Castiel CCdiário

Destiel, Representatividade e o Queerbating

19.3.17Colaboradores ConversaCult



Apesar de já terem falado tantas vezes sobre queerbating aqui no blog, eu sinto que eu preciso falar novamente, e principalmente focar em um shipp (que é o meu favorito). 

Quem me conhece sabe muito bem que eu amo Destiel com todas as minhas forças e se alguém me disser que não tem a menor possibilidade de eles sentirem algo um pelo outro, eu acabo ficando com raiva da pessoa. Porque eu amo esse shipp e vou protegê-lo, não importa o que aconteça. Agora, ninguém nega, e nem podem, que é um casal queerbating.

Eu quando me dei conta do que era queerbating, cerca de um ano atrás, e vi que Destiel estava nisso.

Caso ainda não saibam, queerbating é um termo que em tradução literal seria "isca de LGBTQ's", e infelizmente, Destiel entra nessa categoria. Só quem convive comigo sabe o quanto eu já chorei com Destiel, e quem é fã de um casal, ou vê aquilo com um significado grande na própria vida, sabe o quanto é impactante e triste um casal que serve como isca aos olhos dos escritores nunca se realizar, sendo que até teria uma chance – por mais remota que fosse –, pelos anjos não se importarem com gêneros - e poderíamos os classificar como panssexuais. 

O problema do queerbating é essa brincadeira com nossos sentimentos, essa brincadeira doentia com quem é da comunidade LGBTQ+, tendo esse recorrente pensamento como mantra: "Olha, que fofinhos eles ficam juntos... Que tal se sugerirmos algo? Mas isso nunca vai acontecer, eles são héteros (aqui no caso só o Dean).".

Impossível ser negado algo entre eles!!! (~cry)


*Spoiler da 11ª temporada, pule esse parágrafo caso não queira ler*

Por mais que na temporada anterior (11ª) tenha tido uma representatividade de dois homens em um relacionamento – e pasmem, eles continuaram vivos – ainda tivemos a perda da Charlie, que era uma personagem lésbica. E essa é uma coisa horrível, a perda de personagens LGBTQ+ nas séries. Só o que queremos é que tenham mais personagens não-héteros e que sobrevivam. 

Quem viu The Vampire Diaries – que infelizmente se encerrou maravilhosamente nesta sexta-feira (10) - sabe que os poucos personagens que não fossem héteros morreram. Não é que nós estamos reclamando por nada, estamos reclamando e questionando o porquê de personagens gays, lésbicas, bissexuais, entre outros, não podem ter um final feliz ou um destino livre de drama como doenças cancerígenas ou acidentes fatais. E após o texto da Dana, Um ano desde que perdi esperança com representatividade, eu vim percebendo mais coisas desse tipo, desse padrão. E, deuses, não é difícil entender, só queremos uma representatividade justa. 

Eu não shippo Destiel porque todos o fazem, eu shippo por todos os olhares, insinuações e verdades ditas em olhares. Destiel é um casal que mostra claramente o que seria a representatividade mais justa de todas se fosse um casal assumido. E os próprios atores shippam, apesar de Jensen ter dito que não aconteceria – o que de fato sabemos, afinal, essa não é a vontade dos escritores da série. 

Só queremos que haja representatividades justas e que condizem com tudo que passamos. Queremos aqueles personagens para olhar nas séries e chorar de alegria ao ver que eles representam a gente e tudo que sentimos e o que desejamos para nós mesmos. Não é pedir muito, é pedir o que é necessário. 



E outra coisa, dessa vez diretamente para os escritores de Supernatural:  

Dean não é hétero, parem de tentar reforçar isso. Obrigado, de nada.


***

Sobre o autor: 
Me chamo João Paulo, mas prefiro que me chamem de Jota. Acabei de iniciar o Primeiro Ano do Ensino Médio e vou fazer quinze anos. Sou um amante de Letras, séries, livros, causas sociais (que estou procurando sempre me atualizar mais) e culinária. Sou o irmão da minha irmã, gordo sedução, irritado com ignorância e uma linda Drag Queen nos meus tempos livres.

TAGS: , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

3 comentários

  1. Por que você acha que o Dean não é hétero? Nunca percebi menção do contrário na série.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Verônica. Tudo bem?

      Então, tem um post que está pra sair de um desabafo meu sobre Destiel, em que eu explico as coisas. Porém, vou te explicar por aqui.

      Eu vejo o Dean como bissexual, e acho que tem milhões de insinuações que comprovam esse olhar. Como a relação dele com o Castiel, que ultrapassa o limite de amizade para obviamente um interesse mútuo entre ambos. Sem falar em todas as outras referências durante as séries, incluindo ao shipp visto pelos fãs do livro.

      Por fim, é isso, caso tiver mais dúvida, prometo responder o mais rápido possível, e me desculpe pela demora <3

      Excluir
  2. Realmente, Dean é com certeza bissexual, há muitas insinuações disso na série -fora claro a imensa química que Dean tem com Cass, é uma química inegável. -
    Me deixa muito frustrada Supernatural não ter muita representatividade nos personagens LGBT, Charlie por exemplo, era uma personagem foda, uma mulher lésbica, inteligente, independente, engraçada e com mais diversos adjetivos positivos, que tinha muito que se desenvolver na série, porém preferiram matá-la sem necessidade, e isso me deixou revoltada.
    Infelizmente não acredito que Destiel será canon por conta do ator Jensen Ackles que não é a favor do shipper - o que me deixa mais frustrada ainda por que se ele acredita que destiel não existe, então ele que pare de olhar daquela maneira para Misha Collins -.
    Torço muito para o casal se tornar canon, para mim seria um fechamento excepcional e muito surpreendente, seria um tapa na cara de tantos que duvidavam da existência do shipper.
    Acredito que tornar destiel canon seria surpreendente e histórico.

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM