bissexualidade capitão américa

Por que parece que existem menos homens bissexuais?

17.10.15Dana Martins

Na imagem: Um garoto branco loiro de olhos azuis olhando para a câmera com as sobrancelhas arqueadas em uma expressão de "me meti em uma furada", ao seu lado em letras grandes escrito "Mitos bissexuais"

Eu fiz o post sobre 20 ideias erradas sobre bissexuais e a Nicole perguntou "Por que até nesse tipo de discussão onde querem mostrar a bissexualidade como um grupo tem de haver também divisão e maior exposição pra determinado sexo?" Basicamente, por que eu escrevo mais sobre mulheres bissexuais? "Eu queria saber mais sobre os homens bissexuais em geral", ela disse.

Eu fui responder o comentário e percebi que isso valia um post particular, porque é um problema específico relativo à bissexualidade. 


Por que no post de 20 ideias erradas não aparece tanto homem? 

50% Falta de atenção minha. Eu simplesmente procurei sobre bissexualidade e coloquei as imagens relacionadas - e você encontra uma maioria de imagens de mulher, tanto que aleatoriamente eu fiz um post inteiro praticamente só com imagens de mulher sem perceber. Como eu disse, é uma questão de representatividade - eu não tenho como mostrar imagens e homens falando aqui se eu quase não encontro. Mas eu vou prestar mais atenção nisso e no post de famosos bi eu fiz questão que tivessem homens.

Esse é totalmente um problema que nós reconhecemos. Eu literalmente estou caçando homem bissexual pra poder incluir também. Mas não se engane: eles existem. e 19 das ideias erradas citadas se aplicam a homens bissexuais também.

Por que não vemos tanto homem bissexual quanto não vemos mulher? 

1- Mulher se pegando agrada homem

Primeiro, porque a bissexualidade da mulher satisfaz o olhar do homem hétero e a indústria é criada por homens. Você tem clipes da Madonna/Britney e Shakira/Rihanna só brincando com isso. 

No gif: Shakira está nua com os braços cruzados sobre os peitos e uma de suas mãos repousa no próprio ombro, segurada pela mão de Rihanna, que também está nua a abraçando por trás. As duas olham para câmera enquanto Rihanna de batom vermelho canta com uma expressão sedutora.


A mulher não pode ser apenas lésbica! Ela não pode resistir ao homem. Ela tem que servir ao interesse sexual do homem. 

2- Ou o homem é macho ou ele não é 

A masculinidade tóxica também é outro problema. Repara como na mídia nós temos várias personagens mulheres bissexuais, até algumas protagonistas, mas nós não temos homens como o Capitão América ou o Dean de Supernatural cruzando a mesma linha. De algum modo parece que a masculinidade do herói vai estar ameaçada se isso acontecer. Já a mulher não. Pelo contrário, de certo modo é até uma forma dela assegurar uma "masculinidade".

Na imagem: Corpo de um homem tatuado vestindo uma camisa branca com estampa rosa, que mostra o rosto do Ryan Gosling e a frase "eu seria gay pelo Ryan Gosling"
você não viraria gay, você provavelmente é bissexual

Reflita que os conceitos de gênero são criados e você pode ter pessoas de gêneros diferentes incorporando características, porque, wow, eles podem. Só que uma mulher incorporar uma "característica" considerada masculina é positivo, enquanto um homem incorporar uma característica considerada feminina é negativo. Basicamente torna o personagem mais fraco, porque tudo o que significa ser mulher é considerado fraco. (e é por isso também que mulheres que incorporam características consideradas masculinas são chamadas de "mulheres fortes"...) Então um homem ficar com outro é homem é considerado se rebaixar se comparar com uma mulher ficando com outra mulher.

Um personagem gay já é um homem que tem esse ideal de macheza desconstruído. Agora a noção de que o homem pode seguir esse ideal de macheza e gostar também de homens... é mais difícil ainda. É um unicórnio cultural. Daí muito da invisibilidade do homem bissexual.

Ou quando um homem fica com outro homem simplesmente ignoram que ele pode ser bissexual e não gay.

Na imagem: Freddie Mercury segurando o microfone e olhando para o horizonte, vestido de uma camisa espalhafatosa toda colorida e aberta deixando o peito exposto.


Ou seja, acredito que para os homens bissexuais seja mais difícil ser visível do que as mulheres bissexuais porque elas não precisam assegurar nenhuma macheza. E se juntar com o número 1: você tem um ambiente que de certo modo """incentiva""" mulheres bissexuais e oprime homens bissexuais.

(eu falo de personagens e pessoas bissexuais, e existe algumas diferenças entre os dois casos - até porque o homem bissexual lida em primeira mão com o fato de que é e como ele vai viver com isso diante do mundo; enquanto o personagem muitas vezes é criado por uma pessoa que nem é bissexual, nem saber que isso existe e é uma sexualidade criada. na cultura pop eu posso até baixar uma binormatividade e começar a dizer que todos os personagens são bissexuais, porque tudo depende de como eles são escritos. na vida real não. mas no geral nos dois casos o ideal de masculinidade oprime os homens bissexuais)

3- Assumir publicamente é raro

O terceiro motivo é o básico de que pessoas LGBT+ como um todo não são tão bem vistas e guardam isso como um segredo. Foi só no início de 2014 que a Ellen Page fez o discurso público sobre ser lésbica! Um selinho ainda sacode a mídia. Quantos homens gays famosos abertamente você tem? Quantas mulheres lésbicas? E enquanto a pessoa homossexual muitas vezes se assume, o bissexual é contaminado pelo vírus do "não quero me rotular".

Na imagem: Um pôster desenhado do Capitão América em posição de sentido, o fundo das cores rosa e azul da bandeira bissexual, e uma faixa em cima que diz "Steve Rogers bissexual" e outra faixa embaixo que completa "pela América"


Se nós temos problemas em representatividade no filme da Marvel - só em 2018 teremos o primeiro super-herói negro protagonizando, só em 2019 a primeira mulher... imagina o primeiro super-herói LGBT+? Nós não temos nem um personagem LGBT+ em nenhum dos filmes 30 filmes por aí. (ainda na torcida pelo -Capitão América bissexual, porque aí não só teríamos o primeiro super-herói LGBT+, assim como o primeiro super-herói de todos seria LGBT+! enfim) (tem o filme do Deadpool, mas imagino que eles vão apagar totalmente essa parte)

Na imagem: Dois quadros de HQ. No primeiro Thor está segurando Deadpool no alto pelo cangote. Thor diz: Deve ser seu o futuro de um ladrão! Deadpool responde: Eu realmente acho você atraente. No segundo estão na mesma posição, dessa vez Thor está olhando para o Deadpool assustado e Deadpool está com uma mão sobre a boca em choque. Deadpool diz: Eu disse isso em voz alta?


Ou seja, não é como se as pessoas LGBT+ estivessem aí abertamente em todos os cantos. Isso se torna ainda mais complicado se você é bissexual. e homem. E no fim do dia nós não temos quase ninguém de referência. 

4- Muuuitos preconceitos

Além disso, aqueles 19 itens que citei no post sobre preconceitos, que apagam a existência da pessoa bissexual. Principalmente o 1- a ideia de que bissexuais não existem, porque nem eles mesmos sabem que podem ser bissexuais. E o 18- só mulheres são bissexuais, que também poderia ser "homens bissexuais não existem".

Achei por acaso aqui um vídeo de um garoto bissexual que fala (em inglês) mais uma vez sobre alguns daqueles mesmos preconceitos que eu citei:


Se você junta tudo isso, você tem um monte de homem bissexual que não sabe que pode ser ou não tem segurança pra falar isso publicamente; e um monte de personagens homens que não são bissexuais porque os criadores não sabem que isso existem, se recusam a usar ou tem homofobia internalizada mesmo. Aí você vai escrever um post sobre, você vai falar de quem exatamente? Quais exemplos você vai dar? 

A maioria dos homens da lista dos 40 famosos bi que juntei são caras velhos do "rock and roll" (e mulheres novas que têm fama de quebrar padrões e serem "maluquinhas"). Em outras palavras, as pessoas bissexuais publicamente são aquelas que estão acostumadas a olhar para os padrões de certinho e dizer "foda-se, a vida é minha e eu faço o que eu quero". E isso é bom, mas também é um pouco triste, porque todo tipo de gente pode ser bissexual. Você pode ser um bissexual quietinho tímido religioso bem comportado que quer casar com a alma gêmea (que só não precisa ser de um gênero específico). 

É por isso mesmo que a da Visibilidade Bissexual é importante.

Se você tem mais dúvidas, se tem algo a acrescentar sobre homens bissexuais ou é um homem bissexual e quer mostrar pras pessoas a sua experiência, fique livre para comentar aqui ou enviar um email para conversacult@gmail.com

TAGS: , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

13 comentários

  1. "Você pode ser um bissexual quietinho tímido religioso bem comportado que quer casar com a alma gêmea" ~eu~
    Hahahaha adorei o post, é estranho esse lance de visibilidade, as pessoas se confundem muito quando ouvem falar de bissexualidade, vejo a cabeça delas bugando, porque estamos em uma cultura em que as pessoas deveriam gostar apenas de uma coisa, quando alguém diz que pode se abrir para mais de uma as pessoas já pensam em depravação, safadeza ou falam que você é confuso, e está em cima do muro. Mas qual o problema de estar em cima do muro ou confuso também se a pessoa estiver?

    Bjo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Mas qual o problema de estar em cima do muro ou confuso também?" melhor frase. todo mundo deveria ser confuso em cima do muro até uns 20 anos, porque ninguém nasce sabendo a própria sexualidade e o fato de ter uma imposta ainda torna tudo mais confuso.

      E o problema é só a pessoa passar a vida inteira pensando que é confusa (e se sentindo mal e sem onde se encaixar por isso), enquanto o que ela é é normal.

      Muito obrigada pelo comentário <3

      Excluir
  2. Danaaaa! Nem acredito que você colocou meu nome nesse post <3<3<3.Você é muito linda!!!
    Antes de mais nada, muito obrigada de novo pela sua atenção e claro, amei o post. Era tudo o que eu precisava saber, essa questão dos homens bissexuais ficou na minha cabeça por um bom tempo, mas eu gostei do que você disse e concordo também.

    Eu particularmente defendo muito os direitos LGBT+ e dentro do meu curso (Relações Internacionais) eu tenho um amigo hétero e os outros são gays. Assim, quando estamos reunidos: eu e minhas outras amigas, juntamente com esses amigos gays conversamos mais abertamente e principalmente pelo nosso interesse em comum: homens. Porém, meu outro amigo hétero fica um pouco desconfortável quando falamos muito disso, pelo fato de não se identificar e também pelo o que você descreveu no ponto 2 do texto (adorei o "unicórnio cultural" hhahuahua). Eu vejo muito isso nos círculos que estou, ou seja, com esses amigos da faculdade, amigos antigos e família. Ah, família, tal assunto é mais complicado ainda, se eles não gostam que eu defenda os homossexuais, imagina os bissexuais?

    Fico feliz que esse seja um espaço pra me informar, refletir e discutir assuntos diversos, ainda mais esse que continua polêmico. No que concerne a última parte, também acho triste essa taxação existente de pessoas bi serem somente "as transgressoras", na minha opinião, as pessoas devem ser quem elas quiserem, como elas quiserem, sendo mais rebeldes ou não. Deus, cada um é cada um, apesar de que mandar um "fuck society" sempre é bom (Mr. Robot tá aí pra isso).

    Vlw Dana, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é claro que eu coloquei, ele foi uma resposta pra você <3

      e é uma coisa engraçada isso do amigo hétero ficar desconfortável, né? é essa apreensão eterna de que se correr o risco você "pareça ser" e isso é uma ~lgbtfobia~ internalizada. É como se eu ficasse apreensiva porque tão falando do meu lado de uma série que eu não conheço/não gosto. Não faz nem sentido.

      Também acho :( Acho que acabam sendo "transgressoras" porque a invisibilidade é tanta que a gente só vê quem se recusa a ser invisível.

      Excluir
  3. Então! Acho que é isso mesmo que ele sente, as vezes ele menospreza e faz certos comentários homofóbicos afff.... Acaba que eu nem falo sobre certas coisas com ele. Mas por que existe esse medo, desconfortabilidade né? Pra que esse empenho todo em se autoafirmar? Não sei o que é mais triste o fato de que um bissexual não pode ser santo e religioso ou o medo de virar gay por ouvir/ver demais. Daqui a pouco vão querer cura gay... Opa, pera....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. isso é homofobia internalizada. a pessoa sentir necessidade de autoafirmar é tipo querer negar e fugir. a melhor solução seria tentar mostrar isso pra ele :( mas nem todo mundo tem esse suporte, né? acho que só a presença de vocÊs ali existindo e conversando já muda muita coisa.

      Excluir
  4. E, por fim, estou aqui suahsaush
    MINA! (só pra zoar com o "Mano" :v)
    Esse post foi genial.
    Eu não tenho muito o que dizer, pq você acabou por formar opiniões que eu nem tinha ainda. Coisas que eu não me importava e acabei me importando.
    Esses seus textos me fizeram ver como eu estou fora dessa luta. Não só dessa, na verdade.
    Eu sou muito "no meu canto". Procuro mais a minha felicidade, do que a felicidade conjunta, dos anarquistas, dos bissexuais, dos homens, das mulheres, dos gays, dos pobres, etc.
    Uma coisa que eu tava querendo muito dizer é que eu entendi a sua insistência em dizer que bissexual não é gay misturado com hétero. Eu sempre me vi como algo parecido, mas não exatamente isso.
    Um bissexual ele é sim um heterossexual, como ele também é o homossexual. Mas não da forma que todos vêem essa frase.
    Um bissexual ele vai gostar do mesmo sexo, assim como vai gostar do sexo oposto.
    Um bissexual vai sofrer como um hétero, assim como vai sofrer como um homo.
    Um bissexual, principalmente, vai sofrer preconceito por heterossexuais E homossexuais.
    Acho que é por isso que homens bissexuais não se assumem assim.
    Uma coisa é você sofrer preconceito por ser gay, ou lésbica, e beijar pessoas do mesmo sexo que o seu.
    Outra coisa ainda é você sofrer preconceito por ser hétero (vamos ser sinceros: hoje em dia existe sim!), e beijar pessoas do sexo oposto ao seu.
    Agora, você sofrer preconceito e não ter apoio nenhum dos dois lados da moeda? Não é hipocrisia?
    Frequentemente ouço: "Mas homem bissexual existe? Ele pode se sentir atraído pelos dois sexos?"
    Acredite, já ouvi isso de garotas bissexuais.
    E eu digo: "SIM".
    (Respondi pra garota: "Claro, se você pode, porque eu não?" e.e)
    Eu digo que eu sinto atração por ambos (não por todo mundo).
    E claro, tenho minhas "preferências". Sem contar a forma com que eu lido com cada um dos sexos.
    Um garoto eu me sinto muito sexualmente atraído se ele for atlético, tiver uma "barriga definida". Frequentemente me pergunto se eu não sou é "fascinado pelo corpo".
    Uma garota eu olho seus cabelos, seu rosto. Olho a sua delicadeza. Olho a forma como ela se movimenta. O olhar.
    NÃO. Não quer dizer que eu não me interesse pelo corpo de uma garota, ou pelo olhar de um garoto. Mas o que me atrai mais em cada um são essas características.
    O maior problema, acho, para um homem se assumir bissexual são as garotas.
    Pelo menos, no meu caso, eu tenho certo receio, mas uma pressa incontrolável (por respeito) de contar a uma garota que sou bissexual. Principalmente se ela me atrai de alguma forma. Porque? Porque em 99,999999999999% das vezes, a garota te enxerga como gay.
    Uma "amiga" minha chegou a dizer uma vez, logo depois de eu me assumir a eles: "Bissexual, pra mim, é gay".
    Minha amiga era uma "nerd" completa. Mas é muito o tipo de garota que me atrai. Ela é bonita, principalmente de cabelos soltos e sem óculos. Com um vestido rodado de bolinhas ela seria uma das miss universo da minha vida.
    Isso me deixou extremamente chateado e eu remoo até hoje se devia ter contado. Ou pelo menos ter dado uma resposta do tipo "Sua opinião é diferente da minha sexualidade". Apesar de achar até melhor não ter respondido, assim não teria sido grosso, e visto com maus olhos.
    Até hoje tenho receio de me abrir (mais pra garotas, claro), e dizer que sou bissexual. Perder gente por causa de algo que eu poderia guardar pra mim (e que aliás, nem chega a ser "da conta" da pessoa), é bem triste pra mim.
    Agora eu vou parar, antes que eu exceda novamente suahsauhs
    Vou aproveitar e ver o vídeo, que ainda não vi (do garoto, que aliás, parece ser gato :b).
    Até mais. Sucesso. Feliz natal. Feliz ano novo. Uma vida feliz. É o que desejo a todos.
    Bjs.
    <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente o que passo. Garotas, na maioria, não aceitam garotos bi, então meio que não vale a pena contar. Ainda mais que sou traumatizado, pois eu contei para minha ex que eu era bi, aí ela terminou comigo :v e eu? continuei gostando dela por uns 2 anos... Me ferrei. E a parte do "duplo preconceito" tá certa também, acho. Conheci um cara hoje que é gay. Ele disse que bissexuais são, na maioria, enrustidos, confusos, putos, e slá mais o que, além de que não quer amizade comigo e com nenhum bi, simplesmente por ser bi (?). Eu e outro cara tentamos convenser ele que alguém GLBT não deveria reproduzir esse pensamento, mas não sei se vai adiantar muito. Sad. Enfim, humanos sempre querem compartilhar as coisas (e isso ajuda psicológicamente), mas é melhor esperar. E tipo, se por acaso mudar de classe/escola (exemplo), já falar pra eles logo de início. É bem mais fácil falar assim do que para pessoas que já te tem como hétero, sacou? :p

      Excluir
  5. Gente, como eu amei esse post. Parabéns, Dana!! \o

    ResponderExcluir
  6. Eu tenho 18 anos. Sempre soube que sou bissexual, mas faz pouco tempo que comecei a me aceitar. Por muito tempo tentei omitir e negar minha atração por homens, inclusive pra mim mesmo, e focar só nas mulheres. Há um ano estava namorando uma garota e depois de muito pensar resolvi contar a ela minha orientação sexual, porque achei que ela entenderia e não seria bifóbica. Estava enganado.
    Ela ficou extremamente zangada, falou que bissexualidade não existia, me chamou de gay enrustido e me acusou de usar ela pra parecer hétero e terminou o relacionamento comigo naquele mesmo dia. na outra semana quase todos os meus "amigos" estavam fofocando sobre minha orientação sexual, e o mais interessante é que nenhum deles comentava nada sobre bissexualidade propriamente dita. Todos espalhavam ou que eu era um homossexual enrustido ou um hétero confuso.
    Não me orgulho disso mas cheguei a pensar em suicídio por causa disso. Eu tinha internalizado muito preconceito e não me aceitava como bi. A primeira vez em que tentei juntar coragem pra dizer pra alguém que eu era bi (no caso minha agora namorada na época) fui humilhado logo por ela, que eu amava e que eu achava que me amava também, além de terem espalhado diversos boatos sobre mim e além de outros problemas pessoais que eu estava passando na época. Isso é muito preocupante, principalmente se agente levar em conta os altos índices de suicídio cometidos por bissexuais.
    Fiquei com medo de que esses boatos chegassem a minha família, que é extremamente preconceituosa e fiquei aliviado por ter mudado de cidade pra poder morar perto da universidade. Só agora, por morar longe da minha família, da minha ex-namorada e das pessoas que falavam mal de mim, é que tenho começado a aceitar e entender mais minha própria sexualidade. Fiz alguns novos amigos que sabem que eu sou bissexual, alguns deles inclusive são héteros, e eles nunca me trataram diferente por eu ser bi.
    Conheci vários garotos legais na universidade e fiquei com alguns deles, o que até então era uma novidade pra mim, que, até então só tinha ficado com meninas. Na Universidade que eu to estudando tem (pelo menos que eu saiba) várias pessoas gays e lésbicas assumidas, e algumas meninas bissexuais mas não conheço nenhum garoto bi assumido, além de mim. Algumas pessoas da minha sala me chamam de "faca de dois gumes" em um tom pejorativo e acham que eu não sei kkkkk. Eu não me importo muito com isso por que estou muito mais confortável com a minha bissexualidade do que eu era quando morava na minha cidade.
    Logico que não confortavel o suficiente pra contar pra meus pais (por enquanto só minha irmã mais nova e minha prima sabem) por que não tenho certeza se eles reagiriam bem - uma vez meu pai falou que não acreditava m bissexualidade e aí eu percebi que não poderia contar pra eles tão cedo . Mas pretendo contar quando me formar e tiver uma vida profissional e financeira relativamente estável.

    PS: foi mal pelo textão. é só que não é comum pra mim ver post na internet sobre bissexualidade, ainda mais a masculina, que é tão marginalizada e, muitas vezes, negada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, anônimo. Eu posso publicar o seu comentário como um post? acho que vai ser importante pra outros garotos (e garotas, por que não?) bissexuais.

      muito obrigada por compartilhar a sua história e fico feliz que você tenha encontrado um ambiente melhor. parabéns por ter lidado com isso tudo!!! você é incrível :)

      Excluir
    2. Oi, Dana. Eu adoraria. É muito importante que a bissexualidade seja discutida mais vezes, pois só assim ela fica mais visível. Eu queria dizer que eu sou muito grato a você. Seus posts sobre bissexualidade aqui no CC são ótimos e ajudam muito na luta contra o apagamento bissexual.

      Muito obrigado! :)

      Excluir
  7. Eu tenho 21 anos, estou em um processo difícil e confuso pra mim, tanto sobre minha sexualidade quanto sobre o resto da minha vida... aquela coisa de "ainda não sei o que fazer da minha vida" ou "que carreira vou seguir".
    Eu sinto atração por meninas, já até namorei uma, mas eu também sinto algo por meninos (acho q atraem um nível um pouco mais elevado) e é algo ainda confuso pra mim.
    Várias vezes me pego me questionando, mas eu sei que sinto algo pelos dois sexos.

    No início desse ano passei por uma situação traumática, fui fazer uma entrevista de emprego e o cara me entrevistou (que supostamente seria meu chefe) começou a investir em mim de forma grosseira e eu fiquei em choque não sabia como reagir, eu só queria sair de lá. Quando consegui eu fui pra casa contei para algumas pessoas da minha família o q aconteceu, chorei muito. Minha mãe e minha vó até chegaram a tocar no assunto sobre minha orientação sexual, eu me surpreendi e elas não ligam para a minha escolha pois elas vão me apoiar em qualquer decisão minha.
    Mas aquela situação que passei foi algo pesado pra mim, não imaginava alguma interação com o mesmo sexo daquela maneira e isso me deixou mais confuso ainda e entrava em conflito constantemente comigo mesmo.
    Acho que estou na fase de inicial de aceitação, mas não sei se irei conseguir me assumir abertamente as pessoas.

    Desculpe meu desabafo, nunca havia falado sobre isso com ninguém.

    Eu gostei muito do seu post,bjs!

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *