13 Reasons Why amigos

Meu maior medo

30.8.18João Paulo Albuquerque


Antes de você entrar nesse texto e continuar lendo, eu devo dizer que aqui tem TW (trigger warning = aviso de gatilho) sobre suicídio. Então se você acha melhor não ler, tudo bem.


Suicídio. A palavra chamou sua atenção, não é? A verdade é que suicídio chama a atenção de todo mundo. São suas ação que levam ao ato que passam despercebidas.

Quem nunca por um momento não pensou que se não estivesse ali, talvez fosse melhor para todo mundo? Ou que queria sumir e etc? Na adolescência, queira admitir ou não, às vezes ocorre. E se ocorre, o melhor a fazer é conversar com quem pode/confia sobre isso e/ou tentar arranjar terapia (mesmo se não tiver pensamentos assim). Mas comigo, nunca ficou tão forte quanto quando eu assisti a primeira temporada de 13 Reasons Why. A série me fez questionar se "eu estar por perto realmente fazia bem para as pessoas ao meu redor?", se "eu pulasse da janela do quarto eu pararia de sentir dor?", e "por que estar vivo?". E com esses pensamentos, eu me afundava em culpa e raiva, porque eu não queria esses pensamentos, eu não queria que suicídio parecesse uma solução/opção como a série mostrava ser, eu não queria me soltar da última corda que estava me mantendo vivo naquela época. Eu não queria morrer. E assistindo à essa série, cada vez mais parecia uma solução, parecia que "tudo ficaria bem" e "quem te causou tanto sofrimento vai pagar" ou coisas do tipo. 

Ano passado eu estava desesperado de uma maneira que era pior do que quando eu estava no último ano do Fundamental, as crises dentro da escola aconteciam com frequência maior, eu não aguentava pisar na escola, nada de positivo me vinha à cabeça sempre que eu pensava naquele circo de inferno e eu só queria ficar longe daquilo. A única coisa que me aproximava de escola (e nem era da minha) era meu projeto de Bullying, a coisa que eu me agarrei desesperadamente para me lembrar de um propósito positivo da vida, de algo que eu estava fazendo que ajudaria outras pessoas.

Uma das maneiras que também me ajudou a começar ver os pensamentos desaparecem foi lendo textos daqui do blog, tirando dúvidas sobre suicídio, diminuindo a pressão que eu colocava sobre mim, aprendendo a dizer não, tentando fazer mais coisas que eu gostava ao invés de me afundar com preocupações, lendo livros de auto-ajuda, lendo sobre pessoas com transtornos psicológicos e como lidam com isso... foram tantas coisas...

Quando enfim chegaram as férias, eu já tinha conversado com a minha mãe sobre essas coisas e eu estava bem melhor. Eu não tinha escola, podia ficar em casa fazendo as coisas que eu amava e era isso, mas esse ano chegou com uma segunda temporada de 13 Reasons Why que fez eu me sentir preso. Eu achava que "tinha que acabar a série", tanto que eu tentei e só teve um resultado: faltar um dia na escola porque fui dormir chorando e com medo de ir pra escola.

Mito: falar sobre suicídio só vai encorajar isso | Realidade: Quando falado sobre tratamentoe esperança, discutir o suicídio é uma das maneiras que mais ajudam alguém.

Eu já fiz um texto falando o quão prejudicial a série por si só é, então não vou voltar nesse ponto, a situação é que eu fiquei bem mal e decidi dar negativo pra ela no Netflix e tirar das séries que eu seguia no TV TIME, e assim seguir minha vida.

Algo que eu aprendi com tudo isso é que meu maior medo é de estar num momento tão tenso, tão pesado, que eu possa achar que suicídio é uma solução ou escape. E por isso, eu decidi fazer uma lista e divulgar com vocês de motivos/coisas pra lembrar se um dia chegar nessa situação (que não vai, amém):
  • Minha família que me dá suporte, amor e está sempre do meu lado;
  • Meus amigos (virtuais ou não) que são incríveis e mesmo que a gente se afaste, eles são parte da minha vida;
  • Séries. É meio estranho isso estar aqui, mas séries são o que me ajudaram muito no decorrer do tempo;
  • Meus sonhos,cujo não pretendo abandonar, mas sim realizar;
  • Minha carreira;
  • Meus livros;
  • Filmes;
  • Quem eu idolatro;
  • Música;
  • Os momentos de dor/tristeza/decepção que me fazem aprender e valorizar os momentos de felicidade;
  • As risadas;
  • Madrugadas;
  • Representatividade;
  • O blog;
  • Luta pelas minorias;
  • Desenhar;
  • Aprender;
  • Bruxaria;
  • O Sentir;
  • etc...
Lembre-se, se você precisa de ajuda, entre em contato com o Centro de Valorização da Vida, ligando para o número 188 ou pelo chat deles no site.

Esperança, fé e amor.

TAGS: , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM