CCLivros CCResenhas

Garoto 21, de Matthew Quick

9.9.16Taiany Araújo


A primeira vez que eu me deparei com um livro do Matthew Quick eu não quis ler, mas depois de muita curiosidade acabei por pegá-lo e ele se transformou num dos meus livros favoritos. De lá pra cá o autor não só passou a ser alguém que eu quero ouvir as coisas que fala como também alguém que eu confio com relação às histórias, já são cinco livros e ele conseguiu me emocionar e surpreender em todos.

Uma coisa é certa: ao ler os livros do Quick eu preciso de um rolo de papel higiênico do meu lado, porque vai rolar um momento de emoção a flor da pele e choro compulsivo.

Quando a editora Intrínseca anunciou o lançamento de Garoto 21 eu fiquei frenética, nem sabia a sinopse e nem queria saber, eu queria pegar o livro e ler ele não importando sobre o que falava. Então fui ver com o pessoal do blog se podia pedir uma cópia dele para editora, mas nessa época aconteceram de um tudo e quando achei que não ia ter jeito, que eu ia ter que pedir moedinha na porta de igreja, eis que o Tino (você é demais) pede o livro para mim e em alguns dias ele já estava comigo. Agora era só começar a ler...só que as coisas não aconteceram tão fáceis assim, e entre visitas e um bloqueio que eu não conseguia nem ler o encarte do supermercado finalmente consegui terminar o famigerado livro em um dia e vim falar sobre ele para vocês.


A história gira em torno de um garoto chamado Finley que vive com o pai, um homem trabalhador, mas infeliz e resignado, e com o avô, um homem que perdeu suas pernas e não larga o terço da falecida esposa por nada no mundo. Finley mora num bairro violento, onde impera o domínio da máfia Irlandesa, sua única esperança de mudar de vida é conseguir uma bolsa como jogador de basquete numa universidade e já que ele não possui um talento natural com o esporte, se esforça mais que qualquer um, se dedica de forma exacerbada, o basquete é sua chance e sua vida.

Logo nas primeiras páginas do livro percebemos que existe alguma questão com o Finley e sua família. Além disso, ele estuda uma escola onde há segregação entre negros e brancos, e ele é um dos poucos brancos que ali estão, a vida não é fácil para o Finley, mas ele consegue seguir com ela, principalmente por causa da presença constante da sua única amiga e também namorada, Erin. Ela entende e aceita o silêncio constante de Finley, tem as mesmas aspirações e é um frescor nas preocupações todas, só que tudo está prestes a virar de cabeça para baixo e é ai que a história realmente começa.


O treinador de basquete pede que Finley ajude um jovem recém-chegado à cidade, filho de um ex-amigo, a socializar e voltar a jogar basquete. O problema é que esse garoto pensa que é  um extraterrestre e acredita que veio à Terra para entender as emoções humanas. Seu nome é Rush, no entanto, ele se autodenomina Garoto 21 e sem que nenhum dos dois saibam, irão impactar a vida um do outro de maneira irrevogável.  Finley não entende porquê ele, dentre todos os outros membros do time, foi escolhido para acolher o Garoto 21, eles não têm nada em comum, mas sem discutir, aceita ajudar Rush, afinal o treinador está sempre certo e o time sempre vem em primeiro lugar. 

Olhando de fora talvez o livro não desperte grande interesse, mas esse autor tem a capacidade de pegar pessoas simples e virá-las do avesso para nos mostrar que elas são muito mais do que aparentam, e que cada um tem as suas armas e defesas para enfrentar o mundo. Utilizando do basquete e do espaço, Matthew Quick vem nos falar de pessoas, e de como elas são frágeis e preciosas. Durante a leitura eu separei muitas partes que gostaria de colocar aqui nessa resenha, só que parando para pensar, é melhor cada um identificar as partes que te marcam, que são significativas para você, pois apesar de ter uma história com começo, meio e fim e contar sobre alguém específico, Garoto 21 também fala sobre a forma que nos apresentamos no mundo.


Eu convido a vocês a virem conhecer um garoto que quase nunca fala e aceita as coisas passivamente, um outro que parece estar louco e uma garota que apesar dos seus problemas vive com uma alegria contagiante, e ver onde tudo isso vai dar. Se o desejo era tocar o outro, bom, o autor conseguiu me tocar, e arrancar muitas lágrimas.

Obrigada Matthew, seus livros me fazem querer ser uma pessoa melhor.

Nota:
O que eu posso fazer se os livros do Matthew Quick são maravilhosos?

Ficha Técnica:




- Autora: Matthew Quick
- Editora: Intrínseca
- À venda emSaraiva - Livraria Cultura - Submarino








Eternamente grata à Editora Intrínseca por ter cedido este livro pra gente <33333...

TAGS: , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *