clube de escrita Dana Martins

Clube de Escrita está de volta

28.1.18Dana Martins


HEEEEEEY, ESTAMOS DE VOLTA COM O CLUBE DE ESCRITA. Ou eu, Dana, estou voltando. Eu acho que não tenho escrito tanto porque o Clube de Escrita surgiu como um especial aos domingos durante cada NaNoWriMo (desafio de escrita que acontece 3 vezes ao ano), mas em 2017 eu não participei porque já estava escrevendo outras coisas ao longo do ano. Ou seja, o Clube de Escrita ficou meio perdido na pista na minha vida. 

Nesse tempo, eu continuei falando sobre escrita. Arquivos perdidos no computador. Ou comentários no Batdrama, a minha newsletter semanal. Cheguei até fazer um diário de edição em formato de áudio. Até que alguém comentou aqui num post:

"Dana, saudades de seus textos! Compartilha mais sobre suas experiências de escrita que eu venho aqui há anos só por sua causa! Beijos."

E FOI O PONTAPÉ QUE EU PRECISAVA PRA VOLTAR.

Agora aos domingos pelo menos por um mês - ou enquanto eu escrevo - vai rolar Clubes de Escrita onde compartilho minhas aventuras e desventuras do mundo da escrita.

Por onde recomeçar?

Bem, não tem nenhum NaNoWriMo, não tem nenhum projeto exato. Meu objetivo no momento é terminar histórias. Por 3 motivos: 

1. Cada vez que eu termino uma história, é um passo a frente. É passar por todas as partes do processo de escrita. É o meu cérebro entendendo mais um pouco como colocar palavras no papel e enfrentar os problemas. E histórias diferentes me dão a chance de explorar e aprender coisas diferentes.

2. Quero ter histórias pra mostrar pras pessoas!!! Uma coisa que mexe com a minha ansiedade é parecer que eu não tenho "nada" pra mostrar. Se tu me perguntar agora, "Dana, posso ler uma história sua?"

Eu vou ficar:



Não é que eu não tenha terminado histórias. Em 2017 foram 4 delas finalizadas. Eu acho que isso é uma questão meio complicada. Primeiro, porque nos últimos anos eu passei pelo processo de retornar a escrever pra começar a escrever como algo sério. E se eu não tô satisfeita com as minhas histórias agora, imagina antes! Só jesus sabe como eu terminei aquelas coisas. Naquela época, quanto mais eu escrevia a história, mais parecida que eu não sabia nada. Era uma bagunça na minha cabeça, por mais que eu me esforçasse. Um dos meus objetivos de escrita foi até ter um maior controle sobre o que eu tava fazendo - e eu conquistei isso a certo grau. 

O ponto é que eu acho que fiz o melhor que pude, mas não são coisas que eu quero recomendar. Algumas eu fiz até na correria pra cumprir metas com temas que eu nem me interessava tanto. É uma relação estranha - tem coisa que eu fiz que dá até vergonha de lembrar. Tem outras que mesmo eu sabendo as limitações eu tenho carinho. Além disso, tem muita coisa que eu escrevi nessa época (joga aí mais de 200k de palavras) que eu nunca passei pelo processo de edição e jogaria pela janela tranquilamente.

Depois quando eu comecei a escrever histórias que eu gostava mais, elas eram (são) fanfics. E apesar de poder indicar pra pessoa ler, eu não gosto. Não gosto porque fanfic é feita pra fandom usando linguagem e temas e blablabla conhecido dentro de fandom. Eu sou meio protetora com fandom e não quero gente desinformada chegando e se metendo. 

Enfim, quero finalizar mais histórias. Tanto pra colocar um fim nas minhas 293823 ideias de fanfic, quanto pra ter o que mostrar. E apesar de em 2017 eu ter escrito 4 da minha meta de 12 histórias, eu planejei e fui colhendo ideias pra um projeto. 

3. Quero aprender a escrever histórias curtas!! Pf, minha meta não é escrever 12 livros em um ano. Quero escrever contos, histórias completas mais curtas. Pessoalmente, acho que cada um deve explorar o que se sentir mais confortável. Se você é o tipo de escritor que gosta só de fazer livros com 200 páginas, parabéns! Se você só faz conto de 3 mil palavras, parabéns! Se você faz os dois, parabéns!!! Acho que escrever histórias curtas não é obrigação de ninguém. Porém, estou tentando aprender algo que eu ainda não sei o que é porque não aprendi. 

No geral, escrita pra mim sempre foi assim: aprender. 

Aprender a voltar a escrever. Aprender a ter rotina. Aprender a "controlar" mais a história. Aprender a finalizar. Aprender a descrever melhor. Os meus objetivos vão variando conforme eu vou desenvolvendo e o meu interesse no momento. Eu sinceramente não sei aonde isso vai me levar. Eu não sei nem a razão. Eu só sei que eu tenho ideias, e eu quero ter a habilidade de desenvolver essas ideias de uma maneira legal. Eu procuro o próximo degrau e subo. 

O que eu tô fazendo no momento?

Eu tenho duas (três) histórias principais no momento. Uma é uma oneshotzinha já escrita que só falta editar, e eu me dei a meta de 31 de janeiro. Acho que isso vai levar um dia só pra ser feito. Nesses dias eu tô descansando depois de finalizar a primeira história do ano e focando em outras áreas da minha vida.

A segunda é a Rebels AU, que eu devo ter falado já em algum Clube de Escrita. Eu escrevi ano passado e estou no meio da edição. Essa carroça está levando bem mais tempo que o planejado pra ser arrastada. Ela tá com umas 40k palavras??? Se bobear até o final ela acaba ficando do tamanho de um livro do John Green. 

A terceira é uma Horizon Zero Dawn AU porque eu não tenho controle da minha vida. PORÉM, só estou autorizada a escrever nessa como recompensa por avançar com a Rebels AU. 

O sonho é no final de fevereiro ter a Rebels AU finalizada. Mas eu não sei, edição é um processo bem lento e eu ainda não tenho noção de quanto eu posso avançar em um dia. Em escrita, por exemplo, eu sei que 1700 palavras é tranquilo, que a minha média é 2300, que eu posso meter o louco e chegar em 5 mil, 10 mil num dia. (pra ter noção, a média dos meus Batdramas é 3 mil palavras e eu escrevo tudo num dia) Agora edição??

Pra começar, edição é algo que não dá pra medir por palavra direito, porque posso levar 30 minutos num parágrafo e 2 em outro. E envolve reler, repassar. Então o que eu faço é: eu vou medindo por tempo. O mínimo é meia hora por dia. Tô vendo aqui e nessa última história que eu terminei a média foi 2 horas por dia. Editar é mais difícil porque exige maior concentração e tem certas coisas que eu não consigo ver se eu tô cansada. 

Eu preciso de mais tempo editando pra entender os meus padrões, então não sei direito quanto tempo eu vou levar. Mas nem me estresso muito porque eu não posso fazer mais do que eu posso fazer. Tipo, eu tô sentando todo dia* e escrevendo? Eu tô dando o meu melhor? Eu tô terminando histórias e indo em frente? Eu tô satisfeita com o meu progresso? Se sim, vambora.

*todo dia = todo dia de escrita!!! Agora mesmo, eu terminei uma história e podia ter partido pra outra, mas decidi me dar alguns dias de descanso e liberdade porque eu vi que tava ficando exausta. Sabe o que acontece quando eu tô exausta? Eu não consigo escrever direito, começo achar tudo uma merda e desanimar das ideias. Durante a finalização da minha última história eu comecei a reparar mais nisso e teve um dia que em vez de escrever levantei e fui passear. Voltei com 100% energia. 

Uma coisa que vou indicar, aliás, é o texto traduzido aqui "Escrever começa com perdão" do Daniel José Older, porque agora eu cuido bem mais de mim antes de escrever. Arrumo o ambiente, como, cuido da minha planta, sei lá; em vez de já se jogar na cadeira no desespero e escrever tudo no desespero. 

Pra finalizar, vou indicar o app Forest que é o que eu uso pra poder medir o tempo. O Forest na verdade é um app de foco que você planta uma árvorezinha por um tempo que você escolhe e, se você sair do app antes dela crescer, a árvore morre. O objetivo é te afastar do celular mesmo. Felizmente, o foco nem é tanto meu problema e eu uso mais porque é legal plantar árvorezinhas e ver a minha florestinha. E no final eu fico com uns gráficos de quando e por quanto tempo eu permaneci focada, além de poder separar por tags. 

É graças a isso que eu sei que a minha última história levou 19 horas e 42 minutos no período de 16 dias. Ela ficou com 9.435 palavras no final. Baseado nesse ritmo, acho que pra terminar a Rebels AU em fevereiro eu vou ter que passar mais tempo editando. E meus sonhos de escrever a HZD AU de bobeira talvez sejam sacrificados. E eu falei que a Clexa Week ainda tá chegando? Eu queria escrever alguma coisa e DENTRO DO PRAZO dessa vez.

Depois da Rebels AU temos FINALMENTE JESUS ESSA HISTÓRIA TÁ ESPERANDO HÁ SÉCULOS a edição final da Losers Teatro AU. E depois só jesus sabe.



E nós, no futuro, aqui no Clube de Escrita nesse mesmo bathorário no próximo batdomingo, onde pretendo falar de fato sobre as montanha-russas e descobertas semanais. Se você tem algo que gostaria que eu falasse, pode pedir!

E obrigada à pessoa anônima que me comentou e me ajudou a retornar. <3

COMO VAI SER
Tava colocando as tags nos posts e decidi chamar de Projeto 2018 e eu não sei se quero passar o ano todo escrevendo todo santo domingo sobre escrita, então eu vou e vem conforme escrevo histórias. Por enquanto, ao longo de fevereiro todo domingo eu venho aqui falar o meu progresso no Projeto 2018! Pelos meu cálculos, quando nos falarmos outra vez eu vou ter finalizado 2 das 12 histórias.  

LINKS DA SEMANA (acabei de inventar)




Eu sei que nem todo mundo lê em inglês, e eu queria traduzir mais coisas!! Tô pensando em botar trechos no instagram do Clube de Escrita, eu só quero algo simples e também é muita coisa. Esse último thread eu fiz uma tradução mais ou menos:

"A maneira mais fácil de mostrar organicamente o seu mundo é fazer seus personagens viverem nele. Tipo, realmente viver nele. ENQUANTO VOCÊ AVANÇA A HISTÓRIA. A maioria dos momentos de uma trama consiste nos personagens se conhecendo: trocando informação, lutando, se amando, se desafiando, confrontando, etc. Onde eles fazem isso?"

e aí ela fala que em vez de usar sempre os mesmos cenários, explora esses mundos. coloca na igreja, num evento de esporte, num restaurante. e que esses lugares também ajudam a conhecer mais os personagens. Se o personagem tá num evento de esporte, nos diz sobre o interesse dele. Se você tem dois personagens entrando numa igreja e um faz o sinal da cruz e o outro não, isso nos diz sobre eles. Tu não precisa explicar que é um é religioso e o outro não blablabla. É uma ceninha da história que através do ambiente nos dá a chance de conhecer mais o mundo e os personagens
e que isso também é uma forma de evitar jogar um bando de informação na cara da pessoa. ESSE É LUIZ CLAUIDO, ELE É RELIGIOSO, GOSTA DE QUEIJO, É ATLÉTICO. (e enfia 390823 informações que enchem o saco). Em vez disso, usa esses momentos de cenário pra dar detalhe da informação
o exemplo que ela dá é de um barco, acho. por exemplo, se no primeiro momento você diz que o barco tá vivo, depois você coloca uma visita onde o personagem aprende como o barco se alimenta


TAGS: , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

2 comentários

  1. Oi , desculpa mas o que significa AU que você coloca no final dos seus titulos? haha

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM