clube de escrita Dana Martins

Clube de Escrita: Escrever não é só escrever

18.3.18Dana Martins


Hey! Mais um Clube de Escrita da Dana, e o último por enquanto. Vamos conversar sobre o meu processo de edição (a parte final do planejamento antes de começar a reescrever) (ou o planejamento pra quem gosta de fazer isso antes de começar a escrever) e o que vem daqui pra frente.

No último Clube que eu escrevi, comemorei o fim da Drive! e falei que ia voltar, de fato, pra Rebels AU. Essa história eu venho escrevendo há um ano!!! Já está toda escrita e eu até já comecei uma parte da edição, mas fiz uma pausa no início do ano pra escrever uma história de início de ano porque sim e depois fiz mais duas pra um especial de fandom. E já estamos em março. E eu tinha que voltar pra Rebels AU que nas minhas alucinações eu pensei que ia terminar em fevereiro. Enfim...

Como você recomeça a edição de uma história depois de meses sem tocar?

A) Chorando
B) De onde parou
C) Dá a louca e faz qualquer coisa que der vontade
D) Não faço ideia


Eu sinceramente... eu não sei de onde que eu tiro ideia do que eu faço. Por que eu fiz isso? É o que eu sempre faço? Como eu cheguei à conclusão de que era pra fazer isso? Eu sinceramente não faço ideia.

Depois de ler aquele texto do Greg Pak que eu compartilhei com vocês aqui no Clube de Escrita, eu decidi começar fazendo uma outline da história inteira. Por quê? Acho que eu queria entender e ter uma visão geral da história.


Pausa para conhecimento adicional

Segundo o Google Drive, outline é "estrutura em tópicos." E se no drive você colocar Visualizar -> Estrutura em Tópicos aparece uma barra lateral com a outline do seu texto. É uma merda porque é gerada automaticamente pegando o que ele considera título (você pode excluir os que não quer). Porém, eu uso como índice de cena e é maravilhoso pra editar. É só colocar um título pra cada cena e ele gera automaticamente a lista.



Além disso aí eu tenho uma lista numerada com todas as cenas. A princípio parece demais numerar cada uma das cenas de uma história grande, mas é uma mão na roda tão grande pra editar. Na real, não existe nem demais nem de menos quando se está escrevendo a história. Existe você, e o que você quiser fazer pra conseguir terminar. Se funciona pra você, vai em frente. 

De volta pra história, eu decidi fazer a tal "estrutura em tópicos." 

Sem nem abrir o arquivo antigo, eu comecei a dividir os acontecimentos em tópicos principais de acordo com o que eu lembrava que acontecia. Mais ou menos:

1. Acontece isso

2. Depois acontece isso

3. E aí acontece isso

Se eu não lembrasse direito, não importava. A sequência de acontecimentos tinha que fazer sentido todo na cabeça agora. Isso é bom porque ajuda a eliminar coisa desnecessária que a gente pensa que é importante e no final é tão irrelevante que a gente nem lembra.

Isso me ajudou a ter uma visão geral da história, assim como resolver umas coisas que não estavam fazendo sentido no encadeamento. Por que desse tópico X passaria pra o Y? Não tava encaixando!!!

Felizmente, as partes que eu tava com o problema fizeram sentido mais fácil do que eu esperava e eu só fiquei com problema mais pra o final. 

Então, eu precisava consertar esse final. O que eu fiz? Agora, sim, eu fui pra pasta da minha história no computador e puxei minha lista de cenas (da parte 3), e aí refiz essa mesma estrutura de tópicos com o que, de fato, tá escrito. Depois fiz uma lista final misturando as duas com a sequência de acontecimentos que eu queria. 

Pronto, agora eu tinha uma lista completa com os momentos principais da histórias do início ao fim. 

Basicamente, acho que essa "estrutura em tópicos" ajuda a dar uma visão geral da história de maneira simples. Assim dá pra ver logo o que tá funcionando e o que não tá funcionando, se tudo faz sentido, etc. 

Algo que eu sempre me questiono: Como eu soube que era pra fazer isso? 

Eu acho que não soube, eu tentei. Acho que quanto mais a gente escreve e estuda escrita, mais ferramentas a gente junta na nossa caixinha, então a gente já fica com uma vaga ideia do que pode ser a solução. 

No momento, eu tenho uma história toda escrita, 70.000 palavras, e não tá pronta. Eu poderia ir direto reescrever parte por parte até o texto ficar bom, mas acho que eu queria mais do que isso, eu queria entender a história. Por que isso tá acontecendo? O que está realmente acontecendo aqui? E aí desse modo eu não fico escrevendo trilhões de cenas e quebrando a cabeça, eu já sei pra que a cena tá ali e qual é o ponto daquele trecho. 

Essa estrutura em tópicos é tipo uma versão simplificada da história fácil de manipular e pensar sobre o que tá acontecendo. 

No fim eu tinha uma lista dos acontecimentos principais, dividido nas 3 partes, e também alguns post-its com lembretes (o que cada parte é, coisas pra desenvolver ali). 

Por acaso, o Greg Pak ao mesmo tempo publicou um novo texto onde ele fala sobre como ele faz a estrutura em tópicos (outline). Eu aproveitei pra ler comparando o que eu fiz e anotei algumas partes principais. 

Minhas anotações:

- Ele vê como ele quer tratar os personagens (lembrando que ele escreve quadrinhos, então isso é sobre, por exemplo, imagina se ele vai escrever uma história da Capitã Marvel, como ele entende a personagem? mas achei interessante. como a gente trata os personagens da nossa história?)

- Ele vê a premissa temática da história

- Como pontos de virada afetam os personagens relevantes

- O que o personagem realmente quer

- Trama com drama que vai aumentando em que, a cada etapa, os heróis estão mais próximos ou longe do que eles querem alcançar

- Divide a trama em capítulos

- Uma cena deve mostrar o personagem indo em frente emocionalmente e em termos de trama

É nessa parte da história que eu normalmente estudo escrita, porque é uma chance de aprender colocando em prática ao mesmo tempo. 

Às vezes isso não me leva a lugar nenhum, às vezes me dá ideias, me mostra onde tá o problema, me ajuda a fazer melhor. É como se eu ficasse testando a história. Qual é a premissa temática? O que a personagem quer? O drama aumenta? O personagem tá mais próximo ou mais perto do que quer? 

Essa última pergunta, por exemplo, como você sabe se a cada ponto o personagem tá mais próximo ou longe? Se você tem uma estrutura em tópicos do que acontece, fica fácil. 

Eu fico muito tempo pensando, chegando a conclusões e novas conclusões, fazendo anotações. Às vezes imagino trechos de conversa ou cenas e escrevo. Mas o importante é que essa parte envolve muito mais ler e fazer anotações, ou simplesmente pensar, do que escrever de fato. 

No texto do Greg, ele fala sobre "turning point" (ponto de virada), algo que eu já conhecia, mas até eu entender um conceito acabo lendo e relendo mil vezes, então fui pesquisar melhor sobre isso. O que é ponto de virada? Quando acontece nas histórias? Exemplo? Como acontece em uma cena? E então passo novamente pelo processo de refletir sobre a minha história baseado nisso.

Depois que me dei por satisfeita com a minha pesquisa e a minha folha com estrutura em tópicos, eu dividi esses tópicos em capítulos e anotei os 5 movimentos (incidente incitante, complicações progressivas, crise, clímax e resolução) de cada capítulo. Em alguns casos, também dividi quais cenas escritas faziam parte de qual capítulo. 

Deu trabalho, mas foi prazeroso. Me ajudou a melhorar capítulos que, caso a história fosse um filme, seriam só uma montagem com trilha sonora de fundo tipo FULANO TREINANDO. 

Descobri também que não sei direito escrever passagem de tempo. Você escreve o quê? "Então passaram vários dias e fulanos se tornaram amigos." Estranho.

No fim eu fiquei com um novo arquivo "capítulos" onde eu anotei comentários sobre o que é cada capítulo, coisas que tem que aparecer, diálogos e o que mais eu quiser lembrar. Outro arquivo chamado "resumo dos capítulos" onde é tipo sinopse da novela de cada capítulo. Folhas de papel com os 5 movimentos de cada capítulo anotado. E uma folha com a lista de capítulos relacionando a que ponto da estrutura de tópicos tá sendo tratado ali. (tem 19 capítulos e 21 tópicos)

Bastante papel. Bastando textinho no bloco de notas.

E aí a gente termina e vai escrever?! 

ainda não


Fui pra minha planilha. Que isso? Bem.

A planilhazinha™ foi a primeira coisa que eu comecei a fazer em termos de planejar história. De lá pra cá ela evoluiu e se tornou parte do meu processo criativo. Basicamente, é uma planilha onde no topo (primeira linha) ficam os capítulos, e na primeira coluna as coisas que vão ser desenvolvidas. Isso me ajuda a visualizar o desenvolvimento das coisas na história.

Exemplo:



Normalmente eu faço no papel, dessa vez fiquei com preguiça e fiz no Google Sheets porque é mais fácil de editar e essa história também é grande, então tem bastante coisa. Vou usar essa planilha e preencher tudo? Não sei. Mais nesse momento me ajudou? Sim. 

Algo sobre o meu processo criativo: se eu não tô com vontade de fazer, não faço. Provavelmente é desnecessário. 

Eu só completei as coisas do primeiro capítulo até agora, acho que vou incluindo conforme eu escrevo. Isso me ajuda, por exemplo, a evitar que eu personagem apareça na parte 1 seja completamente esquecido no resto. Me ajuda a pensar como incluir coisas. Na Logan AU que eu terminei ano passado tinha um dicionário que se tornou bem mais importante e deu um toque emocional na história graças a isso. É claro que eu não vou incluir tudo que aparece na história na planilha, mas as coisas importantes, sim. 

Normalmente eu incluo na planilha:
- Pessoas (o humor dele, ou às vezes só o que eles tão fazendo ou como aparecem)
- Temas
- Coisas
- Relacionamentos

Pronto. Tinha minha planilha, minha lista de capítulos, resumo dos capítulos, coisas que tinha que incluir, etc. E agora?

AGORA A GENTE COMEÇA A ESCREVER?

SIIIIIIIIIIIIIIIIM



Voltei ao meu primeiro capítulo que já tinha sido editado antes e é a parte mais completa da história. Quase não precisou de edição nenhuma, mas ainda assim passei quase uma hora reescrevendo uns trechos e ajustando alguns detalhes. E, cá entre nós, achei muito bom. Foi bom de ler e aconteceram coisas que me deixaram !!!!!

Além disso, quando eu estava revendo algumas cenas durante aquele planejamento de capítulos, li um trecho grande que eu não lembrava e estava tudo surpreendentemente bom. Esperanças de que no final não vai ficar tudo terrível. 

E estava editando, quando de repente lembro de ter anotado a idade da personagem em um caderno. Onde está o caderno? É assim que eu descobri um saco no meu armário com um caderno da primeira edição com várias anotações e mais 92383298239823 papeis, inclusive uma versão da minha planilha. Eu tinha esquecido completamente disso. Pior que teve um momento que eu até pensei que seria bom ter um caderno pra anotar coisa dessa história. HUAHUAH Eu deixei a maior parte dos papeis pra lá (guardados) e fiquei só com as informações de idade e outras coisas salvas no caderno.

Moral da história: ficar um tempo sem tocar na história faz você ter o mesmo trabalho 2x. Ou não. Na verdade, nem tô mal por ter dado essa pausa porque de algum modo eu sinto que a história faz mais sentido agora.

Agora é trabalhar de capítulo e capítulo até o fim. Em breve também vou ter ideia de quanto tempo levo por capítulo e vou poder ter uma ideia de quando vou terminar essa história. Não vejo a hora de terminar. 

Então... o Clube fica por aqui. Deve voltar em breve porque em abril de Camp NaNoWriMo e imagino que a Bells vá fazer algo, mas eu vou focar na escrita e quando tiver algo pra compartilhar, ou terminar a história, volto aqui. Até lá vou estar todos os domingos na minha newsletter, o Batdrama, onde eu comento sobre a minha vida, cultura pop, desenho e escrita. Clique aqui para se inscrever no Batdrama.

Vou fechar dizendo que nas últimas semanas tenho recebido comentários sobre a última história que eu terminei e é tão bom. Levei tanto tempo quebrando a cabeça pra fazer o diálogo funcionar e chegar a algum lugar, e ver a impressão das pessoas tem sido bem recompensador. 

TAGS: , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM