clube de escrita Dana Martins

Clube de Escrita: Pra que escrever 50 mil palavras?

30.11.14Dana Martins


Esse texto parece de início de Nanowrimo pra convencer as pessoas a participarem, mas não. Essa é uma pergunta tanto pra quem terminou, quanto para quem não terminou ou nem participou. Isso é algo que a minha avó sempre me pergunta quando eu falo que to fazendo o "Monorreimo". O que eu ganho com isso?

Eu já ganhei muitas coisas. Por exemplo, tendinite. Tá, falando sério...

Essa é uma resposta que eu não tenho de cara. Experiência? 

E quanto mais eu penso nisso, mais parece que vai virar uma crise existencial. Às vezes deixo de fazer coisas para participar do Nano, durmo mal, a vida fica uma correria e até o processo de escrever fica... artificial? Escrever não deveria ser uma coisa natural e prazerosa? Se é pra ficar me matando de escrever no teclado, pra que isso? Eu posso escrever muito melhor no meu próprio ritmo. Aliás, esse negócio de "bater meta" é meio ridículo. Tipo, não to aqui pra escrever uma história que importe, to aqui para "bater meta", alcançar um número de palavras e pronto. É uma coisa tão louca que eu posso escrever "a pedra, galinha, foi passear, é isso, era uma vez, andaram" e isso contar como válido. Qual é o propósito?

todo esse esforço pra tanto lixo....

Para começo de conversa, o Nano só é exaustivo porque nós não temos a rotina de escrever. A meta diária é bem simples, atualmente eu consigo bater em 45 minutos, não preciso nem escrever igual uma maluca. Todo mundo que participa de sprints durante o Nano consegue reparar que com o passar do mês passa a escrever mais palavras no mesmo tempo, então, novamente, é uma questão de treino. 

Agora, fazer isso todos os dias é mais complicado porque é difícil estar bem todos os dias. Ontem eu acordei ok, hoje eu acordei com vontade de matar todo mundo. E aí? Eu tenho que escrever mesmo assim. Ou não, que se dane, vou passar o dia de hoje olhando para o teto e amanhã escrevo. O que é totalmente válido, se amanhã você não se matar tentando escrever em dobro, se não decidir que amanhã não tá bem também, se não começar a acumular os dias e abandonar...

Mas no fim do dia, tudo se resume a uma coisa: rotina. Eu sei disso, porque eu to aqui escrevendo esse texto, mesmo que eu preferisse estar brigando com a internet para comprar uma camisa de The Legend of Korra. Ok, digamos que eu decidi realmente ir brigar com a internet, entrar em desespero, tomar coragem, pedir para o meu amigo e escrever uma newsletter sobre isso, bem no meio do Clube de Escrita. Agora estou aqui caindo de sono, MAS VAMOS LÁ.

sim, estou usando gifs de Carmilla, PORQUE EU QUERO
Com o Nano é assim: ou você tem a rotina de escrever e termina suas histórias tranquilamente, então você não precisa de NaNoWriMo, ou você precisa lutar para conseguir escrever. Seja por precisar se dedicar a outras coisas (escola, trabalho, blog) no resto do ano, nesse caso o NaNo é uma licença para passar um mês colocando a escrita em primeiro lugar. Seja para aprender a criar uma rotina, se obrigar a treinar ou conseguir terminar o manuscrito.

A primeira vez que eu participei do Nano, pensei que seria só uma oportunidade de escrever diariamente uma história. (acabei desanimando porque comecei na metade ou sei lá) Na segunda, eu nem pensei direito. Ainda tinha minha história pra terminar, o Paulo surgiu com a ideia da gente fazer, o Clube de Escrita surgiu e eu adoro desafios.E assim durante uns 7 Nanos (+Camp) seguidos. No Nano do ano passado, eu escrevi 50 mil palavras em 12 dias. 

Então quando eu cheguei para fazer esse Nano, as dúvidas surgiram... pra que eu to fazendo isso? Eu, definitivamente, consigo ver o que eu ganhei fazendo isso. Amigos no Clube de Escrita. Contos finalizados e histórias que foram até o fim. A confiança de que eu posso terminar qualquer história. Velocidade na escrita. Aprendi a acabar o editor interno tão bem que eu tenho que mandar ele para o conserto na hora de editar. Eu vejo que a cada Nano manter a rotina de escrita tem sido mais fácil, ao ponto de que eu consegui escrever o conto do Um Dias das Bruxas sem precisar de Nano, balanceando com as outras que eu preciso fazer. Mas... isso é o que eu já ganhei, o que eu vou ganhar agora por entrar nesse mês de escrita desesperada? Eu já não provei que posso?

O óbvio é a história terminada, ainda mais uma grande. Um conto? Não dura nem uma semana, uma história grande pede a sua presença. Mais do que estar ali escrevendo. Eu já vi que quando uma história é muito grande, ela começa a me puxar para o mundo - parar de escrever por alguns dias quebra o encanto e é o dobro do esforço para pegar o ritmo novamente. A obrigação do Nano me deixa presa na história.

N de NaNoWriMo, é claro. 
O mais importante, pra mim, é a licença pra escrever. Eu preciso dela, porque se não eu não escrevo. Escrevo posts, posso escrever uma história que me consumiu loucamente, mas não as histórias que eu realmente quero. Hoje mesmo, to fazendo o Clube de Escrita, fiz email, arrumei o quarto, comprei camisa (...). Se fosse o NaNoWriMo, teria já começado escrevendo, o que eu não faço desde que eu completei as 50 mil palavras (no início, eu me dei uma folga, depois descansar o meu braço pra evitar a dor, depois... viu como é?). Tipo, por o Nano ser só um mês, funciona. Funciona porque eu sei que "ok, é só esse mês que eu não vou pra o cinema pra ficar escrever". Se fosse o ano inteiro, cada segundo seria um trabalho exaustante de decidir se eu deveria escrever ou eu já posso assistir Korra.

Aliás, não consigo decidir. Korra ou escrita? 

Vou colocar isso nos rascunhos, fazer um sprint e assistir Korra. Ou eu deveria assistir Korra e fazer um sprint? Não, eu vou estar possuída por Korra. Escrita primeiro.

Mas se esse post é para alguma coisa, é para você pensar no que você ganhou com o NaNoWriMo - INDEPENDENTE DE TER TERMINADO OU NÃO. Escreva, reflita ou sei lá. Pense em como fazer melhor da próxima, como levar isso para o seu dia a dia. Aliás, o Clube de Escrita surgiu para isso - não só para escrever, mas refletir sobre os aprendizados de escrita. Comemore a sua participação. 

Se você ganhou, você conquistou o direito de usar esse gif.



Se você começou a escrever (não importa quantas palavras), você conquistou o direito de usar esse gif.



Se você não escreveu nada, você conquistou o direito de começar a escrever. Aqui uma imagem para animar. 

Esse ouriço está torcendo por você porque você pode fazer qualquer coisa. 

Além disso, o Diego deu outra data: até dia 15 de dezembro para terminar a história! Mesmo com as 50 mil palavras, eu ainda não terminei, então preciso correr. Vem com a gente no grupo do Clube de Escrita.



Como foi a equipe do ConversaCult?


Wow! Acho que essa é a primeira vez que eu não sou a única da equipe do CC ganhando. O Diego e o Eduardo também alcançaram as 50 mil palavras!!! PARABÉNS, SEUS LINDOS. <3 Essa foi a primeira vez do João e ele alcançou as 20 mil palavras. Só falta a outra metade, vambora! Parabéns ao pessoa lá do grupo do Clube de Escrita que venceu também - a Helena, a Isabella, a Thalita, o Fernando, o Rodson E A CRISTIANE QUE ACABOU DE CONSEGUIR!!!. Gih, TO TORCENDO POR VOCÊ. E alguém sabe da Giu??? 

Enfim, parabéns a você, se você venceu o Nano, aqui um post para comemorar e lembre de se dar recompensa! Compre algo, vá passear, faça um bolo, faça uma festa, FAÇA ALGO GRANDIOSO PORQUE É ALGO GRANDIOSO (eu comprei a HQ da Ms. Marvel). Ou você que tá escrevendo ainda ou você que vai escrever, segura firme que a sua vez tá chegando. Vambora, vamos transformar essas histórias em realidade. :)

-dana martins





A autora desse texto é a Dana, especialista em falar coisas idiotas, traficante de cultura pop e o avatar. Deal with it. Me recuso a usar 3ª pessoa, então: Você pode ver todos os textos que eu escrevi aqui na tag Dana Martins e também estou no twitter @danagrint, vem conversar comigo. :)

TAGS: , , , ,

Mostre para o autor o que você achou Recomende:

MAIS CONVERSAS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

3 comentários

  1. SEUS LINDOS VENCENDO O NANOWRIMO. AQUI PRA VOCÊS: <3 <3 <3. E JOÃO, AQUI PRA VOCÊ TAMBÉM, OH, QUE VINTE MIL NÃO É COISA POUCA NÃO, CARA: <3 <3 <3

    Então… O que eu ganhei com o NaNo? Hm… Amor (?). Acho que amor pela história, pelos personagens, pelo grupo (que antes eu só observava e aí comecei a participar e AI MEU DEUS EU ME SINTO TÃO EM CASA!), pelo ato de escrever mesmo, sabe, Dana? Não cheguei nas 50 mil palavras, mas não tô tão culpada quanto achei que fosse ficar. Na verdade, não tô nada culpada. Não deu. Não foi dessa vez. Talvez na próxima. Não consigo não entrar em crises existências num período de apenas trinta dias. É difícil conseguir passar trinta dias sem querer apagar tudo e começar de novo (coisa que eu fiz nos cinco primeiros dias, até conversar com o Diego e perceber que na verdade eu tava sendo idiota e deixando meu editor ditar as regras…). Vou me focar em escrever as palavras que faltam para a história acabar, não para fechar as 50k, e embarcar com vocês até dia 15.

    Ahhhh, lembrei. Tenho que contar um negócio que comentei no grupo do Clube de Escrita: meu editor interno é um tremendo filho da puta!!!!…

    ...aliás, porque é tão comum xingar as pessoas usando "filho da puta"? Tipo, a gente tá meio que xingando a mãe da pessoa — [ainda que eu não goste/entenda/ache certo a palavra puta ser xingamento —, não a pessoa que tá nos causando o problema. E, também, se o editor interno é parte da minha consciência, quer dizer que eu sou mãe dele (?) e nesse caso a puta sou eu? Não que eu me importe se alguém me chamar de puta, porque na verdade [acho que] nem vou ligar, mas POR QUE ISSO É UM XINGAMENTO?! Ps.: talvez essa tenha sido uma reflexão tardia sobre aquele post sobre slut shaming, ou talvez seja aquilo que eu via você falando no grupo: escrever sem pensar. Eu não estou pensando, só despejando coisas que eu sei que quero falar e acho que aqui é um bom lugar pra falar (?). Não tenho certeza se isso é algo educado a se dizer, admitir que não estou pensando enquanto faço esse comentário, mas juro que a intenção não é ser grosseira…

    retomando: …meu editor é um tremendo canalha (acho que melhorou o xingamento), pois disse que estava tudo bem se eu parasse dois dias para descansar. Só que ele não me lembrou que eu tinha matéria pra revisar pro vestibular. E também não avisou que a previsão dizia que ia fazer muito calor nos últimos dias de novembro e que eu não conseguiria escrever uma só palavra. Daí os dois dias de desancando se tornaram uns quatro dias sem escrever. Agora ele tá aqui rindo de mim e dizendo calmamente que "dezembro é um mês muito ruim pra escrever, é mês de descanso e de comida gostosa, só". VOU DAR NA CARA DESSE DESGRAÇADO!

    (aprendi a surtar assim, como tô fazendo nesse cometário. A rir e chorar sozinha, a falar em voz alta com os personagens e receber respostas na minha cabeça, a ir dormir quatro da manhã pra bater a meta diária e a escrever no ritmo das músicas que tô ouvindo — notei que isso me influência MUITO! Montei uma playlist com músicas da Shakira, Beyoncé e Katy perry, só aquelas músicas rápidas e que dão vontade de dançar, e aí vou cantando junto e escrevendo loucamente. Num sprint com o Eduardo consegui mais de mil palavras. Muito amor <3 Acho que todas essas coisas são ganhos, até a parte dos surtos).

    Enfim, isso tá meio que se tornando um texto e eu acho que escrevi, escrevi, escrevi e não disse nada. E meu principal ganho nesse novembro foram os amigos. Conheci você, a Helena, Diego, Eduardo, Giu, João <3 <3 <3 (e os outros que só "conheci de vista": Thalita, Cristiane, Isabella [que tem o nome da minha protagonista, só que ao contrário, e eu fico pensando: tua vida é tão triste/feliz/foda quanto a dela? OMFG]).

    Agora vou lá me presentear com sorvete. Não venci o NaNo, então não vou pegar bolo com sorvete. Só sorvete. Não é realmente um tipo de trapaça, certo? Tá mesmo muito calor…

    ResponderExcluir
  2. Não participei do Nano (e acho que não participarei mais) porque já encontrei minha rotina. Nano é uma loucura, gente! Aplaudo de pé todos vocês que topam o desafio e, não satisfeitos, ainda vencem! O Nano me ensinou a ter essa rotina (participei uma única vez e, risos, perdi) e sou eternamente grato por isso. A gente meio que acha que é impossível terminar uma coisa grande, mas é tudo questão de prática :)

    ResponderExcluir
  3. Mããeee to no CC de novo! hahaha ♥

    No começo do mês, principalmente, minha mãe. "o que isso vai te dar?/ o que você ganha com isso?". Se você fala para as pessoa, ganhei o nano, "o que você ganhou?". E me ocorreu a mesma coisa que você: Porque eu to me matando para escrever? e etc etc ... E foi bom ganhar, mas foi meio inevitável,pensar 'e daí?' mas isso é outra história.

    E é claro que vou participar futuramente, por que eu adoro o clube de escrita, as amizades que a gente faz lá, as conversas. A sensação de ''ei u eu posso escrever 50k em menos de um mês".

    Uma coisa que tem estado na minha cabeça é que eu não criei, ou estou tentando criar uma rotina de escrita. Eu acabei meu rascunho. e aí tava cheia de vontade de escrever um livro 2, comecei, mas aí fui enrolando, porque eu queria ver isso na internet, falar com nãos ei quem, passei um dia longe, fui pegar ontem, tudo tá ruim. Perdeu o clima, hoje eu nem abri. E é assim, como você falou,se não for o nano, vai vim muita coisa antes da escrita. Por um mês é fácil, mas depois não. E a gente vai deixando. E mesmo que eu pense 'ei não vou deixar' pega e escreve só um pouquinho,até algo melhor te puxar de lá...

    Bem, como eu disse, conheci gente bacana, eu ganhei amigos, de outro me aproximei mais (lê-se Dana aqui ahahha) um primeiro rascunho, uma confiança a mais. E eu me sinto grata por isso. Mas eu quero uma rotina agora hahahaha E vou trabalhar nisso!


    ResponderExcluir

Posts Populares

INSTAGRAM


Instagram

FALE COM A GENTE!

Nome

E-mail *

Mensagem *