clube de escrita Dana Martins

Clube de Escrita: Queria estar morta

2.11.14Conversa Cult


Hey, yo. NaNoWriMo novo na área. E não sei por que eu to falando assim. Queria estar morta descansando, mas ainda tenho 500 palavras para bater minha meta diária e tenho que terminar esse post. Então por que não falar sobre desanimação? Hoje quero discutir um pouco sobre o conflito de "escrever por estar com vontade" e "escrever por obrigação".

No fim, ainda: Como a equipe do CC está indo no Nano. 

"Bem, eu estava planejando em molhar meus pés na lama por algumas semanas. Mas eu não aguento você sendo patética e levando chute na bunda o tempo todo. Tudo bem, acho que posso ajudar."

Eu sou totalmente a favor de fazer o que você sente. Se você sente vontade de escrever, escreva. Se você não sente, não tem motivo escrever. Porém, algumas vezes as coisas só acontecem quando a gente faz mesmo sem vontade. Houve situações em que tudo o que eu não queria era fazer algo, mas me forçar a fazer se provou melhor. E aí?

Quando a gente sabe o que fazer?

Em parte, eu acabei de perceber que a parte mais aterrorizante de fazer qualquer coisa é a ideia de fazer. Oh, não estou animado pra escrever. Você está só se torturando enquanto considera a possibilidade de fazer as coisas, em vez de realmente estar fazendo algo. Se vai ser bom ou não fazer, você precisa fazer para descobrir.

Korra: Well, I was thinking that you were...
Toph: [Interrupts Korra.] Exactly! You were thinking! Go again.


Então... por que a gente não faz?

Se algum dia eu descobrir a resposta simples dessa pergunta, eu acho que zero o mundo. Por que a gente simplesmente não faz o que quer?

Isso me perturba, porque eu fico um pouco triste de ver as mesmas batalhas todos os anos. Conheço pessoas com histórias maravilhosas, que estão escondidas sob uma camada de desânimo. Mas será que elas precisam escrever agora? E por que eu escrevo as 50 mil palavras?

Eu não sei o que aconteceu comigo. E eu nem me sinto no direito de tentar ajudar alguém desanimado (novamente: precisa de ajuda?), porque eu passei anos assim. Só na metade de 2012 eu me dei conta de que poderia terminar uma história. Ainda assim, a primeira história que eu terminei foi um conto em janeiro de 2013 que eu só consegui completar porque dei a sorte de estar lendo o livro "The War of Art" (emprestado do meu primo!).

Sério, eu lembro de estar na casa do meu pai, no computador do meu irmão, olhando para aquele bando de palavras escritas sem ter a menor ideia de como transformar aquilo em algo aceitável. Você sabe quando dá aquele branco absoluto? Você não consegue pensar. Acho que eu estava quase chorando. Então eu desisti e fui ler na rede da varanda.

Eu não lembro sobre o que exatamente o livro falava no momento, eu só sei que ele me mostrou que se eu voltasse para a minha tela cheia de palavras e me esforçasse, eu chegaria no fim. Então foi o que eu fiz e consegui. (com muito esforço, choradeira, horas... mas consegui) Considerando que é a minha primeira história, deve estar uma merda, mas eu gosto dela porque é um mundo que me interessa.

Nada gera nada. Enquanto algo pode gerar algo realmente bom.


Nesses últimos 2 anos e meio eu finalizei 4 contos, um deles foi para a coletânea Universo Desconstruído e o outro para a coletânea Um Dia das Bruxas Nem Um Pouco Épico (não sei nem como fui parar nesses troços, mas muito obrigada pelos convites <3). Nos 7 Nanos que eu participei, escrevi 300 mil palavras (histórias variadas e contos, muita coisa não editada). Fora as coisas que eu nem lembro que eu fiz no meio do caminho. Mais do que tudo, eu sei que preciso melhorar muito. Não porque eu me acho ruim, mas porque eu tenho histórias que eu quero contar e quero fazer isso da melhor forma possível. A cada conto que eu escrevo eu percebo mil coisas para melhorar, que ficam para trás quando eu finalizo, mas que de algum modo acabam sendo resolvidas no próximo.

Agora as perguntas... e se eu não tivesse descoberto que podia em 2012? e se o Paulo não tivesse criado o Clube de Escrita que mexeu com meu espírito competitivo e perfeccionismo, que me fizeram me matar no teclado para completar as 50 mil palavras como disse que faria? e se por acaso meu primo não tivesse me emprestado justamente aquele livro que eu acabei lendo exatamente enquanto escrevia naquelas férias?

Não é mais um problema meu... HUAHUAHUAHUAH
"Tanto faz. Quando você quiser tirar [esse veneno] do corpo, você vai tirar. Eu não posso lidar com todos os seus problemas pra você." - O conselho que todo mundo deveria ouvir

Eu realmente não sei. Essa é uma jornada sua e você vai ter que se virar para descobrir. Eu só sei que você pode escrever essas 50 mil palavras. Você pode lutar contra o desânimo. Você pode encontrar dentro de você uma história incrível para dizer.

Enquanto isso, vou ficar escrevendo minhas 1700 palavras diárias. Curiosamente, depois de escrever isso tudo eu percebi que não tava com a menor vontade de fazer isso aqui, até pedi pra ver se alguém no grupo do CC fazia, hoje meu dia está um caos. Mas abri o arquivo e fiz de qualquer forma. Eu queria publicar um Clube de Escrita hoje. :)

Agora vamos ver como eu (Dana) e o resto do CC está indo nesses dois primeiros dias de NaNo!


Diário de Escrita: Como a equipe do CC está indo no NaNoWriMo 2014?

Diego Matioli, 3.992 palavras até agora: Estou no prazo, estou feliz e estou trapaceando! Sim, sou NaNoRebel esse ano, e estou retomando um arquivo do ano passado. Considerando isso, meu manuscrito tem 13.369 palavras até o momento. E vamos que vamos!

Eduardo Ferreira, 4269 palavras escritas até agora: No prazo (ainda bem), mas super confuso com a história. Eu sempre fui de planejar pouco e realmente criar a história quando escrevo, mas dessa vez eu não tinha praticamente NADA planejado. Só fui descobrir o nome da personagem principal no segundo capítulo! O problema é que eu nem ia participar desse NaNo. Só fui ter uma ideia na quinta-feira! Então, eu comecei a pesquisar e no final da noite tudo que eu tinha era a ideia principal e algumas personagens (nenhum com nome ainda). Ainda não tive grandes problemas, mas é como estar perdido num lugar que você não conhece. Você não sabe o que fazer, mas continua a andar para achar uma saída.

João Pedro Gomes, 1.262 palavras até agora: meu atraso está muito óbvio, né? Basicamente, comecei o primeiro dia sem muito ânimo e só hoje entrei no pique. Mas o pessoa do clube de escrita tem ajudado bastante e eu pretendo recuperar o atraso o quanto antes!

Dana Martins, 2966 palavras até agora: Até esse post tá assim, pode colocar mais 500 palavras da minha meta diária aí. NaNo até agora tá muito estranho, eu decidi minha história na última terça, no post de preparação do dia 31 estava com preguiça de planejar, só comecei a pesquisar algo depois da meia noite... Mas abrir o bloco de notas e ficar tentando definir o que eu queria dizer me ajudou a ter ideias para a história. Que mudaram todas assim que eu comecei a escrever, só que pra melhor. Fim semana super corrido e louco, eu não to conseguindo mais parar pra pensar na história (ou o que fazer da vida, ou em qualquer coisa, sério. e ainda estou morrendo de sono). Então, sei lá. Eu só to abrindo o arquivo, vendo a sequência lógica e escrevendo. O início é meio fácil porque você tem que gerar muita informação sobre o mundo e explicar coisas óbvias (tipo como é a personagem que você imaginou). Por um segundo fiquei com medo de que não conseguiria escrever (Camp de início de ano: a. história. não. andava), mas o mundo está abrindo de um forma bem legal. É só questão de sentar e escrever. Por enquanto, to batendo só minha meta básica por dia pra não entrar em colapso e não gastar a história. 


Agora e você? Aproveite esse espaço para escrever sobre como está indo. Isso realmente ajuda. Lembre que o grupo do Clube de Escrita está firme e forte lá rolando sprints o dia inteiro. Minhas 1.200 palavras de hoje é graças a ele. 

Até domingo que vem!
(caso você esteja procurando um modo de procrastinar, indico assistir The Legend of Korra, de onde vieram gifs e ensinamentos desse post)


TAGS: , , , , , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

0 comentários

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *