CCHQ Dana Martins

Monstress, de Marjorie Liu e Sana Takeda

16.8.17Dana Martins


Curiosamente, Monstress, das HQs que eu li é a que eu menos dava atenção. Inclusive, comprei errado confundindo com outra coisa. HAUHAUHAUHA E... acabou sendo a minha preferida.

É também um reino de fantasia/ciência com uma garota monstro, mas não poderia ser mais diferente de Nimona. Em um estilo bem realista, conta a história de um mundo dividindo entre Arcanics e Humanos. Os arcanics são tipo uma gente meio animal meio gente, em diversos graus. (Eu pessoalmente não gosto disso e foi uma das coisas que me desanimou depois que eu vi, só que a história é tão boa que foi legal) Enfim, Arcanics e Humanos não só vivem em rivalidade, como umas bruxas humanas(?) descobriram que dava pra extrair energia do corpo dos Arcanics, então elas sequestram e escravizam pra essas coisas. Essa parte é bem tensa, gente mutilada, presa. Fiquei chocada.

E mais estranho é que a protagonista justamente é uma Arcanic que se infiltra como escrava pra ser levada pra essas bruxas. Pra que? O que ela quer? O que ela vai descobrir? E assim a história vai. Uma menina perturbada atrás de respostas, que lida com monstros internos em um mundo dividido que ela não faz parte de lugar nenhum.

Eu acabei de criar um Sistema Métrico de Crítica de Quadrinhos™ pra Nimona e eu vou já quebrar isso com Montress. Essa, pra mim, foi aquela história que você não se importa com nada, você esquece do mundo, você vive naquele universo. Sabe quando você tá lendo algo muito bom, tira um tempo e aí começa a sentir o gosto da leitura e vontade de voltar? Aconteceu com Montress. Sei lá, foi daquelas histórias que entram no coração e a gente vive ali junto com os personagens. Acho até que por causa do estilo mais pessoal/primeira pessoa do quadrinho. Eu realmente gostei do dilema da protagonista vs. os monstros e os mistérios gerais.

E mesmo dentro do Sistema Métrico, Montress é muito bom:

1) Personagens cativantes: sim, até as vilãs eu gostei.

INCLUSIVE, PARA TUDO QUE EU LEMBREI DE ALGO. 99% dos personagens da história são mulheres. Deusas discutindo, guardas aleatórias, cientistas do passado, bruxas, rainhas (...), quase todo mundo é mulher. Tem uma página que eu nem lembro por que, mas mostra tipo o formato do corpo humano e dos Arcanics, tipo pergaminho antigo de ciência estudando o ser humano, e o formato é de um corpo com peitos e vagina. Foi nessa página que eu fiz uma pausa e: pera.



Pera aí.

É assim, não é?

É assim que homem se vê o tempo inteiro. Histórias inteiras só com homem e umas 2 mulheres no fundo. Usando a palavra "homem" pra definir humanidade. Uma porção de detalhes em histórias que fazem tudo ser centrado em homem ou na ideia do que é homem. Montress não. Eu achava que lia história com bastante mulher, mas ainda tive impacto com Montress.

2) Momentos bons de ler: O que eu chamo de "momento bom de ler" é tipo, se em vez de ser só uma trama legal ou um personagem interessante, se ao longo da história é legal. Se tem cenas que você lê e gosta. Se você poderia ler algumas páginas ao acaso e ter valido a pena como um "momento". Montress tem isso.

2) Trama boa: sim.

4) Final satisfatório: SIM, SIM E SIM. E não, porque é só o volume 1. Só que Montress faz o que eu gosto: te dá um volume que mesmo sem fim é satisfatório. Não fica aquela sensação de "li isso pra nada, porque não foi a lugar nenhum". Mesmo que ainda tenha várias respostas e conflitos pela frente, teve um arco completo aqui e que foi bom.

5) Arte boa: Pra ser sincera, a arte é o que eu menos gosto. O estilo não é muito o meu estilo. Mas é legal de qualquer forma e combina com o estilo da história.

Só sei que quero mais. Aceito volume 2 de presente.



Preço: 20 e pouco
Língua: Inglês
(comprado no BookDepository)




Agora aproveita e clica aqui pra se inscrever na minha newsletter:



TAGS: , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM