Canon CCdiscussão

A barreira da heteronormatividade no desenvolvimento de shipps

11.9.17João Paulo Albuquerque


Sempre tem uns momentos que me bate um estado reflexivo e eu fico pensando e tendo raiva de alguns acontecimentos que impedem de tornar algo canon (real) ou não... E depois de fazer um texto sobre Destiel no Medium (antes tava no meu tumblr, mas tive que passar pro Medium), eu vim aqui falar disso. (tá cheio de spoilers, estejam avisados)

Sim, vou falar de Destiel, então não me julgue, duvido que nunca teve um OTP e sempre quis falar sobre.

Mas o negócio é o seguinte: quantos ships (LGBT+, foque que to falando disso, não ship hétero) você tinha certeza que eram para ser e no fim, acabou que não foi confirmado? Korrasami quase foi por esse lado. Ou que foi negado? Rejeitado? E tudo apontava para que eles nutriam sentimentos um pelo outro. Se isso não te dá raiva, isso me deixa muito, mas muito, puto.


Veja bem, esse texto não é um manifesto falando que desisti do ship ou que eu acho que não vai acontecer, muito pelo contrário. Eu nunca vou desistir deles, eu caio, mas lutando. (se prepara que hoje não é coisa pequena não)

Eu estava lendo um texto, feito pelo tumblr bluestar86, e eu trouxe ele pra cá (levou um tempo para traduzir, mas valeu a pena total ter ele):

"Eu acabei de rever o episódio 12x10 e isso me fez pensar de novo sobre Benjamin e a conversa de Cass com os meninos no carro sobre a hospedeira do outro anjo. Quando o episódio saiu, eu estava tão excitado pela perspectiva do Castiel em uma hospedeira e como isso tinha potencial sobre um público heteronormativo e sua percepção sobre Dean e Cass que eu não percebi sobre o que mais estavam tentando fazer.

Esta foi a conversa que tiveram no carro:

Cass:... Benjamin sempre foi bem cuidadoso. Há muito tempo, ele achou uma hospedeira poderosamente devota em Madrid, e a fé dela, isso.. ela deu à ele tudo - a confiança e seu corpo.
Dean: Espera, então Benjamin é uma mulher?
 Cass: Benjamin é um anjo. Seu hospedeiro é uma mulher. Porém isso é mais, ela não é somente uma hospedeira.

Essa pequena amostra é importante como exposto à audiência. É sobre preparar a audiência para o que está vindo. A ideia de que Cass também já fora 'uma mulher'. O que, okay, ele não era uma mulher, somente tinha uma hospedeira mulher, porém imagine como isso poderia não ter sido aceito? Imagine como a maioria da audiência teria reagido ao Cass numa hospedeira, e Benjamin ter sido somente mais um anjo com hospedeiro homem?

Provavelmente a maioria agiria como Dean, confusos.


Nos dando Benjamin, e essa cena em particular, os escritores prepararam os espectadores espetacularmente para Castiel em uma hospedeira. Prevenindo levantamentos de sobrancelhas e confusões, porque o público irá lembrar da conversa e aplicar isso ao Cass.

"Castiel é um anjo. Seu hospedeiro foi uma mulher. Agora é um homem, Cass ainda é um cara e isso não é estranho. De boa"

(Quando penso na audiência, não falo do tumblr, ou fandom. Penso no meu irmão. E não é nisso que vou entrar agora. Uma audiência heteronormativa...)

O fato é, fazendo um dos três personagens masculinos principais ser uma mulher por um episódio é algo estranho de ser feito, o tipo de coisa que faria esse tipo de audiência desconfortável. Então, ao adicionar a explicação, é removido esse nível de desconforto, assim acostumando-lhes a ideia e os fazendo armazenar a informação.


Veja, para uma série como Supernatural, enquanto isso é um pouco estranho para o enredo, mostra que é uma série que nunca foi realmente progressista. Mesmo que a gente deseje que todos os Hunters e espectadores fossem um pouco mais como nós - pessoas de cabeça aberta querendo que a TV (mídia em geral) quebre alguns tabus -, as chances disso não são muito grandes. É uma série antiga com audiência já estabelecida (aparentemente audiência bipartidária incrível), portanto, não tem formas mais abertas e livres de quebra de fronteiras, como séries mais modernas (como How to Get Away With Murder, American Gods, Orange Is The New Black). Essas séries mais atuais foram pensadas para quebrar tabus, ter personagens LGBT+ em posições principais, representação, isso desde o início. Supernatural não pode fazer deste modo sem acabar isolando uma parte (talvez enorme) da audiência - a não ser que seja tratado de modo sutil e cuidadoso.

Espero estar explicando do melhor modo possível, isso é claramente sobre Destiel e Dean ser bi (como se qualquer coisa do meu blog não fosse sobre isso - ironia). É aqui que está o ponto.


De um jeito ou de outro, para o Dean sair do armário como bi, não seria uma grande coisa se fosse nessas séries mais progressistas e atuais, afinal, poderia ser estabelecido desde o começo e ser trabalhado sobre esses conceitos. Entretanto, esse infelizmente não é o caso de Supernatural. Não foi estabelecido e exposto desde cedo que Dean é bissexual, ou Destiel canon, isso sempre tem sido pelo subtexto e/ou interpretação com os 'no homo' para que quem não veja, não seja obrigado à isso (excluindo o 12x19, mas a gente chega aí).

Um dos grandes problemas para tornarem Destiel canon e tirarem o Dean do armário é que os criadores da série precisam passar por esse medo da metade da audiência rejeitar tudo que seja minimamente 'progressista'. Isso seria tido como "sair do azul" - caixinha do 'ser homem' socialmente imposto - e todas essas pessoas heteronormativas ficariam confusas e reclamariam.

Por isso Supernatural precisa dessas referências e explicações. Precisa ser gradualmente exposto, perante um público heteronormativo e com entendimento. Se essas explicações e referências não fossem trazidos à tona ainda, teríamos problemas. A ideia de que Destiel fosse real seria algo mais perigoso e teria que ser mais apreensivo sobre isso estar realmente ocorrendo.

O fantástico é que como no 12x10, com fem!Cas e Benjamin, vemos mais informações (buffers) - LGBT+ justamente porque é sobre isso - através das últimas temporadas.

Aqui alguns dos meus favoritos:

Jesse & Cesar - 11x19: Esses caras são absolutamente meus favoritos, eles foram criados especificamente para mostrar para à audiência que você pode ser gay e mais masculino. Eles não são esteriótipos, mostram que caçadores podem ser gays e especialmente que um romance não-hétero não muda o rumo da história. O grande destaque desse episódio é que homens como Dean Winchester podem ser LGBT+.


Hannah – 10x17: Hannah foi um grande abrir de olhos para os shippers de Cass x Hannah. Isso porque Cass não tratava ela diferente, seja no hospedeiro homem, ou mulher, sempre tratou do mesmo modo carinhoso, seja como fosse. Basicamente, isso foi um belo de um soco na cara dos homofóbicos. Supernatural não se importa com seus ships heteronormativos. Shippa Cass e Hannah?! Beleza, mas Hannah está num corpo de um cara agora, e aí?! Cass não se importa! Como se sente sobre ISSO?


Deus é Bisexual – 11x20: Isso somente foi um belíssimo 'FODA-SE' para os homofóbicos. Não gosta de personagens LGBT+? Essa não é a série para você! Porque no nosso mundo, Deus é QUEER! Yay pra representação LGBT+. Isso funciona como informação (buffer) porque mais uma vez está mandando uma mensagem para a maioria da audiência, sobre a representação LGBTQ ser o que pode se esperar da série. Evoluímos.


Dean monta Larry – 12x11: Okay, talvez essa não seja uma informação (buffer) explícita, mas é considerado como subliminar, então estou contando. Dean montando o touro foi uma das cenas mais sexuais que tivemos até o momento (e essa coisa horrível que aconteceu no 12x2/12x8 não conta). As piadas, insinuações sexuais... Esse episódio foi cheio de referências e mensagens nas entrelinhas gritando para que o público considere que ele talvez goste de caras.

Max Banes - 12x06/12x20: Como Jesse & Cesar, Max funciona como buffer porque é outro modo de mostrar para a audiência que personagens como Dean Winchester podem ser LGBTQ+ e isso não é um escândalo. Max é fodão, engraçado e encantador (seja gay ou bi, nós sabemos textualmente que ele gosta de caras). Sam e Dean não deram a mínima pra sexualidade dele, então nem o público deveria. É somente uma parte do personagem e certamente não é somente sobre isso que a sua história se centra. Ele é um exemplo que ser fodão e queer não tem necessariamente que centrar a história sobre ele ser LGBT+. Sua sexualidade é só uma parte de quem ele é.

E finalmente, Destiel - 12ª temporada: Estou fazendo isso o nosso próprio buffer, por que sinceramente? Não tem como ver a relação do Dean e Cass de modo não-romântico mais. Creio que os escritores vieram trabalhando mais Destiel desde 11x18. 12x19 realmente nos mostrou a realidade. O tema de amor entre humano/anjo no episódio 12x10, o "eu te amo" em 12x12, a MIXTAPE e tudo mais em 12x19. Destiel em si próprio é um buffer, e mesmo quando tentam acusar que isso 'veio de lugar nenhum' quando for canon, os escritores tem que pegar a cena da mixtape e dizer para essas pessoas "em que universo o presente de mixtape entre as pessoas que não estão explicitamente juntas NÃO tem conotação romântica? Só um tolo iria discutir com isso se soubesse sobre a cultura pop e a história das mixtapes. Foi mal, mas é a verdade. (Eu, Jota, já falei das mixtapes no texto Destiel.)
"You keep those."

E esses eram meus pensamentos sobre a série, com um público há muito estabelecido, e através de mensagens subliminares, brincadeiras, símbolos e buffers é o único modo de fazer antes de tornar canon.

Assim como Benjamin foi um modo de normalizar a hospedeira de Cass, as últimas duas temporadas tem sido uma jornada para normalizar Bi!Dean e Destiel para os fazer explicitamente canon. Sim, ainda temos uma jornada pela frente - como explicitar o Dean ser atraído a caras, gostar (amar) o Cass... - mas chegaremos nisso.

Resumindo... Destiel é endgame. Dean é bissexual. É melhor a maioria da audiência ir se preparando a jogar a lente heteronormativa deles na lixeira, porque esse é o estado da série agora, e isso é ótimo.".

Ps.: Destiel já veio sendo desenvolvido há tempos, porém, nas duas últimas temporadas isso foi mais intensificado. (Abaixo, do tumblr teamfrwill, cinco coisas que você (Cass) sabe e uma que não):







Obs.: Vale lembrar que o Misha disse recentemente no SPNCHI que a Meg foi a primeira pessoa a flertar com o Cass, além do Dean. 2 bjz


Dois textos do tumblr (em inglês sobre Bromance e o I Love You do 12x12): 1moredestielblog e destiellete.

***

To com uma newsletter, que é o Desabafo (por sinal, vocês conhecem, porque a ideia começou aqui no blog. Ainda vou fazer o Desabafo 4 e depois começar a newsletter, até porque tenho que explicar o porquê de eu mudar de ideia e tals.

TAGS: , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

2 comentários

  1. cara, excited em inglês quer dizer animado, entusiasmado, e não excitado, que no nosso português se refere à excitação sexual. pode reparar que muda completamente a ideia da frase. é um engano comum como stupid, que quer dizer burrice, idiotice e não estupidez, que no português está relacionado com brutalidade, com rudeza.

    no mais, ótimo texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, valeu pela nota! Fico feliz que tenha gostado do texto <3

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *