allosexual alosexual

O que é assexualidade?

22.10.15Conversa Cult

Na imagem: Uma mesa com um livro aberto sobre outro exemplar do mesmo livro fechado. No livro aberto nós vmos duas artes. A primeira é a página inteira roxa com uma faixa branca escrito "Pride" com uma caligrafia desenhada. Na segunda é ACE DAY escrito no mesmo tom de roxo sobreposto a imagem do crânico de algum animal (um galo?) com penas na cabeça nas cores roxa, branca, cinza e preta (bandeira assexual). Na parte visiível da capa do livro nós vemos uma mulher usando uma roupa preta grdada no corpo inteiro, a pele dela é cinza e ela segura cartas de baralho abertas sobre um olho. Ao lado dela o título "What you see - Art From The Asexual Community"

Mal conseguimos passar a semana da visibilidade bissexual aqui no CC e chegamos à semana da Visibilidade Assexual que é de 19-25 de outubro esse ano! Acabou que graças a ajuda das minhas amigas e a galera animada no twitter do @ConversaCult, nós vamos poder participar. Esse é o primeiro texto e vamos começar pelo... básico. -dana

Curiosidade: Uma vez a Bells já escreveu aqui sobre "Gray-A" e o espectro da assexualidade. Recomendo a leitura dos comentários!

O que é assexualidade?

Assexualidade é uma orientação sexual. Outras orientações - heterossexualidade, homossexualidade, bissexualidade, pansexualidade, etc - são caracterizadas pela atração sexual. Assexualidade é a falta da atração sexual. Assim como a sexualidade é um espectro, a assexualidade também é.

Assexualidade é diferente de celibato e abstinência - comportamento não define orientação. É diferente de líbido reduzido ou desejo de fazer sexo - atração é diferente de excitação. Não é o indicativo de alguma condição mental ou médica. A falta de atração sexual também não é relacionada a falta de atração romântica. Todo mundo, assexual ou alossexual, tem uma orientação romântica - eles podem ser panrromânticos, homorromânticos, arromânticos, birromânticos, heteromânticos, etc. Para a maioria dos alossexuais, suas orientações romântica e sexual se alinham.

obs1: Alossexual é quem não é assexual. Ou seja, quem sente atração sexual. 
obs2: sobre escolha de tradução: Em inglês é allosexual (L duplo), mas "allo" vem do grego "állos" (outro) e em português é usada a versão alo. Eu não encontrei muito a palavra sendo usada em textos em português.

POR QUE VISIBILIDADE ASSEXUAL E CONSCIENTIZAÇÃO É IMPORTANTE

Assexualidade não é tão conhecida quanto as outras orientações sexuais, por isso que a conscientização, educação e visibilidade é tão importante! Quando declarações como "todo mundo quer sexo", "sexualidade é saúde", e "um relacionamento sem sexo é apenas amizade" são feitos, assexuais são marginalizados e apagados. A suposição padrão é que todo mundo experiencia atração sexual e que todo mundo quer fazer sexo. E isso faz com que muitos assexuais se sintam alienados e quebrados, especialmente quando eles não conhecem sobre a assexualidade ou apenas tenham ouvido a palavra "assexual" usada de forma depreciativa.

A conscientização sobre assexualidade é importante para que pessoas estejam equipadas com o conhecimento e as ferramentas necessárias para descobrir sobre sua orientação e fazer decisões sobre se querem ou não ter relações sexuais. É importante que essas pessoas entendam que seus sentimentos em relação ao sexo e relações íntimas são válidas e não algo que precisa ser consertado. É importante que essas pessoas entendam que não estão sozinhas.


RECURSOS PARA SABER MAIS

Asexual Education

obs: é comum se referir aos assexuais como "ace" e aos arromânticos como "aro" - então se você ver alguém falando disso, você já sabe.

A imagem na capa é de um livro de arte da comunidade assexual, que você pode encontrar aqui!


Eu troquei a definição de Alosexual no texto pra facilitar, mas a anterior era:
Alosexual* é quem sente atração sexual, ou seja, heterossexual, homossexual, bissexual e pansexual. (definição com ajuda da Jully Annye no twitter)

TAGS: , , , , , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

6 comentários

  1. Eu tinha escrito um comentário enorme e lindo e todo trabalhado numa linha de raciocínio milagrosamente clara e aí quando apertei enviar A BATERIA DO CELULAR ACABOU! Eu gritei até palavrão na hora e minha colega de apartamento achou que eu tinha quebrado algo, me machucado, etc.
    Mas enfim, bora lá tentar fazer outra obra prima em forma de comentário. Ou não. Provavelmente não vou conseguir. Mas ok.
    Fiquei bem feliz quando vi que vocês iam falar da semana de visibilidade assexual, ainda mais porque pensei em sugerir o tema com vocês, mas acabei me esquecendo e me senti culpada depois.
    Anyway, minha história com a assexualidade começou há poucos dias quando achei uma vlogger francesa super legal falando sobre isso no YouTube e comecei a pesquisar mais depois do vídeo.
    Não sei como nunca tive contato com o texto da Bells aqui, mas li agorinha e gostei? Amei? Achei tudo? SIM! Uma das coisas que mais me chamou atenção foi a questão da "classificação" e como isso "desumaniza" as pessoas. Eu super concordo! Na verdade, isso é o que mais me incomoda nas minhas pesquisas sobre a assexualidade. "Ah, eu sou ace demiromantico", "eu sou ace aro" etc, etc. É esse o meu maior problema. Eu não sei se sou assexual e/ou arromantica em qualquer um dos espectros, e todos se classificarem como se estivessem com etiquetas só dificulta a minha busca, me deixa desconfortável.
    Ao mesmo tempo, como a infj que sou, também entendo isso de querer se caracterizar dessas formas específicas.
    Eu reconheço e sei muito bem que todas as formas de sexualidade que fogem da heterossexualidade sofrem preconceitos de vaias formas, mas, não sei, nao achei que houvesse tantos problemas em relação aos ace/aro. Mas há. Muitos.
    Eu percebi isso enquanto conversava com uma amiga, para quem eu nunca disse nada sobre assexualidade. Ela me perguntou se, por conta dessa minha "opção" de não querer me casar e não estar nem aí pra namoro, eu não tenho medo de ficar sozinha tanto romântico como sexualmente. Quando eu respondi que não ela disse que é porque eu nunca encontrei um cara que me fizesse mudar de ideia, que quando eu me apaixonasse eu ia pensar melhor. Existe essa possibilidade? Existe. Mas se eu não me apaixonar? Se eu não sentir vontade de ficar com alguém (em todos os sentidos)? Pra ela, isso é um problema, eu deveria procurar ajuda para aprender a me entregar e confiar nas pessoas nesse sentido.
    Percebi que o pensamento dela é igual ao de praticamente todos a minha volta e isso dificulta ainda mais a se aceitar porque o tempo todo você acha que tem um problema, que deve melhorar, fazer algo que você não quer só para buscar o "certo." Não é atoa que muitos buscam tantas classificações. Não é atoa que muitos buscam se identificar como algo só para amenizar o sentimento de ser o estranho no ninho.
    Por essas e outras é que adorei saber da semana de visibilidade ace e ver vocês engajados nisso. Me deu conforto.
    Que venham mais textos!
    Até.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NOSSA, EU SINTO O DRAMA. JÁ ACONTECEU COMIGO E NOSSA SENHORA: NÃO
      EU ESTOU APENAS MUITO FELIZ QUE VOCÊ ESCREVEU MESMO ASSIM

      Você tem esse vídeo do youtube? A classificação desumaniza as pessoas, mas acho que ao mesmo tempo também nos ajuda a entender parte da nossa humanidade??? Acho que o problema é que quando a gente acha que precisa se limitar a uma classificação. De qualquer forma, adorei saber como você sente e se puder falar mais sobre isso, também queria saber. Tipo, como assim desconfortável? Por que alguém dizer que é ace demiromântico te faz mal? (e eu posso usar esse trecho se vir ao caso num texto futuro?)

      Eu não sei se você precisa entender o que você é, mas quando você entende essas etiquetas você pode refletir sobre quem você pode ser. Na vida real, quando você para pra refletir sobre si mesmo e o mundo, não é nem tão simples quanto isso. Mas ao mesmo tempo, como o Allan falou aqui outro dia, pode ser vivido de forma simples. Como você está agora? Você está bem? Você está confortável? Vai em frente.

      Os seus 2 últimos parágrafos são maravilhosos. Eles refletem todo o problema da nossa cultura. As suposições sobre o que é o "certo" e a forma como isso é imposto nos faz duvidar de nós mesmos. Nos faz tentar ser quem nós não somos. E é uma merda, porque não é algo simples, tipo "ah, é, eu não sou isso. haha vou me sentir bem e mudar". É mais, eu acho, estar sozinho no deserto sem saber nada.

      Será que o que eu to sentindo é mesmo errado? Será que eu posso ser assim? Será que eu não tô me confundindo? Será que eu deveria fazer diferente?

      E é um sentimento desolador.

      Uma vez eu tava num jantar de família, no restaurante, todo mundo de boa vivendo e se divertindo - eu não. Era um pouco como se eu não conseguisse me conectar. Eu não conseguia me imaginar tendo nenhuma daquelas vidas. Fazendo aquelas coisas. E o fato de não ver nenhum exemplo de alguém como eu me fez duvidar se existia alternativa. Voltei pra casa me sentindo mal e sufocada.

      Foi um momento que não tem nada a ver com ser assexual, mas acho que a nossa cultura e as pessoas ao nosso redor têm esse efeito na gente.

      E eu to meio cansada agora, porque tô o dia inteiro escrevendo e a exaustão chegou. Acho que viajei aqui na resposta, mas gostei muito do seu comentário e estou feliz de você ter compartilhado isso. Eu queria poder espalhar por aí. :)

      Excluir
    2. Ok, antes de tudo, sobre o vídeo no Youtube: é de um canal chamado Antastesia. Eu acho que é esse https://youtu.be/NQwqJpoF2Xg mas não estou 100% certa porque a Emy, a dona do canal, fez mais vídeos falando sobre assexualidade e contando inclusive sobre experiências pessoais dela nesse aspecto.
      O que quis dizer como "desconfortável" foi, aimeudeus não sei se consigo explicar, mas é que todos se classificarem dessa forma, tão decidida, me causa a impressão de que eu preciso saber exatamente qual minha sexualidade, que eu preciso me etiquetar pra entender tudo isso, que é uma obrigação. Sei que não é, sei que ninguém prega isso, mas eu me sinto como se precisasse saber e, como eu disse, é desconfortável. Mas também é bobagem minha.
      Sobre você puder usar algo do comentário em textos futuros fique super à vontade. Ah e isso que você escreveu de "As suposições sobre o que é o "certo" e a forma como isso é imposto nos faz duvidar de nós mesmos. Nos faz tentar ser quem nós não somos." É GENIAL! Vou anotar no meu caderninho pra nunca esquecer.
      Eu super entendo isso que você disse sobre o jantar de família, ainda mais porque passo por isso frequentemente e essa sensação não se aplica apenas a questão assexualidade, como você disse, tem tudo a ver com nossas escolhas pra vida e elas serem diferentes e você se sentir "abandonada" por não haver nenhum exemplo do que você no qual se espelhar.
      Fico muito feliz por você tenha gostado do meu comentário e por eu ter contribuído de alguma forma. Foi bom pra mim poder falar sobre isso porque nunca verbalizei sobre esse assunto com ninguém, nem comigo mesma. Colocar em palavras, mesmo que de forma confusa, foi um tanto quanto esclarecedor.
      Te perdoo pela exaustão porque estou praticamente na mesma, então nem sei se respondi sua resposta (?) direito.
      Anyway, bom descanso e boa semana pra ti

      Excluir
    3. Nossa, esse cabelo verde dela com os olhos verdes e tudo nela tá incrível nesse vídeo. HAUHAUHAUHAUHA (eu precisava comentar) Obrigada por compartilhar. <3

      Não, não é bobagem sua. Você tem o direito de se sentir assim. E, na verdade, acho que essa é a grande questão. A cultura ao nosso redor mesmo que não seja uma pessoa pregando e te obrigando diretamente, ela existe, sim, como uma forma de opressão. Acho que de certo modo todos nós queremos ser reconhecidos por quem nós somos - e se não há ninguém como você, se as pessoas se recusam a ver quem você é porque não entendem, isso nos faz mal. Talvez a gente fique tentando nos traduzir de forma que as pessoas entendam, mas às vezes isso se transforma em se esforçar pra ser quem não é. (ok, essa parte foi uma viajada, mas eu quis ver onde eu tava indo com esse pensamento)

      A questão é que isso é real e eu gostei de ver você falando sobre isso, porque ultimamente eu tenho aprendido a ver a importância dessas classificações e acho que tava esquecendo um pouco como pode ser opressiva.

      Eu não sei como lidar com o seu desconforto :( minha sugestão seria pesquisar sobre, porque deve ter alguém que se sente da mesma forma. mas acho que você já fez isso, né? escrever também é uma sugestão. pode ter mais pessoas como você que não falam nada, porque elas estão sendo oprimidas da mesma forma. eu acho interessante como na semana assexual surgiu muuuito mais gente do que na semana bissexual. é porque tem mais ace do que bi? eu não acho, mas acho que estamos em um ambiente tóxico pra bissexualidade. enfim. conversar talvez também ajude :)

      Se você quiser conversar mais sobre isso, eu tô aqui! (ou em qualquer rede social. menos fb, de preferência HUAHUAH) eu gostaria bastante.

      uma boa semana pra você também.

      Excluir
  2. Não entendi, alossexual são pessoas que sentem atração independente da orientação?
    Por exemplo, posso ser um Alossexual com orientação bissexual. É isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alossexual é quem não é assexual. Ou seja, quem sente atração sexual.

      Bissexualidade é uma orientação sexual alossexual (marcada pela atração sexual). Faz sentido?

      É tipo grupos.
      Grupo dos que sentem atração sexual. - Alosexual
      Grupo dos que não sentem. - Assexual

      Você também tem divisão de grupo em relação a quantidade de gêneros que sente atraído, tipo
      Grupo dos que sentem atração por um gênero só - Monossexuais (hétero, homo)
      Grupo dos que sentem atração por mais de um gênero - Polisexual (pan, bi, podem ser assexuais...)

      obs: quando eu pesquisei eu vi que alossexual às vezes também é usado pra pessoas que sentem atração sexual diferente da atração romântica. (mas acho que não é tão usado assim)

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *