adaptação CCIndicação

[CCIndicação] The Mist: A série que te faz ficar encolhido sem saber como reagir.

5.9.17João Paulo Albuquerque


Eu fiquei sabendo dessa série por uma amiga minha em um grupo. Ela comentou sobre um personagem que aparentemente não se importava com o gênero ao qual se atraía, e papo vai, papo vem, eu fiquei curioso e decidi que era hora de começar e ver qual a premissa da série (apesar de que qualquer coisa que remeta à terror me faça tremer, eu dei um murro na cara do meu medo e fui).

Realmente sou uma dessas pessoas na porcentagem de que evita terror não importa o que aconteça. Até hoje nunca vi um filme de terror e admito, me orgulho disso, porque se eu já o tivesse feito, eu ficaria pelo menos um mês sem dormir direito e com pesadelo. Eu sou muito impressionável. Mas meu interesse por essa série foi além e me prendeu.

Infelizmente, e felizmente, nunca li um livro do Stephen King, mas ainda pretendo. O que quero dizer é: essa indicação vai de quem não leu o livro, e está falando da série em si, não da série como baseada no livro.

(Cuidado com os spoilers do primeiro episódio e partes da série, partindo daqui, saiba o risco que corre)

Até o meio do primeiro capítulo, há algumas poucas cenas dessa misteriosa névoa assolando a cidade e ninguém parece perceber - xinguei tudo de burro, inclusive quem ficava parado admirando a névoa, eu já teria dado o pé dali, creindeuspai -, e quando finalmente essa névoa chega na cidade, o policial imbecil entra lá e fica tirando foto pra esposa... EU REALMENTE PRECISO DIZER QUE EU AFASTEI A TELA DE MIM NA HORA? Sim, eu realmente estava me preparando pro pior, e ainda bem que me preparei. Porque todo o suspense, para então acontecer a ação e o otário morrer, aquilo tava me corroendo, algo como: VAMO LOGO! SE VAI ACONTECER, ENTÃO SEJA RÁPIDO!

Mas acho que o mais impressionante foi a cena em que começa esse episódio, porque é um cara que realmente não se lembra de nada da sua vida, só tem alguns detalhes na carteira (cuja essa depois ele descobre não ser dele) e o resto é na sorte. E nisso ele é tido como louco quando chega na cidade e é preso.

A construção desse primeiro capítulo (pelo menos eu) amei. As dúvidas e incertezas, misturadas ao medo e dramas da vida cotidiana, mais um caso que envolve da filha do que (eu diria) ser o casal principal ter sido estuprada, e o melhor amigo da mesma incriminar o garoto que ela gosta. Uma confusão? Isso porque estamos só no primeiro capítulo.

Sim, era desse otário que eu estava falando xD
No fim do primeiro capítulo a névoa toma a cidade e é aí que o bagui fica louco de verdade.

Mas vou pular porque é perda de tempo falar sobre tudo (já que isso faria vocês perderem a experiência), sendo que eu só quero indicar, e dizer todos os spoilers da série não é legal. Eu só quero pular pras cenas que fizeram minha alegria: o momento em que o garoto do time de futebol ficou com o melhor amigo da garota, e nossa, fiquei feliz, um pouco puto (porque ele apanha), mas nossa, foi uma realização.



E teve aquele plot twist que foi um tiro no meu pé e um tiro no meu coração. Fiquei puto e chateado, não esperava por aquilo. Só não vou tornar explícito porque é o spoiler de peso da série, então seria muita filhadaputisse revelar, mas agora acho que os spoilers - que eu queria falar - acabaram porque quero falar de três personagens principais.

(Pode continuar a ler, feliz da vida e sem preocupação)

Vou focar na família principal, então vamos falar primeiro do pai:

Kevin Cunningham


Ele é o tipo de pessoa que se as pessoas amadas estão em perigo, ele fará o que for necessário para as salvar (nisso eu me identifiquei MUITO com ele). E para ele, a família é tudo. Não importa os problemas que eles possam estar passando, sempre há algo para se aprender com ele e sempre há algo que pode ser feito. Mas há coisas que não são contornáveis, há somente uma solução e você tem que engolir o seu senso de certo x errado, que aos poucos você percebe ser na verdade aquilo que a sociedade ensina, te cegando e fazendo esquecer que nada é tão preto ou branco, há os tons de cinza.

E é legal ver como os papéis se invertem quando se trata dele e da esposa, porque normalmente é o pai que é o protetor e que não permite (nesse universo) a filha sair depois de tal horário, mas inverteram isso.

O que me motivou e me deixou mais encantado por ele é que o objetivo dele é achar a família. É isso, ponto. Achar a família, mas os obstáculos para tal não serão fáceis, e ele sabe disso. Mas como ele disse uma vez, ele faria tudo pela família.

Eve Copeland



Mais conhecida - pelo seu passado - como uma vadia. O passado dela fica meio incerto, mas é perceptível que foi isso que formou quem ela é hoje, protetiva e alguém que zela por quem ama, mesmo que isso possa parecer um pouco além de controlador. Ela sabe como são esses caras populares e sabe que tem que proteger a filha disso. E mesmo quando todos viram as costas para ela, seu maior medo é que sua filha passe por isso também, mas nada impede que isso aconteça e faça a realidade parecer ainda mais dolorosa (o que de fato é).

É incrível ver como ela fará o que for preciso para proteger a filha, custe o que custar. E isso é muito legal, mesmo que abordado sutilmente. Sobre como os pais costumam ser protetores e zelosos. É bom ver que mesmo com medo, isso não impede que a filha venha sempre em primeiro lugar.

Alex Copeland


Ela é de longe a minha favorita, mesmo (inclusive, primeira série sem favoritos). Mas também não é como se eu não gostasse dela, mas realmente entendo a mudança dela, no começo do primeiro episódio vemos uma Alex feliz e que gosta de conversar, mas com tantas mudanças repentinas, ela se fecha e eu entendo ela, talvez seja por isso que me identifico com essa coisa de se fechar e não ficar se abrindo.

Eu ainda quero muito ver como ela vai ser desenvolvida na próxima temporada, mas nessa eu não tenho reclamações. A personagem está passando por milhares de coisas e está lidando com diversos de problemas, então há poucos momentos que ela realmente se abre, ou volta a agir como uma adolescente sem problemas.

Uma das minhas cenas favoritas é dela lendo um livro que o pai escreveu para uma garota. <3

Visão geral:

Recomendo a série, se você gosta de suspense e uma pegada de terror, você vai gostar. E se não gosta de terror, também vai gostar, vai por mim. A trama, os acontecimentos e os temas tratados foram bem trabalhados, talvez não como no livro (como dito por muitos fãs das obras de Stephen King), mas eu realmente achei que foi muito bem feito e transmite o que tem que transmitir. E para uma série com dez capítulos, trazendo à tona questionamentos de religião, entre outros, há muito a fazer pensar e te fazer ficar enrolado na cama sem saber como reagir, ou o que fazer. Nem eu, nem minha amiga nos arrependemos, creio que você também não vai. REALMENTE NÃO SEI DESCREVER A SENSAÇÃO QUE FOI TER VISTO ESSA SÉRIE, SÓ VAI, VALE MUITO A PENA AAAA


TAGS: , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

3 comentários

  1. Essa série é uma das melhores de 2017, serio.

    ResponderExcluir
  2. Eu sou meio pé atrás com adaptações das história do King, apesar do filme dessa série ser MARAVILHOSO. Tipo, muito bom MESMO. E o final minha gente, o final... Super recomendo.

    Estou ensaiando pra assistir a série desde que falaram dela, mas não criei coragem. Depois da Redoma então, pff... Mas quem sabe eu dê uma chance.

    ResponderExcluir
  3. Vi umas duas criticas super negativas em relação a série, mas depois desse texto vou me arriscara assistir, pq também tenho muito pé atrás com adaptações das obras de King

    Obrigada!

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM