A Queda da Grécia CCgames

O que é Dungeons & Dragons (d&d)?

26.8.18Dana Martins


Já imaginou ir para Hogwarts, fazer magias e viver aventuras com seus amigos? Dungeons & Dragons é quase isso, e muito mais. É um jogo de rpg que qualquer um com acesso internet e uns papeis pode jogar, e é o meu maior vício ultimamente, então decidi fazer esse post explicando como é.

Mais ou menos uma vez por mês, eu e uns amigos nos encontramos pra jogar. Nós sentamos em uma mesa, com o Mestre na ponta, e cada um de nós é responsável pelo próprio personagem que tem habilidades únicas. Juntos, nós vivemos aventuras por uma Grécia da Antiguidade mágica onde deuses (e monstros!) são uma ameaça bem real.

No último dia que nós jogamos, estávamos atravessando uma floresta selvagem para chegar até outra floresta porque Ártemis mandou uma mensagem para Clór, uma das personagens do nosso grupo que segue a deusa, dizendo que algo sinistro estava acontecendo lá e pedindo ajuda. Atravessar a floresta foi difícil, enfrentamos um gigante de duas cabeças, um bicho feito de grama que quase matou a gente de madrugada, umas panteras quase invisíveis e até uma múmia. Em algum momento eu pesquei uma bota no rio, mas o principal é que a múmia infectou a Brittany (outra das personagens) com uma doença e nós tivemos que sair correndo em busca de uma cura.  

eu tentando descobrir um jeito de fazer desenhos mais simplificados pra desenhar momentos do nosso jogo,
descobri que ainda não fiz nenhum desenho com todos nós juntos


Se você tá pensando "meu deus, que bando de gente maluca. De onde sai tanta coisa?" 

O principal do RPG é que não é só um faz de conta, existe um sistema de regras determinando as coisas e a maioria das ações acontecem com o dados. 

Por exemplo, eu quero derrubar uma porta trancada? Eu uso o nível de força do meu personagem + um dado de 20 lados, e se o resultado for maior que o número de dificuldade da porta (determinado pelas regras/mestre), eu consigo derrubar. Se não, eu não consigo.

E digamos que eu consegui. Essa porta é de onde? De um casebre em um vilarejo e dentro eu encontro uma família de fazendeiros jantando? Isso tem consequências. 

Se você tem o costume de jogar videogame, pode estar acostumado a jogos de rpg tipo Dragon Age ou jogos como Horizon Zero Dawn e Assassin's Creed que se alimentam de elementos de rpg. É mais ou menos como esses jogos - mas com menos limitações, já que tudo depende da sua imaginação e do mestre. E em vez de apertar botões você rola dados. 

se você tem dinheiro/habilidades artísticas pode montar o cenário igual maquetes e usar miniaturas

E tem estratégia também. Quando acontece uma batalha, o mestre coloca uma espécie de tabuleiro dividido em quadradinhos e a posição de cada um de nós vs. inimigos. Dependendo do posicionamento você ganha vantagem ou desvantagem nos dados. Tem terrenos que é mais difícil de se locomover. Etc. 




Além disso, cada personagem é único. O sistema do D&D (DND ou dungeons and dragons) é baseado em classes e raças. 

CLASSES

As classes são como a profissão do seu personagem, determinando os poderes dele. Você pode ser um Mago, que descobre novas magias estudando (literalmente estudando, você tem que caçar livros e copiar as magias no seu). Você pode ser um ladino, que é o "ladrão," ele se esgueira silenciosamente e tem vantagem roubando coisas e destrancando portas. Tem uma lista de classes, cada uma com o próprio funcionamento e estilo de jogo. 



RAÇAS

Eu odeio o uso do termo raça, mas como é o termo usado oficialmente é o jeito mais fácil de explicar pra iniciantes. As raças são tipo "espécies inteligentes/humanoides" desse mundo. Como elfos, orcs, anões e humanos. Cada uma tem características próprias, tipo alguns enxergam no escuro ou sabem usar determinado tipo de arma ou são mais fortes. Além de especificidades de acordo com cada mundo - por exemplo, se você está em uma cidade que a população é exclusivamente de humanos, você sendo um elfo vai chamar atenção. 

Na mesa de rpg que eu jogo, a raça da minha personagem é genasi de fogo. É um povo metade humano e metade de um ser elemental de fogo. Minha personagem é literalmente laranja, tem olhos vermelhos, e quando usa seus poderes mechas do cabelo começam a pegar fogo em um tom azulado. E até onde eu sei, ela é literalmente a única genasi que existe nesse mundo. Ninguém quis me dar emprego quando eu tentei juntar um dinheiro. E uma vez, quando eu tava resgatando reféns de uma mina, o povo ficou com medo de mim e eu tive que me virar pra fazer eles confiarem e virem comigo. 

eu queria ter uma ideia do visual da personagem antes de escolher

Já a classe, é warlock (em português chamam de bruxo). O warlock é um tipo de pessoa com poderes mágicos que conseguiu esses poderes através de um pacto com algum entidade, normalmente maligna. No meu caso, eu nem sei de onde vem os meus poderes, acho que da minha mãe elemental de fogo. Pode ser que eu descubra de onde eu vim e quem eu sou ao longo da história, pode ser que não. Tudo depende do mestre. O warlock é marcado por ter menos "magias" pra usar, mas as que eu tenho eu posso usar à vontade. Também acho que é a classe mágica mais fácil de jogar porque você não precisa se preocupar com quantidade de vezes por dia que vai usar ou ter uma lista imensa de coisas. Pra ser sincera, eu ainda nem sei direito como um Mago funciona porque tem vários detalhes envolvendo os feitiços, enquanto o meu é só usar o que eu tenho e pronto.

No jogo, você vai subindo de níveis e cada nível você ganha coisas diferentes, inclusive pode adicinar feitiços diferentes de uma lista. Isso significa que mesmo dentro de uma classe você pode ter estilos de jogar diferente. Mas o que isso significa na prática?

Eu, por exemplo, tenho o meu warlock. Quando começa uma batalha, eu vou pra o mais longe possível dos oponentes porque eu sou tipo sniper, que ataca de longe. E os meus pontos de vida não são tão altos (em relação a outras classes), então eu posso morrer mais fácil se for atingida. Eu, inclusive, no último nível peguei um feitiço que aumenta a distância do meu ataque, aí eu fiz até esse gif pra representar como eu me sinto:



A batalha começa eu vou pra longe e espero até a minha vez, onde eu posso usar o que é quase o único poder de ataque que eu tenho disponível. O poder principal do warlock é o eldritch blast, que é tipo um kamehameha, e a maioria dos outros poderes que eu ganho são pra incrementar e alterar esse eldritch blast. Confesso que às vezes fica um pouco tedioso porque chega minha vez e o que eu vou fazer? Ah, é. A única coisa que eu posso fazer. Mas aos poucos eu vou contornando isso. Recentemente eu peguei um poder que faz uma mão gigante sair do chão e ela fica ali tentando agarrar qualquer um que passe ao longo da batalha. 

Além disso, no jogo tem um porção de habilidades menores, e as minhas mais altas envolvem carisma e blefe. Então em uma situação de interação social, meu personagem é um dos melhores pra contar uma mentira. 

Mas isso sou eu moldando o meu personagem. Você pode montar um warlock voltado mais pra combate corpo a corpo. Um que seja bom em se infiltrar como o ladino (ladrão). Etc.

Não vou mentir, quando você não sabe nada de rpg ou d&d, parece muita informação pra aprender do nada. Pra mim, a melhor forma de aprender é arranjar um grupo pra jogar. No nosso, o Mestre é que montou a nossa ficha com base no que a gente falou mais ou menos. Tem o Livro do Jogador, que vem a descrição das classes e raças, e aí a gente escolheu dali. E cada vez que a gente vai jogar, ele vai guiando e ajudando a gente. Já faz uns meses que a gente joga, mas sinto que a gente ainda tá naquela fase de se acostumar e aprender e pegar o ritmo.



E aí, conforme rola a necessidade, dá pra ir pesquisando e aprendendo também.

Uma coisa que me ajudou bastante é que eu assisto Critical Role, uma série onde um grupo de atores joga dnd e eu já indiquei aqui, então eu já fui tendo noção de como as coisas funcionam. 

E se você for a Hermione da vida, ou caso queira ser o Mestre do seu próprio jogo, você pode estudar os livros de Dungeons & Dragons e aprender exatamente como tudo funciona.

O d&d tem os livros oficiais que são Livro do Mestre e o Livro do Jogador, e neles explica o básico de tudo pra poder jogar. O ideal seria que cada um lesse pelo menos o Livro do Jogador, mas não é obrigatório. Na minha mesa acho que só eu que parei pra ler umas partes que eu queria entender mais. 

Além disso, na internet tem informação pra caramba. No site do dndbeyond (em inglês) que é oficial do pessoal do Dungeons & Dragons, tem resumo de muita coisa. Foi lá que eu aprendi sobre a maioria das classes e raças e regras básicas.

Só sei que é muito, muito legal jogar. E eu adoro histórias - seja livros, quadrinhos, série, filme, jogo de videogame - e o rpg tá me mostrando mais uma forma de viver (e consumir) histórias. Critical Role é literalmente a minha coisa preferida pra assistir e melhor coisa que eu encontrei nos últimos tempo. A casualidade do jogo e o fato de acontecer ao vivo, sem roteiro, tem sido meio libertador pra mim depois de tanta frustração com esses escritores filhos da puta. Quando um novo episódio de Critical Role começa, ninguém sabe ao certo onde vai parar. A felicidade é genuína e inocente, e as tragédias acontecem porque, bem, merda acontece. Não é melhor o pior que as outras formas de história, é diferente e novo pra mim, e tem sido ótimo descobrir. 

Já quanto a jogar, é um pouco diferente. O estilo de jogo de rpg depende muito de quem tá jogando e o que os jogadores/Mestre gostam. Tem gente que não tá nem aí pra história, pra personagem, quer sabe só é das estratégias de batalha ou se tornar super poderoso. Tem gente que joga que pode passar um dia todo e nem ter batalha, ficar só nas discussões políticas. No nosso, é uma mistura, mas também tem o lado de que nós somos novos. A gente precisa ainda se acostumar com o jogo, com o que os nossos personagens podem fazer, e também a entrar no personagem. O que eu sinto é que quando tu chega num grupo de pessoas que não são atores e aí chega YEY VAMOS FAZER AQUI UM FAZ DE CONTAS, VAMOS LÁ todo mundo fica meio



Pra mim, a sensação é de que é estranho. Mas acho que com o tempo a gente vai chegando lá. 

E tem outras coisas, tipo: no fim do nosso último jogo, aconteceram coisas SINISTRAS. Veja bem, chegamos lá na florestinha pra salvar, encontramos uns lobos demoníacos e aí, de repente, percebemos que não estamos mais no mesmo lugar. Ficamos completamente perdidos na floresta. No meio de uma névoa estranha. Ártemis mandou um fax dizendo CORRE SEUS FILHO DA PUTA. Mas a gente TÁ PERDIDO. Numa floresta cheia de bicho morto, destroçado, pelo chão. No meio a gente encontra um diabo - um ser monstruoso feito de correntes. As definições de "cu trancado" foram atualizadas. E aí, no meio disso, do nada dois membros do nosso grupo começam a agir estranho, como se tivesse enfeitiçados. Eles largam as armas, sentam num tronco virado, e falam que não querem ir embora. QUE PORRA É ESSA?

Eu não sei. Nenhum de nós sabe direito. E como terminou logo depois que, aparentemente, o feitiço acabou, ainda não temos a menor ideia. Eu andei pesquisando magias que poderiam ter causado isso e o que poderíamos fazer, nós já teorizamos como sair da floresta... mas ninguém sabe o que aconteceu ou vai acontecer. E em termos de jogo, eu acho isso super legal. Ainda mais que é algo em grupo, então você pode conversar e teorizar com outras pessoas e pensar como nós vamos sair dessa.

Na grande escala da vida, é ótimo ter um momento ou outro pra juntar com uma galera e viver uma aventura juntos.

Vou encerrar respondendo/explicando umas coisas mais diretamente:

1- OS SISTEMAS DE RPG E EDIÇÕES DE DND

RPG (role playing game) são tipos de jogos onde você assume o papel de um personagem em uma narrativa. Tem vários rpgs com sistemas de regras diferentes. Inclusive, alguns mais simplificados pra iniciantes. Eu sei que tem, mas não conheço nenhum. O Dungeons & Dragons é o sistema mais famoso, e o que eu jogo. 

Agora, o próprio Dungeons & Dragons passou por reedições. Afinal, ao longo do tempo eles foram vendo o que dava certo, o que não dava, expandindo e reinventando como as coisas funcionam. Nessa minha mesa, a gente joga 3.5. O site do dnd beyond e no Critical Role eles jogam o 5.0, que é o mais novo. É importante saber disso pra ter certeza de que você tá pegando a informação certa. Um feitiço em um pode funcionar diferente no outro, ou nem existir. Se você vai começar agora, eu diria pra ir direto pra o 5.0 e ser feliz. 

2- DADOS

No jogo de rpg você usa vários dados, em d&d especificamente tem 7 dados diferentes principais. Por que tanto dado? Porque servem pra coisas diferentes. Por exemplo, se você tem uma adaga, ela causa d4 (dado de quatro lados) de dano, agora se você tem uma espada longa, você dá um d10 (dado de 10 lados) de dano. O principal é o d20 (dado de 20 lados), que é o que você usa pra quase tudo. Quer ver se acerta alguém? D20. Quer ver se você consegue desarmar uma armadilha? D20. 

Pra minha personagem no jogo, eu praticamente só uso o d20 e vários d6, porque o meu poder de ataque tira 1d6 de dano e conforme meu level aumenta o número de dados de 6 aumenta. No momento eu dou 3d6 de dano (3 dados de 6 de dano). 

Como conseguir os dados: Na internet tem sites/apps de dado que rolam pra você, caso você não possa comprar ou não encontre. Fora isso, tem em lojas especializadas de rpg/quadrinhos, você vai ter que procurar na sua cidade. Tem o site http://rpgmaisbarato.com onde eu consegui comprar 5 d6 e veio tudo direitinho! E também tem o aliexpress, que demora 50 anos mas tem um monte de opções de dados muuuuuuito baratas e bonitas. Inclusive, tenho uma teoria da conspiração de que todo dado que a gente encontra por aqui foi comprado de lá. 


3- COMO EU FAÇO PRA JOGAR?

Você precisa arranjar um grupo. Tem quem jogue até duas pessoas (um mestre e um jogador), mas você coloca quantas achar mais confortável. O meu grupo é de 6 pessoas mais o mestre. É importante que tenha pelo menos uma pessoa que entenda as regras pra ser o Mestre, mas se não tiver você e os seus amigos podem se unir e se ajudar. Os dados - se você não tiver dinheiro ou onde encontrar, na internet tem apps de dado. Papel pra desenhar o quadriculado e fazer as coisas de batalha. E os livros de d&d, que tem até em português na internet.

4- SOCORRO, EU NÃO TENHO AMIGOS

Acho que esse é um dos maiores problemas pra quem gosta de rpg. Eu quando comecei a ver Critical Role e fiquei cheia de vontade de ver não tinha ninguém. Descobri até que tinha muita gente preconceituosa com rpg ou que não dá uma chance pra Critical Role porque pensa que é assistir só outras pessoas jogando um jogo. Mas aí o que eu fiz foi falar pra deus e o mundo que eu queria jogar. A minha primeira experiência foi bem traumática. Gente que não aparecia. Confusão. Dor de cabeça. No fim das contas a mesa acabou indo pra o espaço. Achar gente é difícil, achar gente que funcione em grupo então... Nossa senhora. Mas nesse vai e vem a Carol do CC falou que o namorado dela ia abrir uma nova mesa de rpg e até agora tem sido muito bom. 

Acho que a conclusão é: procura. Fala pra todo mundo. Às vezes você não conhece alguém que jogue ou sabe como pode arranjar, mas só de ir falando pra geral pode chegar a alguém que te ajude ou até mesmo esteja disposto a jogar com você. Além disso, devem ter grupos de rpg na internet e eu já vi que tem várias pessoas que jogam online. 

E se você for do Rio, eu tô aprendendo a mestrar e estou planejando uma one-shot (e talvez outras no futuro), então me manda uma mensagem. Não precisa ter vergonha. A forma mais fácil de falar comigo é no twitter @danagrint

5- O QUE É ONE SHOT?

É uma história curta, "one shot" significa mais ou menos "uma dose." Normalmente, jogos de d&d acontecem mais no formato de campanha. Um grupo de aventureiros andando pelo mundo e se envolvendo com diversas missões que vão ficando mais complicadas conforme eles vão aumentando de nível, e isso vai sendo jogado através de sessões que pode levar anos, tudo depende do que o DM e os jogadores tem em mente e também da frequência jogada. Já a one shot é feita mais pensando em um dia. É como se a campanha normal fosse um livro inteiro, e uma one shot fosse um conto. Ou como se a campanha fosse uma série dividida em vários episódios, e uma one shot um filme. 

6- EU NÃO SOU BOM EM CRIAR HISTÓRIAS! / NÃO TENHO SEGURANÇA!

O próprio d&d oferece missões que você pode seguir de referência. Eu não sei se é no livro do Mestre, mas sei que tem livros com isso. Eu quando precisei procurar uma one shot escrevi no google "dnd one shot" e aparece uns pdfs mostrando passo a passo a história. 

7- SÓ TEM RPG DE FANTASIA?

Não, tem de tudo quanto é tipo. Tem histórias que se passam em ambiente futuristas, outras em que você e os seus amigos são um bando de sobrevivendo no apocalipse zumbi. O tipo de universo de fantasia não precisa nem ser aquele clichezão tipo Senhor dos Anéis, você pode fazer o que quiser. Na mesa que eu jogo é uma versão da Grécia Antiga, então a gente tem a chance de ver todos os deuses e tal. A parada é ver o que o grupo gosta.

8- RPG de tumblr...?

Eu não conheço direito, então posso falar merda. Mas eu sei que existe uma forma de jogar rpg na internet que é um estilo de jogo mais social. Apesar de tudo cair no guarda-chuva de RPG, não é a mesma coisa que d&d. Eu tô falando isso porque uma vez eu tava falando de procurar um "grupo de rpg" e pensaram que eu tava falando desse outro tipo, então decidi colocar isso aqui só pra evitar confusão.

TAGS: , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM