Ariel Carvalho CCMúsica

O ano passado foi complicado para mim também, Nick Jonas

1.7.16Ariel Carvalho


Perdoem o trocadilho idiota e clichê, mas não deixa de ser verdade.

Outra coisa que também é verdade é que eu acompanho tudo o que Nick Jonas faz desde que ele tinha 16 anos de idade. Algumas dessas coisas, como a série Kingdom, não me interessaram muito, mas outras, como a sua carreira solo, me deixam muito feliz.

Sinceramente, achei que esse cd novo seria horroroso. Eu acho primeiro cd solo do Nick (segundo, se considerarmos o Nicholas Jonas, de 2005), o autointitulado, um pouco superestimado, e não consigo entender como as pessoas consideram Jealous uma obra prima (sério, vocês ouviram OUTRAS músicas do Nick???).

Tive uma excelente surpresa à medida que ouvi as músicas. O álbum é excelente e eu me senti com doze anos de novo, apaixonadinha por esse homem e pelas coisas que ele produz.

Chamado de "Last Year Was Complicated" (o ano passado foi complicado HAHAHA), ele tem 12 faixas na versão normal, e entre 15 e 18 nas versões deluxe. O nome do álbum foi escolhido depois de uma conversa com o Jay Z. Ele abre com a fantástica "Voodoo", que já te faz levantar da cama e sair dançando pela casa, com um instrumental bem gostoso e diferente.


A segunda, "Champagne Problems", é uma música muito triste porém dançante. Sou suspeita para falar, porque adoro músicas assim, mas ela é excelente. É bem difícil ficar parado. Depois, vem a já famosa "Close", parceria com a Tove Lo, que é sensual e não sai da cabeça de jeito nenhum nunca.


Numa entrevista, Nick disse que "Chainsaw" é a música mais pessoal que ele já escreveu, onde ele fala da dor de voltar a um lugar que significava tanto para um relacionamento e de toda a dor que isso traz.

Bem nos feels

A próxima faixa é "Touch", íntima e sensual, com uma letra bem amorzinho. Depois dela, vem o meu dilema pessoal: como vegetariana, é antiético eu achar uma música chamada "Bacon" fantástica? Ouço uma vez e fico a semana toda dançando ela.

"Good Girls" é a mais enjoadinha, para mim. Não vi nenhum diferencial nela, e ela nem é tão legal assim. A minha favorita é "The Difference", sem dúvida nenhuma, e não consigo ouvi-la sem colocar o volume no máximo. É gostosa de ouvir, de dançar, de cantar...

Imagens reais minhas dançando pela rua
Em seguida, vem "Don't Make Me Choose", uma das que eu mais gostei, pelo conjunto letra + música. Em compensação, não achei "Under You" lá tudo isso, mas ela ganhou um clipe muito bonito com a Shay Mitchell.

Antes de definir esse título fantástico, o Nick tinha pensando em batizar o álbum de "Unhinged", por causa da faixa 11. Ela é mais calminha, tristinha, e Nick aproveita para liberar os seus agudos deliciosos.

Para acabar bem e não deixar ninguém triste, vem a dançante "Comfortable", que junta um pouco de hip hop, uma coisa meio eletro e pop.



A versão deluxe Target do álbum ainda conta com "Testify", "When We Get Home", uma música fofinha, e "That's What They All Say", que tem uma pitada de Marvin Gaye e uns vocais mais graves que MEU DEUS. Já a versão deluxe internacional tem as conhecidas "Jealous", "Chains" e "Levels".

Resumindo: o álbum é ótimo, e vai te fazer chorar, dançar, e chorar enquanto dança. Ouçam.

TAGS: , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

3 comentários

  1. Só tenho feito isso na vida.
    Mentira, tá na época de provas. Eu estudo ouvindo o Nick Jonas #Mejulguem

    ResponderExcluir

  2. Truely a very good article on how to handle the future technology. After reading your post,thanks for taking the time to discuss this content.


    DotNet Training in Chennai



    ResponderExcluir

  3. Truely a very good article on how to handle the future technology. After reading your post,thanks for taking the time to discuss this content.


    DotNet Training in Chennai



    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *