ação assassinos do futuro

Looper acerta onde O Vingador do Futuro se perde

11.10.12Dana Martins


Enquanto eu estava fazendo a resenha de Looper comecei a perceber várias semelhanças entre "Looper: Assassinos do Futuro" e "O Vingador do Futuro" (remake). Já podemos começar pelos títulos, né? Estilo de nome que manda os dois direto para a mesma prateleira em uma locadora. Só que um deu certo, o outro não.

Calma, calma, calma. Eu não estou dizendo que um dos filmes é ruim. A diferença é na hora de sair de casa: pra um você leva o cérebro e pra o outro você deixa. "O Vingador do Futuro" é muito bom se você quer ver coisa bonita (cenário futurístico legal, Colin Farrell), mulher se arranhando e um corre corre clichê. Melhor do que Looper, que pode dar a volta em você. (desculpa, não resisti)


Uma das primeiras semelhanças que eu me dei conta foi o estilo de pôster da pessoa se "desfazendo", que é o problema nos dois filmes. Em O Vingador do Futuro você tem os problemas com implante de memória e não sabe direito o que é real. Ou seja: ele está se "desfazendo" nas memórias. Em Looper a questão é viagem no tempo e o fato de que se você voltar ao passado poderá alterar a si mesmo no presente. Então pra mudar alguma coisa você corre o risco de se "desfazer". 

Os dois se passam em um futuro um pouco distópico (mas não diria que são filmes distópicos). Looper, um futuro mais próximo e mais real. O Vingador do Futuro, um mais distante e extremo.

Durante os filmes há confronto entre os dois "eu". Em O Vingador do Futuro ele precisa confiar nas palavras de um completo estranho: ele mesmo no passado. Já em Looper o foco está no eu do passado, que tenta superar seu eu do futuro.

É interessante perceber que em O Vingador do Futuro o conflito é mais interno, o personagem tem uma ideia de quem é e luta para ser outra pessoa (mesmo que seja alguém que ele já foi). Já em Looper o Jovem Joe e o Velho Joe são diferentes e lutam por essas diferenças. 

Acho que você já entendeu que eles são parecidos. E onde é que um deles tropeçou?

O Vingador do Futuro se perde bastante na hora do conteúdo. O cenário legal? É só um cenário legal. As mulheres se arranhando? Uma causa a correria no filme inteiro por dor de cotovelo e a outra é a mulher que gosta dele (ponto final). O conflito interno? Rende algumas boas cenas, mas no principal ponto foge pelo caminho mais fácil e começa a correr (e só corre até o fim). 

(SPOILER DE O VINGADOR DO FUTURO NESSE PARÁGRAFO) Esse foi um aviso trazido diretamente do futuro, quando você terminou de ler esse parágrafo e se irritou pelo spoiler. Última chance de pular. A cena de quando ele vai tentar receber o implante e dá errado é legal, depois a dele no piano e principalmente quando ele está saindo do prédio. Nessa última você pensa até que pode haver algo mais, sente a tensão junto com o personagem, abre a oportunidade pra ele ser um completo idiota e acreditar na mentira... Mas daí ele se decide e pronto, vai pra o lado certo. Depois disso o conflito de "quem eu sou?" praticamente acaba e fica só ação clichê sem muita importância, no máximo uma apelação pro lado herói. Acho que a quebra da tensão do "quem sou?" antes do fim é o maior problema do filme. (FIM DO SPOILER)

Já Looper as coisas são diferentes. O cenário futurista de um país em crise com pobreza e criminalidade? Sem isso não tinha história. É em um cenário assim que uma pessoa vira looper e joga a vida fora sem pensar no futuro. Tem uma cena que mostra um pessoa numa rua que parece até cenário pós-apocalíptico com um velho empurrando umas tralhas, daí vai um cara, pega uma coisa e sai correndo. O velho tira uma arma na boa e mata o cara. Isso mostra como esse mundo é feito e como influencia os personagens.

O filme também é cheio de detalhes que vão contribuindo para criar o personagem principal (isso inclui: a versão dele mais nova, a versão dele mais velha e a versão dele depois de encontrar a mais velha). Quase não tem diálogo jogado fora. Looper ainda se dá um luxo de colocar detalhes que dão uma dica de como é melhor você ver a história, como se o filme tivesse discutindo o próprio filme. 

(SPOILER DE LOOPER NESSE PARÁGRAFO) Se você curioso sobre esses detalhes, um exemplo é a cena da conversa deles na mesa da lanchonete que o Velho Joe (Bruce Willis) diz algo como "se a gente discutir sobre viagem no tempo vai levar horas, vamos ficar fazendo diagramas. Mas isso não importa, o que importa é..." (FIM DO SPOILER)

Eu poderia falar muito mais sobre Looper, mas vou terminar aqui com uma última diferença: Até a prostituta que aparece numas 3 cenas tem mais profundidade do que a mulher que gosta do Colin Farrell em O Vingador. (pode fazer a lista de informações sobre cada para testar)

Moral da história, O Vingador do Futuro se perdeu na hora de dar atenção ao que seria o principal dilema da história ("quem sou eu?") e não deu profundidade ao mundo e personagens, virando só mais uma ficção científica com ação pra passar na tarde domingo. Já Looper...  Looper acertou justamente nisso.


Só uns comentários extras: Eu não estou falando do filme original de "O Vingador do Futuro" ou do conto do Philip K. Dick. Esse post também não significa que eu gostei mais de um ou de outro. Na verdade, acho muito mais fácil gostarem de "O Vingador do Futuro". O objetivo aqui foi mostrar semelhanças e diferenças que fazem um diferencial na construção da história.

Para ver as minhas resenhas dos filmes:


TAGS: , , , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

5 comentários

  1. Nunca comento aqui, mas dessa vez deu vontade e como ninguém tinha comentado, resolvi o fazer. q

    Então, quando li sua resenha de O Vingador do Futuro e vi que você não tinha gostado muito, fiquei meio "wtf a Dana tá falando? Gostei pra caramba do filme." Mas agora, depois de ter passado um tempo e a empolgação acabado um pouco, posso perceber esses defeitos. O conto do Dick deve ser MUITO bom (aliás, estou morrendo de vontade de ler todo o Realidades Adaptadas), mas quando eles foram passar pro filme, a essência (as questões internas e tudo mais) se perdeu. Isso acontece muitas vezes quando eles vão passar algo para filme, principalmente quando é um estúdio grande. Como eles só querem dinheiro, é muito melhor conseguir agradar o grande público do que a porção das pessoas que assistem que refletem (na falta de palavra melhor) sobre o filme.

    Já em Looper, eu gostei bastante da história, mas eu saí do cinema pensando somente "hm, é um filme ok". Tipo, eu adorei toda o ambiente criado e a história em si também é legal, mas, para mim, o que estragou foi a coisa dos poderes. É óbvio que isso tem importância pro enredo, principalmente pro garotinho, mas não me sai da cabeça que eles poderiam fazer diferente. Toda vez que eu via as pessoas usando os poderes ficava esperando alguém do X-men para recruta-los. Os poderes não funcionaram para mim.

    (não sei se o comentário faz sentido, estou com preguiça de revisar e--)

    - Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendi o que você disse, Paulo. É o que eu falei ali no final, não é sobre o que é o melhor de assistir, mas o que é melhor como filme. O Vingador do Futuro meu animou um pouco mais, até ficar repetitivo. Looper eu saí tipo "tá, é mais um filme". Bem feito, não tem nenhum erro mesmo, mas que não chegou lá. Só que conforme eu fui pensando na história ele foi ganhando mais valor. Os poderes ficou meio wtf, mas até que gostei desse lado meio "sobrenatural" que eles usaram mais de uma vez, tipo na parte do zumbi. E tem a ver até com a realidade mostrada em O Vingador do Futuro: de coisas "bizarras" acontecendo com seres humanos. É meio que uma linha da ficção científica
      ~respondendo na pressa

      Excluir
  2. Olá (:

    Pretendo assistir os dois filmes assim que puder... Mas concordo com o que você disse, e acho que depende do critério da pessoa saber o que pesa mais no filme - visual ou história - pra decidir qual é o melhor.
    Se tivesse que escolher, acho que "O Vingador do Futuro" seria o filme pra se ver no cinema, com 3D e tudo mais, e "Looper" seria pra ver em casa e absorver os detalhes com calma. Isso é meio pessoal, porque não sei se acontece com todo mundo, mas quando eu saio do cinema depois de ver um filme ótimo e com um enredo mais elaborado, acabo esquecendo um monte de coisa e não consigo refletir direito. Talvez seja coisa de quem quase não sai de casa pra ver filme (oi), mas eu acho que no cinema o visual pesa um pouquinho mais... (embora a vantagem seja mínima, já que enredo ruim tem muito mais chance de estragar filme do que visual ruim).

    Enfim, ainda não assisti os filmes e não dá pra fazer um comentário decente ): Mas quando eu assistir falo mais sobre o que eu achei.

    Deixa eu fazer umas perguntas aleatórias agora:
    1. O CC tem Skoob? Tipo, onde vocês colocam as leituras de todo mundo da Equipe?
    2. Quando sai o resultado do sorteio de "O Rebelde"?
    3. A pizza tava boa ontem? UAHUAH Não resisti. É que eu tava conversando com minha amiga ontem (que também acompanha o blog), e é muito legal essa coisa de vocês se conhecerem na real e saírem juntos (: Sério. Muito legal mesmo.

    Bom, é isso. Abraços :D E parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu li seu comentário ontem e tava pensando nisso de "filme pra ver no cinema" e concordo. É tipo ouvir música pra dançar em radinho de pilha, não dá. Eu sou dessas que gosta de ver tudo na melhor qualidade possível (demorei séculos pra começar a ver no pc, mas tive que aceitar que se eu não visse aqui eu provavelmente nunca veria. ainda assim, sempre procuro a melhor qualidade pra baixar). Se eu fosse pouco ao cinema, eu também ia preferir ver aqueles melhor pro telão. Tem filme que não é pra você ver na televisãozinha com som baixinho e isso influencia com certeza no que você acha. Sucker Punch é um desses. Já sobre isso de esquecer não costuma acontecer comigo, mas acho que entendo.

      Mesmo sem ter visto os filmes você conseguiu me dar várias ideias pra post, então já vale. (:

      1- A Igra já respondeu, mas vou falar mesmo assim. Eu penso nisso faz um tempo, talvez role em breve. (:
      3- E tava boa, tirando o fato de que fui trollada com uma pizza de abacaxi disfarçada de pizza de banana HUAHA

      Excluir
  3. Oi, João!

    Desculpa a demora pra responder!
    Assim como você, não vi nenhum dos dois filmes, mas (ainda) quero ver os dois no cinema, só pra tirar minhas próprias conclusões - embora eu ache que os dois já saíram de cartaz. E concordo totalmente com o que você falou sobre o enredo e o visual. De um modo geral, não dá pra ignorar a história em si, mesmo que haja efeitos absurdos no filme inteiro.

    Quanto as perguntas,vamos lá:
    1- O CC não tem um skoob próprio, mas eu, a Dana e o Paulo temos Skoob pessoais (a Ana também tem, mas ela quase não usa). Se quiser me adicionar, vem aqui: http://www.skoob.com.br/usuario/272206 É fácil achar a Dana e o Paulo ali nos meus amigos também. :)
    2 - O sorteio de "O Rebelde" sai em breve, só ficar ligado nas nossas redes sociais. :)
    3- USHUAHUHSUHA, juro que fiquei rindo durante uns dez minutos só de ler esse item. A pizza tava boa sim! Nós da equipe saímos juntos com alguma frequência, mas é muito difícil juntar os 4 de uma só vez, geralmente um de nós não pode. Dessa vez foi a Ana, mas no início do mês foi o Paulo. É mais fácil eu e a Dana sairmos sozinhas, porque nós moramos muito perto, tipo a dois prédios de distância, daí facilita. O Paulo e a Ana moram perto um do outro, mas não tão perto da gente (não sei se ficou confuso auhsuhauhsua).

    ADORO os seus comentários, João! Sério mesmo! Sempre me divirto lendo. Hehe.

    Beijão!

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM