CCAnálise CCSéries

Asami e Korra ao longo das temporadas

23.12.14Conversa Cult


Esse é um texto que eu fiz mais pra mim, porque eu quis repensar o relacionamento delas e como é que isso terminou do jeito que terminou. Essa é a quarta análise que eu escrevo sobre o final (outra que analisa por que esse final faz sentido para a história do Avatar está aqui e os outros ainda não sei se vou publicar). O objetivo é pensar da perspectiva pessoal - faz sentido essas duas pessoas se apaixonarem?

Eu estou começando a achar que parte do meu cérebro funciona só pensando em The Legend of Korra e é por isso que ontem quando eu fui dormir... finalmente a relação korrasami fez sentido para mim. Por mais que eu esteja muito feliz com esse fim, acho que passei tanto tempo ignorando a possibilidade disso ser canon para não me iludir, que eu ignorei como isso aconteceria. Quer dizer, eu posso ver as provas, como eles construíram uma maior aproximação da Korra com a Asami em relação ao Mako (e qualquer um), os abraços, os gestos de carinho... Mas faltava um pouco ver como internamente nos personagens faria sentido esse sentimento se desenvolver. 

Até ontem, eu estava tipo: 


Tudo bem, isso é mentira. É claro que eu senti 329832 coisas assistindo, eu não sabia se ficava feliz e chorava (o que aconteceu: caindo aos pedaços por causa do final e explodindo de felicidade). Mas...

Meu cérebro desde que a série acabou começou a completar a história com fanfics mentais - a transformação da Kuvira naqueles três, Jinora sendo incrível, Asami e Korra indo para o Spirit World... mas por mais que eu soubesse que korrasami era canon, não tava rolando. Elas flertavam, continuavam nesses momentos proximidade, mas não iam além. E quando elas foram montar a barraca e eu descobri o quão incrível deveria ser desenvolver produtos no mundo de Avatar, tipo, porque você tem os poderes de manipular os elementos e você pode criar produtos específicos para isso. Por exemplo, uma estrutura de barraca condensada que para um dobrador de ar é só jogar um arzinho que ela se arma sozinha. Então, como você pode ver, eu acabava indo parar em outra coisa.

Inserindo aqui de última hora algo que eu li o Bryan dizer e resume completamente:

"That’s how writing works the vast majority of the time. You give these characters life and then they tell you what they want to do."

Na minha mente, Asami e Korra gostavam uma da outra, mas algo estava impedindo elas de darem o grande beijo final ou algo assim na minha fanfic mental. Algo sobre a relação delas estava faltando. Até ontem. 

Elas não são como um romance qualquer de pessoas que se encontram e se apaixonam e é simples. Vem cá, me beija. É mais algo que foi crescendo com o tempo conforme as personagens se transformavam e se aproximavam. Pra mim, aquela música da finale é a definição do romance delas.

Agora como eu cheguei à essa conclusão:

Eu acabei vendo uns trechos dos primeiros episódios. Naquele momento da história, eu não consigo não ser a favor de Makorra. Eles têm uma relação energética, que dá vontade de pegar os dois a força E MANDAR SE BEIJAREM LOGO. E isso acontece. Eu gosto como a relação deles é simples - aquela declaração épica da Korra de EU ACHO QUE FOMOS FEITOS UM PARA O OUTRO E DEVERÍAMOS FICAR JUNTOS PARA SEMPRE. Logo depois ela percebe que o Mako também gosta dela, então ela não tem o que perder e vai em frente. Ela não tenta se enganar e não deixa ele se enganar sobre o fato de que um gosta do outro. Você não tem como negar que está rolando algo ali com todos aqueles olhares e explosões raivosas.

Enquanto isso, a relação do Mako com a Asami continua firme e forte. E por firme e forte eu digo, abracinhos, beijinhos, esfregando o nariz... Pra ser sincera, essa é uma relação no início bem superficial. Duas pessoas super atraentes se esbarram e começam a sair juntas. Mako quer sair com a garota bonita, rica e inteligente que gosta dele, mas também começa a nutrir sentimentos por sua companheira de equipe esquentadinha. Asami... não sei, ela parece uma garota sozinha que encontrou um cara bonitão para se divertir, mas acaba ganhando uma família (e o fato de que o Mako é um cara legal que quer fazer o certo e se importa com ela, não um idiota que quer aproveitar só de sua beleza e fortuna). 

Então como saímos disso para o ponto em que Korra e Asami se transformam em um casal?

Vamos começar pela relação delas no início dessa temporada. Muita gente fala que a série perde muito tempo dando atenção ao romance nesse início e passa mesmo, mas acho que é um padrão de The Legend of Korra focar em conflitos mais pessoais do que a história do Aang. Ele desenvolve muito a relação entre família e entre amigos. E eu gosto muito porque a proposta do Avatar é buscar o equilíbrio e essa abordagem mostra como, a um nível pessoal, não adianta você tentar salvar o mundo se você não lidar com o desequilíbrio dentro da própria vida. Voltando ao romance... 

Esse triângulo amoroso Korra-Mako-Asami é super importante, porque ele quebra dois tropes: o da competição por alguém e a briga entre mulheres. Por mais que Asami e Korra gostem da mesma pessoa, elas não brigam. Pelo contrário, desde o início Asami é super inclusiva com todos os amigos do Mako e sempre está elogiando a Korra. Já a Korra, ela se vê ameaçada pela presença de Asami, mas a série desenvolve isso de uma maneira muito legal. Você consegue ver que é ciúmes de chegar uma garota linda elegante (e mais os 50 adjetivos que a Korra dá pra Asami) que "rouba" os seus amigos, consegue salvar sua equipe de Pro-Bending de um jeito que ela não é capaz ($$$), tem uma casa incrível para acolher Mako e Bolin e em um piscar de olhos consegue ficar com o garoto que ela gosta. Essa primeira temporada desconstrói a segurança daquela garotinha que grita DEAL WITH IT, I'M THE AVATAR e a presença de Asami cutuca isso. Mas só por 1 ou 2 episódios, porque logo em seguida Korra vai visitar Asami e é levada para passear em uma pista de corrida, onde admite que tinha entendido mal a Asami e elas se entendem. 

Elas gostam tanto da companhia uma da outra que o Mako praticamente precisa atestar sua dominação sobre Asami.



Então, é claro, a trama se aproveita da nossa mentalidade que já espera uma briga entre as duas e faz Korra descobrir que o pai de Asami está envolvido com os vilões. O pai é o maior ponto fraco de Asami, nas quatro temporadas, e é claro que isso causa uma guerra. O Mako babaca ainda acha que tudo o que a Korra faz é pra chamar atenção dele. É uma história bem legal, uh? Eles se aproveitam do romance para quebrar a credibilidade da Korra, enquanto nós sabemos que ela está certa.

Deixando isso de lado, o que importa é que apesar de haver essa insegurança inicial e o rápido conflito de credibilidade (logo em seguida é revelado que Korra está certa), as duas gostaram uma da outra. Asami sempre foi aberta e está sempre incentivando Korra, dizendo o quanto ela é incrível e que gosta dela. Korra precisou dar uma volta com Asami para ficar encantada por seu charme, mas também gostou dela. Korra (e Tenzin) dá apoio depois que o pai da Asami é preso, Asami não pensa duas vezes em entrar no team avatar e usar seus recursos para ajudar Korra a vencer Amon. (isso mesmo depois de Ikki revelar para Asami que Korra gostava de Mako)

Sinto vontade de reafirmar isso: o romance nunca foi causa de qualquer inimizade entre elas. Pelo breve período de conflito foi 1) insegurança da Korra diante de uma pessoa tão incrível e depois 2) Asami acreditar tanto no pai que achou que Korra estava armando pra ela. Tudo isso foi resolvido bem rápido e uma relação de amizade e incentivo, principalmente por parte da Asami, foi o que ficou. 

Na segunda temporada, Makorra está firme e forte enquanto Asami segue o próprio caminho lidando com sua empresa. Se elas estão algo, é ok. Mas nessa temporada Korra se afasta bastante do team avatar, termina com o Mako, perde a memória, perde a conexão com os que vieram antes, perde a conexão com Raava, perde a Jinora... 

Já Mako com Asami acabam retornando. Mais ou menos. Eu sinto muita pena na relação da Asami com o Mako, porque ela é sempre mais abandonada. Aqui nós temos uma progressão porque nós vemos que o Mako realmente se importa com ela, ele quer que ela fique bem e vai lutar por isso. Já Asami completamente sozinha no mundo (e sem nada! ela acabou de perder sua indústria) acaba se entregando aos encantos de seu ex-namorado e única pessoa que tá ali lutando por ela. 

Bem, isso até que Korra retorna sem memória e ele fica com ela também bem na frente da Asami. Segunda vez, Mako. Segunda vez.

Mas no fim da história... novamente, a história influencia na relação amorosa dos personagens. Não sei você, mas eu estava cansada de Makorra no fim da segunda temporada e aquela cena final onde a Korra diz que se lembrou que eles tinham terminado você vê que ela está cansada também. Não é um fim na relação deles, é mais um "é tanta confusão e eu tenho tanta coisa a fazer, não quero isso na minha vida agora". E é verdade. Se perder as dobras e ficar na caixa de metal na primeira temporada já foi ruim, perder a conexão com o passado, causar uma guerra mundial, quase perder o espírito Avatar e reabrir a conexão entre os dois mundos alterando o mundo para sempre... é coisa demais. Korra está mais frágil do que nunca. (coitada, nem sabe o que está por vir) A última coisa que ela precisa é ter uma relação baseada na força.

Já Asami, ela se recupera, mas... continua sozinha. A não ser por toda a conexão que ela tem com o resto do team Avatar (e a versão team Avatar expandida com Tenzin, Lin e etc)

Logo no início do livro 3 começam as bases para a nova relação entre as duas. Korra enfrenta e imprensa e é Asami quem está lá para dar suporte, depois as duas vão juntas para a Air Temple Island onde Asami pergunta por Mako, Bolin explica que ele está "focando no trabalho". Na verdade, é mais porque ele percebeu como só tem feito merda com as duas e está tentando se manter afastado para não fazer mais, isso fica claro em como ele olha para elas sem jeito antes de sair correndo. 

Por outro lado, isso deixa as duas sozinhas para resolverem as coisas e elas decidem encontrar os novos airbenders antes dele. É aí que a Asami tem a brilhante ideia de deixar o Avatar dirigir um carro, o mesmo momento em que elas decidem conversar sobre o que aconteceu. Uma sacaneia a outra pelo fato de terem ficado com o Mako enquanto ele tava com a outra. É uma discussão legal sobre o fato delas não terem deixado o Mako estragar a amizade delas e Korra revela que nunca teve uma amiga para conversar antes. É um momento sincero, em que elas se aproximam de verdade e é uma conexão que só vai ser desenvolvida ao longo da temporada. (em compensação, o Mako só consegue superar e ter essa conversa sincera com a Korra no final da 4ª temporada)

Esse início é muito legal porque separa relação amorosa da amizade. Todo mundo está feliz em só ficar junto um do outro salvando o mundo.

Nessa temporada temos muito o desenvolvimento da amizade, principalmente da Asami e da Korra porque até essa temporada elas não tiveram tanto tempo sozinhas para resolver as coisas.

Uma mudança na relação delas acontece no fim: Asami está ali para Korra quando ela não tem mais capacidade de agir por si mesma. Enquanto ela arruma Korra para a cerimônia da Jinora, Asami diz que está disposta a fazer qualquer coisa para Korra ficar bem. Não que antes ela não fosse fazer isso, ou que todos os outros amigos não fossem fazer isso, mas o momento das duas revela não só que Asami está sofrendo também por ver a dor da Korra, como que existe uma conexão maior entre as duas. Ao ponto de ser Asami que em seguida interfere pra livrar a Korra das indagações do presidente Raiko. 

No início da quarta temporada, nós vemos como Asami está ansiosa para o retorno da Korra e, no episódio Korra Alone, nós vemos como ela queria estar presente para ajudar Korra. Isso é uma coisa sobre Asami, ela está sempre querendo ajudar e colocar todos os seus recursos disponíveis. 

Já o fato da carta da Asami ser a primeira que a Korra vai ler e ela responder só para Asami diz muito sobre a Korra. Não que ela esteja apaixonada e louca para voltar, mas novamente é a presença dessa conexão entre as duas, em que a Korra se sente confortável para mostrar seu lado vulnerável e até um pouco a necessidade de dar uma satisfação ("tentei escrever várias vezes..."). Mas, é claro, ela estava passando por um momento problemático e não se sentia bem o suficiente para entrar em contato.

Uma coisa interessante sobre The Legend of Korra é que o romance nunca é puro. Não é só o romance pelo romance acima de tudo. Mas a forma como a relação acontece depende do personagem em si e dos acontecimentos gerais. No início Korra não tinha nada a perder, estava descobrindo o mundo, encontrou um garoto que gosta e foi para cima da mesma forma que ela faz com tudo, depois ela está fragilizada para ter uma relação desgastante e depois está todo mundo apenas ok se divertindo. Agora as coisas começam a mudar...

O reencontro delas só acontece no episódio 7, quando as duas já são pessoas diferentes. De um lado, Korra passou por todo o processo de se recuperar e reaprender a se conectar com as pessoas. Do outro, Asami tem trabalhado bastante com a empresa e decidiu perdoar o pai. Isso é muito importante, porque mostra um pouco como Asami lida com as coisas. Ela revelando que depois de tudo não consegue ter raiva do pai é um contraste imenso com a energia explosiva que conectava Makorra. Mais do que isso, ela é um exemplo para a nova Korra, que está aprendendo a se encontrar no outro e ter compaixão. Desde o início, quando Korra revelou que o pai de Asami trabalhava com Amon, Asami não se confundiu e culpou Korra. Ela não seguiu nem o exemplo do próprio pai que culpou os dobradores pelo que aconteceu à sua mulher. Ela, uma não-dobradora, lutando contra não-dobradores junto com Korra. Asami é uma pessoa que fortalece esse lado da Korra.

E, quando elas se encontram, você vê que não é exatamente a mesma coisa. Asami continua cheia de elogios, Korra se sente ligeiramente envergonhada. O tema do episódio é eles calibrarem a dinâmica de grupo agora que são pessoas diferentes. Elas têm uma pequena briga e é pelo fato de que Korra ainda não aprendeu a não culpar as pessoas, enquanto Asami decidiu por aprender a perdoar. Ao mesmo tempo, nós vemos como Asami ficou machucada por ter sido "abandonada" por Korra durante esses três anos e que parte da preocupação de Korra é que ela não quer ver Asami se machucar novamente.

Cara da Korra quando a Lin leva o pai da Asami pra salvar
"SE VOCÊ MACHUCAR ASAMI OUTRA VEZ EU TE MATO"
Mas mesmo desconfiada ela escuta o que ele tem a dizer, o que é um grande progresso se você lembrar
daquela garota que agarrava as pessoas pela gola e jogava na parede (no mal sentido)

Isso é romance? Isso é amizade? Tanto faz, isso é uma conexão entre duas pessoas que se importam uma com a outra, o que diferencia o romance e a amizade é a atração sexual. Na ficção é impossível você dizer se há atração ou não a não ser que os personagens digam isso. Nem mesmo uma cena de sexo é certificado de atração, pode ser estupro ou algo assim. É claro que existem coisas que nos fazem entender, tipo dois personagens se beijando e dizendo que se amam, mas em uma relação delicada e silenciosa como a da Korra com a Asami, é impossível definir de fora o que está acontecendo ali. 

Uma coisa legal que eu li uma vez é um homem assexual falando que pra ele é diferente assistir filmes e histórias, porque onde uma pessoa que sente atração entende claramente que está acontecendo algo, para ele não é tão claro e ele se surpreende com os casais que se formam. Como assim estava acontecendo algo ali? O que significa que é a nossa imaginação e conhecimento prévio de atração sexual que completa a história. Se fosse a Korra e o Mako na mesma situação, seria difícil não imaginar que está acontecendo algo ali porque nós estamos acostumados a entender esses gestos como interações românticas. Talvez seja como se você fosse assexual quando se trata de relações entre o mesmo sexo e, pela falta de representatividade na televisão, não assistimos nem considerando a hipótese de ser uma relação amorosa. Essas são hipóteses minhas, só pra constar, mas acho que explica bastante como alguém não consegue enxergar uma relação amorosa em um caso que se fosse por pessoas de sexos opostos conseguiria enxergar. E ainda explica porque na internet conseguem enxergar relação amorosa em absolutamente tudo.

As duas novamente seguem a dinâmica de se ajudar, assim como Korra segue a dinâmica com todo o resto do team Avatar. O maior diferencial na relação entre Korra e Asami é que Asami é a principal pessoa a estar ali para dar suporte moral à Korra. Também temos até alguns olhares perdidos e toques, mas nada tão grande porque Kuvira está tentando dominar o mundo com um robô gigante e tal.

Aliás, Korra tem um momento bem parecido com o de Asami e seu pai quando vai confrontar Zaheer. Ambas decidem encarar o que as tormenta para pedir independência. As duas escolhem por abrir mão do ódio e tentar a aproximação. To repetindo isso, porque a Korra decidir ter compaixão e se ver no outro é o grande aprendizado dela como Avatar. É assim que ela vence Kuvira. O que nos leva ao fato de que o oposto da realidade da Korra (o ser espiritual que tem todos os poderes) é o não-dobrador mundano, o que retorna para a história que começou na primeira temporada (luta dos não-dobradores contra os dobradores) e mostra como Asami e Korra se completam, no sentido de que ela se identificar com a Asami é ela ter empatia por alguém "diferente".

Eu acho que, até esse ponto, nós temos base para elas se sentirem atraídas uma pela outra. Korra ficando sem jeito ao reencontrar Asami. Asami elogiando Korra a mais. Não estou nem dizendo em romance, mas é mais tipo "tudo bem, essa pessoa mexe comigo." 

Então é só uma questão delas se abrirem para esse sentimento.

No final da temporada, tudo acabou, Korra está pronta para conhecer mais o mundo e ir mais longe. Asami está lidando com o fato de perder o pai que recuperou há pouco tempo e quer... descansar. Eu gosto de como a Korra parece ansiosa pra agradar a Asami e a Asami parece feliz em ver esse espírito animado da Korra.

Agora chegamos ao ponto final, em que tudo fez sentido pra mim. A jornada da Korra passa por uma desconstrução daquela autoestima de "I'M THE AVATAR YOU GOTTA DEAL WITH IT" levando-a para um lugar bem vulnerável. Asami foi uma das pessoas que conseguiu se conectar com essa parte dela e está sempre ali para manter sua esperança viva. Eu adoro a conversa final das duas, porque a Korra usa expressões e quase tem um ataque quando percebe que fez Asami chorar e isso lembra muito à Korra lá do início, mais alegre, energética e sonhadora. Não que ela tenha voltado ao 0 no desenvolvimento, é só uma parte importante dela que Asami ajudou a manter viva. A Korra antiga teria beijado ou agarrado Asami à força, a nova Korra se aproxima de uma forma mais vulnerável e delicada.

ou tão delicada quanto a Korra pode ser

Pelo lado da Asami, ela era uma garota independente filha de um homem rico, que precisava lidar com o preconceito que a sua beleza e fortuna causavam, mas de certo modo é prática o bastante para passar por isso sem nenhum drama. Quando sua vida se cruza com a do Avatar, ela encontra novos amigos e perde a pessoa mais importante em sua vida: seu pai. Ainda assim ela se recupera e ajuda a lutar contra ele. Depois ela precisa ir em frente, tentando salvar a indústria e se vê novamente roubada, até recuperar sua posição no livro 3 como inventora, rica e sei lá o que mais. Uma coisa na personagem é que ela sempre gostou de ajudar e sempre admirou Korra, depois de ser abandonada pelo Mako duas vezes, acho que ela percebeu que não daria em nada aquilo e foi em frente, como ela faz em todas as situações ("I can handle myself"), e todos eles se aproximaram e lidaram com os conflitos de antes em nome da amizade. Repare que eu não cito o Bolin, porque ele é um personagem muito aberto que se joga de coração, então não havia nenhum possível mal entendido entre ele e o resto do team avatar. Já os outros três precisavam lidar com isso. Asami se aproximou da Korra e fez o que conseguiu para ajudar, aí foi abandonada por 3 anos em que focou em trabalhar e crescer sua empresa e sei lá mais o que. Asami, você ficou sozinha esses 3 anos? :(  E você vê como ela sente falta da Korra e do grupo de amigos deles, de suas aventuras para salvar o dia. Ela também decide rever a relação com o pai, que deveria ser algo que a perturbou nesse tempo inteiro. Asami está indo em frente, mas está machucada e eu acho que Korra é a única pessoa que realmente olha para ela. Ou se esforça para deixa-la feliz. 

Elas realmente fazem bem uma à outra, se sentem atraídas e... é isso. 

Não é nem como se a série estivesse segurando a mão por causa da censura, apesar de que eu acho que teríamos outro Avatar, com muito mais casais LGBT+ e interações românticas se não fosse a censura. Mas no desenvolvimento da relação delas, ali naquele final elas dão o próximo passo. Just the two of us. Eu quero ficar com você, agora... Eu quero aproveitar o tempo que não tivemos antes. 

Diferente do romance com o Mako, esse é delicado e frágil, como a música no final, e se desenvolve em um tom tranquilo. Elas querem ficar juntas. Amor não é algo que pode ser medido com quantidade de cenas românticas, mas mesmo que fosse, elas estão lá. 

Eu sei lá o que eu quero com esse texto, eu acho que só precisei reanalisar a relação delas de uma perspectiva romântica de acordo com a história, não em termos de representatividade ou temática do Avatar, mais para uma análise de como duas pessoas poderiam se apaixonar. E se afastando disso tudo, não é nem difícil vê-las como um casal, desde a primeira temporada temporada tem fanarts incríveis rolando por aí na internet provando isso.

Acabei de ler o texto do Bryan Konietzko e ele usa esse quote do Hayao Miyazaki para falar sobre desenvolvimento de romance:

“I’ve become skeptical of the unwritten rule that just because a boy and girl appear in the same feature, a romance must ensue. Rather, I want to portray a slightly different relationship, one where the two mutually inspire each other to live - if I’m able to, then perhaps I’ll be closer to portraying a true expression of love.”

E acho que se repensar a série me fez chegar à alguma conclusão, é de que Korrasami é exatamente isso. 

OBS1: o texto dele todo é incrível e resumo a importância de representatividade e o que a série fez. Não porque ele está dizendo que fez isso, mas mais porque ele diz que tentou fazer isso e eu fazendo as minhas análises antes de ler consegui tirar isso das histórias. Vocês conseguiram, bryke.

OBS2: The Legend of Korra está realmente me consumindo demais, e eu sinto que preciso colocar tudo o que passa na minha cabeça pra fora e decidi compartilhar, porque eu, como fã, adoro ver outras pessoas dizendo o que acharam e sei que tem gente que quer ver. Mas quero lembrar que eu não editei esse texto, não fui confirmar fontes (como no caso assexual) e nem tenho autoridade para afirmar coisas sobre o funcionamento específico da atração sexual ou afirmar o que os autores estavam realmente querendo transmitir. Essa análise é com base na minha lembrança, análise do que é mostrado nos episódios e impressões. Você pode totalmente me ajudar a refinar o pensamento. Obrigada por ler. <3


Aqui uma análise da finale Por que aquele finalzinho faz sentido?




A autora desse texto é a Dana, especialista em falar coisas idiotas, traficante de cultura pop e o avatar. Deal with it. Me recuso a usar 3ª pessoa, então: Você pode ver todos os textos que eu escrevi aqui na tag Dana Martins e também estou no twitter @danagrint, vem conversar comigo. :)

Ajude o CC compartilhando os textos que você gosta.

TAGS: , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

12 comentários

  1. Seu texto tá incrível!! Parabéns! =)

    ResponderExcluir
  2. eu te disse no twitter que tinha esperança delas terminarem juntas porque em TUDO que eu assisto eu preciso ter essa eperança de me ver representada. toda vez que criticam fanfics e fandoms em geral falam que é um bando de gente que ve coisa onde não tem, mas a gente não quer ver coisa onde não tem, a gente quer que tenha. eu particularmente só aceito a heterosexualidade de algum personagem se o personagem falar que é hetero. mas quase ninguem fica falando que é hetero, né? pois é. tenho headcanons sobre a sexualidade de praticamente todos os personagens de tudo que eu assisto e leio porque sim. a esperança é necessaria.

    amei o texto e me fez lembrar de orgulho e preconceito, um dos maiores romances de todos os tempos onde os protagonistas não se beijam em nenhum momento.

    claro que rolou censura, o bryan (ou o mike agora nem lembro quem) falou sobre isso, mas isso não impediu o relacionamento entre elas de se desenvolver lindamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Priscilla <3 Eu escrevi um texto sobre isso hoje, mas quero publicar depois disso tudo porque eu não cito que to falando de The Legend of Korra e não quero associar a série ao estigma de "história gay", não porque seja ruim, mas porque a pessoa pode se fechar assistindo e não ver o fato simples de que: é uma história como qualquer outra. E acho que você resumiu o caso de uma maneira direta e que eu não fui capaz (também é legal ver que eu não sou uma lunática inventando coisas)

      caramba, sabe que eu nunca tinha reparado isso? muito obrigada por acrescentar <3

      Foi o Bryan, mas eu tinha escrito esse texto antes e quis deixar assim, porque ele fala certas coisas parecidas com o que eu disse aqui antes de ler, o que mostra que eles realmente conseguiram transmitir o que queriam? Mas ao mesmo tempo, acho que eu não me expressei tão bem. Tipo, independente de ter acontecido censura, não é uma história tão travada por causa disso. Tipo de você ver que a Asami deveria ter pego a Korra de jeito no livro 3 e ficar só a sensação de que deveria ter acontecido algo. Não, eles construíram algo lentamente que dentro da história faz sentido não aparecer uma cena explícita de sexo ou até mesmo beijo (aliás: nessa temporada não vemos nada romântico entre o kai e a jinora, não fosse ele falando que eles tão bem no primeiro episódio não daria pra ver o que aconteceu e ninguém deixa de vê-los como um casal e saber que tá acontecendo algo ali) (calma aí, acho que entre o bolin e a opal também?) (acho que eles fizeram isso de propósito). E eu totalmente acho que se não fosse a censura, o Avatar seria outro e veríamos muito mais coisa (mas isso eu já disse ali)

      Enfim, obrigada por dividir isso <3

      -dana

      Excluir
  3. Gostei do seu texto, e do final de Korra. Foi a primeira vez que eu gostava dos dois possiveis casais. Eu acho que um final com a Korra e o Mako juntos, iria mostrar o quanto eles precisavam de tempo para amadurecerem, para fazerem a relação dar certo. Eu fiquei com raiva do Mako no livro 2, mas não foi só ele que contribuiu pra a relação acabar, a Korra estava muito irritada e os dois fizeram coisas idiotas, e a Asami se aproveitou um pouco disso pra tentar voltar pro Mako, (a Korra tbm ficou com o Mako, quando esse estava com a Asami, então eu acho que ta tudo certo) e eles se perdoaram, e eu perdoei todo mundo, haha. (E ACABOU, e eu to triste, chorando, enfim...). Eu ainda era mais inclinada a um final Makorra. Porem tbm consegui perceber que poderia rolar um Korrasami, e gostei bastante dessa ideia tbm, parte de mim achava que seria um final otimo elas como casal, mas outra parte admirava muito a amizade que elas conseguiram construir em meio a todas essas confusões, e torcia por essa amizade. Sei lá, é confuso como eu me sinto em relação a isso, acho que eles ( queridos Bryke e Dimartino) fazem tudo tão bem feito, que vc aceita o que te dão, tudo foi tão bem construido, tão fofo, tão emocionante. (meu deus, vou chorar de novo). A unica coisa que eu mudaria, ou melhor, acrescentaria, seria uma uma demonstração maior da Korra, em um pouco mais da metade da temporada eu já estava totalmente convencida que a Asami tinha interesse pela Korra, mas não consegui sentir isso da propria Korra, claro que ela tinha tantas coisas pra se preocupar, mas era o que eu faria, um abraço, um olhar, algo partindo da Korra, sei lá. Só sei que agora quero comics, livros, qualquer coisa com mais Korra, com mais desenvolvimento dessa relação, e tirando o peso do canal infantil, eles poderiam desenvolver isso mais abertamente. Eu sou horrivel pra despedidas, não quero que acabe, preciso de mais, e Korra foi tão importante por tantos anos na minha vida, eu simplesmente não estou pronta pro adeus.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que texto maravilhoso! Falou tanto tanto tanto do que eu sentia em relação a esse casal incrível!
    Cara, e Korra TAMBÉM tem me consumido. Desde que a série acabou, eu não paro de rever ó último episódio, e fico pesquisando fanart e fanert e fanart. Juro, já tenho quase um giga do meu celular dominado, com com Korrasami! XD
    Mas, é incrível. A relação entre as duas. Acho que, mais do que a interação, as pistas que os episódios davam, a própria animação, a imagem e as cenas eram uma forma de mostrar a interação delas. Cara, eu me identifiquei muito quando você falou sobre a interação, a TENSÃO SEXUAL. Cara, eu via essa bendita tensão sexual, de uma forma que eu nem sei explicar. Acho que já até comentei isso em outro blog, mas não importa, eu falo de novo. Nada era muito evidente para mim, mas no final do último episódio do livro 3, tudo ficou claro. Quando a cena parte o foco para a boca de Asami, eu estreitei os olhos. Eu assisti aquela cena todinha [chorei HORRORES na parte da Jinora, linda carequinha, e a Korra se despedaçando também, quase que eu me acabo XD], e voltei várias e várias vezes. Pra mim, depois da cena em que elas se dão as mãos e olham uma pra outra no final da série, essa é a cena mais Korrasami que tem. O close nos lábios indicam alguma coisa. Eles querem chamar atenção. A boca, como um órgão ligado aos sabores, e desejos, os da Asami mesmo, no abrir e fechar delicado, parecem que exprimem um certa atração e cuidado, por parte dela. O olhar cuidadoso, os gestos afetuosos, tudo tudo. E o melhor, quando ela aperta as mãos de Korra, e a cena se foca nessa parte. Pronto, o meu coração tinha estourado. Eu, que estou tão acostumada as interações românticas japonesas - Um certo cuidado e cautela na hora de tocar e agir -, vi naquele momento, um laço de afeto e dedicação formado. E mais, eu vi A TENSÃO SEXUAL NA CENA TOOOOODA. Não sei porquê, mas pra mim, foi a Asami quem se apaixonou primeiro, haha. Talvez a palavra nem seja apaixonar, mas sempre carreguei a impressão de que o primeiro interesse veio dela. Ou não, sei lá, haha. Mas isso não importa. Só acho incrível a maneira com que a relação das duas foi trabalhada. Seja pela censura ou pela indicação etária, o fato é que os autores tinham uma limitação, e souberam trabalhar com elas. E o que eles fizeram eu vou sempre, sempre admirar. As conotações românticas foram todas delicadas, todas singelas e cuidadosas. Tudo para não "ofender" ninguém, mas de certo modo, isso só deixou tudo mais lindo e belo. Nossa, eu amo o que eles fizeram.
    É uma pena que tenha acabado. Cara, eu queria tanto, TANTO uma fucking continuação ;--;
    Um filme, um quadrinho, um continho narrado pelos autores, sei lá XD. Mas, é como se ainda não tivesse acabado. É um sentimento de incompletude, que a gente tem né, infelizmente. O pior é que a gente tem que dar a chance, dos dois seguirem em frente, com mais histórias e mais projetos. Infelizmente, acho que essa sensação de que falta algo sempre vai ficar, principalmente em relação as duas.
    Enfim, isso era só pra completar sobre as impressões que eu tive, que ficaram muito aliadas ao seu texto. Acho que a Lenda de Korra marcou muito, e vai ficar sempre num cantinho especial do meu coração. Como você, acho que precisava escrever tudo isso, para desabafar. Pode crer, eu precisava botar algumas coisas pra fora também, pois esse foi um trabalho incrível, pra gente refletir sobre o mundo, as pessoas, nossas atitudes, e nós mesmos.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa aparecer do nada pra responder seu comentário, mas acabei de ver Korra recentemente, então estou maluca. Concordo muito com vc, acho que quem se interessa primeiro é a Asami, no decorrer do terceiro livro ela deve ter se dado conta que a ex do Mako era bem mais interessante do que ele hahaha, pra mim no final do terceiro livro ela ja está ciente do que sente pela Korra e ela sabe que não é só amizade, bem como ao longo de todo o quarto livro (ela se oferece para ir a tribo da água com a Korra e da pra perceber que ela QUER ir, ela quer ficar la a sós com a Korra). Eu queria um pouco mais da Korra se entregando a esses sentimentos como ela fez no diálogo final, mas sei das implicações todas que havia no programa e não seria possível fazer isso com a liberdade que a gente teria vontade de ver né. E eu tbm chorei demais no fim do livro 3, não sei se pela situação da Korra (ela ta até com olheiras meu deus eu fiquei arrasada) ou emocionada pela Jinora maravilhosa, sábia e carequinha, lembrando tantooo o avô dela que foi O Avatar.

      Excluir
  5. Olá, mil desculpas pelo enorme atraso, mas só assisti A Lenda de Korra há uma semana atrás, então por isso apareço em seu site só agora rs. E eu preciso falar de Korrasami com alguém que tenha entendido por ter um olhar melhor para isso, claro que depois que eu assisti, estou tão doida e maratonei tudo rapidamente de tão maravilhoso que é, então estou consumindo tudo o que tem de bom sobre e acabei achando esse site e especificamente esse texto maravilhoso, do qual concordo muito. Vi algumas pessoas que mesmo adorando o final não conseguiram perceber a sutileza de Korrasami e não entendem exatamente onde as coisas começaram, acho que é preciso um olhar especial, aquele que só pessoas que sempre aguardam pela representatividade conseguem ter sobre esse tipo de sutilezas. Porque quando vou passando na cabeça toda o terceiro e quarto livro, é tão nitido que a relação delas evoluiu de amizade para um interesse amoroso (no final do terceiro livro Asami nem disfarçava que apaixonadinha simmmm) mas tão nitido que só mesmo um beijo no final para sacramentar. Eu queria mais, claro que queria, sempre quero, eram duas personalidades tão maravilhosas e juntas naquele final absolutamente LINDO, da muito gosto de quero mais, de saber como elas conseguiram passar alguns dias de paz no mundo espiritual, como foi voltar para republic city e tudo o que se deu a seguir... enfim, mais uma vez desculpe o atraso, você provavelmente ja superou Korra, eu acabei de ver, então imagina, eu to bem louca hahahaha.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Ahhh outra coisa, não sei como ainda achavam que poderia ter Makorra no final, era mais fácil a Korra ficar sozinha, porque simplesmente não havia mais nada ali, nada. Acho que tem um abraço singelo no decorrer do livro três que talvez a Korra tenha ficado levemente balançada, mas é só. No quarto livro não sobrou nada dos dois, só da parte dele. No fim quando ele diz que será sempre o reforço dela, ela sorri e é isso, não tem mais nada, acabou, talvez quando ele fale isso para ela e ela não tenha tido ganas de agarrá-lo e nem nada, ela tenha se dado conta definitivamente de que seus sentimentos eram agora de outra pessoa rs. É isso, desculpa de novo, abraços.

    ResponderExcluir
  8. Sinceramente, eu tô apaixonada por esse texto

    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *