CCAnálise CCSociedade

A sombra por trás de cada Dia dos Pais

9.8.15Isabelle Fernandes


Todo ano é a mesma coisa. Chegam as datas comemorativas consideradas mais importantes pelo comércio povo e logo tudo começa a girar em torno delas: o Dia das Mães e o Dia dos Pais. Felizmente a primeira agora só no ano que vem, mas o Dia dos Pais está aí agora, nos bombardeando com comerciais e matérias nos jornais do tipo "Já escolheu o que vai dar de presente para o seu pai?". Tenho meus motivos pessoais pra não gostar e essa semana comecei a refletir sobre o que é considerado papel de pai e de mãe, e o quanto os homens realmente participam da vida dos filhos.

Minhas conclusões não foram lá muito boas.

Pra início de conversa, parece que a sociedade acredita que pai e mãe são duas entidades completamente diferentes, com funções diferentes. A mãe é a acolhedora, a batalhadora, aquela que dá afeto e que cuida do filho, já o pai é a figura de autoridade, aquele que distribui as broncas e os castigos, sempre sisudo ou então muito atrapalhado e perdido, que não sabe como conversar com os filhos. Isso inclusive é muito reforçado pelos filmes, novelas e etc, onde o pai é ausente, rígido ou bobão. Sempre uma das três coisas, ou às vezes duas ou todas combinadas em um único personagem.

Como se espera que um homem trate os filhos

O pior é que isso reflete a realidade de muita, mas muita gente pelo país a fora. Em muitas famílias o pai ou foi embora, ou ele continua por lá, mas apenas sustentando a família tendo pouco vínculo emocional com os filhos ou até mesmo o pai é desconhecido. Esse último é tão comum que há uma campanha do governo para o o reconhecimento de paternidade, para que as mães possam colocar o nome do pai na certidão dos filhos, onde esse campo está em branco. Sinceramente não sei o que é pior: conhecer o pai, mas não ter laços com ele por qualquer razão que seja ou não conhecer e nunca saber de metade da sua origem. Porque paternidade/maternidade é isso né. Metade de cada um originou você, o que significa que eles são importantes demais na vida de uma pessoa.

Por causa disso, o pai normalmente é meio que eclipsado. Vocês já perceberam que o Dia das Mães tem uma ênfase muito maior da mídia e um maior engajamento da sociedade do que o Dia dos Pais? Tanto que a frase mais repetida por aí nos dois ambientes é "Mãe só tem uma". E é uma frase bem idiota por sinal, porque pai também só tem um. Apenas um espermatozoide entra em cada óvulo durante a fecundação, só pra deixar claro. Mas isso mostra o quanto as mães, ou seja, as mulheres, precisam se reafirmar. Elas é que tem que dar conta de tudo sozinhas e ao invés de tentar pensar no porquê de verdade (já que "homem é assim mesmo", "é da natureza da mulher" não valem), é mais fácil e também muito melhor diante da sociedade atribuir isso à incrível capacidade feminina de se doar para suas adoradas crias.


Acho que vocês já devem ter percebido aonde quero chegar. É aquela palavrinha básica, que aparece em qualquer texto de temática feminista, que está na boca daquelas que lutam contra os séculos de opressão feminina, o inimigo a ser combatido. Isso mesmo meus amigos, é o PATRIARCADO!! É ele, gente. A culpa é toda dele por isso. É verdade que na época primitiva, quando morávamos nas cavernas e vivíamos como nômades, os homens eram responsáveis por proteger sua família e prover alimento e abrigo para ela, enquanto a mulher cuidada da prole. Tá. Mas isso foi há milhares de anos, e esse sistema ainda impera na nossa sociedade do século VINTE E UM, de forma adaptada os humanos que somos agora, claro. Acho até que está pior, porque pelo menos naquela época os homens ficavam por perto pra ajudar qqq.

Só que agora isso não é mais preciso. Homens e mulheres são igualmente capazes de se prover, mesmo ainda tendo as diferenças biológicas, porque nossa sociedade é na base do capitalismo, não nas lei do mais forte da natureza. O que importa não é mais a força, é o poder aquisitivo e o conhecimento. Homens e mulheres são igualmente capazes de serem lógicos e afetuosos e sabe, uma coisa não excluí a outra. Você pode ser uma pessoa extremamente lógica e racional, mas ter tantas emoções quanto qualquer outra, ao mesmo tempo em que uma pessoa extremamente emocional tem seus momentos racionais. Não existe apenas preto e branco, uma coisa ou outra.

Daí um cara chora ao ouvir a música Porque Homem Não Chora e vira meme.
POR QUE DIABOS ISSO SERIA TÃO FANTÁSTICO? DE ONDE TIRARAM
ISSO QUE HOMEM NÃO CHORA MINHA GENTE??

O que isso tudo significa? Significa que homens são perfeitamente capazes de cuidar dos seus filhos. Homens são capazes de dar banho, trocar fralda, cuidar das febres, olhar o caderno da escola, dar colo, dar as broncas, enfim, tudo o que uma mãe faz. Essas coisas não estão impressas no DNA de gênero algum, elas são aprendidas. Não é à toa que a frase mais dita por quem tem filhos é "Não existe manual de instrução". Mas como o homem vai aprender, se é dito a ele desde cedo que isso é algo inerente às mulheres? Se o exemplo deles é do próprio pai que se mantia distante da maior parte do cuidado com os filhos? Se as mães, que além de terem aprendido também que homens não são capazes de fazer essas coisas,  ainda viram péssimos exemplos de pais (até os delas mesmas) e acabam os afastando ("Você tá fazendo tudo errado, deixa que eu faço")?

É uma bola de neve. Homens e mulheres aprendem desde cedo, seja porque ouvem as mães falarem, seja porque veem exemplos no seu ambiente, que homens não servem para o cuidado com os filhos (isso também se encaixa para a questão das tarefas domésticas) e acabam repetindo a suas próprias histórias. Mais pais abandonando o barco. Mais pais sem vínculo emocional, sem intimidade com os filhos. Isso porque eu nem entrei no grande problema que é a gravidez acidental, quando a culpa cai toda na mulher e o homem dá tchau. Mais certidões com o nome do pai em branco.

A solução está em nós. Todos nós, tanto da equipe do CC quanto vocês leitores poderemos ser pais e mães um dia. Vai caber a nós tentar parar essa bola de neve e aplicar nas nossas vidas a ideia de que as palavras "pai" e "mãe" só se aplicam à diferenciação de gênero, e que o significado das duas é o mesmo: dar afeto, cuidado, disciplina. Transformar aquele bebê que nem sabe o que aquela sensação horrível é fome em um ser humano saudável e ativo no mundo.

Os pais são capazes disso.

TAGS: , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

2 comentários

  1. "Tenho meus motivos pessoais pra não gostar [da data]"
    acho q esse ano vai ficar marcado na minha vida: meu pai simplesmente foi viajar neste final de semana e me deixou home alone. td bem que ele nunca almoçou comigo na data ou fez qualquer coisa que lembrasse 'passar um tempo juntos' (nem na data nem nas outras datas comemorativas nem no resto do ano), mas 2015 ganhou o trofeu de maior desprezo. e eu senti. ja tentei comprar uns ~presentes uns anos ai pra data nao passar em branco, mas obtive o mesmo resultado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É tenso tentar fazer um movimento de reconhecimento quando a pessoa que recebe parece estar cagando. Eu realmente não sei o que te dizer, porque não dá pra falar simplesmente "ah, deixa pra lá". Isso machuca. Então eu digo que você não é o único nessa situação, muitos pais são assim, infelizmente.

      O único jeito é fazer a mudança a partir de nós.

      Excluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *