde. Mas diria que tem um pouco disso na Universidade, que tem um pensamento mais parecido.


Classificação:


(5/5 conversinhas)


Os lindos da Arqueiro é que me deram a oportunidade de conhecer essa trilogia linda. MUITO obrigada! 


TAGS: , , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

3 comentários

  1. Oi, Dana (:

    DANA. Você me fez querer loucamente ler essa série. Mesmo. Você fez tantos elogios e a arte desse livro é TÃO linda que eu preciso ler o quanto antes. Vou fazer o possível pra conseguir o primeiro logo D:!

    Como eu disse na resenha de "O Nome do Vento", eu estou procurando mesmo um livro medieval. Eu amo jogos medievais, mas nunca li um livro do tipo e adoraria saber como é. Pelo que você disse, a série "A Crônica do Matador do Rei" é um bom jeito de começar. Pena que só vai dar pra comprar mais pro fim do ano... mas ok né.

    E essa imagem de Assassin's Creed também é incrível, hein? Deu até vontade de jogar lksgklfg

    Enfim. Não conheço quase nada da série, então o comentário não ficou muito produtivo... de qualquer forma, a resenha está linda e meio que gritou para mim ler esses livros. Parabéns pelo poder de persuasão u.u Mas sério, não sei como não prestei mais atenção na série antes... *arrependido*

    Bom, abraços o/ até mais!

    ResponderExcluir
  2. UAHUAH Então, a vontade de uma leitura medieval foi tanta que eu não resisti. Acabei pegando um livro que estava lá no fim da lista de leituras, "Ruínas de Gorlan" (da série "Rangers - Ordem dos Arqueiros"), e comecei a ler hoje. Vai dar pra enganar o cérebro até eu comprar "O Nome do Vento" AUHAUHUA.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Dana pela sinopse apaixonada. Como os homens perdem a cabeça pelas mulheres, no caso apenas uma alterou o eixo do Kvothe. Quantas oportunidades perdidas, quantos desencontros, quantas encrencas.
    Também fiquei empolgado com a aventura do Desmond. A interatividade com o cenário e os personagens, tanto em Veneza, quanto Roma ou Constantinopla.
    Ao João digo que a série dos "Rangers" está para os "teens". Uma aventura leve, quase inocente. Romance na idade medieval, sugiro "Os pilares da terra" e até mesmo uma leitura de Bernard Cornwell.
    Abraços

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM