ben affleck Carol Cardozo

Liga da Justiça não decepciona e abre um mundo de possibilidades pro DCEU

15.11.17Carol Cardozo


Antes de começar essa crítica, só queria lembrar a vocês, leitores, uma coisa: aqui no CC prezamos muito a individualidade e as opiniões de cada um. Estamos aqui pra ouvir o que o outro tem a dizer, discutir, mostrar nossa visão, ensinar coisas novas e aprender. Nossas críticas não são parecidas com as críticas por aí. Leia com o coração aberto, ok? 


Ah, e os avisos de sempre: podem ter spoilers, nada que estrague a experiência do filme, mas se você não quiser saber NADA DE NADA, assiste o filme primeiro e depois vem aqui ler o texto.

ESTEJAM AVISADOS.


Lá em 2005, eu tinha 12 anos e acompanhava notícias de cinema, porque minha tia assinava um jornal e eu gostava de ler as notícias (que coincidentemente ficavam na mesma parte onde eu via os filmes que iam passar no dia e o resumo das novelas.). Eu fiquei extremamente animada, porque  assistia o ICÔNICO desenho no SBT.  Aí depois começaram os rumores de filmes da Marvel. Passa o tempo, tínhamos 765 filmes da Marvel, um início tímido de um universo cinematográfico unificado da DC... e nada do filme da Liga da Justiça.

Esperando...

Até que em outubro de 2014, saíram as notícias que iria sair dois filmes da Liga da Justiça. Um lançando em 2017 e o outro em 2019, dirigidos por Zack Snyder. Meu sonho de fim de infância/início da adolescência ia se tornar realidade. Eu (e mais uma galera que tem contado os dias pra esse filme que nem prisioneiro fazendo palitinho na parede da cadeia) ia finalmente ver a Liga da Justiça no cinema.

Minha reação quando saiu a notícia.
E na real minha reação na fila do cinema pra pré estreia também.


Depois de dirigir O Homem de Aço e Batman vs. Superman (os dois primeiros filmes do universo cinematográfico da DC, o DCEU), que não foram muito bem recebidos pelo público (que reclamou muito da falta de leveza e dos tons escuros na fotografia), Snyder partiu para a gravação do filme. Por conta do falecimento da sua filha, Snyder se afastou e quem assumiu o filme, já na fase de pré-produção, foi Joss Wheadon, conhecido por dirigir os 2 filmes dos Vingadores e produtor de vários filmes do MCU (Marvel Cinematic Universe, ou Universo Cinematográfico da Marvel).

Não sei se é por conta da diferença gritante inicial entre os dois universos, mas você consegue perceber onde tá a mãozinha do Joss Whedon no filme, especialmente porque rolaram refilmagens. Em certas filmagens, certos artificios de roteiro. No geral, não fica ruim, mas com quem já vem acostumado com o tom do Snyder, pode parecer "forçado" ou até "preguiçoso".

Vi muitos comentários de que o filme estava muito "colorido" e com "piadas forçadas". Olha, eu não sei o que essa galera tava pensando e recomendo bastante um oftalmologista, porque ele tem cores normais. Ok, pode ser um pouco mais iluminado comparando com os filmes iniciais da DCEU (os tons escuros de O Homem de Aço e Batman vs Superman, e os tons sépia de Mulher Maravilha), mas é normal. Pessoal falando "colorido", já estava pensando numa vibe "Thor: Ragnarok". E sobre as piadas: se num filme onde tem Barry Allen você tá reclamando de piada, por favor, dá meia volta, pesquisa sobre como ele é, e vai ver o filme de novo porque você viu errado.

Meu próprio filho

AS ATUAÇÕES: todo mundo ficou com o pé atrás, nem que seja um pouco, quando o Jason Momoa foi anunciado como Aquaman. Se falar que não ficou "WHAT?" nem por momento, tá mentindo. Mas o cara foi perfeito. Ele e Ezra Miller (como Barry Allen) roubam a cena em todo momento que aparecem. Gal Gadot É A MULHER MARAVILHA assim como Hugh Jackman é o Wolverine e Robert Downey Jr. é o Tony Stark. Não consigo ver mais ninguém interpretando a princesa de Themiscera. Ben Affleck traz um Batman mais humano que nos outros filmes, preocupado com a Terra num momento em que não tem mais seu principal protetor (visto que o filme se passa pouco tempo depois de BvS, quando o Superman morre). Ray Fisher demorou um pouco pra engatar como Ciborgue, mas o novato entre os grandes nomes do elenco não faz feio e deixa a gente com um gostinho de quero mais. Ainda acho o Superman de Henry Cavill muito formal, preso demais, mas ele fica mais palpável e com uma um pouco mais leve do que nos filmes anteriores.



Eu amo uma super heroína e o nome dela é
Diana Prince


Aquaman sincerão


Ah, e sim, o Superman morreu. Sabe os trailers? Eles não mostram o que parecem mostrar. #fikdik

Caso você fique com vontade de fazer xixi ou quiser sair do cinema assim que acabar o filme, SEGURA AÍ PORQUE TEM DUAS CENAS PÓS CRÉDITOS. A primeira é só uma brincadeirinha boba, mas a segunda... deixa a gente empolgadaço e querendo logo o próximo filme. Já ouviu falar na Liga da Injustiça?

O filme foi 100%? Não, tiveram erros e coisinhas que poderiam ser diferentes (PRA QUÊ MUDAR A ROUPA DAS AMAZONAS E COLOCAR BARRIGAS APARECENDO, POR EXEMPLO??). Mas não é um desastre completo, ao contrário, é um bom filme, um filme que te empolga pelas possibilidades futuras.

Sai da frente que a  DC tá chegando pra arrebentar. Entramos numa montanha russa que eu espero que só vá pra cima agora.


Nota:

Não foi perfeito, mas foi muito muito muito bom.
Valeu completamente a espera por 12 anos.


Ficha técnica:


Nome: Liga da Justiça (Justice League)
Direção: Zach Snyder
Gênero: Ação
Lançamento no Brasil: 15 de novembro de 2017

TAGS: , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM