achar a história ruim clube de escrita

Clube de Escrita: Será que vale a pena escrever merda?

9.11.15Dana Martins


Não é sobre escrever sem achar uma merda. Mas é achar que tá uma merda e escrever mesmo assim confiando que você vai poder melhorar isso no futuro.

Eu poderia dizer simplesmente: tudo que a gente escreve é merda, porque sempre vai ter um espaço pra melhorar. Mesmo Neil Gaiman lá pica das galáxias tem algo que pode fazer melhor. Mesmo a JK Rowling que escreveu uma série que impactou o mundo como nenhuma outra poderia fazer melhor. Então, de certo modo, todos nós fazemos alguma merda. 

A questão é que nós fazemos mesmo assim. 

Agora pausa e vamos discutir isso...

Oi, leitor! Como você tá? Como tá indo NaNoWriMo? 

O meu está... diferente da última semana. Primeiro eu quero desfazer uma confusão da semana passada: eu não estou usando o NaNoWriMo pra editar. O que aconteceu é que eu estava editando uma história e não consegui terminar antes de novembro. Resultado: eu vou fazer os dois ao mesmo tempo. Mais ou menos. Eu estou focando em editar a história e quando terminar vou começar o NaNo de fato. Eu vou conseguir? Olha, não faço ideia. Ainda mais que eu vou viajar por uma semana. Mas esse é o legal do desafio, né?

(pode ser ou não que há alguns Nanos eu invento umas coisas malucas pra me desafiar)

Aí tô eu lá editando de boa, depois respondendo os emails do pessoal sobre escrita e começa a tocar Sugar do Maroon 5. Eu imagino uma personagem andando de carro. Não sei o que me deu, só que na hora pareceu uma ideia legal sair escrevendo de brincadeira. 

"É só brincadeira, eu escrevo do jeito que quiser um pouquinho pra relaxar"


Escrevi a noite inteira. Dormi porque a gente precisa dessas coisas né, aí acordei e escrevi mais. Uma história de 6 mil palavras. Curiosamente: o texto estava quase "perfeito". Precisei reorganizar umas palavras e incluir uns detalhes, dividir em capítulos... mas uma edição super simples. Mais 2 dias e mandei pras minhas amigas. (morrendo de medo) (de vergonha) (depois de enviar eu me dei conta do que fiz e quase saí correndo pra apagar o arquivo antes que elas lessem) (mas todos nós sobrevivemos) 

E é assim que de repente eu terminei a minha primeira história do ano. Eu sinto como se tivesse sido atingida por um raio e, pronto, olha a história aí completa. É um conto 6k, mas é uma história completa, que eu gosto, editada, que me ensinou detalhes e, principalmente, me ajudou a perder a vergonha de mostrar os textos pras minhas amigas.

No gif: Korra usando um uniforme de treino com proteções dando um soco no ar de comemoração. Em cima escrito "#SUCESSO"

Um pensamento que eu quero salvar aqui: eu realmente escrevi essa história por pura diversão, sem compromisso, arriscando umas coisas malucas, ficando confortável na narrativa do jeito que eu quisesse. Isso foi muito bom.

Então... pra quem não ia começar o NaNo, agora eu pelo menos já tenho 6 mil palavras. Falta só 44 mil! HUAHUAHA E eu também meio que decidi o que vou escrever nesse NaNo: umas 2 ou 3 histórias. A primeira coisa que eu vou escrever é o primeiro capítulo de uma que eu to fazendo com uma amiga. Depois eu vou onde o vento me levar de umas ideias que eu tenho. São todas pequenas, então pode ser que eu termine uma e ainda não tenha 50 mil palavras. Aí eu passo pra outra...

De quebra, eu consegui editar mais capítulos na minha história e estou bem perto do final!

E é isso que eu quero falar... totalmente inspirado pela Anna.

Será que vale a pena escrever merda?

No gif: Chris Evans com o cabelinho puxado pra trás todo cheio de gel concordando com a cabeça, embaixo a legenda piscando "fuck yeah"


Essa semana eu editei 4 capítulos - umas 40 páginas. E eu passei a semana inteira praticamente em um capítulo. Revendo inúmeras vezes. Cortando trechos enormes. Reescrevendo. Tava um troço difícil que precisou de muita força pra entrar no lugar. Aí só ontem a noite eu editei 2 de uma vez só. Quase não fiz alteração e tava tão bom que eu não queria parar. 

Sério, foi até engraçado, porque eu tava: AI MEU DEUS, E O QUE ACONTECE DEPOIS? NÃO PARA ASSIM. *corre pra pegar a outra parte já escrita* 

E fui eu que escrevi, né? 

Eu deveria saber. Mas não.

E era um trecho que tava claro que eu escrevi cansada - tinha erro de digitação e outras coisas que indicavam que eu tava mais "só vou colocar essa merda pra fora de qualquer jeito e pronto". 

Outra coisa que aconteceu foi que no capítulo anterior (o que foi uma merda editar), tô eu lá editando um blocão de texto porcaria e de repente chega em um diálogo muito bom. Umas partes do texto é como se você tivesse enterrado em areia movediça tentando andar, outras é como se você tivesse deslizando no gelo e o mundo fosse perfeito. 

No gif: É um rinque da patinação de alguma competição com pessoas nas arquibancadas de torcida ao fundo. A imagem mostra um homem patinando fluidamente com uma mão erguida para o ar, enquanto em cima dele tem uma mulher equilibrada de cabeça pra baixo com as pernas para o alto, o vento do movimento balança o vestido dela. Basicamente, alguém de boa em um momento glorioso patinando livremente, só que é estranho porque tem uma mulher pendurada nele em uma posição difícil.
to rindo muito desse gif. é exatamente assim

Mas isso foi um fruto da merda. Algo que eu fiz sem nem perceber que tava fazendo. 

Então... vale a pena a escrever assim de qualquer jeito só colocando pra fora?

Pra mim, sim. Isso é o que me permitiu ir em frente. Foi a saída que eu encontrei pra terminar as minhas histórias. E uma coisa que tem ficado clara pra mim nos últimos meses é que a gente tem essa visão sólida do que é história. Como se escrever fosse uma coisa só e a história fosse uma coisa só. Não.

Escrever envolve diversas habilidades. E você pode se aproximar da escrita fazendo tudo ao mesmo tempo, ou compartimentalizando. O que funcionar pra você.

No caso do NaNoWriMo, ele é bom pra habilidades específicas. Aprender a escrever sem crítica. Aprender a colocar histórias pra fora. Aprender a chegar até o fim de uma história. Aprender a escrever constantemente. Aprender que, wow, você pode ir bem longe numa história. Aprender a quebrar a cara e refletir como a escrita funciona pra você. 

Acho que entender a escrita como essa coisa completa ajuda a perceber que qualidade não é único medidor de avanço. Se você pensar, é até sem muita noção. É tipo olhar pra um monte de tijolo e falar "nossa, que cada péssima. eu vou parar de construir porque tá feia". 

E quando eu parei de me preocupar com um ideal de certo eu comecei a pensar em por que eu tava escrevendo. O que eu quero com essa história? O que vai me satisfazer? Acho que quando a gente não sabe o que estamos buscando é tipo dar um tiro no escuro e esperar que acerte o lugar certo. É muito fácil se frustrar. 

No gif: Uma mulher de cabelos castanhos sentada no que parece um cenário programa de entrevistas na televisão olhando para a plateia com um sorriso divertindo e apontando o dedo, "Tem uma razão", ela diz segundo a legenda.

(Um segredo: mesmo querendo você não escreve 50 mil palavras de lixo. Algo vai sair dali.)

Já falei demais e me perdi. HUAHUAH Só segura firme e vai em frente. Ontem tava tão difícil editar (ainda mais em contraste com a história fácil que surgiu ao longo da semana) que eu comecei a achar tudo uma porcaria, isso é normal. Pensei seriamente que tinha desanimado da história. Pensei até em abandonar. Continuei por pura teimosia e reencontrei o caminho. Você também vai. 

Boa semana de NaNoWriMo! No desespero, estou no @danagrint e no email do CC conversacult@gmail.com para dar um empurrãozinho. 

E como tem sido pra você até agora? Comente abaixo. 

TAGS: , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *