#PrayForOrlando bury your gays

Por que o Massacre de Orlando é um atentado à comunidade LGBT+

14.6.16Dana Martins


Porque um cara homofóbico entrou em uma boate LGBT+ pra matar pessoas LGBT+.

Isso deveria ser o bastante, mas pra algumas pessoas não é, então eu vou compartilhar aqui um pedacinho de perspectiva pra quem quer refletir.

.O medo

Aqui no ConversaCult a gente fala sobre representatividade na mídia, e nos últimos meses eu tenho estado envolvida sobre a questão do trope Bury Your Gays (Enterre os Seus Gays), que é sobre o fato de que a maioria das histórias com personagens LGBT+ termina os personagens morrendo. 

Basicamente, as histórias sempre dizem pras pessoas LGBT+ isso: você vai morrer. 

Só que é difícil pra caramba explicar como isso é tóxico >na vida real< para pessoas LGBT+. 

é difícil porque as pessoas não levam a sério. elas não sentem, então deve ser mentira, né?
Tradução: Pessoas hétero se preocupam com ter que compartilhar um banheiro. Pessoas LGBT+ se preocupam com serem assassinadas por existirem.

Uma parte disso ser tóxico é porque o medo é uma constante na vida das pessoas LGBT+ - medo de ser "descoberto", medo de ser maltratado pela família, medo de perder o emprego, medo de sofrer uma agressão na rua se fizer algo tão simples quanto dar as mãos. E o medo não é paranoia, essa são ameaças reais enfrentadas pela comunidade LGBT+. 

Então se você é LGBT+, você tem duas opções: Você vive escondido pra se proteger. Ou você vive arriscando a sua vida.

Arriscando a sua vida por algo tão simples quanto as pessoas saberem a sua sexualidade.

Vou repetir porque eu não tenho certeza se você realmente entendeu o que isso significa. A pessoa LGBT+, ela não escolhe ser assim, ela é. Ela é cada segundo da vida dela assim e sinceramente isso é incrível, mas a questão é que ela simplesmente é isso. E se alguém souber dessa informação, ela tá em risco. Ela não precisa fazer absolutamente nada. Ela não precisa ser legal ou grossa. Ela nem precisa nem saber que é! Ela não precisa fazer nada. Se alguém souber a verdade, o mundo já é diferente pra ela.

E o mundo não é nem um pouco amigável. 

É por isso que existem lugares específicos seguros, como uma boate LGBT+. onde você vai para não ser atacado.

É por isso que existe o mês do Orgulho LGBT+, para as pessoas uma vez no ano poderem falar sobre isso de maneira positiva e segura.

É por isso que Paradas LGBT+ são tão importantes - é uma chance de andar na rua sendo gay sem ter medo.

Essas coisas que a pessoa hétero tem em todos os dias do ano, a pessoa LGBT+ tem nesses momentos.

Então pra uma comunidade que já lida com o risco de vida, e o medo, tão rotineiramente, ver histórias onde até a personagem mais foda e rainha e guerreira não consegue fugir da morte, é tenso. E é ainda mais tenso quando não importa a história que você assista, o medo de que o personagem LGBT+ vai morrer existe. E o medo sempre se torna realidade. Uma. vez. após. a outra.

(às vezes ela volta da morte. ou era só suspense. mas e o medo?)

É basicamente fazer essas pessoas viverem com medo, quando existe a possibilidade delas aprenderem a ter esperança e verem que tem alternativas.

.O Massacre existe em um contexto histórico

Você não pode isolar um incidente como o massacre de Orlando e comentar ele como se existisse em outro planeta.

Você não pode falar "oh, mas é tudo pessoa!" quando o atirador entrou naquela boate LGBT+ porque aquelas eram pessoas LGBT+.

E tem mais, porque é uma camada que as pessoas privilegiadas não estão vendo. O que o massacre de Orlando diz para as pessoas LGBT+ é isso:

Existem pessoas que querem te matar só por você ser LGBT+. A única coisa que as impede de fazer isso é a oportunidade. 

Não são as pessoas hétero que são perseguidas por ser hétero - são as pessoas LGBT+.

Quando você fala que "é tudo pessoa", "não se apropria do massacre" ou qualquer outra merda, o que você diz para as pessoas LGBT+ é isso:

"Eu não estou vendo que você é perseguida, e se você sofrer uma agressão, eu vou simplesmente te ignorar e não fazer nada contra essa violência"

Porque é exatamente isso que você tá fazendo quando não reconhece a relação entre a comunidade LGBT+ e o atentado que aconteceu.

."Eu sei que tem homofobia, mas o massacre é diferente..."

Será? Ontem eu tava pensando. A única diferença entre antes e depois do massacre LGBT+ em Orlando, é que agora os héteros tão se dando conta das mortes e dos problemas. Porque o terror que é viver sendo LGBT+ toda pessoa LGBT+ já sabe.

E É UMA COISA TÃO SINISTRA QUE AINDA ASSIM AS PESSOAS IGNORAM QUE FOI UM CRIME DE ÓDIO CONTRA AS PESSOAS LGBT+.

Você tem uma pessoa homofóbica entrando em uma boate LGBT+ e matando 50 pessoas, ferindo mais 53, e mesmo assim tem gente que não consegue reconhecer o tamanho da homofobia que existe.

Eu postei aqui sobre essa ideia de "humanismo", e é a mesma lógica por trás disso de "são pessoas". Sim, são seres humanos. Mas o fato é que no mundo real seres humanos são diferenciados por sexualidade, gênero, etnia, religião, roupa. E isso faz com que essas pessoas tenham experiências diferentes. Ignorar isso é só ignorar um ser humano.

Não, não é sobre pessoas

Porque não é só por ser pessoa que você tá lidando com essa merda. 

Não é só por ser pessoa que você é expulso de casa.

Não é só por ser pessoa que tem gente comentando e aplaudindo o que o assassino fez.

Não é só por ser pessoa que você escuta que é doente.

Não é só por ser pessoa que mesmo com uma comunidade inteira se unindo para falar que, sim, o Massacre de Orlando é uma questão LGBT+, você não é levado a sério.



TAGS: , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *