After Laughter CCdiscussão

Fãs que se acham dono da banda

20.5.17Dana Martins


Esse texto é sobre o caso do Paramore, mas a verdade é que todo fandom (e até gente que nem é de fandom) faz isso. Fica aqui o desabafo sobre quem acha que artistas estão aqui pra te agradar ou são uma merda.

Depois de um texto explicando como o Paramore chegou ao After Laughter, vamos conversar sobre o que aconteceu quando as músicas novas chegaram, e o pessoal que não aguenta algo minimamente diferente foi pras redes sociais concluir que, se é estranho, com certeza é ruim!!!

Se fosse há uns anos atrás, eu estaria brigando por aí e listando razões pelas quais as pessoas estão erradas em criticar a mudança de estilo do Paramore, mas acho que não adianta tentar obrigar as pessoas a gostarem de um certo tipo de som. Continua ouvindo quem quer e quem ainda se identifica com a música. É lógico que é bastante frustrante ver uma galerinha por aí dizendo coisas do tipo "isso é um lixo", "tá uma merda" e coisas do tipo, mas sem nenhum argumento pra embasar essa opinião. 

Mas o que mais me irrita mesmo é quem fala tipo "o que que fizeram com o meu paramore??". Migo, desculpa te dar um choque de realidade, mas a banda nunca foi sua. A banda é da Hayley, do Taylor e, mais recentemente, do Zac. 

Eles tão felizes e fazendo música em que eles acreditam. Eles não tem obrigação de ficarem presos a gênero x ou y so pra agradar "fãs" se aquela sonoridade não é mais a verdade deles. E, pra ser completamente honesta, você tá um pouco por fora do que sempre foi o Paramore™ se não entendeu ainda que a principal característica da banda é a capacidade de se reinventar e de ser bem versátil?

Se for analisar em questão de estilo, ouvindo desde o primeiro single até chegar em Hard Times, tem uma variedade enorme de sons. E eu acho isso maravilhoso, porque me proporciona uma experiência única de não precisar mudar de artista pra ouvir algo que acompanhe meus diferentes estados de espírito.

Ainda sobre sonoridade: acho curioso que esteja metendo tanto o pau na música nova enquanto Still Into You já foi lançada no nosso universo há anos. Não é nenhuma mudança realmente brusca se olhar por esse ponto.

A pior parte é que tem o pessoal que não gosta do material novo e ainda quer que ninguém goste também. "Ah, você só tá falando que gostou porque é puxa saco da banda". Quer dizer, tu só pode gostar das coisas novas e diferentes com aval desse pessoal que acha que tem o gosto musical superior ao de todo o resto. Tipo, cada um tem sua liberdade de gostar ou não de uma coisa. Querer jogar sentimento de culpa em cima dos outros por gostar de algo que não seja o Paramore que você mesmo idealiza???

E pra ter ideia, aconteceu um caso de uma garota vir questionar eu gostar da música, como se fosse hipocrisia, porque eu não gostava de banda X (que não tem nada a ver, mas ok). Pra isso eu só digo uma coisa: Mesmo se o som fosse igual, eu tenho uma ligação emocional com o Paramore e com a Hayley. O jeito como a Hayley compõe e se comunica é muito específico. E a voz dela é muito marcante. Mesmo que a sonoridade realmente fosse igual, só o fato de ser a Hayley e o Taylor fazendo, seria outra coisa. Porque seriam eles. Entendem o que eu quero dizer? No sentido de que tudo que uma pessoa faz é especial, único e característico.

Se o Paramore tivesse aqui lançando pagode, eu ia estar gostando, porque é deles. 

E não tem nada de errado nisso. 

Vai cuidar da tua vida em vez de ficar invalidando o que os outros gostam só porque você não gostou. 

Então eu diria que tem esse pessoal chato em todo fandom de banda/cantor que acha que o artista tem que ser escravo do seu gosto pessoal e ficar preso naquela caixinha e rótulo ali

Como se o artista devesse alguma coisa a quem ouve a música dele.

Como se o artista devesse fazer a música pensando primeiro em quem vai ouvir em vez de ser uma maneira de se expressar.

Como se o artista devesse pensar em agradar os outros antes de agradar a si mesmo.

Tipo, é como se quisessem inverter o processo de criação, "faz esse negócio assim pra eu conseguir me relacionar com as suas músicas" em vez do negócio natural que é o artista fazer a música e as pessoas que gostam se conectarem com aquilo e trazerem aquilo pra vida pessoal delas e pras próprias experiências.

Acho que é muuuuuito frequente isso de fã que se acha dono da banda/artista ficar enchendo o saco e falando mal só porque não gostou (como se a banda tivesse que te servir), e ainda fica enchendo o saco dos outros que gostaram. Então vale refletir.


- Eu + Rebeca Chaves


TAGS: , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

1 comentários

  1. Isso me lembrou quando o Metallica lançou o Load, um álbum com uma sonoridade bem diferente do Black Album e dos anteriores a este, e se apresentou no Lollapalooza no mesmo ano. Os fãs fizeram correr um rio de chorume, fizeram boicote à banda, rolou até ofensa da parte do Phil Anselmo, do Pantera, um bosta notório e bem conhecido, que falou num show "foda-se o Metallica e seu álbum de bicha!".

    E o Metallica tem várias fases. O Black Album, de longe o mais comercial de todos, desagradou muitos dos metaleiros também, mas nada desagradou tanto quanto o Load. A banda defendeu o álbum, dizendo que não tinha medo de perder 500 fãs pra ganhar mil, coisa que bandas como Slayer e Pantera sempre temeram e nunca saíram do "mais do mesmo" do metal.

    Hoje eu já não sou tão fã do Metallica quanto antes, a sonoridade deles mudou muito depois da saída do Jason Newstead e o álbum deles, semelhante ao estilo do Linkin Park não me agradou. Porém, sempre tive consciência que a banda não é minha e que experimentação é algo que faz parte do cerne da arte, seja ela qual for - música, literatura, pintura, fotografia, cinema. O comportamento de alguns fãs é mimado, de achar que se você consome a arte de alguém, tem o direito de exigir que eles façam o que você quer.

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *