#EleNão CCAnálise

Precisamos falar sobre os porquês de #EleNão

29.9.18João Paulo Albuquerque


Caso você não tenha entrado na internet pelo último mês, você perdeu a maior reviravolta desse início de século. Poderíamos classificar a situação como RevoluçãoTM. E com as eleições se aproximando aí, nesse mês de Outubro, é importante que você entenda qual é essa treta que deu na internet e seus porquês, uma treta que quase derrubou a carreira da cantora Anitta, já atingiu um patamar internacional e, também, está organizando milhares de passeatas por todo o Brasil.

Não importando qual a sua vertente política, vemos cada vez mais os índices de rejeição ao candidato do número 17, Jair Messias Bolsonaro, crescerem cada vez mais. E isso se deve ao grupo Mulheres Unidas contra Bolsonaro (que já conta com 3 milhões de pessoas), do Facebook - cujo recentemente enfrentou ataques -, afinal, a hashtag #EleNão cresceu de forma tão latente, se espalhando por tantos artistas e pessoas anônimas do dia a dia, que já vemos pessoas (ou grupos/instituições) internacionais a favor da movimentação contra a presidência deste senhor, como: 

  • Dan Reynolds (da banda Imagine Dragons);
  • Kehlani (cantora);
  • Lauren Jauregui (integrante da agora falecida Fifth Harmony);
  • The Economist (jornal que desenvolve incríveis pesquisas como a do Big Mac - comparando o equivalente do dólar em cada país);
  • Alfonso Herrera (que faz o Hernando, de Sense8);
  • Diplo (conhecido não só por suas músicas eletrônicas, mas parcerias com Pabllo Vittar e Anitta - que também já se pronunciaram a favor da campanha #EleNão);
  • Dua Lipa (também cantora);
  • 3 atores de Grey's Anatomy (Giacomo Gianniotti, Jesse Williams e Stefania Spampinato); 
  • Stephen Fry (ator britânico que já entrevistou o candidato em questão - a entrevista você confere clicando aqui);
  • Caity Lotz (atriz que interpreta Sarah Lance, a personagem bissexual de Legends of Tomorrow);
  • Black Eyed Peas (banda);
  • The New York Times;
  • The Guardian;
  • Madonna;
  • Mark Hamill (interpreta o Luke Skywalker);
  • Outros.

#FimAoFascismo (em tradução livre)

Vivendo nessa situação complicada, com nosso país quebrando mais e mais, as pessoas procuram por um "Salvador", alguém que passe a mensagem de "anti-corrupção, honestidade e capacitação" que precisamos, prometendo mundos e fundos nas questões que mais tememos, focando na segurança. E é compreensível as pessoas acreditarem que o candidato nascido em 1955 com pouco mais de 25 anos trabalhando como deputado, engajado em políticas que se referem à segurança e sem medo de dizer o que pensa - desafiando as próprias autoridades -, seja a solução. Todos nós desejamos que fosse assim, tão fácil, mas infelizmente não é. Principalmente quando falamos deste presidenciável.

Antes de entrarmos nessas três questões que, aparentemente, servem de gatilho para toda a internet, vamos focar em outros pontos que são alguns dos motivos para o movimento #EleNão estar tão poderoso: racismo, homofobia e misoginia/machismo.

Racismo


Como se bem sabe, aqui no Brasil racismo é considerado crime sendo inanficiável (ou seja = sem poder ser paga uma fiança para sair da cadeia), mas infelizmente, no nosso país é muito difícil casos de racismo serem julgados como racismo, e não injúria racial (que pode ser paga uma fiança para a liberação do detento), mas ainda sim, o candidato já deu polêmicos comentários sobre pessoas negras: 


  1. Afirmou, em entrevista (sendo questionado por Preta Gil) para o CQC, que seus filhos não corriam riscos de namorarem negras porque diferente dela [Preta], os filhos dele "foram muito bem educados". (fontes: Veja, O Globo, Cifra)
  2. Em vídeo dando uma palestra na Hebraica, Bolsonaro afirmou coisas como "o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas" e "não fazem nada, eu acho que nem pra procriar servem mais", sendo condenado. (fontes: G1, Carta Capital, Veja)
  3. "Aqui no Brasil, não existe racismo" (fonte: IG)
  4. "Pra que costas?" e "Os portugueses nunca pisaram na África". (fontes: Folha de S.P, entrevista do Roda Viva, VEJA)

Homofobia

Não há lei direta contra homofobia, justamente uma das maiores lutas da comunidade LGBTQ aqui no Brasil é essa: criminalizar a homofobia, para que possa haver mais registros sobre as mortes e agressões geradas somente pelo preconceito com pessoas não hétero-cis, o que o concorrente à presidência, Jair Bolsonaro, insiste não existir necessidade no Brasil. O mesmo tem histórico de homofobia, sendo tantos que não deu para colocá-los aqui, então houve a redução para 12.

  1. "Não posso ter medo dos senhores, até porque a maioria aqui são heterossexuais preocupados com a família. Se fosse LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais), eu seria condenado Não vou me calar com essa representação sem vergonha, com esse lixo. Sou parlamentar com P maiúsculo, não com H minúsculo de homossexual'', no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. (fonte: Terra)
  2. ''Seria incapaz de amar um filho homossexual. Não vou dar uma de hipócrita aqui: prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí. Para mim ele vai ter morrido mesmo. Se um casal homossexual vier morar do meu lado, isso vai desvalorizar a minha casa! Se eles andarem de mão dada e derem beijinho, desvaloriza''. (fonte: Playboy
  3. Teve de pagar, em 2015, R$ 150 mil ao fundo da Defesa dos Direitos Difusos por declarações homofóbicas que deu no CQC em 2011. (fontes: IstoÉ, O Globo)
  4. Comparou gays com usuários de drogas na entrevista para Playboy em 2011. (fonte: Playboy)
  5. Ele disse que o STF (Supremo Tribunal Federal) estava de "gracinha" ao reconhecer a união civil entre pessoas do mesmo sexo, dizendo que ele [o STF] inventou, estrapolou. (fonte: Playboy)
  6. Com a pergunta: O senhor acredita realmente que a aids é consequência direta do homossexualismo?, ele respondeu: Em grande parte, sim. As questões de mulheres casadas que contraem o vírus, muitas vezes elas pegam pelo marido, que é bissexual e leva para dentro de casa. (Playboy)
  7. Disse que [caso tivesse filho homossexual] se morresse, seria melhor. (Playboy)
  8. Disse que geralmente pedófilos são homossexuais (porque ele crê nisso) nessa mesma entrevista para a Playboy e voltou, em 2018, a compartilhar fake news no seu Twitter sobre a letra P de LGBTP ser de pedofilia, quando na verdade é de panssexual. (Carta Capital e BuzzFeed)
  9. "Sou preconceituoso, com muito orgulho". (fonte: Época)
  10. "Começa a ficar meio assim, meio gayzinho, leva um coro, ele muda o comportamento dele". (fonte: debate TV Câmara 2010, vídeo)
  11. Disse, entrevistado por Stephen Fry, que "Não existe homofobia no Brasil", ao mesmo que "A sociedade brasileira não gosta de homossexuais". (fonte: vídeo)
  12. Continuamente dissemina fake news sobre o que ele chama de Kit Gay, o Projeto Escola sem Homofobia. (fonte: HuffPost)

Machismo/Misoginia

  1. Segundo Bolsonaro, mulher deve ganhar menos que um homem por exercer a mesma função que ele porque engravida. (fontes: Revista Crescer, Huffpost)
  2. Os menores salários pagos em seu gabinete é em relação às mulheres. (fonte: IstoÉ)
  3. Ele assediou, cantando-a em momento totalmente inapropriado (além do fato dela ser lésbica assumida), a atriz Ellen Page na série de documentários dela. (fontes: episódio completo, corte do episódio em que ela conversa com o deputado)
  4. "Foram quatro homens, na quinta dei uma fraquejada e veio uma mulher". (fontes: Revista Fórum, Veja São Paulo)
  5. Indenizou Maria do Rosário pela terceira vez, sendo a terceira por dizer "Ela não merece [ser estuprada] porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia, não faz meu gênero, jamais a estupraria. Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece", consequentemente passando uma mensagem de que existem mulheres que merecem ser estupradas, o que não é verdade, ninguém merece ter o corpo violado. (Carta Capital, G1)
  6. Ele é contra o aborto, e só é favorável nos casos previstos na lei: de estupro, anencefalia do feto e risco de vida pra mãe. (fontes: PSL)
  7. Bolsonaro é um dos autores da PL 6055/2013 que impede o atendimento obrigatório e integral às vítimas de violência sexual. (fonte: Câmara dos Deputados)
  8. 5 amigos da ex-esposa de Bolsonaro confirmaram que, na época que ela pediu asilo na Noruega, tinha sido ameaçada de morte. (fonte: Folha de S.P.)
  9.  

"Como pode alguém que luta pela segurança não oferecer segurança e disseminar a violência?", disse uma internauta na rede social, Twitter.


Antes de prosseguirmos, vale conferir o vídeo de Stephen Fry:


Agora, depois de tudo isso, vou focar nos três últimos pontos, aqueles que evitei falar de início: honestidade, capacitação e corrupção.

Um adendo importante para que eu não seja interpretado de modo errôneo: não estou dizendo que Bolsonaro é corrupto, mas sim que ele esteve envolvido em escândalos de corrupção, e também só estou mostrando que ele não é tão honesto ou capacitado quanto pregam. Qualquer outra interpretação é totalmente fora do meu controle.

  1. Além do apartamento em seu nome em Brasília, no total, a família Bolsonaro possui 12 imóveis no Rio de Janeiro somatizados num total de 15 milhões de reais e recebeu auxílio-moradia por um tempo, sendo que esse benefício só é dado para deputados que não têm apartamentos funcionais no Distrito Federal, o Jair Bolsonaro teve, dizendo que "usou para comer gente". Ou seja: é uma prática desonesta. (fontes: Gazeta do Povo, Folha de S.P, EXAME, O Globo, EM, Folha de S.P)
  2. Bolsonaro emprega uma servidora fantasma, sua vizinha num distrito no centro de Angra dos Reis, reconhecida como Walderice Santos da Conceição, que além de trabalhar em um comércio de açaí, presta serviços particulares em sua casa, aparecendo como uma dos 14 funcionários de seu gabinete, lhe pagando o total de 1.351 reais e 46 centavos, ou seja: utilizando do dinheiro público. O marido de Walderice, Edenilson, também é empregado pelo senhor, sendo pago com recurso da Câmara, portanto, novamente: dinheiro da população, nos mostrando que utiliza dinheiro público para obter vantagens pessoais. Quando confrontado, ele disse "não sabia de nada e como iria saber? Se mantivesse contato diário com seus 15 funcionários, não trabalharia". (fontes: Folha de S.P, G1)
  3. Já foi acusado de pesca ilegal na ilha da Samambaia, em Angra dos Reis, em Janeiro de 2012. (fonte: O Globo)
  4. Já foi acusado de injúria, apologia à estupro e apologia à tortura. (fontes: O Globo, IG)
  5. Seu partido recebeu dinheiro da JBS.  (fontes: MetrópolesJovem Pan)
  6. Bolsonaro tem boa parte da família no mundo da política, sendo os três filhos homens (agora tentando emplacar o quarto), ex-esposa, ex-sogro, ex-cunhado e atual esposa, o que gera uma grande polêmica, já que questionam se ele realizou ou não nepotismo (atividade essa que, se praticada, é contra a lei). (fontes: UOL, O Globo, Folha de S.P.)
  7. Em 27 anos exercendo seu papel como deputado, ele só teve dois projetos aprovados e também aprovou a Proposta de Emenda à Constituição que congelou os gastos do governo por 20 ano. (fontes: Rede Brasil Atual, Estadão)
  8. Nenhum de seus projetos aprovados foram de segurança ou educação. (fonte: UOL)
  9. Um desses projetos aprovados (que era destinado a saúde) foi suspenso pelo STF por infringir direitos fundamentais. (fonte: BBC)
  10. Omitiu, segundo O Globo, bens avaliados em R$ 2,6 milhões. (fonte: O Globo)

Agora alguns fatos, de extrema importância, que condizem com tudo que você leu até o breve momento:


  1. Bolsonaro concorda com a ideia de que "Nazismo era de esquerda" (o que não é verdade, por mais que achem que pelo fato do partido ser chamado de Partido Nacionalista Socialista). (Pragmatismo Político, Carta Capital)
  2. Neo-nazistas ajudaram a convocar ato cívico pró-Bolsonaro em São Paulo, alguns anos atrás. (fonte: UOL)
  3. Ele disse que não aceitará resultado da eleição caso perca, negando que sua posição seja anti-democrática (o que é, pela definição de democracia essa posição é anti-democrática). (fonte: Huffpost)

Entendeu agora a situação? Apesar de ser questões difíceis e de pouco agrado, são importantes de serem discutidas. Mas enfim, esses são só alguns dos porquês de #EleNão ter tanto poder, os porquês do presidenciável ter tanta rejeição. E espero que possa ter deixado as coisas bem mastigadas e, ainda sim, explicativas. Mais que isso, espero que isso tudo te ajude na hora de votar, em visualizar o futuro do nosso país.

Agora, para concluir com chave de ouro, lhes deixo um vídeo feito pelo VICE Brasil:


(e se lembre: anular o voto não é a solução)

TAGS: , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM