Carol Cardozo CCdiário

Quais são nossas expectativas pra 2018?

2.1.18Conversa Cult


FELIZ ANO NOVO, MOÇADA!!!

2018 enfim chegou e dando continuidade à nossa tradição, nesse segundo dia do ano viemos com as nossas novas metas. Se elas vão se concretizar ou não, só o post sobre como foram as expectativas dirá (HAHAHAHA), mas a graça é essa, não é mesmo?

Vamos lá.

BELLS

1 - Me dedicar mais ao taekwondo

2017 foi um ano incrível por várias coisas, dentre elas ter começado a praticar o ESPORTE DA MINHA VIDA totalmente 0800. Deus abençoe os políticos atrás de voto HUGHDFIUGHDIFGHDFI e como 2018 é ano de eleição, vão investir mais ainda nesse projeto onde tenho meus treinos. Na última semana antes das pausas de fim de ano o meu mestre ficou falando sobre a oportunidade que a gente tá tendo ali, e nossa cara, sim. Taekwondo é um esporte caro (tem que pagar academia, uniforme, exames, faixas, inscrição em campeonatos...) e dei a sorte de encontrar um mestre que tenta facilitar o máximo possível pra que todo mundo possa avançar. E nisso tudo eu tenho sentido que preciso treinar mais se quiser realmente me sentir merecedora da faixa que vou receber.

Então é isso::: treinar mais, seja em casa, seja em outro lugar. Me dedicar mais e encontrar a tal força que ele disse ter em mim e que preciso encontrar. Nem sei por onde começar, mas pretendo passar 2018 tentando.

VAI SAIR DA JAULA O MONSTRO

2 - Organizar melhor a minha rotina

Em meio a taekwondo, aulas da pós, projeto de monografia, trabalhos e os exercícios e leituras do grupo de estudos, passei os últimos meses de 2017 completamente MALUCA. Nunca na minha vida fiquei tão ansiosa pra chegada de janeiro e os seus recessos HAHAHAHAHAH. Quando eu tinha quase nada pra fazer tava bem fácil me organizar, mas agora com as mil coisas que me meti, mais os meus hobbies que não vou largar nem fodendo, tá na hora de começar do zero. VAMO QUE VAMO


3 - Investir na minha saúde mental

Tá certo que tô fazendo o tratamento direitinho, mas a ansiedade continua aqui à espreita, esperando pela menor oportunidade pra vir me enlouquecer. Então quero continuar praticando meditação e mindfulness, monitorar meu humor e tentar lidar melhor com os pensamentos ruins que surgirem.

PROJETO ISABELLE 2018 ZEN

4 - Começar a trabalhar (ou fazer dinheiro de alguma forma)

É, gente. A saga do desemprego continua HAHAHAHAHAHA e assim, até posso ficar esperando conseguir uma bolsa quando passar no mestrado (já contando com o vou passar, olha isso), mas não é nada confortável nem aconselhável. Preciso me mexer, me desafiar e o mais importante::: DINHEIROOOO então né, já passou da hora. Pensei numas possibilidades que não envolvem atender na clínica como todo mundo ou emprego de 8 horas, só preciso explorar e correr atrás pra ver se rola.


5 - Demonstrar mais afeto e emoções em geral

Olha, acho que de todas essa vai ser a mais difícil e nem tô colocando muitas expectativas, vai ser só um exercício mesmo. Desde pequena sempre fui muito travada pra qualquer outra emoção que não fosse animação e raiva HHAHAHAHAHA e sigo assim até hoje. Me sinto desconfortável quando tenho que consolar alguém, faço de tudo pra que ninguém me veja chorando por qualquer motivo que seja e MORRO DE VERGONHA de que as pessoas percebam que tô muito movida por alguma coisa (tipo o taekwondo. eu fico me controlando pra ninguém perceber o quanto é importante pra mim. O QUE É ISSO MEU DEUS). Então, vamos lá. Quero ver no que isso vai dar.

CAROL

1 - Comer coisas saudáveis

Eu moro sozinha, às vezes a preguiça de cozinhar bate, então é mais fácil fritar alguma coisa aleatória ou pedir alguma coisa no delivery. Mas além de gastar muito dinheiro com isso (que já não tem muito, vale ressaltar), minha saúde vai pro saco. Vou chegando nos 25 anos em 2018, começando a ver os 30 anos não tão longe assim no horizonte, e quero tentar me cuidar melhor. Uns exercícios ou um esporte até seria legal, mas só de eu lembrar de beber mais água, deixar o refrigerante só pro final de semana, comer mais verduras, legumes, já vai ser muito bom. Pra vocês terem uma ideia, medi minha glicose recentemente, ela estava normal e eu fiquei CARALHO QUE MILAGRE É ESSE???? Definitivamente preciso mudar essa parte da minha vida.


2 - Me mudar

"Mas de novo, Carol????", calma, eu explico. Dessa vez é me mudar pra um cantinho meu e do meu namorado.

Não sei se é tão impactante pra você quanto é pra mim, mas enfim, talvez 2018 seja o ano que a vida vá bater na minha cara e falar "CÊ TÁ SE VIRANDO HÁ DOIS ANOS JÁ, MAS SERÁ QUE AGORA A MADAME CONSEGUE SE ENXERGAR COMO ADULTA??". Pra isso acontecer precisa de uma série de coisas dando certo, algumas já estão meio que encaminhadas... e é isso. Fé no pai que a casinha sai. Aceito vibrações positivas e orações pra qualquer que seja a entidade não-corpórea que você acredita.


3- Ler mais

Não pretendo voltar aos 60 livros lidos no ano de uma tacada só, mas vamo de pouquinho em pouquinho. Um livro por mês já seria uma vitória bem grande pra mim.


4 - Continuar conhecendo bandas novas

Conheci pessoas, lugares e movimentos incríveis por causa de bandas (especialmente brasileiras) que descobri esse ano.


5 - Continuar tentando aprender a tocar guitarra

Comecei na empolgação, depois parei, agora já esqueci quase tudo o que eu aprendi, mas vamo que vamo, né? Não dá pra desistir.

DANA


1 - Quero aprender a falar inglês

AGORA VAI NÉ?


2 - Descansar feat. foda-se ter expectativa

No momento tô cansada e não quero ter expectativa nenhuma, quero só viver. Se cada dia for legal e eu me sentir melhor, mais forte conforme for, tá bom por mim.


3 - Terminar o projeto de contos e a Ground Control

Ainda estou na expectativa "terminar mais histórias," mas 2017 pelo menos me deu uma ideia de quais histórias eu quero terminar. É um trabalho constante de seguir em frente, dar o meu melhor, e ao mesmo tempo saber balancear com o resto da vida de forma saudável.


4 - Tá desenhando alguma coisa que presta

Eu quero desenhar sem compromisso, mas NO FIM DE 2018 QUERO PELO MENOS TER UMA FANART CLEXA QUE PRESTA NÃO AGUENTO MAIS ESSA DITADURA DE NÃO PODER FAZER MINHAS FANARTS. MELHORA LOGO @ HABILIDADES ARTÍSTICAS. ME DEIXA FAZER UNS DESENHOS QUE COMECEM A SUPRIR MINHAS NECESSIDADES BÁSICAS


5 - Tomar Rumo na Vida

Eu sei que eu quero escrever, eu sei que eu quero criar algo - e é isso que eu tenho feito. Treinando, estudando, melhorando. Mas eu quero ter alguma visão no horizonte de um caminhozinho pra mim.

No geral, só quero seguir em frente, conseguir dormir e viver minha vida de boa, recuperar minha energia. Conhecer gente nova e legal, viver novas experiências, viajar, fazer algo diferente e não precisa tá tudo PERFEITO PICA DAS GALÁXIAS, eu sei que certas coisas levam tempo pra construir, mas quero voltar ter a energia que eu tinha, me cuidar mais, continuar indo pra academia.

EDUARDO

1 - Arrumar um emprego

Depois de formado e já ter passado pelo terrível momento de dizer: "eu sou desempregado" o primeiro passo para começar 2018 bem é arranjando um emprego. Podem apostar que vai ser a meta mais almejada nesse ano.

2 - Conhecer esse povo lindo do ConversaCult

Altos planos pra ir pro Rio de Janeiro conhecer essa moçada linda. Depois de 3 anos, já ta na hora né?

3 - Voltar a escrever

Deve ter uns 2/3 anos que eu não escrevo nada. Meus projetos tão todos sem editar ou revisar e eu tô me sentindo mal por não estar criando nada.

4 - Sei lá

Eu só quero viver e ser feliz do jeito que der, não importa se vai dar certo essas metas. No final alguma coisa vai servir e eu só quero ir atrás de construir um ano tão bom quanto 2017 foi pra mim.

JOTA

1 - Me dedicar mais ao inglês e espanhol, mesmo que eu esteja de saco cheio e desmotivado

Esse ano eu sofri com desmotivação de um jeito que eu não experimentei antes. Foi trágico. Esse ano novo que temos pela frente eu quero realmente me empenhar mais e fazer acontecer, aprender até mais sozinho. 


2 - Começar a me exercitar

Esperei muito tempo para meus avós liberarem a esteira deles para vir pra minha casa, então agora quero aproveitar, principalmente porque andar e correr são coisas que eu realmente gosto e não me sentiria na obrigação de fazer, nem ficaria bravo, seria algo natural e o melhor: DENTRO DE CASA, NEM PRECISO SAIR QUE FELICIDADE!


3 - Treinar mais a minha área artística

Apesar de ter aprendido muita coisa esse ano e ter desenhado mais do que o esperado, eu quero mesmo treinar mais, desenvolver mais das minhas habilidades e aprender mais sobre desenhar com mouse, em breve com minha mesa digitalizadora e aprender mais técnicas sobre desenhar rostos.


4 - Escrever mais

Com certeza isso. Minha meta de histórias finalizadas vai ser de 7 para 2018. Eu realmente quero ver como vai ser esse ano!!! :)



5 - Organizar melhor meu tempo

Indo para o Segundo ano do Ensino Médio, algo que eu preciso aprender a cuidar é do meu tempo, porque eu quero fazer muitas coisas e preciso tomar cuidado para não perder tempo.


6 - Estudar mais

Sendo uma das milhares de pessoas que vão treinar para o Enem nesse ano, eu quero estudar mais. Não só pelo Enem, mas também por mim. Eu gosto de aprender e aprender sozinho, eu sei que posso ir ainda mais longe.


Esse ano eu vou estar tão ocupado estudando que se falarem comigo eu não vou prestar atenção porque vou estar estudando e provavelmente aprendendo a tomar café puro DOKSODK

7 - Descobrir o que eu gosto, de vestir, de ser, etc. (pergunta chave: quem eu sou?)

A coisa é auto-explicativa aqui. 2017 foi um ano de um bando de dúvida assolar a minha cabeça, então acho que esse tópico é super importante.

TAIANY

Como de praxe, minhas expectativas tem mais a ver com mudanças internas do que com feitos externos, esses são só a reposta direta ao primeiro. Nem é algo autoimposto, acontece das minhas resoluções terem essa pegada de filme de superação e não tenho disposição nem vontade de questionar.


1 - Fazer

2018 nem começou e eu já comecei 2018. Nós (eu pelo menos) sempre ficamos nos programando, e isso é até importante, mas por vezes ficamos só na programação mesmo, a gente vai empurrando pra frente e fazendo NUNCA. Semana que vem eu começo tal coisa, na virado do ano vou fazer x, segunda-feira eu me matriculo na academia e todas essas frases que conhecemos de cor e de salteado. Pois bem, MINHA RESOLUÇÃO PARA ESSE ANO É FAZER. Nos últimos 3 meses de 2017 eu tava abrindo um quadro de ansiedade seríssimo e quando consegui levantar um pouco minha cabeça do fundo do poço onde ela se encontrava percebi que voltar a praticar mindfulness poderia ser uma boa solução, já estava toda trabalhada na programação para iniciar isso no novo ano quando me toquei que poderia ser tarde demais. Se eu tava mal, e consegui um minuto de energia, era agora, ou só deus sabe quando eu terei forças para cuidar da minha saúde mental. Isso me fez tomar uma decisão, deixar a programação um pouco de lado, se eu puder fazer tal coisa naquele momento eu faço, caso não posso, tentarei não ficar dizendo para os outros e nem para mim mesma que farei amanhã, depois ou num futuro indiscriminado.

Espero que isso me proporcione assumir mais riscos, viver mais aventuras, diminuir minha procrastinação e expectativas, e me sentir menos insegura diante as decisões que preciso tomar. Em dezembro eu já disse sim para duas coisas que normalmente me fariam pensar antes de responder, gostei do sentimento de empolgação que falar "VAMBORA" gerou.


2 - Aceitar as rosquinhas

Se tem uma coisa que eu acho difícil é isso , parece que existem duas Taiany dentro de mim lutando entre si, uma que quer aceitar e outra que não deixa. Aceitar as coisas, qualquer coisa, é extremamente estranho e desconfortável, seja alguém me dando um presente seja alguém se oferecendo para me ajudar. É claro que fico feliz, toda emotiva e me sentindo querida, mas isso vem acompanhado da necessidade de retribuir, eu não sei dizer "obrigada" e seguir em frente, fico pensando em como posso compensar a pessoa, fico com uma eterna dívida. Fulaninho me ajudou a mexer num aplicativo e eu já fico 'olha, vou te pagar com chocolate tá", e apesar disso parecer uma coisa simples e até bonita de se fazer, me desgraça a cabeça porque não me permite aceitar as coisas de maneira natural, não me permite usufruir com verdade daquilo que me foi dado.

Depois que li o hino A arte de pedir essa proposta de aceitar as rosquinhas ficou martelando na minha cabeça, foi algo que me tocou de maneira muito significativa no livro. Aceitar as rosquinhas é aceitar as coisas que a vida e as pessoas te dão, aceitar as oportunidades, de forma grata e livre. Não há nenhuma obrigatoriedade, nenhuma vergonha e nem dívida. QUERO TENTAR. Vai ser difícil pra porra, conheço minha cabeça ruminante, conheço minha disposição em dar, fazer. Há um posicionamento inconsciente de "aquele que sabe/tem" que me faz responder as demandas dos outros, e não deixa as minhas aparecerem. Freud muitas vezes sabia o que tava falando.

Meu desejo para 2018 é estar vulnerável para aceitar, e seguindo a linha da resolução anterior, dar uma de Jim Carrey no filme Sim senhor! e dizer sim para as coisas. Taiany eu pago. Ok, obrigada. Taiany vamos. Sim, vamos. Taiany olha esse projeto que nunca te interessou, mas que pode ser uma oportunidade profissional. ok, vamos nos inscrever.


Essa música resume bem essa coisa louca que quero tentar em 2018


3 - Dar um rumo a minha área profissional

Substituam a Clarice Falcão pela minha pessoa e vocês terão a real imagem da minha situação profissional.
Eu nem quero falar quando me formei porque isso não é relevante, a questão é que eu me formei e tô aqui desempregada e sem ideia do que fazer. Ah, mas é a crise Taiany. Pode até ser, mas mesmo com a crise a gente pode vislumbrar um futuro, nem isso aqui desse lado. Que esse ano eu consiga me posicionar sobre o que quero fazer. Nem que no final chegue a conclusão que vou jogar tudo para o alto, pelo menos foi uma conclusão.


4 - Mudar por fora pra mudar por dentro

A gente sabe (se você não sabe vai ficar sabendo agora) que nossas emoções e pensamentos afetam nosso comportamento, o que muitas vezes a gente esquece ou trata como irrelevante é que o contrário também é verdadeiro.

Meu estado emocional nesse finalzinho de ano, junto com uns princípios do mindfulness que venho estudando e um TED Talk que assisti me fizeram tomar uma posição de sorrir pra vida, mesmo que de maneira forçada.

Um estudo conseguiu demostrar como pequenas mudanças corporais conseguem alterar nossa maneira de ver o mundo e reagir a ele. Nesse estudo os pesquisadores pediram que um grupo de pessoas assistisse a desenhos animados e depois avaliasse quão engraçado eles eram. Enquanto uns voluntários tiveram que fazer caras tristes e franzir os lábios, outros colocaram um lápis entre os dentes para similar um sorriso. Os resultados demonstraram que o grupo que "sorriu" achou os desenhos bem mais engraçados do que aqueles obrigados a fecharem a cara. Sorrir é um ato de demonstrar felicidade, mas porque o ato de sorrir não pode ser ele mesmo um dispositivo para nos tornarmos mais felizes? Dei o exemplo do sorriso, mas tantas outras atitudes podem ser postas aqui, mesmo que essas atitudes de início pareçam estranhas e não verdadeiras, elas podem melhorar nossa disposição perante a vida e nos fazer reclamar menos. ESTOU DISPOSTA A TENTAR.

Vou deixar o TED aqui em baixo que tem uma explicação mais detalhada que a minha:




***

E você, já pensou nas suas resoluções de ano novo? Conta pra gente!

TAGS: , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM