Aline Valek CCSociedade

Ser Homem Branco Hétero é jogar no easy

19.4.15Colaboradores ConversaCult


Trazendo para o CC um texto que a Aline Valek mandou na newsletter Bobagens Imperdíveis, porque é algo que todo mundo deveria ler. - dana

Há alguns anos eu conheci o melhor texto que explica o que é privilégio – e é claro que tinha que envolver metáfora com vídeo-game. O texto se chama “Straight White Male: The Lowest Difficulty Setting There Is” e foi escrito por John Scalzi. Se você ainda não conhece, vale a pena; por isso resolvi fazer uma tradução livre, que segue abaixo – mas o texto original você pode ler aqui.


***


Tenho pensado numa maneira de explicar aos homens brancos e héteros como a vida funciona para eles, sem invocar a palavra “privilégio”, a qual eles tendem a reagir feito vampiros sendo alimentados com uma torta de alho ao meio-dia.

Não é que a palavra “privilégio” seja incorreta, é só que não é a palavra deles. Quando confrontados com “privilégio”, eles perdem tempo com a palavra em si e arrumam todos os jeitos possíveis para falar da palavra, em vez daquilo que ela significa.

Então o desafio: como chegar às ideias ligadas à palavra “privilégio” de um jeito que o homem branco hétero possa entender sem surtar sobre isso?

Sendo um cara branco que curte mulheres, eis aqui o que eu faria.

Caras. Imagine que a vida aqui no Brasil – ou em praticamente qualquer lugar do mundo ocidental – seja um grande RPG, tipo um World of Warcraft, só que terrivelmente mundano, onde a maioria das aventuras envolve a aquisição de dinheiro, celulares e mistos-quente, embora não ao mesmo tempo.

Vamos chamar de “Mundo Real”. Beleza, você instalou Mundo Real no seu computador e está prestes a começar o jogo, mas primeiro você vai na aba de configurações fazer os ajustes básicos e escolher a dificuldade para o jogo. Sacou?

Certo: nesse RPG chamado Mundo Real, “Homem Branco Hétero” é a dificuldade mais baixa que há.

Isso significa que os comportamentos padrão para quase todos os personagens não-jogadores [NT: NPC’s para os íntimos] são mais fáceis do que se você fosse qualquer outra coisa. Os obstáculos para você completar as missões são mais fáceis. Você consegue subir de nível mais rápido. Você automaticamente ganha acesso a partes do mapa que os outros têm que conquistar. O jogo é mais fácil de jogar, automaticamente, e quando você precisa de alguma ajuda, por padrão é mais fácil conseguir.

Agora, uma vez que você seleciona a dificuldade “Homem Branco Hétero”, você ainda tem que criar o personagem, e quantos pontos iniciais você tem –e como eles são distribuídos – fazem a diferença.

Se você começa com 25 pontos e seu atributo menos desenvolvido é riqueza, bem, você está meio que fodido. Se você começa com 250 pontos e seu atributo menos desenvolvido é carisma, bem, então você vai ficar de boa. Lembre-se que o computador torna difícil começar com mais de 30 pontos; pessoas em dificuldades mais altas geralmente começam com menos do que isso.

À medida em que o jogo avança, seu objetivo é ganhar pontos, distribuí-los sabiamente e subir de nível. Se você começa com menos pontos e poucos deles em atributos importantes, ou escolhe mal as habilidades que vai desenvolver, então o jogo será difícil. Mas porque você está jogando na dificuldade “Homem Branco Hétero”, ganhar pontos e subir de nível será mais fácil do que para qualquer outro jogador em uma dificuldade mais alta.

Certamente é possível que alguém jogando em uma dificuldade mais alta esteja progredindo mais rápido que você, ou por ter começado com mais pontos, ou por seus principais atributos serem riqueza, inteligência e resistência, ou porque simplesmente joguem melhor que você.

Isso não muda o fato de que você ainda está jogando na dificuldade mais baixa.

Você pode perder o jogo mesmo no “easy”. Mas a dificuldade mais baixa ainda é a configuração mais fácil para ganhar. A pessoa que joga na dificuldade “Mulher Negra Lésbica”? Hardcore.

Talvez seja aqui que você diz, ei, eu gosto de um desafio, eu quero mudar minha dificuldade! Bem, aí é que está: em “Mundo Real”, você não desbloqueia nenhuma recompensa ou recebe algum benefício especial por jogar nas dificuldades mais altas. O jogo é simplesmente mais difícil, e potencialmente muito menos divertido.

E você diz, ok, mas e se eu quiser jogar de novo numa dificuldade mais alta, só pra ver de qual é? Ah, aí está outra coisa sobre Mundo Real: você só pode jogar uma vez. Então por que tornar mais difícil do que tem que ser? Seu objetivo é ganhar, não dificultar.

Mais uma coisinha. Lembra quando eu disse que você poderia escolher sua dificuldade em Mundo Real? Bem, eu menti. Na verdade, o computador escolhe por você. Você não tem escolha; você apenas recebe o que é lhe dado no início do jogo, e simplesmente tem que lidar com isso.

Então isso é “Homem Branco Hétero” pra você em Mundo Real (e também no mundo real): a dificuldade mais baixa que há. Sendo tudo igual, e mesmo quando as coisas não são, se o computador – ou a vida – marcar você com a dificuldade “Homem Branco Hétero”, aí mermão, você pegou um desconto.

TAGS: , , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

1 comentários

  1. Verdade. Com isso tudo fica mais fácil. Com certeza os fatores mais determinantes. Mesmo se a pessoa é pobre, com problemas de saúde e família disfuncional.

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *