adaptação as vantagens de ser invisível

[Livro vs. Filme] "As Vantagens de Ser Invisível"

19.10.12Dana Martins

por Dana Martins


Mais um "Livro vs. Filme". Dessa vez, o livro/filme é "As Vantagens de ser Invisível", também conhecido como "The Perks of Being a Wallflower" ou apenas Perks (para os mais íntimos). O filme estreia nessa sexta-feira aqui no Brasil e nós trazemos nossas comparações para os curiosos. Sem spoiler! Aproveite essa boa história. (:

>>>A História

"Wallflower. Alguém que observa em vez de experimentar a vida". Charlie é um garoto que decide escrever cartas para um desconhecido, só para ter a certeza de que vai ser ouvido. Ele está para começar a escola e com aquele medo do que está por vir, então decide falar tudo nessas cartas como um diário. Só que Charlie não é um adolescente qualquer, ele é um wallflower. E a narração dele - modo como ele observa a vida - vale toda a história. 

 >>>O Livro


- Livro: "As Vantagens de Ser Invisível"
- The Perks of Being a Wallflower
- Livro Único
- Autor: Stephen Chbosky
- Editora: Rocco
- Comprar: Saraiva, Submarino, Travessa
- No skoob
- Indicação minha e do Paulo


Eu já falei na indicação que eu fiz com o Paulo o quão complicado para mim é falar desse livro. Costumo pensar que o que me fez ler Perks foi algo como o alinhamento das estrelas, aquele momento único que era para acontecer. De repente bateu uma vontade, consegui na internet e passei a noite inteira lendo. Terminei de manhã, com o sol recém-nascido e a sensação de que tudo de alguma forma estava completo. Perks foi esse livro pra mim.

Ele não é o meu tipo de história preferida, ou um mundo em que eu gostaria de viver, personagens com quem eu casaria ou trocaria o rim para estar no lugar. O que importou o tempo inteiro foi como a história estava sendo narrada, de um modo fluente, dando vida ao que era dito. Foi um tipo de livro estranho, que se conectou comigo de uma maneira boa.

E acho que esse é o objetivo, né? Fazer as pessoas pensarem, mudá-las de alguma forma. Eu tive um professor de português que adorava dizer, ou citar (não lembro bem), o caso de um homem que vai ao cinema e sai de lá outra pessoa. Acho que isso era mais interessante e tinha implicações maiores, mas o que eu lembro mesmo é como isso mostra o diferencial de uma boa história, não importa como ela seja contada.

Se você já leu A Culpa é das Estrelas, Perks é meio que como o "An Imperial Affliction" pra mim. Engraçado é que eu não falei dele tanto assim para as pessoas, mas o Paulo na nossa indicação me fez ver o motivo: "Me sinto como a Hazel, que ama tanto o livro que não quer falar dele para ninguém e, para ser sincero, lá no fundo, essa é a minha vontade tamanha a importância desse livro para mim".

Eu estou falando isso tudo para você ver o peso que o filme tem nas costas. Sempre duvidei de como eles fariam essa adaptação se o principal era a maneira que a história é narrada. É por isso também que fica complicado explicar, se só lendo você vai entender.



>>>O Filme 

- Roteirista: Stephen Chbosky
- Diretor: Stephen Chbosky
- Distribuidora: Paris Filmes / Summit
- Elenco: Logan Lerman (como Charlie), Emma Watson (como Sam), Ezra Miller (como Patrick), Mae Whitman (como Mary Elizabeth), Nina Dobrev (como irmã do Charlie)
- No IMDb 


E como é que foi a solução encontrada para essa adaptação? Um filme subjetivo. Ele toma liberdades além da montagem tradicional para nos aproximar da visão do Charlie. A narração que ouvimos no trailer está em boa parte do filme, completada habilmente por diálogos e imagens. Há também cortes bem pensados e outras coisas técnicas que não importa muito ficar falando aqui.

No início, o filme parece um pouco sem sintonia, como algo que você começa a pintar: depois de passar a primeira mão você olha e pensa "vai ficar uma droga". Mas depois, conforme você vai trabalhando em cima, se dá conta de que está ficando legal. O filme de Perks joga a base e depois trabalha sobre a coisa toda, tanto que dá para perceber vários detalhes colocados propositalmente no começo para algo que vai vir no futuro.

O filme de "As Vantagens de Ser Invisível" tem um clima de colegial e se passa mesmo sobre adolescentes, mas algo bem longe de "Meninas Malvadas". Ele entra mais no grupo de filmes como "The Art of Getting By" e "It's Kind of a Funny Story". Se os três formassem uma família de irmãos, Perks seria aquele irmão mais novo prodígio.
*"Art, Kind e Perks, três irmãos que..."

E, mais importante de tudo, foi um filme que também conseguiu impactar. Eu voltei para casa tentando entender a minha opinião e tudo o que eu encontrava era vazio, até começar a escrever e fazer esse Livro vs. Filme inteiro de uma só vez. Não foi algo tão grande e brilhante quanto o livro, mas... in that moment, I swear we were infinite.

>>>Resultado


Eu não consigo imaginar como poderiam ter feito um filme para esse livro melhor, no máximo alterando a falta de sintonia no início (Os Homens que Não Amavam as Mulheres, por exemplo, arrebata a gente nos créditos iniciais). Mas há uma diferença significante. "Wallflower: Alguém que observa em vez de experimentar a vida". No livro temos muito mais a parte do observar. Isso ainda é misturado com uma narrativa bem feita e sincera que te faz viajar pela história, aproveitando as palavras e os momentos. Já o filme é a parte do "experimentar a vida" que se sobressai. É até mais fácil resumir o filme: é a história de um garoto que se esforça para fazer parte.

Pessoalmente, eu gostei dessa diferença. Porque a parte de tentar experimentar a vida também está no livro, só que não tão sintetizada. Essa abordagem dada pelo autor ajuda a completar o livro que já é muito bom.

Posso assistir antes de ler? Eu sempre indico ler antes de assistir, mas em Perks acho que não é tão problemático como na maioria, porque é um livro sobre momentos e como se narram esses momentos. Só tem um detalhe no final que era melhor ler sem saber. A boa notícia: o livro é bem pequeno e fácil de ler, não é tão caro (tirando um dia pra isso, dá até pra ler na livraria). Além disso, você não vai estar perdendo a chance da sua vida deixando de ver no cinema. Se puder, leia antes de assistir, mas não perca a oportunidade de ir ao cinema.

Até mais tarde quando os mortos retornam

TAGS: , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

4 comentários

  1. Oi, Dana (:

    Oh, God. Essa coluna é incrível.

    Então. Como eu disse no outro post, eu mal sabia da estreia do filme e o livro estava no fim da lista de compras. Mas agora estou bastante ansioso pelos dois.

    Achei legal o filme ter uma visão um pouco diferente do livro (só um pouco! Se não o filme perde a essência não tem mais graça). É interessante porque quem já leu o livro acaba se surpreendendo mais do que o esperado (positiva ou negativamente, né lkjfdgljfh).

    E eu ainda estou no dilema: ir ou não ir ver o filme no cinema. Sei que você disse que o filme também é impactante e tudo mais, só que acaba perdendo um pouco daquele fator surpresa da leitura, né? Aconteceu isso enquanto eu lia Jogos Vorazes :x O ruim é que aqui não tem livraria pra que eu possa ler, e nenhum amigo meu tem (eles nem mesmo conhecem o livro) pra me emprestar. Vai depender das oportunidades que surgirem... do jeito que o cinema da cidade vizinha é lindo, talvez nem coloquem o filme, né...

    Enfim. O post ficou ótimo (: Eu amo essa coluna *-* Obrigado pela indicação do livro/filme :)

    Abraços! Até mais o/

    ResponderExcluir
  2. Eu vi o filme ontem e precisava vir aqui comentar! Achei tudo muito lindo e emocionante, um dos filmes mais legais que já vi na vida -oi (e não é muito sobre bullying -q).
    Na verdade, eu não acho que a minha impressão final seja pouca coisa (é difícil eu gostar tanto assim de algo), porque eu dava 5 conversinhas fácil. Diferente do que muita gente pode esperar, eu não desisti de ler o livro depois de assistir o filme, muito pelo contrário: isso me fez querer ter um livro só meu (já que antes eu pretendia pedir o do Paulo emprestado quando ~~~tivesse tempo~~~)

    E João! Vá ao cinema sim, vale muito a pena. Se eu não tivesse ido, teria me arrependido, mesmo se visse depois em casa.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Já tihha algum tempinho que eu queria assistir esse filme/ler esse livro, mas só ontem parei e decidi: VOU VER AGORA. Na verdade, eu decidi depois que liaquele post sobre a lista de leitura do Charlie. Eu também prefiro ler e depois assistir, mas como o filme estava mais facilmente disponível (ainda não tenho o livro)...

    E só digo/repito uma coisa:

    "Diferente do que muita gente pode esperar, eu não desisti de ler o livro depois de assistir o filme, muito pelo contrário"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu gosto taaanto desse livro. Espero que você consiga ler. Foi uma experiência muito diferente pra mim :)

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM