CCFilmes CCListas

6 filmes para entender o espírito natalino

25.12.16Taiany Araújo


A princípio esse post seria sobre filmes meio anti-natalinos para assistir no natal. No entanto, eu fui ameaçada no grupo do CC por deixar de fora o filme Simplesmente Amor. Sendo assim, essa pequena listinha vai conter alguns filmes que se passam no natal, mas que não parecem de natal, que eu sempre assisto nesse época do ano, e outros que são minhas paixões em forma de comédia romântica, e que também se passam durante a visita do Papai Noel.


1. O Estranho Mundo de Jack, dirigido por Henry Selick

Apesar desse filme ter toda uma pegada Tim Burton, e muita gente achar que o filme é uma produção dele, não é. Isso, no entanto, não quer dizer muita coisa, já que o enredo da história foi inspirado num poema escrito por Tim quando ele observou as trocas das decorações das lojas do Halloween para as decorações de Natal. Assim, esse filme não é só natalino como também algo para o dia das bruxas, e eu tento ver nas duas épocas, uma já foi: que chegue logo dia 25.

A história gira em torno de um esqueleto que vive na cidade do Halloween e é a criatura mais assustadora de lá, ele é um ídolo. O problema é que o Jack já tá cansado de viver em função de um único dia: eles se preparam o ano todo para o Dia das Bruxas e, quando enfim ele chega e os cidadãos fazem o que existe para fazer, o ciclo recomeça. Mas é durante seu momento de crise enquanto andava pelo bosque que Jack encontra diversas árvores com palavras escritas. Em uma dessas árvores tem a palavra Cidade do Natal grifada, e nosso amigo esqueleto descobre que ali tem uma passagem.

Chegando na Cidade do Natal, Jack vê coisas que nunca havia imaginado encontrar, e isso faz com que ele resolva apresentar o natal aos seus amigos e proponha que eles façam algo diferente e levem o natal para as pessoas. Convencer o povo todo já foi difícil, agora imaginem um monte de criaturas assustadoras tentando transmitir o espírito natalino.

Todo o filme é muito divertido, com um tom meio macabro, mas cheio de músicas (ok, também macabras). E ele consegue passar uma mensagem de natal superbonita de cooperação, amizade e apoio. Não sei como indicar o filme além de falar que AMOOOOO, e que conhecer a Sally foi umas das coisas mais legais e divertidas nesses meus 23 anos assistindo filmes.

Essa é a Sally. Pode não parecer, mas ela é uma ótima cozinheira.

2. Edward Mãos de Tesoura, dirigido por Tim Burton.

Eu não preciso falar muito desse filme porque talvez você tenha visto nas centenas de vezes em que a Globo transmitiu. E é compreensível, pois como não se encantar com um jovem desengonçado e tímido, que perdeu o "pai" e vive sozinho há muito tempo, até encontrar uma pessoa que se compadece dele e resolve acolhê-lo? O fato desse jovem ter tesouras no lugar das mãos é mero detalhe.

Apesar de ficar com o coração partido vendo o filme, porque o romance é destruidor, e apesar da temática toda ser meio (muito) sombria, é a "criatura" assustadora justamente aquele que transmite as mensagens mais lindas da história. Ser educado, bondoso, simpático. Se maravilhar diante da vida, são coisas que às vezes esquecemos.



3. O Grinch, dirigido por  Ron Howard.

Nada mais natalino do que um filme sobre alguém que odeia o natal. Esse pode até parecer um filme meio mhé: particularmente, se eu já não conhecesse o filme, não assistiria, ia achar que era mais um desses filmes chatos que passam na sessão da tarde. Mas eis a prova de que as aparências enganam.

O Grinch é um filme liberado pra família inteira ver, e trás muitos questionamentos sobre se realmente entendemos o que é espirito natalino ou se usamos a desculpa dessa festa para aloprarmos em comidas, compras, futilidades, etc. Além de atacar os correios sem dor nem piedade XD

O filme conta a história de um personagem que odeia o natal (ele tem uns motivos para isso) e resolve estragar o natal de todo mundo, simples assim. Mas como diria Joseph Climber, a vida é uma caixinha de surpresas, e no caminho tinha uma garotinha chamada Cindy Lou que tinha (tem) muito a nos ensinar sobre o natal.



E agora, mudando totalmente o estilo de filme natalino, mas não perdendo nem um pouco da magia dessa época, vou apresentar 3 filmes românticos indispensáveis para quem quer passar o natal com o coração aquecido e um sorriso nos lábios.

4. Enquanto Você Dormia, dirigido por Jon Turteltaub

Sim, Enquanto você dormia é a típica comédia romântica cheia de clichês, bobinha e não surpreendente, mas isso não impede que ela seja bonita e esperançosa. Muito pelo contrário, são todas as previsibilidades dela que a tornam tão imprevisível. 

Quando Lucy, nossa mocinha, era criança , seu pai costumava dizer que às vezes as coisas na vida não acontecem como planejamos, e isso é o ponto de partida de todo o filme. A vida da Lucy tá entre meio médio e meio merda, muito longe de como ela gostaria, e mesmo quando reviravoltas acontecem, as coisas não saem tanto como o esperado. Ao salvar a vida do bonitão por quem é apaixonada em segredo faz tempo, Lucy se vê numa situação que podia ser resolvida rapidamente. Mas estamos falando de filmes, então é claro que ela complica tudo, e agora a família do bonitão acha que eles são um casal. O bonitão tá em coma, nem pode resolver a situação. 

É todo esse mal entendido que acontece no filme que nos cerca do espirito natalino, Lucy era uma mulher muito solitária, mas agora ela entra uma família gigante pronta para inclui-la, disposta a cuidar dela e a amar. E se amar, cuidar e perdoar não é o espirito de natal, eu não sei o que é.

Lucy e o bonitão que ela nem sabe o nome

5. O Amor não Tira Férias, dirigido por Nancy Meyers

AMO AMO AMO, EU AMO TANTO ESSE FILME QUE É DIFÍCIL FALAR SOBRE ELE.

E se você pudesse trocar de casa com outra pessoa por uma semana? Sabe, pra espairecer, esquecer os problemas, se afastar de tudo só por uns dias?

Íris mora em um chalé no interior da Inglaterra, e é apaixonada por Jasper, aquele cafajeste de romances. Amanda mora numa luxuosa casa em Los Angeles, e tá enfrentando problemas com o amor. Bom, as duas acabam por se conhecerem na internet, e resolvem, por que não, trocar de casas durante as férias.

É claro que elas encontram pessoas por quem se apaixonam, é claro que eu amo isso, mas pra mim, o ponto alto do filme é o processo de autoconhecimento por qual essas duas mulheres passam. Se afastar de tudo possibilita que elas se aproximem de si mesmas, e passem a enxergar quem realmente são e o que elas querem pra si mesmas.

E mesmo se o filme fosse uma porcaria, poder acompanhar a amizade da Íris com o Arthur (vizinho da Amanda), um roteirista aposentado cheio de histórias pra contar, se permitindo sair da toca e se encantar com a vida, já valeria a pena.

o Jude Law tá a coisa mais linda nesse filme, difícil superar

6. Simplesmente Amor, dirigido por Richard Curtis

Eu não sou fã desses filmes (que parecem viraram moda) que contam varias histórias de encontros e desencontros amorosos, mas Simplesmente Amor não só eleva esse tipo de roteiro, como apresenta enredos tão bem desenvolvidas que parece diversos filmes (bons filmes) dentro de um só.

O filme é quase uma contagem regressiva para o natal, e enquanto os personagens vão se encaminhando para esse dia, nós conseguimos ver  como o ser humano é surpreendente, como as pessoas estão constantemente tentando fazer as escolhas certas, e coisas certas, como procuramos ser bons apesar de todas as confusões e inconstâncias que nos cerca. Como continuamos e continuamos a cada dia.

E gente, nesse filme temos um dos casamentos mais lindos que já vi em todos os tempos. Amigos: estão avisados, podem fazer algo assim, eu finjo surpresa.



Para encerar esse post, vou deixar o texto que passa no início do filme, e tem tanto a ver com o natal e com a vida que seria injusto não terminar assim:

“Sempre que me entristeço com o estado do mundo, eu penso nas chegadas do aeroporto de Heathrow. A opinião geral é que vivemos em um mundo de ódio e ambição, mas eu não vejo isso. Me parece que o amor está em todo lugar. Nem sempre é cheio de dignidade ou notoriedade, mas está sempre presente – pais e filhos, mães e filhas, maridos e mulheres, namorados, namoradas, velhos amigos. Quando aqueles aviões atingiram as Torres Gêmeas, pelo que eu sei nenhuma das ligações das pessoas que estavam prestes a morrer continham mensagens de ódio ou vingança. Eram todas mensagens de amor. Se você procurar alguma coisa me diz que você vai descobrir que o amor está em toda parte.”


   

TAGS: , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *